– Ufa!

Dia 27 de aproximadamente 150 vencidos. Graças a Deus.

Tentando ser “pãe” na ausência da mamãe, que está se sacrificando por todos nós (motivo em: https://wp.me/p4RTuC-Bm4).

Dia “esquisito”…

Até amanhã.

– Estude sempre!

Você conhece alguém que sofreu por “estudar”?

Falta de dinheiro, de tempo, de disposição… nada disso pode ser desculpa para não querer aprender. Leia o que puder e analise; ache um horário em meio aos compromissos; sacuda seu ânimo!

Estude. Isso é importante para a sua vida. A mensagem abaixo é verdadeira:

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito na postagem.

– Ver o Passado ou Ver o Futuro?

Ótima reflexão:

A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida olhando-se para a frente.

Autor desconhecido

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito na postagem.

– Vida fora da Internet? Existe sim!

Se você está refém da tecnologia, acorda no meio da noite para verificar suas notificações ou postagens alheias, cuidado: você pode estar viciado!

Para muitos, é indispensável estar nas Redes Sociais (e às vezes é mesmo). Mas tenha calma, o uso moderado é fundamental para a “qualidade de vida na web”, pois essa relação (pessoa e Internet) é benéfica em alguns casos; entretanto, com altíssimo potencial de prejuízo à saúde emocional.

Avalie seu “vício” ou não com o mundo virtual. É importante!

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito na postagem.

– Investimento paternal.

Sábio pensamento:

Chamamos os anos que um homem fica ao lado de seu filho até ele chegar a adolescência e vida adulta de ‘investimento paternal’”.

Stephen Kanitz, http://blog.kanitz.com.br/2010/12/d.html

Não é a pura verdade? Investir nos filhos se resume a amar. E amar é capacitá-los para a vida. Para quem pode, estar ao lado dos filhos é pura Graça de Deus.

imgres.jpg

Charge extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito na postagem.

– Vídeo Cassete e os Consórcios de outrora!

Parece que foi ontem. Relembrando quando meu pai foi sorteado no “consórcio de vídeo-cassete” e a alegria de saber que seríamos agraciados com um aparelho que nos permitira rever os filmes que passavam na TV!

Tempos malucos, não?

Hoje, o streaming mudou tudo. Mas é hilário relembrar o quão era diferente tudo isso. E não foi há muito tempo…

A tecnologia muda tudo rapidamente demais. Veja que legal a imagem abaixo, que traz uma memória da febre e obsessão que foi ter um aparelho como esse:

– O áudio do VAR de São Paulo 3×1 Palmeiras nos questiona: está valendo a pena gastar tanto com essa ferramenta, pelos erros por ela promovidos?

Ao ouvir os áudios do VAR do Choque-Rei, fiquei envergonhado! Como a arbitragem paulista, que tanto me orgulhava, regrediu.

Duas observações:

1- Como é que o VAR e o árbitro conseguem falar em “ampliar espaço” e movimento antinatural, brigando com a imagem?

2- Como o árbitro mudou de opinião tão rápido? Ele nem contestou sua correta decisão de campo e aceitou a sugestão do VAR!

Lamentavelmente, o VAR virou a autoridade máxima no Brasil, um “caça-erros” com o propósito diferente do resto do mundo. E pior: ele PROMOVE erros!

Está valendo a pena usar o VAR no Brasil? Para atrapalhar o jogo mais do que ajudá-lo, não vale. E custa caro.

No site do GloboEsporte.com, está disponibilizado em: https://ge.globo.com/sp/futebol/campeonato-paulista/noticia/2022/03/31/noticias-palmeiras-spfc-sao-paulo-var-penalti.ghtml

– Associação Mata Ciliar Jundiaí sediará o evento “Benção das Águas”.

por Reinaldo Oliveira

No dia 22 de março foi comemorado o Dia Mundial da Água. Por este motivo o presidente da Associação Mata Ciliar Jundiaí, Jorge Bellix Campos, e o professor do Instituto Agronômico Campinas, Afonso Peche Filho, falaram aos meios de comunicação sobre o projeto “De olho nos rios: luta pela água e proteção da biodiversidade, informando sobre produção de água, uso racional dela e dos recursos naturais.

No dia 2 de abril, próximo sábado pela manhã, com início às 9h30 a Associação Mata Ciliar, o Instituto Agronômico Campinas e a Pastoral Fé e Política Jundiaí, promovem nas dependências da Associação Mata Ciliar um momento de reflexão sobre estes importantes bens da natureza, no evento denominado “Bênção das Águas”.

Num momento em que pesquisas recentes trouxeram ao público, através do MAPA DA ÁGUA, dados/informações de irregularidades na água entregue à população nas cidades da Região, bem como em mais outras 247 cidades do País, é importante participar deste momento de reflexão e ouvir/conhecer atitudes preventivas no uso destes bens.

Haverá os momentos de falas do Jorge Bellix Campos e do Afonso Peche Filho, e o padre Rodolfo Cavalaro, da paroquia São Sebastião, de Itupeva, ministrará a bênção das águas. Os organizadores do evento solicitam aos participantes levarem uma garrafinha de água. Sejam, todos e todas, bem-vindos!

– Que confusão, Dória e Moro!

Tá difícil escolher candidato a presidente do Brasil. E partido, idem para alguns políticos. E manter-se firme, ib idem.

E essa do Dória desistir, querer ser governador, depois voltar atrás e ninguém confirmar nada?

E o Moro, depois da festa de filiação do Podemos, sair do partido em pouco tempo e ir ao União Brasil? Também desistirá?

A política no Brasil está assustadora… E não vejo ninguém honesto, competente e com credibilidade para votar.

Doria cancela agenda de compromissos nesta quinta-feira | CNN Brasil

Governador de São Paulo, João Doria, por Sergio Andrade/Governo do Estado de SP. Extraído de: https://www.cnnbrasil.com.br/politica/doria-cancela-agenda-de-compromissos-nesta-quinta-feira/

– Brasil, país de Primeiro Mundo?

Jim O’Neill, presidente do Goldman Sachs e que criou o termo BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) para se referir aos gigantes emergentes da economia, disse em 2014 que nós, brasileiros, chegamos ao desenvolvimento pleno:

“O Brasil não é mais um país emergente. Será uma das 5 maiores economias em 2050.”

Respeito-o e não acredito nessa felicidade próxima. Com nossos indicadores sociais (e em que pese a pandemia), estamos longe de sermos primeiro mundo…

Imagem4.png

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito na postagem.

– O Beatle que não foi Beatle: quando a oportunidade lhe sorri ou não!

Admiro um bom texto, e claro, os bons escritores. O jornalista Davi Coimbra, em seu blog (citação abaixo), escreveu sobre pessoas que tem estrelas, e usou como pano de fundo Pete Best X Ringo Star.

Pete era esclarecido, ousado, íntimo de John Lennon, Paul McCartney e George Harison. Mas ficou de fora da banda na hora da fama. Ringo era doente, analfabeto funcional e a sorte lhe sorriu! Tanto, que entrou para a história e a formação de sucesso consta seu nome.

Quantos competentes que de fato não são. Ou que não tem oportunidade! Há alguns que nascem para Pete Best, outros, para Ringo Star…

Extraído de: http://wp.clicrbs.com.br/davidcoimbra/2010/02/03/o-beatle-que-nao-foi-beatle/?topo=77,1,1

O BEATLE QUE NÃO FOI BEATLE

Vi uma entrevista com o Pete Best, dias atrás. Sou fascinado por sua história, cada vez que ele aparece na TV fico mesmerizado.

Pete Best é o Beatle demitido. Foi um dos Beatles pioneiros, estava na formação originalíssima da banda, com os gênios George, Paul e John. Os quatro se reuniam na casa da mãe de Pete para ensaiar. Tocaram juntos durante dois anos, juntos viajaram para Hamburgo, numa temporada que marcou o amadurecimento público do grupo. Eram tão amigos, que, numa noite hamburguesa, estando eles sem dinheiro, Pete e John assaltaram um marinheiro e lhe tomaram a carteira estufada de marcos. Ou acharam que a haviam tomado: quando voltaram ao hotel, um perguntou ao outro se estava com a carteira, e nenhum estava.

Apesar de toda essa intimidade, George, Paul e John achavam que Pete não era bom o bastante. Além disso, havia a mãe de Pete. Mona, esse o nome dela. Era uma mulher de uns 30 e tantos anos, muito bonita e de forte personalidade. Arrogou a si própria a função de conselheira e mentora da banda. Os Beatles iam ensaiar na casa dela e ela ficava dando palpite. Metida. Tão metida que se meteu com um rapaz que funcionava como uma espécie de produtor do grupo e teve um filho com ele. O pai de Pete, bonzinho, assumiu a criança e lhe acoplou o sobrenome. Mais um Best no Reino Unido.

George, Paul e John, personalistas e até algo chauvinistas, não apreciavam as intervenções não solicitadas da mãe de Pete. Mas como dizer isso ao filho dela? É provável que, se Pete fosse um baterista um pouco mais carismático, eles o teriam mantido no grupo. Mas, aparentemente, não era. Ou pelo menos não era tão concentrado e tão brilhante quanto seus amigos.

E havia Ringo logo ali.

A história de Ringo é sen-sa-cio-nal. Ringo era de família pobre. Quando tinha três anos, o pai dele embarcou num dos navios que aportavam em Liverpool e foi-se mar afora, para nunca mais retornar. Ringo virava-se como podia na periferia da cidade, até que, aos sete anos, foi acometido de uma doença grave. Passou um ano no hospital, meio morto. Quando voltou ao colégio, sentiu o atraso. Os colegas o humilhavam, ele não conseguia aprender. Começou a matar aula. Aos 12 anos, era quase analfabeto. Uma prima decidiu ensiná-lo em casa, Ringo se entusiasmou, progrediu, mas, aos 13 anos, contraiu tuberculose. Mais um ano no hospital.

Alguém poderia dizer que foi muita falta de sorte. Ao contrário. Como Ringo já estava habituado ao ambiente hospitalar, comportava-se com desenvoltura entre doentes, médicos e enfermeiras. Em pouco tempo, organizou uma bandinha com os pacientes, improvisou umas baquetas e arvorou-se como baterista. Ao sair do hospital, o padrasto, que era um bom homem, presenteou-o com uma bateria usada.

Foi assim que Ringo aprendeu a tocar.

Foi a partir daí que se tornou um Beatle e entrou para a História.

Quer dizer: se não tivesse ficado doente da primeira vez, provavelmente não se sentiria à vontade para fazer a banda na segunda vez que ficou doente. Logo, as duas doenças foram fundamentais na construção do destino estrelado de Ringo Star.

Já Pete Best, comunicado de que o tinham excluído da banda, e excluído- justamente às vésperas da assinatura do primeiro contrato que os elevaria ao firmamento do rock, Pete Best literalmente recolheu-se à insignificância. Trabalhou como funcionário público, tentou o suicídio abrindo o gás do banheiro, foi salvo pela mãe e retornou à sua vida comum. Está casado há 45 anos com a mesma mulher, ainda mora em Liverpool e montou sua própria banda, a Pete Best Band, com a qual excursiona pelo mundo, ganhando algum dinheirinho, afinal. Na entrevista que assisti, falava com voz grave e melodiosa. Trata-se de um senhor grisalho, com o bigode frondoso dominando o rosto risonho e melancólico. Diz não saber por que foi demitido da maior banda pop de todos os tempos, diz que o importante é ter saúde, diz que é feliz.

Não deve ser.

Imagino que nenhum dia da sua vida termina sem que ele pense que poderia ter sido um Beatle. Pior: que ele FOI um Beatle, e agora não é mais. O único Beatle fracassado da banda mais bem-sucedida da História.

Essa é a diferença entre os vencedores e os perdedores. Essa a atual diferença entre as direções do Grêmio e do Inter. Alguns nascem para ser Ringo Star. Outros sempre serão Pete Best.

Imagem extraída de: https://www.amazon.com.br/Beatle-Pete-Best-Story/dp/0859653013

– O DNA e a Depressão.

Muito interessante: a Holiste, empresa da área de saúde, publicou uma matéria a partir da reportagem da Revista Superinteressante intitulada: DNA, a nova arma contra a depressão. 

Para quem se preocupa com o chamado “mal do século” (o trio formado por depressão, ansiedade e pânico), vale a pena a leitura da questão de se realizar mapeamento genético para atacar essas crises / doenças.

Extraído de: https://www.holiste.com.br/depressao-teste-genetico/

DNA E A DEPRESSÃO

A Revista Super Interessante abordou o uso do Teste Genético como aliado no tratamento da depressão.   Na matéria, a jornalista Pâmela Carbonari explicou o funcionamento do teste genético e relatou sua experiência com a depressão e com os tratamentos medicamentosos.

“O que mais temia não era a ajuda profissional, mas o troca-troca de remédios típico de quem começa tratamentos, e a convivência com efeitos colaterais que cada um pode dar no início do tratamento – ansiedade, tontura, dor de cabeça, náusea…”, explica Pâmela Carbonari.

O “troca-troca” que a jornalista se refere se dá pelo fato de que, a despeito de todo cuidado e perícia do psiquiatra, não é incomum que o paciente não responda de forma eficaz à primeira prescrição do tratamento medicamentoso, ou apresente efeitos colaterais indesejados, já que cada remédio interage com o organismo de uma forma.

“Os testes genéticos surgem como uma alternativa para determinar quais antidepressivos funcionam melhor no seu corpo.  A grosso modo, são testes que fazem uma leitura do seu DNA para detectar se ele é mais amigo deste ou daquele remédio”, resume a jornalista.

O psiquiatra Guido May – do laboratório GnTech, parceiro da Holiste – comenta sobre o teste farmacogenético na matéria.

“É raro encontrar alguém que metabolize normalmente todos medicamentos utilizados para o sistema nervoso central.  Mas, mesmo com esse manual de instruções na mão, a avaliação de um médico segue sendo fundamental.   O teste genético é uma ferramenta, uma informação a mais para ajudar, em conjunto com histórico de tratamentos prévios, ambiente, fase da vida”.

ESTUDOS E RESULTADOS

Um levantamento realizado nos Estados Unidos pela organização de saúde Mayo Clinic, mostrou que quem fez o exame genético teve uma resposta 70% melhor à medicação se comparada àqueles que usaram o antidepressivo sem ter realizado o teste.

“Existem estudos norte-americanos que demonstram que as pessoas que fazem o tratamento guiado com o teste farmacogenético faltam 75% menos ao trabalho do que o paciente que faz o tratamento pela via tradicional, gasta 60% menos com saúde e demanda 67% menos dos planos de saúde” – afirma Guido May.

Já o estudo realizado em publicado em 1167 pacientes com transtorno depressivo maior – que apresentaram resistência ao tratamento e não tiveram resposta a pelo menos um medicamento – identificou uma probabilidade 30% maior de resposta do paciente ao tratamento e 50% maior de alcançar a remissão quando a seleção da medicação foi guiada pelo teste genético.   O estudo foi publicado no American Psychiatric Association (APA), em maio de 2018.

“Atualmente, a prescrição por tentativa e erro de antidepressivos é um fator que contribui para o insucesso do tratamento e aumenta os custos.  A farmacongenômica combinatória pode melhorara os resultados identificando medicamentos que, por razões genéticas, serão menos eficazes, podem levar a mais eventos adversos e que podem existir a troca”, explicou o Dr. John Greden, pesquisador principal do estudo.

TESTE FARMACOGENÉTICO GNTECH

A Holiste realiza o teste em parceria com a GnTech, laboratório catarinense de genética e bioinformática, que realiza exames de alta qualidade e precisão, provenientes do sequenciamento do genoma humano.

O teste da GnTech oferece uma avaliação de como as medicações atuarão no sistema nervoso central do paciente, no tratamento de transtornos como depressão, ansiedade, déficit de atenção e psicoses.

O exame é realizado de forma simples, com a coleta de uma amostra da saliva do paciente. O material é enviado para o laboratório que analisa 26 genes para determinar como o organismo daquele indivíduo reage aos 79 remédios mais usados para o Sistema Nervoso Central – antidepressivos, ansiolíticos, antipsicóticos, analgésicos, opioides, psicoestimulantes, estabilizantes de humor e anticonvulcionantes.

O laudo gerado auxilia o trabalho do psiquiatra, como um “mapa” que demonstra como os genes determinam a absorção, distribuição e metabolização dos remédios e de que forma acontece a recaptação de neurotransmissores.

“O teste farmacogenético apresenta-se como uma alternativa para auxiliar a escolha do melhor tratamento, respeitando as especificidades genéticas daquela pessoa.  Podemos definir se é necessário aumentar ou reduzir a dosagem da medicação, ou buscar uma outra alternativa que se adapte melhor ao tipo de metabolismo do paciente, possibilitando uma melhor adesão ao tratamento e uma maior qualidade de vida”, explica a psiquiatra da Holiste Fabiana Nery.

bomba.jpg

Imagem extraída do link acima citado.

– O Católico e a Política: o nome de Deus em vão!

Em 2013, no começo do seu pontificado, o Papa Francisco disse durante uma Missa:

Um bom católico se envolve em política, já que a política é uma das formas mais elevadas de caridade, pois ela serve ao bem comum”.

Perfeito!

O político eleito é para servir o povo, e não para ser servido. Entretanto, é lamentável ver o quanto usam o nome de Deus em vão para pedir votos. Aí vira demagogia, picaretagem e desvio da fé alheia.

bomba.jpg

Charge extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito na postagem.

– GRAVÍSSIMO: A discussão sobre o comportamento ético da arbitragem no Choque-Rei.

E São Paulo 3×1 Palmeiras parece que não vai terminar tão cedo…

Já falamos sobre os dois lances polêmicos: o pênalti inexistente erroneamente marcado na mão de Marcos Rocha e o pênalti corretamente não marcado no lance da mão de Marquinhos.
Se você desejar a explicação em texto, aqui: https://professorrafaelporcari.com/2022/03/30/e-o-penalti-inexistente-em-sao-paulo-3×1-palmeiras/
Se desejar em vídeo, aqui: https://www.youtube.com/watch?v=-hki1XoT8Yg

O assunto, agora, é outro, tão delicado quanto a péssima arbitragem: o comportamento dos árbitros e dos cartolas do apito, sem preocupação alguma de evitar exposição. Entenda:

Ontem de madrugada, após o jogo, recebi postagens que deveriam ser evitadas por quem comanda uma Comissão de Árbitros. Abaixo, a foto de Ana Paula Oliveira (a presidente da CEAF-SP) Ednilson Corona (observador) e parte da equipe de arbitragem no vestiário do Morumbi. Na legenda: ORGULHO.

Tudo bem, entendo que a pessoa pode orgulhar-se do trabalho que tem feito, mas existem momentos propícios para dizer isso. Soa muito mal aos ouvidos da torcida, comissão técnica, jogadores e diretoria palmeirense ler “Orgulho”, quando todos estão irritados com um erro importante contra a sua equipe (erro que não é interpretativo, é uma clara mão de proteção e nos links disponibilizados acima nesta postagem você pode verificar que não foi pênalti).

– Orgulho do quê, de meter a mão no Verdão?“, questionou o Zé Boca de Bagre, folclórico palmeirense assumido e amigo do Prof Reinaldo Basile, nosso respeitável mestre aqui de Jundiaí. A imagem:

Outra questão: não há um camarote para diretores da arbitragem? Uma salinha que seja? No print da tela desse vídeo há a filmagem da festa da torcida tricolor, feita pela Ana Paula Oliveira, que estaria (supostamente, não é uma afirmação) em meio a torcida. Desnecessário dizer que aqui será cobrada por exposição indevida… Veja a seguir:

Enfim, antes de publicar esse texto, tomei cuidado para verificar que não era fake. A primeira imagem realmente está no Instagram da Ana Paula. O vídeo, não. Mas numa rápida busca no twitter, encontrei a reprodução no perfil da Renata Ruel, colega dos tempos de arbitragem e comentarista da ESPN, atestando que era verídico. Teria sido feito por um primo da Ana Paula que pegou o celular dela e sem querer postou, e, com a repercussão, apagou? Talvez.

E rolando os comentários da Renata na timeline, vi coisas mais absurdas ainda e que concordo integralmente. Tinha até torcedor-bandeirinha? Veja só:

Não se pode colocar o “bumbum na janela”, como se refere a expressão popular à gente descuidada para críticas. Se os árbitros são recomendados para o máximo de discrição nas Redes Sociais, com perfis disfarçados, ou, se possível, nem possui-las, quem comanda deveria dar o exemplo.

Por fim, algo que me incomoda muito e que não vi cobranças:

– Nos lances em que o SÃO PAULO FC é prejudicado pela arbitragem, há a reclamação e cobrança por melhoras. Ontem, quando foi beneficiado, seria ótimo alguém dizer: “apesar da boa vitória, fomos favorecidos e precisamos melhorar a arbitragem, conforme sempre pontuamos quando prejudicados”.

– Igualmente, a SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS cobra melhoras na arbitragem. Mas não as vi quando o lance não foi de prejuízo, mas de favorecimento, especialmente pelos “pênaltis de queimada” a favor e cobrados com maestria por Raphael Veiga. Ou ainda, pelo menos, a respeito do pênalti de “pisão na bola” contra o Red Bull Bragantino.

Todos os clubes são iguais: reclamam e lembram quando são prejudicados, e se calam quando são favorecidos, fazendo-se de surdos e de mudos. Eles também são culpados por tanta bobagem na arbitragem.

– Garoa ou sol? O que vale é a beleza:

Já saiu o sol, veio a chuva e agora temos esse lindo céu no Lago do Taboão.

A natureza dos permite paisagens incríveis, não? Basta cuidar dela com carinho e zelo, ensinando nossas crianças a importância de preservá-la!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– 06h30, bem bonito.

🌄 Clareando um novo dia!

🇺🇸 An extremely beautiful dawn in Bragança Paulista, interior of Brazil. Cheer the nature!

🇧🇷 Um amanhecer extremamente bonito em Bragança Paulista, interior do Brasil. Viva a natureza!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– #tbt 3: Momentos!

Há 1 ano… e que saudade estou hoje da minha esposa, em viagem a trabalho…

Minha mulher tirou uma foto “diferente” de mim. Não sou do tipo exibicionista / ostentação, como “sem querer” saiu no clique – mas rimos bastante, por conta da surpresa da pose “metida” involuntária.

O que precisamos na vida é sorrir! Estando com crianças ou com idosos, sozinho ou acompanhados, estando gordo ou magro, careca ou cabeludo (no meu caso, a opção 2 inexiste), nós precisamos simplesmente viver e amar as pessoas.

– #tbt 2: Um Diálogo Inocente!

Há dois anos...

Crianças sempre nos surpreendem com coisas que aprendem sabe-lá-Deus-como! Hoje, minha caçula disse: 

Maria Estela: “Papi, vamos mostrar pra todo mundo que eu sou ‘mais grandona’ que você?”

Eu: “Como vamos fazer isso?”

Maria Estela: “Você fica sentado e daí vai dar certo, vai mostrar que eu cresci muito e você tira a foto!”

Como a vida é tão simples e maravilhosa para as crianças…