– Rezemos pelo dia vivido.

Agradeçamos a jornada que se encerrou e peçamos por um bom descanso: https://youtu.be/AOrXUmh4tu4

– Continue a labuta.

Todos nós tempos problemas. Todos nós passamos por percalços. E todos nós precisamos sobreviver.

Na amargura, na angústia ou no desespero, NÃO DESISTA.

Lembrei-me desse dito:

Se você está atravessando o inferno, não pare!

Winston Churchill

É justamente isso… se você parar, “atrofia”. Orgulhe-se da luta!

Persistência: o que é e a importância de ser persistente

Imagem extraída de: https://www.psicologoeterapia.com.br/blog/persistencia-o-que-e-e-a-importancia-de-ser-persistente/

– IMPRESSIONANTE: O corpo hiper-realista de Jesus.

Em Salamanca, após 15 ANOS DE TRABALHO, uma exposição com o máximo de realismo de Jesus Cristo.

Abaixo, extraído de: https://f5.folha.uol.com.br/voceviu/2022/10/catedral-na-espanha-expoe-corpo-hiper-realista-de-jesus-cristo.shtml

CATEDRAL NA ESPANHA EXPÕE CORPO HIPER-REALISTA DE JESUS CRISTO

Após 15 anos de pesquisa, a reprodução baseada na imagem do Santo Sudário é a principal atração da mostra ‘O Homem Misterioso

Uma exposição chamada “O Homem Misterioso” tem chamado a atenção dos visitantes da Catedral de Salamanca, Espanha. Inaugurada recentemente, a mostra tem uma reprodução hiper-realista de Jesus Cristo baseada na imagem do Santo Sudário, ou Sudário de Turim, o pano de linho que teria sido utilizado para envolver Jesus após sua crucificação.

O trabalho de representação de Jesus impressiona pelos detalhes: o corpo é feito de látex com silicone, tem cabelo humano, 1,78 m de altura e pesa 75 quilos. Criada após 15 anos, a escultura tem ainda pernas semiflexionadas e está com as mãos cruzadas na altura do púbis. O corpo apresenta os sinais da tortura sofrida pelo filho de Deus como as lacerações na cabeça, produzidas pela coroa de espinhos e as feridas nos ombros devido ao peso da cruz.

“Esse corpo reflete uma tortura mais dura do que a pintura sempre refletiu, com uma morte atroz causada não só por crucificação, mas também por flagelação”, explica o curador da exposição, Ángel Blanco. Em 2025, a mostra deve seguir para Turim, casa do Santo Sudário, e também para Roma.

– Orquídeas da Vovó Lalá.

Orquídeas da Vovó Lalá: que capricho!

Trate a Natureza com carinho, e ela retribuirá.

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #orchids #orquídea

– A empatia em gestos simples.

Leio no Ecoa (em matéria reproduzida pelo UOL, conforme citação na figura abaixo) que na Holanda um supermercado criou caixas para ficarem conversando com idosos. Sensacional!

Um dos males que maltratam os “nossos velhinhos” é a solidão. A necessidade de conversar é perceptível, e tal simpática iniciativa merece todos os aplausos.

E quem / quando se fará algo igual aqui no Brasil?

– Fanatismo que pode matar…

Esse fanatismo político está assustando. O tiroteio que assustou Tarcísio poderia ser contra Haddad ou contra qualquer outro. É a pilhagem política, irresponsável, e que não cessa.

O que aconteceu com o povo brasileiro, que se radicalizou tanto, e de qualquer lado?

– Métodos tradicionais ou modernos para estudar?

Uma discussão bacana: até onde os métodos tradicionais de estudo funcionam? Com o advento da tecnologia, estudar pode ser algo diferente. E nesta matéria, abaixo, uma reflexão: não estaríamos próximos do ensino oral, via computadores?

Interessante, extraído de Época Negócios, Caderno inteligência, pg 66-68, ed 32.

AFINAL, A DECOREBA FUNCIONA?

por Lelivaldo Marques Filho e Robson Viturino

Há muito os educadores discutem qual seria a melhor forma de aprender: a elaboração dos conceitos ou as técnicas de memorização? Em busca de uma resposta, a edição de janeiro da revista Science indica que, no futuro, é provável que a pedagogia empreenda algumas mudanças nos métodos de aprendizado. Segundo um estudo divulgado na publicação, estudantes estimulados a ler textos, resgatar e reconstruir o conhecimento em intervalos regulares obtêm melhores resultados do que os colegas que recorrem à criação de mapas conceituais – aqueles diagramas em que os “nós” representam conceitos e as conexões entre esses “nós” simbolizam a relação entre os conceitos.
Para confrontar as duas técnicas, os pesquisadores da americana Purdue University realizaram um experimento em que 200 alunos estudaram textos de diferentes disciplinas científicas. Na primeira prova, próxima das seções de estudo, não houve diferença significativa no resultado. No entanto, uma semana depois, quando se mediu o sucesso da retenção no médio prazo, o grupo que se valeu de técnicas de resgate regular da informação colheu resultados 50% melhores do que seus colegas. As avaliações incluíam tanto perguntas literais, cuja informação estava diretamente no texto, quanto questões que requeriam interpretação.

De acordo com os autores do estudo, Jeffrey D. Karpicke e Janell R. Blunt, atualmente há uma tendência entre pedagogos no sentido de encorajar práticas baseadas no “estudo elaborado” em detrimento da velha e boa releitura. Os maiores interessados no assunto estão no mesmo barco. Karpicke e Blunt dizem que os próprios estudantes, antes que vissem o que diz a pesquisa, avaliaram que a primeira técnica seria a mais eficiente para solidificar o aprendizado.

Para os pesquisadores, a prática de resgate das informações sugere uma nova visão de como a mente funciona. “O resgate não é apenas uma leitura do conhecimento estocado na mente – o ato em si de reconstrução do conhecimento aumenta o aprendizado. Esta perspectiva da dinâmica da mente humana pode pavimentar uma via para o desenho de novas atividades educacionais”, afirmaram, no artigo que ganhou as páginas da Science.

Máquinas acionadas pela voz e linguagem visual irão
aposentar a palavra escrita, afirmam cientistas

Estendendo o horizonte de discussão, alguns cientistas já estão estudando como seria o aprendizado em um mundo sem textos. O futurólogo William Crossman supõe que, em 2050, a palavra escrita vai ser uma tecnologia obsoleta e, acredite se quiser, cairá em desuso como forma de armazenar conhecimento. A interação com computadores que respondem a comandos de voz e o avanço da iconografia terão chegado a tal ponto que não se ensinará mais os alunos a ler e escrever, diz ele. Todo o conhecimento e as informações do dia a dia virão desses repositórios interativos e inteligentes de informação.

Em seu livro VIVO [Voice-In/Voice-Out]: The Coming Age of Talking Computers (algo como “A nova era dos computadores que falam”), Crossman chega a descrever com detalhes como seria um dia normal na vida de uma família embebida dessa cultura oral. Desde o despertar até o final do dia, as atividades de uma mãe e seus dois filhos em idade escolar são realizadas sem nenhum contato com informação escrita.

É uma alegoria do futuro, como várias que vimos no passado. Algumas se configuram e outras não. Mas vale a pergunta: será mesmo possível aprender com profundidade sem o distanciamento e a introspecção que a leitura exige? Ou essa questão é apenas fruto de nossa tendência de nos apegar ao que já conhecemos?

Imagem extraída de: https://unileao.edu.br/blog/decoreba-funciona/

– O debate do 2º turno na Band: deu Lula ou deu Bolsonaro?

Muitos ataques e poucas propostas no Debate da TV Bandeirantes, com os 2 candidatos se criticando bastante e criando suas narrativas.

Lulistas dirão que Luís Inácio venceu. Bolsonaristas dirão que Jair Messias foi o vencedor. E pra você, quem ganhou?

Para mim, o ponto alto foi a pergunta do Josías de Souza, que questionou sobre os métodos de Lula e Bolsonaro na hora de “comprar apoio do Centrão”!

Para quem não assistiu o debate, aqui: https://youtu.be/iYVk1CeIs60

– A triste perseguição de radicais contra o Padre Zezinho, SCJ.

Anos atrás, Padre Zezinho, SCJ, ícone da música católica e reconhecidamente uma das pessoas mais inspiradas e inteligentes do clero brasileiro, foi atacado como “comunista”, o que foi negado por ele, que sempre disse que “ser cristão é estar acima de ‘ser de Esquerda ou ser de Direita'”.

Agora, devido aos lamentáveis episódios no feriado em Aparecida, onde radicais quiseram “aparecer”, o sacerdote foi atacado e se retirou das Redes Sociais. E ele deixou uma mensagem importante sobre essa intolerância no Brasil, abaixo,

Extraído de: https://oglobo.globo.com/blogs/sonar-a-escuta-das-redes/post/2022/10/apos-ataques-de-bolsonaristas-a-igreja-catolica-padre-zezinho-faz-desabafo-e-se-retira-das-redes-sociais.ghtml

APÓS ATAQUES DE BOLSONARISTAS À IGREJA CATÓLICA, PADRE ZEZINHO FAZ DESABAFO E SE RETIRA DAS REDES SOCIAIS

Em texto publicado no Facebook, o religioso de Minas Gerais denunciou ofensas contra o Papa, bispos e sacerdotes

Após a celebração de Nossa Senhora da Aparecida, Padre Zezinho, da Congregação do Sagrado Coração de Jesus, foi às redes para denunciar ataques por parte de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) a ele, ao Papa Francisco e à Igreja Católica. Em desabafo publicado no Facebook, o religioso de Minas Gerais disse estar cansado de dar espaço para os fiéis “super politizados, irados e insatisfeitos” e que, por isso, ficará sem se manifestar no ambiente virtual até o dia seguinte ao segundo turno, que será disputado pelo atual chefe do Executivo e pelo ex-presidente Lula (PT).

O relato foi publicado logo após a visita de Bolsonaro a Aparecida, em São Paulo, nesta quarta-feira, onde bolsonaristas fizeram atos políticos durante a festividade religiosa e chegaram a atacar repórteres da TV Aparecida e da TV Vanguarda. Padre Zezinho é reconhecido por seu papel na Igreja Católica e considerado precursor da linha de padres cantores como Marcelo Rossi e Fábio de Melo.

O padre afirmou que quem busca o diálogo é visto por grupos radicais como “inútil, comunista ou ultrapassado”. De acordo com ele, essas pessoas “só conhecem as passagens políticas que ajudem o seu partido . Padre bom é o que vota como eles”.

Em seguida, o religioso cita as epístolas (cartas) de São Paulo a Timóteo sobre os cristãos de Tessalônica, cidade localizada na Grécia: “Não querem catequese, nem o Vaticano II, nem os documentos da CNBB, nem nenhuma orientação social e espiritual”.

“Meus 81 anos, meus 56 anos de padre, meus 102 livros, minha cultura religiosa, minhas mais de 2 mil canções nada dizem para eles. Insistem que não lhes sirvo mais como padre e pregador para eles”, e acrescentou: “Acharam candidatos mais católicos do que Papas e bispos , cujos documentos nunca leram. A Bíblia nada lhes diz. Só conhecem as passagens políticas que ajudem o seu partido. Padre bom é o que vota como eles”, continuou o desabafo.

Por fim, o líder religioso disse que o desejo atual é por um Brasil direitista ou esquerdista e não cristão. “Está claro que não aceitam nenhuma pregação moderada que propõe diálogo político, social e ecumênico”, concluiu.

Padre Zezinho tem 94 livros escritos, 117 discos e 1.700 canções gravadas. Entre as mais conhecidas estão: Um Certo Galileu, Maria de Nazaré, Amar Como Jesus Amou, Oração pela Família, És Água Viva e Maria da Minha Infância.

No Twitter, internautas lamentaram o relato do Padre Zezinho e prestaram solidariedade. O professor Pedro Ronchi aproveitou o momento para fazer uma crítica a postura dos apoiadores do presidente: “Os católicos de bem estão sabendo que os católicos bolsonaristas xingaram e atacaram tanto o Padre Zezinho que ele precisou fechar a rede social?”, escreveu.

Padre bom é quem vota com eles”, desabafa padre Zezinho : Nill Junior

Imagem extraída de: https://nilljunior.com.br/padre-bom-e-quem-vota-com-eles-desabafa-padre-zezinho/

– A intolerância das arquibancadas com os desabafos do campo.

Problemas pós-comemoração de gol em Sport x Vasco; confusão no Ceará x Cuiabá; e, em ambas situações, invasão de campo e violência.

O futebol está “pilhado demais”, nervoso e intolerante. Parece que existe a obrigação do clube vencer a qualquer custo e do adversário entrar e sair mudo de campo. As decisões dos árbitros são contestadas a qualquer custo (veja como se comportaram mal os atletas do SPFC na hora do juizão ir ao monitor do VAR em: https://wp.me/p4RTuC-HbL). Até mesmo as brincadeiras e gozações dos torcedores comuns são questionadas (um exemplo do dia-a-dia em: https://wp.me/p4RTuC-HcC).

A verdade é: nada pode mais! A simples comemoração de um gol passou a ser algo “regulado”. Se alguém põe a mão na orelha e passa pelo adversário, como gesto de desabafo, parece ter virado uma ofensa condenável! Não é isso… o jogador deve ser punido se cometer um gesto obsceno ou irresponsável. Me recordo de um jogo do SPFC x Vasco, onde Romário estava sendo vaiado e ao marcar um gol, passou pela torcida com o dedo na boca simbolizando que estava mandando ela ficar quieta. Normal. Na mesma semana, apitei pela A2 Paulista um jogo entre Rio Claro x Primavera, e naquela ocasião, o centroavante fez o gol, correu para a torcida adversária, segurou as partes íntimas “sacolejando” para a arquibancada e desferiu um repertório vasto de palavrões. Aí foi Cartão Vermelho e o cuidado para que ele não fosse agredido pelos jogadores do time da casa, além do pedido à PM para evitar uma invasão a campo.

Percebeu o que é desabafo, comemoração normal e ato irresponsável? São coisas diferentes, mas que nos dias atuais (talvez como reflexo da sociedade), tudo esteja no mesmo balaio.

O esporte (para o torcedor) deve ser ludismo e lazer. Se for para ficar irritado ou nervoso, não vá ao campo.

Aguardemos as punições do STJD.

Jogo entre Ceará e Cuiabá é encerrado na Arena Castelão após confusão entre torcedores — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares

Imagem extraída de: https://g1.globo.com/ce/ceara/noticia/2022/10/16/jogo-entre-ceara-e-cuiaba-e-encerrado-na-arena-castelao-apos-confusao-entre-torcedores.ghtml (Jogo entre Ceará e Cuiabá é encerrado na Arena Castelão após confusão entre torcedores — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares).

 

– Resiliência, a virtude dos nossos dias?

Ter resiliência é a virtude dos dias atuais?

RESILIÊNCIA, A PALAVRA DA MODA

Por Walcyr Carrasco

De tempos em tempos uma palavra ou expressão entra em moda. Todo mundo fala sem saber exatamente o que é. Quando eu tinha meus 20 anos e estudava História na Universidade de São Paulo, a expressão de ordem era “má consciência”. Significava genericamente a consciência pesada do burguês diante de seus lucros, por explorar o proletariado. Estendia-se a todos que, de alguma maneira, não se alinhassem com a crítica esquerdista a qualquer coisa neste mundo. Demorei um pouco para perceber que os ricos não tinham má consciência, a não ser alguns herdeiros desajustados. A maior parte prefere desfrutar os lucros em iates, casas de praia luxuosas, restaurantes, roupas, carros a refletir sobre a exploração do proletariado. A expressão deixou de ser usada. Nas últimas décadas, termos psicológicos entraram para o cotidiano. As pessoas usam a psicologia sem a menor noção do que estão falando. Você certamente já ouviu alguém dizer:

– Ele fez isso por ser traumatizado com o pai.

Pobre Freud, deve se retorcer na cova! Peça para explicar o que é traumatizado. Gagueira total. Mas a palavra trauma entrou para o vocabulário como quem fala de alface, abóbora, cenoura. Há menos tempo, a palavra foi psicótico. Leigos não sabem bem o que é psicopatia. Mas ouviram falar que, em cada dez, um ser humano é psicopata. Seu vizinho, talvez. Mais: ouviram também que nem todos os psicopatas são assassinos, mas têm uma lacuna na emoção. São capazes de usar sua generosidade para se aproveitar de você. Tornou-se comum dizer:

– Acho que ele é meio psicopata.

Meio?

A palavra da moda é resiliência. Primeiro pensei que era xingamento. Depois, que talvez fosse algo bom. Enfim, fui ao Google. Na Wikipédia, resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas, sem entrar em surtos psicológicos (no sentido primário, é a capacidade de um material se deformar sob pressão e depois voltar à forma original, em vez de ficar deformado, quebrar-se ou romper-se). Ou seja, é algo bom. Descobri que sou o próprio exemplo da resiliência. Em situações de estresse, desligo a reação emocional. Fico calmo, calmíssimo. Certa vez, um amigo desmaiou no corredor de um hotel na Turquia, tarde da noite. Tranquilo, fui pegar a chave do meu quarto, aberto, para poder voltar. Depois achei a chave dele em seu bolso. Abri a porta de seu quarto. Consegui, não sei ainda como (resiliência muscular?), levá-lo até a cama. Havia se cortado no supercílio. Lavei seu rosto. Ao acordá-lo, conversei. Faltava um dia para voltar. Seria melhor um hospital turco ou esperar a volta ao Brasil? Ele explicou: era uma doença não diagnosticada. Ele desmaia, de repente. Esperamos a volta. A doença não foi diagnosticada até hoje, mas ele está bem. Em nenhum momento senti a menor tensão. Isso é resiliência! Ainda bem, porque antes me achava psicopata. Uma palavra pode aliviar a vida de alguém!

A origem da palavra é latina. Vem do verbo resilire, que significa ricochetear, pular de volta. Em inglês, acrescenta-se o significado de “capacidade de recuperação após um golpe”. Tornou-se o diamante das novas técnicas motivacionais e psicológicas (o diamante é duro, e não resiliente, porque não se deforma, ou seja, não “aprende” com o golpe). Tornar alguém mais resiliente é fazê-lo mais apto às dificuldades da vida. Os conceitos já faziam parte do cotidiano da terapia. A palavra resiliência foi traduzida apressadamente. Antes bombou nos países de língua inglesa. Lá, era um termo comum. Aqui, tornou-se novidade.

E a última é agregar algo. Um amigo psicólogo disse:

Não quero trabalhar só a resiliência. Ao superar a situação, a pessoa avança. Aquilo que poderia ser uma experiência desagradável torna-se um fator positivo de crescimento.

Seria uma espécie de resiliência plus?

Escrevi este texto porque queria saber o que é resiliência.  Descobri que é uma espécie de guarda-chuva para vários conceitos. Resiliência pessoal, empresarial… tornou-se uma panaceia no campo da superação (outra palavra na moda).

Talvez a palavra “resiliência” ainda não tenha chegado ao seu cotidiano. Chegará. Moda é moda. Mas não faça questão de tornar-se um expert. As pessoas gostam de usar palavras inteligentes, mesmo sem saber bem o que é. Tranquilo. Palavras e expressões supostamente sábias são como cor de esmalte. Saem de moda. Depois vem outra.

Resiliência: 10 dicas se tornar uma pessoa mais resiliente | Vittude

– A beleza do amanhecer da Segundona.

O dia começou assim: bonito e inspirador!

Tem como não se entusiasmar com um sol desse?

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress

– Corra que faz bem!

E mais um treino finalizado hoje, controlando os batimentos cardíacos.

Correr faz muito bem, traz equilíbrio para o corpo, para a alma e para a mente! E meus outros motivos para correr eu explicito aqui: https://professorrafaelporcari.com/2020/06/13/bom-dia-sabado-explicando-uma-historia-sobre-animo-e-mobgrafia-em-cores-e-cliques/

– Bom dia, 2ª feira (4 de 4).

🌅 04h50 – Desperte, Bragança Paulista.

Que a segunda-feira possa valer a pena.

(E há de valer, bem como toda a semanacreiamos nisso).

🍃🙌🏻 📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#clouds #nuvens #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia

– Bom dia, 2ª feira (3 de 4).

🌺 Fim de cooper! Valeu o treino (além do esforço).

Estou suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da natureza. Hoje, com essas delicadas plantas: rosas.

Curta flores! Elas nos desestressam e aliviam a mente.

🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

– Bom dia, 2ª feira (2 de 4).

🙏🏻 Enquanto vou correndo, fico meditando e faço uma prece:

“- Ó Virgem Maria, Mãe de Deus e Nossa Mãe, rogai por nós que recorremos a vós. Hoje, especialmente pelos que se sentem abandonados, ó Senhora bondosa. Amém.”

Reze, e se o que você pediu for para seu bem, Deus atenderá.

⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade