– Ufa!

Dia 52 de aproximadamente 150 vencidos. Graças a Deus.

Tentando ser “pãe” na ausência da mamãe, que está se sacrificando por todos nós (motivo em: https://wp.me/p4RTuC-Bm4).

Hoje foi um dia “complicado”. Dores no corpo (talvez uma bursite para ajudar) e um pouco de mau humor. Mas… enfim, vamos!

Até amanhã.

– Vote no Podcast Nossa Conversa, de Wanderley Nogueira, para o iBest da categoria.

Olá amigos! Quem gosta do trabalho do grande Wanderley Nogueira, ícone do jornalismo esportivo, sabe que ele possui o Podcast “Nossa Conversa”, sempre apresentando ótimos convidados e pertinentes assuntos.

Pois bem: ele está concorrendo ao prêmio iBest na referida categoria de podcasts. Vamos votar nele?

Aqui o link. É rapidinho! Em: https://ibest.vote/610364910

 

 

– Os Viciados por Telefone Celular: a dependência pode ser a mesma de Narcóticos?

Uma das matérias que mais chamou a atenção na Revista Veja de dias atrás foi a respeito das consequências dos dependentes de Celular.

Sabia que os sintomas da nomofobia são gravíssimos?

Compartilho, extraído de: https://veja.abril.com.br/revista-veja/viciados-em-telas/

VICIADOS POR TELA

Cientistas atestam que a dependência de smartphones afeta a química do cérebro, levando ao desenvolvimento de transtornos como déficit de atenção

Por André Lopes

Se você não estiver lendo esta reportagem no celular, uma pergunta: onde está ele agora? A questão fez com que o procurasse? Se respondeu “sim”, é provável que, nos próximos minutos, você não consiga se concentrar neste texto. Quando o aparelho fica fora de alcance, um sentimento de ansiedade costuma tomar conta do usuário, bastando porém tê-­lo em mãos para o alívio ressurgir. Se isso é comum no seu dia a dia, deve-se acender o sinal amarelo. De acordo com um estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Seul, na Coreia do Sul, divulgado no último dia 30, a dependência de smartphones já pode ser, sim, chamada de vício. Isso porque seu uso excessivo produz alterações químicas no cérebro, com reações e síndrome de abstinência em moldes semelhantes ao que acontece com dependentes de drogas.

No trabalho sul-coreano, os cientistas usaram um tipo particular de ressonância magnética que analisa a composição química do cérebro para observar hábitos de dezenove adolescentes clinicamente diagnosticados como viciados em celular. Depois, compararam os resultados com os de grupos de jovens que usam o dispositivo mas não eram tidos como dependentes. No estudo também se levou em conta quanto o convívio com a tecnologia afetava o contato com familiares, a produtividade e a forma de lidar com emoções. Num resultado previsível, os adictos apresentaram maiores níveis de depressão, ansiedade, insônia e impulsividade. Mas novidade maior, mesmo, foi a descoberta de como a nomofobia — eis o termo que descreve a dependência de smartphones — afeta a química cerebral.

Os jovens dependentes apresentaram oscilações na presença dos ácidos gama-aminobutírico, glutamato e glutamina, todos ligados a dois neurotransmissores responsáveis pelo funcionamento da atividade cerebral. Quanto maior o nível de alteração deles, mais grave era o quadro de dependência. Pode-se ter uma sólida dimensão do problema quando se considera que, em países desenvolvidos, 92% dos adolescentes acessam a internet todos os dias, em geral por meio de telefones móveis. Um típico usuário costuma tocar mais de 2 600 vezes na tela do celular por dia.

Esse dispositivo pode dominar a atenção de jovens e crianças mesmo diante das maiores maravilhas do mundo real — a exemplo de obr­as-primas como A Ronda Noturna, que o holandês Rembrandt (1606-1669) pintou em homenagem aos civis que fiscalizavam as ruas de Amsterdã. Entre 2015 e 2016, viralizou na internet um meme no qual um grupo de estudantes virou as costas para o quadro clássico e ficou fascinado com outra tela — a do próprio celular. Depois que a imagem se espalhou, descobriu-se que o grupo, na verdade, realizava pesquisas ligadas a um trabalho escolar. Mas a cena acabou ficando como o emblema de uma realidade: a capacidade quase infinita dos smartphones de atrair a atenção juvenil mesmo quando os adolescentes estão diante de outras maravilhas do engenho humano.

O uso constante do aparelho prejudica especialmente os jovens, membros de uma geração que nasceu conectada, cuja mente e hábitos ainda estão em formação — podendo influir nos processos de aprendizagem. Adolescentes que usam o aparelho em excesso apresentam tendências maiores a desenvolver déficit de atenção, fobia social, depressão e compulsão para acessar redes sociais. No ano passado, pesquisadores da Universidade de Kaohsiung, em Taiwan, publicaram um trabalho no qual relacionaram a dependência com transtornos mentais. Pela análise do comportamento de 2 300 adolescentes, concluiu-se que 10% deles possuíam algum tipo de alteração cognitiva ligada à nomofobia.

Estudos como esse procuram confirmar uma suspeita deste século: será que a ascensão das redes sociais e dos smartphones tem relação direta com o aumento dos casos de depressão e ansiedade entre jovens? Ao longo da última década, o número de crianças e adolescentes americanos internados em hospitais por suspeita de quadros depressivos mais do que dobrou. Em paralelo, a taxa de suicídio entre os indivíduos da mesma geração também cresceu com igual intensidade. Suspeita-se que o isolamento proporcionado pelas novas tecnologias tenha influência no aumento dos índices. Nos Estados Unidos, o tempo médio que os jovens dedicam diariamente ao celular passou de uma hora e meia, em 2012, para duas horas e meia, no ano passado. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, órgão ligado à ONU, considera que a Inglaterra apresenta o cenário mais grave: um em cada três adolescentes já pode ser considerado viciado por ficar on-line mais de seis horas diariamente.

Como saber se um filho ultrapassou os limites? Uma das diferenças entre o uso saudável e a dependência está no nível de inquietação quando o dispositivo não está por perto. “Para os viciados, as manifestações emocionais decorrentes de não poder acessar o aparelho, como quando acaba a bateria, são semelhantes às apresentadas durante casos de abstinência de drogas como álcool. O indivíduo costuma exibir alterações como sudorese, ansiedade, irritabilidade e comportamento agressivo”, explica a psicóloga Sylvia van Enck, pesquisadora do Grupo de Dependências Tecnológicas da Universidade de São Paulo.

Um caso extremo, e hoje referência para estudos, ocorreu em 2012. O inglês Danny Bowman, então com 16 anos, tentou se matar, segundo ele próprio, por não ter conseguido tirar uma “selfie perfeita”. O rapaz dedicava, à época, dez horas de seu dia em busca das melhores fotos de seu rosto. Durante esse período, ele abandonou a escola, perdeu peso e desfez amizades. A cura só veio com a abstinência forçada: Bowman passou por um duro tratamento que consistia em de­ixá-lo longe do smartphone.

No Brasil, existem clínicas, como o Instituto Delete, no Rio de Janeiro, que promovem esse tipo de tratamento. A iniciativa segue os passos de países como Estados Unidos, Inglaterra, Japão e China, as principais referências nesse campo de trabalho e onde a nomofobia é tratada como um problema de saúde pública. Na Califórnia, as clínicas especializadas no tratamento contra a nomofobia são cada vez mais populares. No Japão, o Ministério da Educação lançou um projeto nas escolas para oferecer psicoterapia a jovens que se sentem dependentes do celular. Um aviso, contudo, deve ser feito para todas as idades: é difícil ter noção, sozinho, de quando se está dependente dessas novas tecnologias. Os especialistas indicam uma forma de acender o alerta: note se o uso demasiado do smartphone está interferindo em sua produtividade no trabalho ou no tempo dedicado à família e aos amigos. Se isso estiver acontecendo, é um sinal de que, talvez, as coisas não estejam indo de modo satisfatório. Como em tudo na vida, também para o celular vale o conselho de ouro: use com moderação.

Rembrandt? – Estudantes parecem preferir a tecnologia à clássica pintura Gijsbert van der Wal/Reprodução, extraída de: https://veja.abril.com.br/revista-veja/viciados-em-telas/

– E novas mudanças ocorreram na Arbitragem Brasileira! Boa, Seneme, que não pipocou.

Depois da entrada de Wilson Luís Seneme na chefia da Comissão de Árbitros da CBF, novas mudanças: Ednaldo Rodrigues, o presidente da entidade, demitiu mais gente. Entre eles, 3 nomes que há muito tempo estavam por lá:

1. Sérgio Corrêia da Silva, que foi presidente do Sindicato dos Árbitros de São Paulo, era funcionário da CBF desde os tempos de Ricardo Teixeira (passou por Marin, Cel Nunes e Caboclo), quando foi levado para trabalhar com Armando Marques. O substituiu depois do escândalo da Máfia do Apito, assumindo a presidência da CA. Quando foi demitido desse cargo, acabou permanecendo como empregado na Diretoria de Arbitragem, um cargo novo criado à epóca. Depois voltou a presidência da CBF, e acabou remanejado como chefe do VAR.

2. Coronel Marcos Marinho foi levado para a Comissão de Arbitragem por Del Nero. Foi presidente da CA, depois Diretor de Novos Talentos e transitou em diversas outras funções por lá.

3. Manoel Serapião era Diretor de Análise dos Árbitros, e me recordo muito bem que foi um dos homens ditos “responsáveis pelo VAR no mundo”. Quando começou a se falar de VAR, várias matérias da CBF o apontavam como o homem que viajou para Suíça e convenceu a entidade a usar o modelo brasileiro de árbitro de vídeo (nunca a FIFA confirmou isso). Porém, a FIFA implantou o VAR e o Brasil demorou anos para implantar o seu… fizemos até uma cronologia dos adiamentos e falhas: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2017/08/18/a-insistente-mentira-do-arbitro-de-video-no-futebol-brasileiro-mudou-para-2019/

Enfim: especula-se que Seneme queria carta-branca para trabalhar, e via algumas coisas que não lhe agradavam (caso contrário, poderia até deixar a entidade). Aliás, após tantas queixas de arbitragem do último final de semana, pareceu-me que, de fato, o novo chefe quer gente da sua confiança e que seja subordinada a ele (e não ao contrário) dentro da entidade. Venceu algumas resistências e oxigenou a casa.

PARABÉNS, Seneme. Mudar de mentirinha, como tantas vezes vimos, não dá.

Sérgio Corrêa, era responsável pelo VAR e chegou a ser presidente da Comissão Nacional de Arbitragem — Foto: Reprodução SporTV

Imagem extraída de: https://ge.globo.com/futebol/noticia/2022/04/25/cbf-demite-nove-pessoas-da-comissao-de-arbitragem-entre-elas-responsavel-pelo-var.ghtml (Foto: Reprodução SporTV).

– A Bipolaridade do Mundo Organizacional

Compartilho um artigo extremamente oportuno de um fenômeno atual: a “Mudança de ‘Humor Organizacional’ das Empresas”, retratado pelo Prof José Renato Sátiro Santiago.

Abaixo, extraído de:

http://jrsantiago.com.br/blog/texto/A_Bipolaridade_no_Mundo_Corporativo_e_seu_uso_indevido

A BIPOLARIDADE NO MUNDO CORPORATIVO E SEU USO INDEVIDO

Distúrbio caracterizado pela repentina mudança de humor de seu paciente, a bipolaridade tem invadido o dia a dia de todos nós.

Diferentemente do que acontecia em um passado remoto, hoje em dia não é tão raro conhecermos alguém que sofra deste mal.

A questão aqui, no entanto, não diz respeito ao efetivo crescimento, mas sim ao seu diagnóstico.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a OMS, há cerca de 340 milhões de pessoas que sofrem de transtornos desta natureza (1 a cada 20).

Sim, sofrer é o termo certo, pois se trata de uma doença com a qual se deve ter um enorme cuidado.

Conforme alguns estudos, o índice de suicídio entre as pessoas bipolares é cerca de 30 vezes maior se comparado com aquelas que não possuem tal distúrbio.

Assustador.

Ainda assim, há um mal maior sofrido por uma pessoa bipolar, o preconceito.

Muitos, talvez por pura ignorância no assunto, costumam associar as características deste mal como sendo “pura frescura” ou “falta de uma boa surra quando criança”.

Como se fosse possível controlar seus efeitos.

No mundo corporativo, por exemplo, não é incomum confundirem a bipolaridade com questões bem diferentes sem qualquer relação de causa e feito.

Isto é péssimo e é o pior que pode ser feito.

Quantos de nós, ao longo de nossa vida profissional, já testemunhamos colegas que mudam radicalmente de postura e comportamento de um momento para o outro.

Tal tipo de situação costuma ser marcada por frases de tal estirpe “…ele (ou ela) só pode ser bipolar…”.

A verdade absoluta é que isto está longe de ser bipolaridade.

O que seria apenas uma estratégia de sobrevivência, mesmo que vil, passa a ser entendido como algo que é feito sem que haja a devida previsibilidade.

A pessoa bipolar age de acordo com o seu humor, e este, o humor, muda de forma muito rápida e extremada.

Trata-se de algo que pode ser controlado com tratamento, inclusive com medicação apropriada.

A mudança de posicionamento repentino, conforme conveniência, não possui qualquer relação com este tipo de transtorno.

O assunto sobre o qual se refere é outro.

Além disso, e justamente por se tratar de uma doença, é uma irresponsabilidade o uso indevido de um assunto tão sério para qualificar alguém.

Uma atitude preconceituosa, pois tende a associar uma doença como sendo uma característica pessoal.

“Ah mais eu não sabia disso”.

Ainda assim, o desconhecimento sobre as características desta, ou de qualquer outra, doença não serve de atenuante ao seu uso indevido.

Aliás, isto deveria servir para tudo, não é mesmo?

Imagem relacionada

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito.

– O que é isso, juizão?

Foi na semana passada esse pênalti estranho (em Al Ahly vs Raja Casablanca), mas pouco se discutiu: foi um erro de “incompetência”?

Veja só, em: https://twitter.com/AS_AGabilondo/status/1515486074323312653

https://platform.twitter.com/widgets.js

– Homens com Depressão Pós-Parto? Sim, existem!

Uma pesquisa da Universidade de Auckland mostra: muitos homens sofrem de depressão pós-parto e podem transmitir isso para as suas crianças.

Vale a leitura,

Extraído: http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/02/15/certos-homens-tambem-sofrem-de-depressao-pre-natal-ou-pos-parto/

CERTOS HOMENS TAMBÉM SOFREM DE DEPRESSÃO PRÉ-NATAL OU PÓS-PARTO

Homens estressados ou com a saúde debilitada podem ficar deprimidos quando as parceiras ficam grávidas, e os sintomas também podem surgir depois do nascimento do filho. É o que mostra um estudo feito na Nova Zelândia, e publicado no periódico Jama Psychiatry.

Hoje, sabe-se que alguns homens também podem ser vítimas da depressão pré-natal ou pós-parto, condições já bem estudadas nas mulheres. O objetivo do trabalho atual foi identificar os principais fatores de risco para a depressão paterna.

Pesquisadores da Universidade de Auckland analisaram os sintomas de 3.523 homens na faixa dos 33 anos, que foram entrevistados quando suas parceiras estavam no terceiro trimestre de gravidez e nove meses após a chegada do filho.

Os resultados mostraram que 2,3% dos participantes, ou seja, 82 homens, apresentaram sintomas fortes de depressão durante a gravidez das parceiras, e 4,3% (153) relataram os sintomas depois do nascimento da criança.

Os pesquisadores notaram que o problema foi mais frequente nos homens mais estressados e com saúde mais frágil, de um modo geral. No caso da depressão após o nascimento, os sintomas também foram mais presentes nos pais que estavam desempregados, separados da mãe da criança e que já tinham histórico do transtorno.

Os autores observam que o pai exerce uma influência vital para o desenvolvimento da criança, por isso a depressão também pode ter efeitos diretos ou indiretos nos filhos. Reconhecer os sintomas e buscar ajuda o quanto antes pode evitar que isso aconteça.

bomba.jpg

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida.

– Dia de São Marcos.

Hoje é dia de São Marcos Evangelista (lembrando que o mais antigo dos Evangelhos é o dele), amigo de São Pedro e servo de Jesus. Segundo o Papa Francisco, o santo “é quem melhor conseguiu escrever com um estilo de muita simplicidade a vida do Senhor.”

Sua história em: https://www.acidigital.com/noticias/hoje-e-celebrado-sao-marcos-evangelista-o-leao-alado-67688

SÃO MARCOS

Neste dia 25 de abril, a Igreja Católica celebra a festa de São Marcos Evangelista, discípulo de São Pedro e autor do segundo evangelho do Novo Testamento. Seu símbolo é o leão alado por sua relação com o Apocalipse e São João Batista.

São Marcos era judeu de origem e de uma família tão cristã que sempre acolheu os primeiros cristãos em sua casa.

Acompanhou Paulo e Barnabé, seu primo, à Antioquia na primeira viagem missionária. Também foi com Pedro a Roma.

São Marcos se separou deles em Perga e retornou para sua casa. Mais tarde, Paulo se recusou a aceitar Marcos. Barnabé rompeu a associação missionária com São Paulo e foi para Chipre com seu primo. Anos depois, São Marcos e São Paulo se juntariam em outra viagem missionária.

Sobre seu Evangelho, São Marcos o escreveu em grego, aparentemente, para um público cristão. A data em que ele escreveu é debatida, mas talvez tenha sido na década de 60 a 70 depois de Cristo.

O evangelista foi a Roma com São Pedro, apóstolo que se dirigiria a São Marcos como “meu filho”. Marcos estabeleceu a Igreja em Alexandria, onde fundou sua famosa escola cristã.

Foi martirizado aproximadamente em 25 abril de 68 em Alexandria. Suas relíquias descansam na Catedral de Veneza.

São Marcos é retratado como um leão alado em relação a um dos quatro seres viventes do Apocalipse. Alguns consideram que isso é porque o Evangelho de Marcos começa com João Batista clamando no deserto, como um leão que ruge.

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida.

– Cuidados que um comentarista de arbitragem deve ter!

Aconteceram muitos erros de arbitragem neste final de semana. E, para bastante gente, acompanhados de muitos erros de… comentários de arbitragem!

Claro, em todas as atividades existem os bons e os ruins. Mas até onde a relevância de um comentário deve ter crédito?

Enfim: algumas observações sobre a (eventualmente perigosa) influência do microfone na mão de ex-árbitros, no vídeo abaixo, gravado com muito cuidado e respeito (afinal, temos sempre que fazermos “mea culpa” quando necessário).

Está em: https://youtu.be/tdoNL2SxH7Q

– Lírios Amarelos.

🇺🇸 Lilies! Very beautiful flowers to brighten our day. Live nature and its beauty. Did you like the delicate petals?

🇧🇷 Lírios! Flores muito bonitas para alegrar nosso dia. Viva a natureza e sua beleza. Gostaram das pétalas delicadas?

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora

– Deepak Chopra dá a Boa Dica sobre Qualidade de Vida.

O médico e consultor em administração indiano, Deepak Chopra, esteve num evento em Campinas há 5 anos (Fórum da Saúde e Bem-Estar). E deixou uma reflexão importante:

Ser muito rico ou muito pobre é algo que prejudica a qualidade de vida, porque em ambos os casos a pessoa pensa em dinheiro o tempo todo

Alguma dúvida dessas sábias palavras?

bomba.jpg

– Inspirando com a luz e o lago!

A minha foto “campeã” desta Segundona aqui: o amanhecer à beira do lago do Taboão, na aprazível Bragança Paulista.

É para se inspirar com uma manhã tão radiante, ou não? Veja:

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #lago #lake

– Reserve um tempo para Deus.

Neste mundo corrido, atribulado, com muitas preocupações, devemos nos questionar: reservamos um tempo para Deus?

No trabalho, na escola, no lazer… há sempre momentos para se “pensar”, “falar de” ou “conversar com” Deus.

Ele não esquece de nós, embora nos esqueçamos dele.

– Amanhecer Reluzente!

Como não se inspirar com tamanha beleza no amanhecer deste começo de semana?

Estava meio cinzento agora há pouco, mas ficou inteiramente dourado!

Eu me encanto com a natureza…

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #BragançaPaulista #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– Doçuras de sorrisos…

Neste registro, minhas duas riquezas-mirins: Maria Estela e Miguel (e tem a riqueza-adolescente, Marina).

Com essa alegria que eles têm, e tão carinhosos que são, como não ser um pai e um tio feliz?

Amo esses pequenos… dão vida e motivação à nós!

Imagem

❤️💙💛 #família #felicidade #smile

Imagem

– Bom dia, 2a feira (4 de 4).

🌅 05h00 – Desperte, Bragança Paulista, ainda escura.

Que a segunda-feira possa valer a pena.

(E há de valer, bem como toda a semanacreiamos nisso).

🍃🙌🏻 📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#clouds #nuvens #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia

– Bom dia, 2a feira (3 de 4).

🌺 Fim de cooper! Valeu o treino (além do esforço).

Estou suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da natureza. Hoje, com essas delicadas plantas: rosas.

Curta flores! Elas nos desestressam e aliviam a mente.

🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

– Bom dia, 2a feira (2 de 4).

🙏🏻 Enquanto vou correndo, fico meditando e faço uma prece:

“- Ó Virgem Maria, Mãe de Deus e Nossa Mãe, chamada carinhosamente de Nossa Senhora, rogai por nós que recorremos a vós. Hoje, especialmente pelos que se sentem abandonados, ó Senhora bondosa. Amém.”

Reze, e se o que você pediu for para seu bem, Deus atenderá.

⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade