– Análise Pré-Jogo para a Arbitragem de Palmeiras x Santos

O paranaense (que apita pela Federação Catarinense) Heber Roberto Lopes apitará a finalíssima da Copa do Brasil no Allianz Parque. O que esperar dele?

Entre os árbitros, Heber é muito querido. Boa praça, low profile, começou com trejeitos espalhafatosos e qualidade técnica duvidosa. Evoluiu demais na carreira, chegando questionado à FIFA mas se firmando bem!

Observações de destaque para o árbitro nesta quarta-feira são:

o condicionamento físico: Heber sempre teve dificuldades em manter a forma, e se esforça muito nos testes físicos. Se não chover, creio que não terá problemas.

disciplinarmente: não é rigoroso, mas é respeitado pelos jogadores, o que ajuda muito devido ao clima criado. Heber sabe conversar; sendo assim, não espere muitos cartões amarelos por reclamações – e também não por jogadas mais viris, já que ele não costuma expulsar ou amarelar à toa. Por seu estilo, foi rotulado por alguns de caseiro, o que seria uma falsa impressão, pois os visitantes se dão tão bem como os mandantes em seus jogos.

tecnicamente: razoável, e aqui não há nada de excepcional.

Sendo assim, por quê Heber foi escalado?

A resposta é simples: pela EXPERIÊNCIA. Poderá tornar a condução do jogo de maneira cautelosa, segurando os ânimos exaltados com paralisações e promovendo muito bate-papo após entradas mais fortes. Não espero jogo corrido.

Quatro curiosidades:

1- Heber apitou 3 jogos do Santos neste ano (todos na Vila Belmiro), sendo empate contra o Flamengo e vitórias contra Atlético e Internacional. Não apitou nenhum jogo do Palmeiras em 2015.

2- Modesto Roma Jr, presidente santista, queria Luiz Flávio no 2o jogo (mas foi sorteado no 1o). Queria Daronco no 2o, mas deu Heber. Modesto foi o ÚNICO CARTOLA a estar presente nos sorteios da CBF.

3- Emerson Augusto Carvalho e Marcelo Van Gassen, os bandeiras da última Copa do Mundo e que foram muito bem no jogo de ida na Vila Belmiro, estarão novamente no 2o jogo. Tudo bem que são ótimos, mas tão melhores assim do que outros bandeiras? É desprestigiar os demais assistentes.

4- Que moral está o Heber: apitou a “decisão” do Brasileirão (Atlético Mineiro x Corinthians em MG) e agora apita a decisão da Copa do Brasil.

Creio em um jogo difícil de se arbitrar e torço por uma boa arbitragem!

bomba.jpg

– Um mundo que precisa buscar Mansidão!

Abro o jornal e leio: conflito do ISIS, avião russo abatido na Turquia, corrupção na Política, Papai Noel roubando helicóptero no Campo de Marte…

Guerras, golpes, violência. As pessoas perderam a noção do correto? Cadê o respeito mútuo, o amor e a concórdia?

Precisamos ser mais tolerantes; perdoar, relevar, abdicar.

Uma tradição católica: o pedido de misericórdia pela invocação da Virgem Maria:

  • Ó Nossa Senhora da Piedade, rogai por nós a seu Filho Jesus. Que sua invocação ao Cristo seja também pelo mundo que se esquece de dar as mãos e seguir em paz!

bomba.jpg

– Dualidade de Caráter: não quero entender, mas entendi!

Uma história/estória fictício-real:.

O elemento A trabalhava puxando o saco do conhecido X, que era poderoso, e o fazia sem ganhar nada em troca. Quando aposentou definitivamente do ofício, se dedicou a trabalhar exclusivamente com X, remuneradamente.

E A conseguiu emprego e status com X. X se associou com Y e montou outra empresa. Foi í que A “e sentiu” e defendeu com unhas e dentes X e Y. Ai daquele que criticasse!

Mas quando a empresa de X e Y demitiu A, A jurou vingança e começou a criticar X. X, malandro que só, voltou à empresa antiga sem Y e recontratou A. E A voltou a ser feliz. Retornou novamente a relação de amor ao próximo e ódio ao pensamento contrário.

Como a vida dá voltas, em crise, X abriu mão novamente de A. E A rebelou-se ferozmente. Atacou com armas verdadeiras, ressuscitando temas antigos e sabidos pejorativos.

Pergunta: no vai e vem das relações humanas, se X fizer uma nova proposta a A, o amor volta?

Nesse conto de anônimos identificados, que mostra a verdadeira contradição de filosofias de vida e firme dúbio caráter, que sirva uma moral: nem todos têm convicção de opiniões, e infelizmente, o amor e o ódio brotam do dinheiro que lhes é pago.

A distância dessas pessoas é salutar. Me recordo que X, um dia desses, deu de cara comigo em lugar público, disfarçou, baixou a cabeça e seguiu – com o peso das suas picaretagens e o medo do choque da honestidade.

Quanto ao A? Está na dele, dentro dos princípios dele, do jeito dele.

Ops: ressalto: é apenas uma fábula mostrando o quão volátil hoje o mundo é…

 
bomba.jpg