– Ufa!

Dia 48 de aproximadamente 150 vencidos. Graças a Deus.

Tentando ser “pãe” na ausência da mamãe, que está se sacrificando por todos nós (motivo em: https://wp.me/p4RTuC-Bm4).

Praticamente, um dia dentro de casa por conta da minha caçulinha doente. Mas em breve estará melhor!

Até amanhã.

– O que as Empresas Querem de Você?

Veja se você tem essas características / habilidades como profissional:

1.Superformação
2.Multicultural
3.Útil e Inovador
4.Pensa Digitalmente
5.Transdisciplinar
6.Autoadministração
7.Empreendedor
8.Competências Emocionais.

Se as tiver, parabéns. Você é o modelo profissional desejado nos dias atuais.

Compartilho a matéria sobre o tema, extraído de: http://is.gd/dfRYzF

O PROFISSIONAL QUE O MERCADO QUER

O mundo do trabalho vive sua maior transformação desde a Revolução Industrial e busca um novo tipo de pessoas. Agora o que vale mais é ter formação diversificada, ser versátil, autônomo, conectado e dono de um espírito empreendedor

Por Débora Rubin

Esqueça tudo o que você aprendeu sobre o mercado de trabalho. Estabilidade, benefícios, vestir a camisa da empresa, jornadas intermináveis, hierarquia, promoção, ser chefe. Ainda que tais conceitos estejam arraigados na cabeça do brasileiro – quem nunca ouviu dos pais que ser bem-sucedido era seguir tal cartilha? –, eles fazem parte de um pacote com cheiro de naftalina. O novo profissional, autônomo, colaborativo, versátil, empreendedor, conhecedor de suas próprias vontades e ultraconectado é o que o mercado começa a demandar. O modelo tradicional de trabalho que foi sonho de consumo de todo jovem egresso da faculdade nas últimas duas décadas está ficando para trás. É a maior transformação desde que a Revolução Industrial, no século XVIII, mandou centenas de pessoas para as linhas de produção, segundo a pesquisadora inglesa Lynda Gratton, professora da London Business School e autora do livro “The Shift: The Future is Already Here” (“A mudança: o futuro já começou”, em tradução livre).
Nas novas gerações esse fenômeno é mais evidente. Hoje, poucos recém-formados se veem fiéis a uma única empresa por toda a vida. Em grande parte das universidades de elite do país, os alunos sequer cogitam servir a um empregador. “Quando perguntamos onde eles querem trabalhar, a resposta é: na minha empresa”, conta Adriana Gomes, professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), de São Paulo. Entre os brasileiros que seguem o modelo tradicional, a média de tempo em um emprego é de cinco anos, uma das menores do mundo, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) – os americanos trocam mais, a cada quatro anos. O ritmo dinâmico inclui mudanças de função, de empregador, e até de carreira.
O cenário atual contribui. “Estamos migrando de um padrão previsível para um modelo no qual impera a instabilidade”, diz Márcio Pochmann, presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Quem apostar na estrutura antiga vai sair perdendo, segundo a professora Tânia Casado, da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo. Isso significa, inclusive, rever o significado de profissão. “O que passa a valer é o conceito de carreira sem fronteiras, ou seja, a sequência de experiências pessoais de trabalho que você vai desenvolver ao longo da sua vida”, define Tânia, uma das maiores especialistas em gestão de pessoas do País. Dentro desse novo ideal, vale somar cada vivência, inclusive serviços não remunerados, como os voluntários, e os feitos por puro prazer, como escrever um blog.
O conceito não é novo. Surgiu em 1993 da mente futurista de Michael Arthur, professor de estratégia e negócios da Universidade Suffolk, nos Estados Unidos. Só agora, quase 20 anos depois, é que a teoria começa a virar realidade. De acordo com sua tese, a carreira sem fronteiras é aquela que se apoia no tripé “por quê, como e com quem”. “É preciso se perguntar o que você quer da sua vida e por quê; estudar para obter a técnica necessária e, por fim, estabelecer relações nas quais exista uma troca de conhecimentos”, explica Tânia, estudiosa da tese de Michael. Ou seja, você pode até passar anos no mesmo lugar, como fizeram seu pai e avô, desde que tenha a mente flexível do profissional sem fronteiras e busque autoconhecimento, atualização constante e intercâmbio de experiências.
O novo profissional também tem que ter jogo de cintura para os novos arranjos trabalhistas. “A tendência é ter mais flexibilidade na remuneração, no tempo de duração da atividade, no conteúdo e no fuso e local de trabalho”, destaca Werner Eichhorst, diretor do Instituto de Estudos sobre o Trabalho de Bonn (IZA, sigla em alemão), na Alemanha. O home-office, prática de trabalhar em casa que começa a ganhar terreno, será a realidade de milhões de brasileiros nos próximos dez anos, sobretudo nas grandes cidades sufocadas pelo trânsito.
A revolução trabalhista está na pauta do dia por diversas razões. Em seu livro, Lynda Gratton apresenta o resultado de um estudo feito com 21 companhias globais e mais de 200 executivos na London Business School. Do extenso debate, ela elegeu as cinco forças que estão moldando o trabalho e, claro, seus profissionais. Em primeiro lugar, está a tecnologia. Como na Revolução Industrial, quando as máquinas aceleraram a produtividade, hoje a vida em rede e os recursos de ponta eliminam uma série de empregos e modificam outros tantos. No cenário brasileiro, há de se considerar a herança deixada pelas amargas décadas de 1980 e 1990, nas quais o desemprego e a terceirização explodiram – segundo Pochmann, o número de trabalhadores sem carteira assinada e por conta própria subiu de 11,7% para 58,2% somente entre 1985 e 1990. Nos últimos anos, o desemprego vem diminuindo e a formalização aumentou. Esse crescimento, porém, se deve mais pela geração de novos postos de trabalho com carteira assinada do que pela regularização do trabalho informal. Hoje, 45% dos brasileiros ativos não são registrados, de acordo com o Ipea.
Outras três forças citadas por Lynda Gratton são globalização, mudanças demográficas e preocupações ambientais. A primeira traz com ela a entrada de novos países no grande jogo econômico global – como o próprio Brasil. A segunda diz respeito à quantidade de gente no mundo – seremos nove bilhões em 2050 –, e à maior expectativa de vida. E a terceira tem a ver com as mudanças necessárias na forma de produzir e consumir para reduzir os impactos no meio ambiente. Por fim, a autora destaca a quinta força: as tendências de comportamento humano. Mais gente viverá só, as famílias serão menores e as relações afetivas serão foco de maior atenção. Trabalhar em casa ou próximo da moradia, mais que uma questão sustentável, será uma opção pelo bem-estar, algo que o brasileiro já valoriza. Em uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), no começo do ano, a meta profissional mais desejada em 2012 pelos entrevistados é “melhorar a qualidade de vida”, acima até da opção “ganhar mais”. “O workaholic está saindo de moda”, afirma a professora Adriana Gomes, da ESPM. “Aos poucos, as pessoas foram percebendo que a produtividade delas caía a médio e longo prazos.”
Não é só o profissional que deve estar preparado para tamanha virada. As empresas, sobretudo as grandes corporações que se expandiram ao longo dos últimos 20 anos, também precisam arejar suas convicções. Uma das principais mudanças é dar mais autonomia para que o funcionário crie, produza e evolua sem ficar estafado. Tânia Casado, da USP, coordena um grupo de estudo que tem se debruçado sobre um tema fresquinho, curioso e fundamental para o mundo corporativo: o “opt-out”. Trata-se da prática, ainda pouco conhecida e aplicada, na qual as pessoas podem continuar sua trajetória dentro de uma empresa sem ter que necessariamente seguir a trilha convencional de subir na hierarquia. “Executivos de grandes grupos me procuram preocupados com a fuga de talentos e me perguntam o que podem fazer para retê-los”, diz a professora. Isso inclui principalmente mulheres que gostariam de passar mais tempo com seus filhos após a licença-maternidade, sem abrir mão da carreira. A resposta de Tânia é: opt-out. Ofereça opções ou os talentos vão embora. Principalmente em um momento bom da economia.
O desafio de lidar com esse novo perfil é tão grande que é o tema do Congresso Anual de Gestão de Pessoas (Conarh) deste ano, que será realizado em agosto. “Os profissionais, em especial os jovens, guiam suas carreiras por suas causas e valores”, diz Leyla Nascimento, presidente da ABRH, que organiza o evento. “Se percebem que seu empregador não compra a sua causa, ele simplesmente vai embora.” Outra insatisfação grande, segundo ela é não ser reconhecido, cobrado e valorizado, o que exige melhorias na comunicação e na forma como as lideranças atuam. Até mesmo o uso das redes sociais é visto como uma questão estratégica. “É uma realidade e não pode mais ser ignorada.”
Nas empresas de médio porte, em especial as de tecnologia, esse novo profissional já encontra território acolhedor. Na Conectt, os 150 funcionários têm a liberdade de propor ideias a qualquer momento. São eles que decidem também os programas de bem-estar, além de desfrutar de horários maleáveis. Alguns designers nunca pisaram na sede da empresa, em São Paulo, e trabalham remotamente de diferentes pontos do Brasil. No ano passado, um programador recém-contratado avisou que sairia em seguida para passar uma temporada na Austrália. Foi incentivado e lhe asseguraram que teria sua vaga na volta. Segundo o sócio-diretor Pedro Waengertner, o importante é a equipe entregar o trabalho, independentemente da quantidade diária de horas trabalhadas, e ela se sentir parte fundamental do processo. “O funcionário é um ativo valioso e, para reter os melhores, é preciso ter flexibilidade”, diz ele.
Nesse cenário de mudanças aceleradas, a legislação trabalhista brasileira é um entrave. Criada em 1943 por Getúlio Vargas e alterada em poucos detalhes ao longo das últimas décadas, a essência da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) corresponde a um Brasil que já não existe. A rigidez da CLT, que impede, por exemplo, a opção de meio período para várias profissões, é o ponto mais criticado pelos especialistas. Um estudo realizado no ano passado pelo IZA, de Werner Eichhorst, em parceria com a USP, faz um comparativo entre os dois países e mostra que a possibilidade de os funcionários alemães negociarem seus salários diretamente com os empregadores, sem sindicatos nem governo no meio, ajudou a salvar 350 mil postos durante a crise de 2008. No Brasil, a pesquisa aponta a cultura de desconfiança entre as partes como fruto de uma lei extremamente paternalista. Resultado: dois milhões de casos julgados na Justiça do Trabalho a cada ano.
Apesar do embaraço legal, o mercado trata de pressionar, na prática, por mudanças. “Os empregadores vão achando as brechas até alguém ter a coragem de mudar”, acredita a professora Adriana, da ESPM. O governo Dilma acena com transformações. Irá propor ao Congresso duas novas formas de contratação, a eventual e a por hora trabalhada. As alterações podem dar mais dinamismo ao mercado e permitir que quem dá expediente dois dias na semana ou três horas por dia seja integrado formalmente à força produtiva do País. Se a proposta for adiante, estará em maior sintonia com a realidade atual. Afinal, a revolução no mundo do trabalho já começou.

Dicas para Crescer no Trabalho e Alavancar a sua Carreira

Imagem extraída da Internet, autor desconhecido.

– Bolsonaro concede indulto a Daniel Silveira.

Depois do STF condenar o deputado Daniel Silveira, o Presidente Bolsonaro concedeu o perdão de seus crimes e ele está livre da prisão.

Essa situação não vai acabar bem… informações recentes de Veja.com, em: https://veja.abril.com.br/coluna/radar/bolsonaro-diz-que-indulto-tem-respaldo-em-decisoes-do-senhor-moraes/

Bolsonaro diz que indulto tem respaldo em decisões do “senhor Moraes”

Presidente justificou graça concedida ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo STF a oito anos e nove meses de prisão e à perda do mandato

Por Laísa Dall’Agnol

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou a live desta quinta-feira para comentar a decisão de conceder indulto presidencial ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo STF a oito anos e nove meses de prisão, além da perda do mandato.

Bolsonaro iniciou a leitura dizendo que a fundamentação jurídica da graça concedida é respaldada por decisões anteriores do próprio ministro Alexandre de Moraes. O magistrado foi o relator da ação penal à qual respondeu Silveira.

“Tudo aqui tem jurisprudência do senhor Alexandre de Moraes, ou seja, estamos cumprindo à risca o que lá atrás decidiu o senhor Alexandre de Moraes. É um decreto que será cumprido, porque ele é constitucional, como diz o próprio Alexandre de Moraes. Esse decreto, no meu entender, pode ser um marco para todos nós (…) Pra mostrar a todos que nós nos fundamentamos em ações, em jurisprudência do próprio ministro Alexandre de Moraes”, reiterou Bolsonaro.

Silveira foi condenado por dez votos a um, no STF, por ameaças aos ministros da Corte e incitação de animosidade entre as Forças Armadas e instituições da República, entre elas o próprio tribunal.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) faz live explicando o decreto em que concedeu graça ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pelo STF a oito anos e nove meses de prisão

Reprodução: YouTube.

– Pobre Vascão…

Futebol profissional é outro papo, não?

Vejam só o que o treinador Zé Ricardo, do Vasco da Gama, teve que passar… mas também: quem mandou ele deixar Messi no banco e não escalar Cristiano Ronaldo na posição dele?

Em: https://twitter.com/antoniotabet/status/1517258206854193152

https://platform.twitter.com/widgets.js

– O insensível Olim! Tenha empatia com a Isa.

Não comungo das ideias políticas desses 3 personagens: Deputados estaduais Delegado Olim, Arthur do Val e Isa Penna.

Entretanto… Arthur do Val (apelido “Mamãe Falei”), foi nojento nos áudios vazados na Ucrânia (tanto que teve que renunciar). O Deputado Delegado Olim (que faz parte da Comissão de Ética da Alesp) fez de tudo para puni-lo e cassar o seu mandato. Porém, quando Fernando Cury assediou Isa Penna, ele “aliviou” no seu julgamento.

E é aqui que chamo a atenção: que frase infeliz de Olim, desta semana, dando a entender que a deputada se beneficiaria por ter sido assediada. Insensível!

Atualizando: Olim foi humilde e se desculpou, dizendo que “se expressou mal”…

Veja abaixo, extraído de: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2022-04-21/isa-penna-olim-comentario-assedio.html

ISA PENNA PEDE AFASTAMENTO DE OLIM APÓS COMENTÁRIO SOBRE ASSÉDIO.

O deputado estadual Delegado Olim (PP), disse que Isa Penna teve “sorte” por ter sido vítima de assédio sexual de um parlamentar

A deputada estadual Isa Penna (PCdoB-SP) deve entrar com uma representação no conselho de Ética da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) contra o deputado Delegado Olim (PP) para seu afastamento do Conselho de Ética da casa, após um comentário do parlamentar sobre o assédio sexual sofrido pela deputada, em dezembro de 2020, pelo também deputado estadual Fernando Cury (sem partido) .

O comentário, foi feito na última quarta-feira (20), em uma entrevista, onde Olim disse “Isa Penna, que sorte a dela. Ela vai se eleger por causa disso [assédio de Cury]. Sim, ela só fala nisso.”

Logo depois, o deputado minimiza o caso de assédio sofrido pela parlamentar ao afirmar que Cury é um “cara do bem” e que nunca se esquecerá das acusações de assédio após o ato contra Isa Penna .

“Foi um dia, final de ano. Acho que ele [Cury] estava lá dentro dos gabinetes, ele bebeu. Porque ele é um cara do bem, todo mundo adora ele. Eu acho que o que ele fez ali ele também nunca mais vai esquecer na vida dele. Eu não queria estar no lugar dele, ficou ruim para ele e nunca vão esquecer. É como o próprio Arthur, ele pode fazer o que quiser, [e não vão esquecer]”, disse Olim.

Além da representação contra Olim, a parlamentar estuda pedir punição contra Arthur do Val e uma nova punição a Fernando Cury

José Antonio Teixeira/Alesp – 21.04.2022

– O pênalti não marcado em Coritiba x Santos.

Bruno Arleu de Araújo, o árbitro FIFA carioca, deixou de marcar um pênalti escandaloso em Coritiba 1×0 Santos. Alef Manga deu um carrinho certeiro em Madson, e o árbitro mandou seguir. Não tem VAR nessa fase da Copa do Brasil.

A questão é: sem VAR, o plano de trabalho do árbitro com o bandeira é:viu algo na sua frente, ‘corre para a linha de fundo’ como sinal de que foi pênalti e eu não vi”. Mas o bandeira Rodrigo Figueiredo Henrique Correia (que é FIFA também) nada fez.

Duas observações:

1- Já repararam que cada vez que a CBF divulga em seu site que houve uma semana intensa de treinamentos, sai cáca?

2- Sem VAR, o árbitro desaprendeu a tomar decisões importantes?

Com a palavra, os próprios árbitros e assistentes.

Em tempo: Bruno Arleu apita Bragantino x São Paulo neste sábado!

Coritiba x Santos: como assistir o jogo da Copa do Brasil pela internet

Arte: oficina da Net, extraída de: https://www.oficinadanet.com.br/entretenimento/40586-coritiba-santos-como-assistir-copa-do-brasil-internet

– #tbt derradeiro!

#tbt – uma expressão da internet para relembrar fotos de fatos saudosistas numa 5a feira.

O meu #tbt de hoje (que tem alguns anos) tem título: “crianças abençoadas“! Ou vai duvidar que esse anjinho (meu sobrinho Miguel) e essa anjinha (minha filha caçula Maria Estela) são presentes de Deus em nossas vidas?

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Precisamos de Paz!

E o novo “super-míssil” nuclear russo, a fim de demonstrar força nesse momento de guerra contra a Ucrânia, assustando o mundo?

Abaixo, em: https://twitter.com/CNNBrasil/status/1516934795409907712

https://platform.twitter.com/widgets.js

– A flor do jambeiro.

🇺🇸 The Jambeiro flower! The beautiful nature of Brazil shows us its diversity, such as, for example, this delicious fruit: Jambo (that blossomed). / 🇧🇷 A flor do Jambeiro! A natureza tão bela do Brasil nos mostra sua diversidade, como, por exemplo, esta fruta deliciosa: Jambo (que desabrochou).

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Memórias do dia 21! José Joaquim, Brasília, Tancredo e Senna.

Nos bancos escolares, aprendi que o dia 21 era cívico, marcado pelo precursor José Joaquim (Tiradentes) e por Tancredo de Almeida Neves, o 1o presidente depois do fim do militarismo.

Não existia Internet, celular ou outro meio mais rápido de comunicação do que o rádio. Eu era aluno da 3a série da Escola da Caic, e, ao entrar na classe, veio a notícia: Tancredo morreu!

Mas me lembro também que no dia 21 se exaltava o empreendedor governante JK pela construção de Brasília, nova capital e cidade do futuro.

Entretanto, além de heróis nacionais da política, o dia 21 é marcado por outra vitória: a 1a de Ayrton Senna da Silva em circuitos de Fórmula 1.

Que falta faz bons exemplos no país…

SPA FRANCORCHAMPS – MAY 25: Lotus driver Ayrton Senna of Brazil in action during the F1 Belgian Grand Prix held on May 25, 1986 at the Spa-Francorchamps circuit in Belgium. (Photo by Michael King/Getty Images)

– Promoção de ambientes criativos propicia aumento da lucratividade.

Em 21 de abril, celebra-se o Dia Mundial da Criatividade e Inovação. Dois elementos extremamente importantes para qualquer empresa, especialmente em …

Continua em: Promoção de ambientes criativos propicia aumento da lucratividade

– Cabo Daciolo e a profecia no Inteligência Ltda.

Nas últimas eleições presidenciais, o Brasil conheceu um pouco mais sobre o candidato Cabo Daciolo, que nos debates falou sobre URSAL e pregou o Reino de Deus de acordo com a fé que ele processa.

Não julgo a crença de ninguém (quem sou eu pra isso!), mas me espanta um certo exagero nas palavras do atual candidato ao Governo do RJ pelo PDT. Independente disso, respeito!

O mais interessante é: ele parece ser um cara realmente do bem, dentro do que pensa e da visão de mundo que vive (insisto, ambiente particular dele próprio).

Nesta entrevista ao Rogério Vilela do Podcast Inteligência Ltda, falou muito de paz (isso é ótimo), mas profetizou algo difícil de crer: disse que subirá um monte (literalmente uma montanha) para louvar ao Senhor Jesus com os futuros novos crentes: Ciro Gomes, Anitta e Monark!

Tomara que ele consiga tal fato. Seria, aparentemente, um feito. Ou um milagre propriamente dito, pelo que fazem e pensam esses citados hoje.

Vale a pena ouvir seus ideais. Me pareceu bem sincero e de coração aberto (embora, é sabido, transmite para muitos fanatismo cego – mas aqui repito: não critico a fé de ninguém).

Em: https://youtu.be/J_BokHiAlVQ

– 16 anos sem Telê Santana!

Hoje é aniversário de falecimento de Telê Santana, um dos maiores (senão o maior) treinador de futebol que o Brasil já viu. Mestre da encantadora Seleção Brasileira de 82 (que junto da Hungria de Puskas de 54, são campeãs morais, sem título, de uma Copa do Mundo) e ídolo da torcida são-paulina.

Telê era chato dentro de campo, antipático com a arbitragem e grosseiro com quem lhe chamasse a atenção (e isso desde os tempos em que jogava no Fluminense). Porém, suas virtudes eram muito maiores: honestidade, disciplina e justiça estavam no dia-a-dia. E genial quando o assunto era futebol!

Que sua memória traga bons fluidos ao futebol nos dias atuais. Como faz falta o futebol bonito pregado por Telê em meio aos brucutus de hoje…

bomba.jpg

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem souber, informar para os créditos.

– E se Tiradentes fosse vivo?

Tiradentes é simbolo de abnegados de um país revoltado com tantos impostos.

Caramba, e hoje é diferente daquele cenário? Some-se a violência, a falta de escolas, saúde precária…O José Joaquim ficaria mais fulo ainda se observasse tudo isso…

Conheça, extraído de: http://educacao.uol.com.br/biografias/joaquim-jose-da-silva-xavier-tiradentes.jhtm

TIRADENTES

Líder da Inconfidência Mineira e primeiro mártir da Independência do Brasil, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, nasceu em Minas Gerais em 1746, filho do proprietário rural português Domingos da Silva Santos.

Antes mesmo de freqüentar a escola, já havia aprendido a ler e escrever com a mãe. Órfão de mãe e pai desde a juventude, ficou sob a tutela de um tio até a maioridade, quando resolveu conhecer o Brasil. Já adulto, foi tropeiro, mascate e dentista (daí o apelido). Trabalhou em mineração e tentou a carreira militar, chegando ao posto de alferes no Regimento de Cavalaria Regular.

Foi na tropa que Tiradentes entrou em contato com as ideias iluministas, que o entusiasmaram e inspirariam a Inconfidência Mineira, a primeira revolta no Brasil Colônia a manifestar claramente sua intenção de romper laços com Portugal, marcando o início do processo de emancipação política do Brasil.

A revolta foi motivada ainda pela decisão da coroa de cobrar a derrama, uma dívida em atraso. A conspiração foi delatada por Joaquim Silvério dos Reis e todos os seus participantes foram presos.

Sobre Tiradentes, recaiu a responsabilidade total pelo movimento, sendo o único conspirador condenado à morte. Enforcado em 21 de abril de 1792, teve seu corpo esquartejado. Seus membros foram espalhados pelo caminho que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. Sua cabeça foi exposta em Vila Rica.

Com a morte de Tiradentes, o Estado português queria demonstrar uma punição exemplar para desencorajar qualquer revolta contra o regime colonial. Tiradentes tornou-se mártir da Independência e da República.

Com informações da Nova Enciclopédia Ilustrada Folha

BlvjAuwIUAAfp1F.jpg

– Azul inspirador.

Céu azul das 10h30. Um feriado preguiçoso… só que não!

Descansando ou trabalhando, tente curti-lo.

O horizonte inspira uma boa 5a feira.

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia

– Oração de Santo Afonso de Ligório para adorar o Santíssimo Sacramento.

Quinta-feira é dia reservado pela Igreja Católica à Adoração ao Santíssimo Sacramento. Sendo assim, rezemos:

ORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO por Santo Afonso de Ligório.

Senhor meu Jesus Cristo, que pelo amor que tendes aos homens, estais de noite e de dia neste Sacramento, todo cheio de piedade e de amor, esperando, chamando e recebendo todos os que vêm visitar-Vos; eu creio que estais presente no Santíssimo Sacramento do altar.

Eu vos adoro do abismo do meu nada e vos dou graças por todos os benefícios que me tem feito; especialmente por vós mesmo dardes a mim neste sacramento; por me terdes concedido como advogada vossa Mãe Santíssima, e por me terdes chamado a visitar-vos nesta igreja.

Eu vos saúdo, pois hoje, o vosso amantíssimo Coração, e a minha intenção é fazê-lo por três motivos: primeiro, em ação de graças por esta grande dádiva; segundo, para compensar-vos de todas as injúrias que tendes recebido, neste Sacramento, de todos os vossos inimigos; terceiro, com intenção de adorar-Vos, nesta visita, em todos os lugares da terra onde vossa presença sacramental está menos reverenciada e em maior abandono.

Meu Jesus, eu vos amo de todo o meu coração; pesa-me de ter, no passado, tantas vezes ofendido a vossa divina bondade.

Proponho, com o auxílio de vossa graça, nunca mais ofender-vos para o futuro.

E, no presente, miserável qual sou, eu me consagro todo a Vós e renuncio toda a própria vontade.

Recomendo-vos as almas do purgatório, especialmente as mais devotas do Santíssimo Sacramento e da Bem-aventurada Virgem Maria.
Recomendo-vos também todos os pobres pecadores.

Finalmente, desejo unir, meu querido Salvador, todos os meus afetos com os de vosso amorosíssimo Coração; e, assim unidos, os ofereço a vosso Eterno Pai e lhe peço em vosso nome que por vosso amor os queira aceitar e atender. Amém.

Capela do Santíssimo Sacramento da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Campo Limpo Paulista-SP. Arquivo Pessoal.

– Por trás da militante agressora de Jundiaí, há um problema social muito maior…

Nesta semana, repercutiu no Brasil inteiro o triste episódio de uma ex-candidata a vereadora em Jundiaí e militante do PT, que agrediu por várias formas uma trabalhadora dentro de um ônibus. A vítima estava indo trabalhar, e por estar vestindo o uniforme da Havan (empresa cujo dono é bolsonarista declarado), ouviu várias bobagens da lulista.

Aqui, o que menos importa é saber o lado ideológico de cada uma, pois a grande preocupação passa a ser, independente do partido: o FANATISMO POLÍTICO!

Há gente assim, radical e intolerante, de todos os espectros. E se antes da campanha eleitoral começar oficialmente estamos vendo isso, imagine até Outubro chegar…

Paixões políticas emburrecem. E aterrorizam!

Para quem não viu, aqui: https://istoe.com.br/ex-candidata-do-pt-agride-funcionaria-da-havan-em-onibus-hang-critica/

Imagem extraída de: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2022/04/18/candidata-vereadora-pt-jundiai-agressao-onibus-funcionaria-havan.amp.htm