– Ufa!

Dia 37 de aproximadamente 150 vencidos. Graças a Deus.

Tentando ser “pãe” na ausência da mamãe, que está se sacrificando por todos nós (motivo em: https://wp.me/p4RTuC-Bm4).

Dia difícil, mesmo sendo domingo (sem “saco” pra falar.

Até amanhã!

– Clonagem de animais de estimação?

Li na reportagem “Cachorros Clonados”, da Revista Superinteressante de uma edição mais antiga algo que me aguçou a curiosidade: por quê eu clonaria um cão?

Eu não o faria. E explico: Não seria o mesmo cachorro. Seria outro! Uma cópia, não o próprio falecido.

Pense: você clonaria seu cão, apenas para ter um pet com a aparência do seu antigo cachorro (mesmo que a personalidade seja diferente, a educação própria e as memórias do antigo bicho, logicamente, inexistam)?

Alguns poderão dizer sim, outros não.

Na matéria, é citada a Coreia do Sul, onde mais de 1000 pessoas recorreram à clonagem de cães, ao custo de 100 mil dólares / cada.

O médico responsável por isso é o dr Hwang Woo-sul (o polêmico pesquisador que tentou clonar humanos sem sucesso – embora divulgou uma falsa mentira de embrião humano). E os números dos seus procedimentos são discutíveis. De cada 3 tentativas, só 1 nasce com saúde. Muitos morrem bem mais cedo que os nascidos naturalmente, e isso é algo que a Ciência não conseguiu resolver, sequer explicar.

Ops: se você se interessou, saiba: o tempo de entrega “garantido” de um filhote clonado é de 5 meses.

Lembram da ovelhinha Dolly, a primeira clonagem de mamífero “com sucesso”? Durou somente 6 anos… mas o seu pioneirismo e reconhecimento foram duradouros!

bomba.jpg

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar.

– E tá difícil acostumar sem elas…

Cumprimentar as pessoas com um afetuoso abraço ou um forte aperto de mão, além de não precisar usar máscaras, era algo mais do que desejado por muitos (me incluo aqui).

Mas mesmo depois de alguns dias da liberação… tá difícil acostumar.

Como tem sido sua “readaptação” à vida “quase normal”?

– Ser mais produtivo é angustiante?

Concorda ou não com a afirmação abaixo? Leia:

“As pessoas produtivas aprendem a distinguir o que é ou não relevante. Em ambientes caóticos, nem sempre é fácil preservar o foco nas metas. Ser produtivo, na vida pessoal ou profissional, requer tentativa e erro. Mas podem ser um equívoco perseguir metas irrealistas.”

Tal trecho vem de uma matéria muito boa intitulada “A ANGÚSTIA DE FAZER MAIS E MAIS”, publicada na Veja (04/05/16, pg 85-86), mostrando um estudo sobre o choque das realizações pessoais desejadas (os sonhos) e o que foi conseguido na realidade. Nele, se crê que o pico de infelicidade se dá aos 46 anos!

Abaixo, a publicação:

A ANGÚSTIA DE FAZER MAIS E MAIS

Um novo livro apresenta estratégias para apaziguar uma das principais fontes de stress da modernidade: a necessidade de ser mais produtivo sem sacrificar a vida pessoal.

Por Bianca Alvarenga

O adulto de meia idade é um angustiado. Ele está no auge de sua vida profissional, mas enfrenta longas jornadas de trabalho e vive sob a ansiedade constante de ser superado pelos colegas. Coloca-se na obrigação de cumprir as expectativas de seus familiares, enquanto se ressente de passar pouco tempo com os filhos e os amigos. Lamenta o adiamento sistemático dos sonhos de juventude, cada vez mais distantes. Pesquisas em diferentes países revelam que a fase mais infeliz da vida de mulheres e homens coincide com essa idade.

Um estudo feito por pesquisadores britânicos analisou a curva da felicidade e chegou à seguinte conclusão: se colocássemos nossa satisfação pessoal em uma linha do tempo, ela teria o formato de U. O tempo varia um pouco entre os países, mas, em média, o pico da infelicidade acontece aos 46 anos. No Brasil, o fosso da insatisfação chega antes, aos 36 anos.

Para os autores, as pessoas, quando se aproximam dos 40 anos, passam a reprimir ambições e sonhos acumulados no início da vida. Com o tempo, vem o alívio: as aspirações são calibradas à realidade, e as angústias se esvanecem. O ápice da felicidade adulta, surpreendentemente, ocorre entre os 60 e os 70 anos de vida.

Uma frustração típica da meia-idade, para quem é pai ou mãe, é chegar em casa quando os filhos já estão na cama e muitas vezes sair para o trabalho antes de vê-los acordar. Pior: mesmo obrigados a privar-se do convívio familiar, esses profissionais não se consideram plenamente produtivos na vida profissional. Foi esse sentimento que levou o jornalista americano Charles Duhigg a investigar o próprio descontentamento. Certo dia, viu-se premido pelo nascimento do seu segundo filho e pelos arranjos finais para o lançamento do seu primeiro livro (que viria a ser o best-seller internacional O Poderão Hábito), enquanto trabalhava com afinco em uma série de reportagens para o jornal The New York Times (que acabou lhe rendendo um Prêmio Pulitzer). “Havia muitas coisas boas acontecendo na minha vida profissional, e eu me sentia realizado. Porém, eu tinha a sensação de estar correndo cada vez mais rápido, e ainda assim estar dando passos para trás“, conta ele, em entrevista a VEJA.

Como bom jornalista, Duhigg fez da própria experiência uma bela reportagem ensaística, transformada em livro, que chega na próxima semana às livrarias brasileiras: “Mais Rápido e Melhor – Os Segredos da Produtividade na Vida e nos Negócios” é o resultado de dois anos de entrevistas e investigações para saber como pessoas de campos profissionais variados conseguem ser produtivas, equilibrando-se entre as obrigações pessoais e as profissionais. No fim, o autor organizou a sua apuração em oito ideias centrais, como a capacidade de manter o foco nos objetivos, cumprir as metas estabelecidas, saber inovar e também tomar decisões, além de navegar com segurança no oceano de informações e distrações do mundo moderno.

Ao falar sobre foco, Duhigg conta o caso do voo 32 da companhia aérea australiana Cantas Airways. Após um incêndio em uma das turbinas do Airbus A380, fragmentos resultantes da explosão perfuraram uma das asas e romperam partes dos sistemas elétrico e hidráulico da aeronave. Com 21

dos 22 principais sistemas de voo danificados ou inoperantes, o piloto precisou confiar mais na própria experiência do que nos avisos que piscavam no painel do avião. Ele concentrou-se no que era importante: controles de navegação, freios, tanques de combustível e trem de pouso. Em seu modelo mental, o piloto recorreu ao artifício de fingir estar pilotando um Cessna, uma aeronave infinitamente menos complexa do que o A380. Focando o essencial, pousou com segurança e salvou 469 vidas. Nas simulações que recriaram o acidente, nenhum outro piloto conseguiu evitar uma tragédia.

Como essa história serve às pessoas que desejam ser mais produtivas?

O jornalista ressalta, aí, a importância de criar modelos mentais. É sempre possível preparar-se para os problemas que eventualmente surjam em nossa vida.

bomba.jpg

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar.

– A agressão do treinador na bandeirinha.

O técnico da Desportiva Ferroviária (ES), Rafael Soriano, agrediu covardemente a bandeirinha Marcielly Netto.

Não sei o que motivou o fato, e nem quero saber. Qualquer tipo de violência é injustificável!

Aliás, tal covardia não pode ficar apenas com punição no campo esportivo. Quem não tem equilíbrio emocional, não pode trabalhar no futebol.

Veja, em: https://twitter.com/RodrigoBuenoTV/status/1513262376572837893

Ou abaixo, no vídeo:

https://platform.twitter.com/widgets.js

– Respeite! Não fique “de mal”…

Li em alguma postagem do Facebook e achei sensacional:

“Conversar com gente inteligente é muito bom. Você pode pensar diferente, discordar e não correr o risco de ficar de mal ou virar inimigo”.

No entanto… não se vê isso nas Redes Sociais!

1*oZnCIMMlyuKk_8taJaoWtw

Imagem extraída da internet, autoria desconhecida. Quem conhecer o autor, favor informar.

– Vício de linguagem ou vício de comportamento?

Muitas vezes nós nos mostramos não cientes de certas situações, e temos reações de dois tipos: conformistas ou pro-ativas.

Em alguns momentos, somos passivos pela conduta. Em outros, não temos essa passividade mas nos mostramos assim pela forma de se expressar!

Eu gostei dessas dicas, abaixo, no quadro. Veja:

– Já temos lua?

🗾 17h30 – Um céu azul totalmente inspirador. Como não contemplar?

Tem até a lua! Olhe aí:

🙌🏻 📸🌜 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#natureza #paisagem #fotografia #mobgrafia #inspirador #sky #landscapes

– E o Red Bull Bragantino deixa a Nike e vestirá New Balance.

E a New Balance vai ter a exclusividade de vestir o Red Bull Bragantino.

Acho que será bom para ambos, afinal, uma grande empresa que quer se destacar no mercado brasileiro precisa de um time que esteja em ascensão. E o clube, alguém que se dedique bastante e traga novidades.

Boa sorte a todos!

– A Autossabotagem na Administração de Empresas

Quer pressão maior do que essa?

Robson Viturino e Álvaro Oppermann, da Revista Época Negócios, Ed fevereiro/32, pg 60, escreveram sobre como a própria pressão e erros de conduta podem “autossabotar” um administrador.

Abaixo:

O FANTASMA QUER TE PEGAR

A autossabotagem é hoje o principal inimigo da área de risco. Saiba como tirar esse esqueleto do armário antes dos outros.

A história de Tony Hayward ainda assombra os executivos. O caso do ex-CEO da BP, derrubado pelo desastre no Golfo do México, Estados Unidos, é emblemático de como carreiras brilhantes podem ser abruptamente interrompidas ou sofrer sérios arranhões em consequência de eventos que não estavam no script. Segundo Joseph W. Koletar, ex-diretor de Fraudes e Investigações da consultoria Ernst & Young, histórias como a de Hayward estão muito longe de ser uma exceção. Elas se repetem de tempos em tempos e mostram que, a despeito dos avanços tecnológicos e do aperfeiçoamento das práticas de gestão, as companhias seguem despreparadas para gerenciar riscos. “As empresas infelizmente sofrem com muitas falhas nos sistemas de avaliação”, diz Koletar. No recente Rethinking Risk – How Companies Sabotage Themselves and What They Must Do Differently (“Repensando o risco – como as empresas se sabotam e o que se deve fazer diferente sobre isso”), Koletar também afirma que os dirigentes geralmente contam com informações incompletas ou equivocadas para monitorar as ameaças. “Eles supõem que os dados que lhes são apresentados são precisos. Mas muitas vezes não são”, diz. De acordo com o seu livro, os CEOs precisam lidar com três problemas para gerenciar riscos nas corporações. Saiba quais são eles.

PÉ NO ACELERADOR_ O CEO vive o dilema descrito pelo ex-piloto de Fórmula 1 Mario Andretti: “Se você está em segurança e sob controle, não está correndo suficientemente rápido”. O mercado exige velocidade frenética dos executivos e aplaude aqueles que “pisam fundo”. No entanto, os mecanismos de proteção das empresas, de acordo com Koletar, não são seguros como os carros de F1 do século 21 – mas antiquados como os carros do tempo de Andretti, dos anos 70 e 80. Um exemplo disso está nas vistas grossas com que muitos executivos encaram os processos de auditoria que antecipam as fusões e aquisições. “O temor é de que uma auditoria mais detalhada acabe com o negócio”, diz Koletar. O maior receio não é a descoberta de esqueletos no armário, mas que uma negociação demorada jogue para baixo o preço das ações, tirando o impacto do negócio e atrasando o cronograma de execução das fusões. Como resolver a questão? Nesse caso, as principais defesas de uma companhia estão na sua cultura e no seu nível de governança. Ou seja, os conselheiros, diretores e acionistas devem aprender a ser mais rigorosos.

LABIRINTO_ As empresas estão travando uma guerra contra a complexidade estrutural, simplificando organogramas, eliminando cargos redundantes e horizontalizando a gestão. No entanto, alerta Koletar, ainda há muito a ser feito para que os riscos sejam de fato mitigados. É preciso melhorar a coordenação e o tráfego de informação entre o CEO, o jurídico, o financeiro, o operacional e o setor de TI. Sem isso, a empresa pode se ver desamparada diante de uma crise. “Na maior parte das empresas, não existe sequer um plano de gestão claramente desenhado e articulado”, afirma o especialista.

MEDO E PARANÓIA_ Essa é a pior postura. Sucede que é mais frequente do que se admite. “O risco deve motivar o CEO a desenvolver um sistema coerente e prático para lidar com crises e problemas”, diz Koletar. Sua recomendação: esqueça políticas duras, do tipo “tolerância zero”. Nas empresas, um estado policialesco costuma fomentar culturas pouco abertas, em que somente os espertalhões prosperam. Uma boa gestão nasce da cultura transparente: “Beba no conhecimento dos seus funcionários, pois eles são a mais rica fonte de informação com relação ao risco”.

Imagem extraída da Internet / Reprodução.

– Domingo de Ramos.

Começamos a Semana Santa com esse abençoado Domingo de Ramos, festividade em que lembramos a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém, saudado pelos fiéis com ramos de palmeiras, humildemente montado em um jumentinho, pronto para seus derradeiros dias.

A pergunta é: próximo da Festa Maior da Cristandade, a Páscoa da Ressurreição, você aproveitou e fez valer bem o Tempo da Quaresma para a sua vida? O que mudou nesse tempo forte de introspecção e reflexão?

bomba.jpg

Imagem extraída da internet, autoria desconhecida.

– E aí, Arnaldo?

Um último pitaco sobre a troca no comando da arbitragem brasileira: tendo terminado o Brasileirão 2021, por quê apenas há 2 dias do início do torneio em 2022 se contratou alguém? E tempo hábil para montar uma equipe e se planejar a temporada?

Sobre Seneme: ele precisa ter “Carta Branca” da CBF, mas não terá, justamente pela estrutura montada na entidade. E aí sou obrigado a concordar com o Arnaldo Cezar Coelho, que tuitou a seguinte mensagem:

Torcerei para o Seneme, mas já falamos muita coisa aqui: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2022/04/08/porque-seneme-trocou-a-conmebol-pela-cbf-sem-ingenuidades/

– O prazer pela fotografia.

Eu gosto de fotografar. Me faz bem, espairece e é um hobby que não custa caro.

Dos meus cliques, esse aqui (abaixo) da alvorada com o detalhe da árvore caída é um dos mais legais!

Veja se a natureza não nos ajuda:

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– Sobre Elon Musk e o Twitter.

Quem tem dinheiro, muitas vezes, tem poder. E o bilionário empreendedor Elon Musk mostrou isso!

Na semana retrasada ele criticou o Twitter por censurar conteúdos considerados “impróprios” através de critérios não tão claros, e ameaçou criar uma nova Rede Social, realmente “sem censura”.

Mas na semana passada…

Ele comprou 9% das ações do Twitter, passou a ser o acionista majorotário e prometeu “redemocratizar” a ferramenta.

Com quem pode, não se brinca.

Musk gastou US$ 2,6 bi em compras diárias de ações do Twitter desde  janeiro, atraindo investidores - Folha PE

Foto: Brendan Smialowiski / AFP

– Reze para Nossa Senhora:

Já fez sua prece hoje?

Pode ser à Virgem Imaculada:

“Ave Maria, cheia de graça,
o Senhor é convosco,
bendita sois vós entre as mulheres,
e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, Mãe de Deus,
rogai por nós, pecadores,
agora e na hora da nossa morte.
Amém.”

Peça à Mãe que o Filho atende. E não se esqueça: tenha fé!

– A beleza do amanhecer em Bragança Paulista.

Eis o amanhecer tão belo em Bragança Paulista: esse foi o clique das 07h30, com o sol radiante e algumas nuvens enfeitando o céu.

Tá bonito o domingão ou não tá?

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– Fulano, Beltrano e Sicrano. Sabe quem são eles?

Olhe só que bacana: muita gente usa esses termos para se referir a “alguém qualquer”, mas não sabe de onde eles são.

Você conhece o Fulano mesmo? E o Beltrano? Ainda: e o Sicrano?

A explicação em: https://youtu.be/61Ehk9DQ8fM

– Bom dia, domingo (4 de 4).

🌅 05h25 – Desperte, Bragança Paulista, com o céu estrelado.

Que o domingo possa valer a pena!

(E há de valer, creiamos nisso).

🍃🙌🏻 📸 #clouds #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia

– Bom dia, domingo (3 de 4).

🌺 Fim de cooper!

Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da natureza. Hoje, com essas delicadas plantas coloridas.

Curta Flores! Elas nos desestressam e aliviam a mente.

🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

– Bom dia, domingo (2 de 4).

🙏🏻 Enquanto vou correndo, fico meditando e faço uma prece:

“- Ó Virgem Maria, carinhosamente chamada de Nossa Senhora e Nossa Mãe, rogai por nós que recorremos a vós. Hoje, em especial, pelos que estão aflitos. Amém.”

Reze, e se o que você pediu for para seu bem, Deus atenderá.

⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade