– Sunshine

Entardecendo com esse bucólico sol (abaixo). O dia acabou (e confesso, meu pique também).

Até amanhã!

Imagem

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– O jogo que não acaba (e não agrada): Paulista e Olímpia na Polícia!

Vou tomar bastante cuidado com o que estou escrevendo, pois até que se PROVE o contrário, todos são inocentes. Abaixo:

O jogo Paulista 2×3 Olímpia não acabou ainda. Terminou no Jayme Cintra, mas está rolando em 3 outras entidades:

  1. Na Drade (Delegacia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva), com documentação nas mãos do delegado Cesar Saad da Polícia Civil;
  2. No TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) de São Paulo, onde foi criada uma investigação mantida em sigilo;
  3. Na Comissão de Integridade da FPF (Federação Paulista de Futebol).

Tornou-se pública a história de apostadores desonestos aliciarem atletas na A3, e todos repercutiram a denúncia de Magno Dourado às vésperas de Desportivo Brasil 2×3 Paulista (vide aqui: https://wp.me/p4RTuC-rAV). Agora, já se sabe que a mesma suposta pessoa envolvida como pivô na polêmica partida em Barretos 0x4 Linense foi acusada de assédio neste jogo ocorrido em Porto Feliz.

A empresa de monitoramento de apostas esportivas e fraudes SportRadar, uma gigante mundial e que trabalha para a FPF, apontou irregularidades, principalmente pelos valores envolvidos. Especialmente sendo um jogo de 3a divisão regional, quem teria coragem para acumular apostas em quase 20 mil euros, cravando vitória do time da casa no primeiro tempo e derrota do mesmo no segundo período? Nem em Premier League você aposta alto assim, e com tal precisão de placar!

Ainda, sobre o relatório da SportRadar entregue às autoridades, ela concluiu que o resultado era PREVIAMENTE sabido. Ou seja: o apostador tinha ciência do que aconteceria nos dois tempos de jogo. E aí restam quatro opções para nós, mortais torcedores e apaixonados pelo esporte imaginarmos sobre o talento do investigado:

  1. Mestre da futurologia e conhecedor profundo de futebol (especialista);
  2. Louco que levou sua insanidade a acertar sem querer (sortudo);
  3. Tem bola de cristal (é um bidu);
  4. Armou um esquema (vigarista).

Eu vou na opção 4.

O documento da investigação diz o seguinte:

“Contra a lógica, 62% de todo esse valor foi apostado na opção em que o Paulista venceria o primeiro tempo, e o Olímpia o confronto (…) Finalmente, nenhum fator esportivo pré-jogo pode influenciar tanto os apostadores em nenhum desses resultados específicos, visto que qualquer fator esportivo regular impactaria tanto o primeiro tempo quanto o resultado de jogo completo de forma semelhante, e nunca poderia sugerir que o Paulista FC venceria apenas a primeira parte, enquanto o Olímpia FC acabaria por vencer a partida. No geral, é bastante claro que os apostadores tinham conhecimento prévio do resultado final tanto do primeiro tempo quanto da partida, e aproveitaram vários mercados de apostas para maximizar os lucros em apostas ilícitas (Entre os apostadores identificados, ao menos um já tinha sido marcado pela empresa por apostas irregulares).

As conversas estão em:

Extraído de: https://globoesporte.globo.com/sp/tem-esporte/futebol/paulista-serie-a3/noticia/apostador-detalha-esquema-de-compra-de-resultados-na-serie-a3-ao-tentar-subornar-jogador-ouca.ghtml

Insisto: todos são inocentes até que se prove o contrário. Não estou acusando ninguém.

Como imaginar, diante de tudo isso, que as coisas aconteceram por simples coincidência? Com essas informações, você começa a duvidar de tudo e de todos (não estou dizendo que os citados neste exemplo que se segue são culpados de crime, até que se prove o contráriode novo, são inocentes em minha opinião e vítimas de sua própria incompetência – a não ser que a Polícia diga algo diferente).

  • Não fica uma pulga atrás da orelha o jogador do Olímpia dar um carrinho e ir com a mão deliberadamente na bola, sendo que poderia tentar o embate de outro jeito (me refiro ao lance do primeiro gol sofrido pelo Olímpia)? (1o tempo)
  • Na furada do chute da defesa que originou o segundo gol sofrido pelo Olímpia, foi proposital ou é pura e simplesmente “ruindade”? (1o tempo)
  • No pênalti cometido pelo Paulista (e que cravamos não ter sido – o torcedor não precisa conhecer detalhes da regra do Jogo, mas o árbitro sim, especialmente numa bola que bateu na mão espirrada pelo pé, lance idêntico ao pênalti equivocadamente marcado em Palmeiras x Internacional), o árbitro convicto apontou a marca penal. Interpretou errado / incompetência? Não era lance tão difícil com exemplo recente e discutido pelos fóruns da categoria. (2o tempo).
  • O jogador do Galo que cometeu o pênalti, não esboçou um “A” de reclamação. Seria inexperiência, passividade ou o quê? (2o tempo).
  • Rodolfo era disparado o melhor jogador do Paulista, e foi substituído logo no começo da segunda etapa. O treinador Oliveira justificou “rendimento”. Ou errou feio demais, ou deve ter se desentendido com ele. Ou outra coisa?

CALMA: não estou apontando ninguém (pela enésima vez: todos são honestos até que alguém prove o contrário), mas diante de tanta coisa estranha (ou tanta incompetência), há de se achar tudo esquisito.

Como jundiaiense, como torcedor do Paulista, como amante do futebol, quero crer que tudo seja fruto da desconfiança de excesso de erros técnicos. Mas o que as autoridades estão suspeitando (e precisamos ser transparentes em tudo) é o cenário descrito.

Torço para que o presidente Rodrigo Alves e seus pares possam mostrar que o Paulista FC é isento desta grande picaretagem que virou a A3, e que se der “algum pepino” (algo for provado contra alguém do time), que tenha sido um ato isolado de alguém que fraquejou. E que se investigue atletas, comissões técnicas, dirigentes, árbitros e demais possíveis envolvidos numa partida.

Por fim: se estivéssemos num país de rigor absoluto, a série A3 (com tantas denúncias no pós-pandemia) seria paralisado.

– Diretora de Faculdade Mostra Cidadania com Simples Suportes de Papel Higiênico

Um suporte de papel higiênico (aquele rolinho que você coloca dentro do rolo de papel) é algo barato, não?

Através da luta contra assaltos a “rolinhos de papel higiênico”, uma diretora de faculdade da Bahia mostrou como é importante o respeito ao espaço público e como a luta contra a bandidagem começa pelas pequenas coisas.

Este texto é do Prof Dr Paulo Costa Lima, da UFBA, e o original pode ser acessado CLICANDO AQUI.

FACULDADE ELIMINOU ROUBOS REPONDO OBJETO FURTADO 241 VEZES

Ela decidiu peitar a bandidagem…

Minha amiga era vice-diretora da faculdade de arquitetura e o pessoal da limpeza vivia atazanando seu gabinete… Todo dia sumiam aqueles rolinhos, como é o nome daquilo..?

Aquele negócio redondinho que antigamente era de madeira e tinha uma mola por dentro, hoje é de plástico…

Entra nos dois furos da parede e segura o rolo de papel higiênico.

Ela chegava todo dia e era o mesmo caso. Roubaram os rolinhos. Não tem onde botar o papel. Os banheiros sujos. Os rolos de papel no chão, ou pior, desenrolados na cesta de lixo. Privada entupida… Pode um negócio desses?

Pensou, pensou, e acabou achando uma solução completamente original. Mandou comprar 480 rolinhos e decidiu entrar na briga. Roubavam um rolinho, ela repunha imediatamente. Roubavam 2, 3, 20 rolinhos e lá estava o substituto, novinho em folha, na cara (e nos fundilhos) dos contraventores.

Ficou com uma sensação muito boa de que com ela ninguém podia. Nem a bandidagem. Onde já se viu? Roubar os rolinhos do suporte, na intimidade do alívio de cada dia…

Não podia botar câmeras. Isso foi no início dos 90. E mesmo não ia dar certo. A universidade pública. Iam pensar que a diretoria estava filmando as pessoas nuas sabe-se lá pra quê…

Preocupava-se com o aspecto de contravenção do seu próprio ato administrativo. O que diria ao Reitor sobre esse gasto excessivo com rolinhos de suporte para papel higiênico?

Não sabia onde a coisa iria parar. Até quando iria ter que comprar pacotes de 480 acessórios? O que diria a Divisão de Material?

Mas o espírito da luta, e a nobreza da causa acabaram falando mais alto. E também pensava na economia com o gasto de papel. Afinal, teria alguns argumentos. Continuou repondo e repondo…

Quando chegou em 241 os roubos pararam. Educação completa. Ela havia vencido a guerra e não apenas uma batalha. O ladrão deve der ficado absolutamente decepcionado. Imagine que a casa dele já não devia ter lugar onde botar essas tralhas desses rolinhos…

Acho que a minha amiga realizou um experimento inusitado de enfrentamento da contravenção.

Flexionando o espaço-tempo da propriedade gerou uma abundância artificial que eliminou o sentido do roubo.

Já pensou se esse pequeno modelo se espalha? Teria que dar dinheiro para todos os ladrões e todos os corruptos até que eles não quisessem mais… seria o fim da bandidagem e do capitalismo… (rsrsrs)… o fim da pena de morte por corrupção na China?

E tem mais. Ela demonstrou até onde deve ir essa história de tolerância zero. A violência começa nos banheiros, no desrespeito ao outro…

Leituras e associações:

1. a noção (ou falta de noção) do espaço público entre nós;

2. falha estrutural do contrato social: levar vantagem;

3. também acontece com livros nas bibliotecas públicas, muitas vezes levados por gente tida como acima de qualquer suspeita;

4. não é um problema dos pobres, que muitas vezes são bem mais decentes que médios e ricos;

5. o banheiro público aciona espaços discursivos aparentemente caóticos, típicos dessa situação – o palavrão, a obscenidade, a infâmia, o humor rasgado -, marcas culturais dos “sem contrato”;

6. os comentários da internet (inclusive no Terra) retomam muitas vezes esse ambiente, que alia franqueza bruta e falta de limite quase perversa com relação ao ‘outro’; existe o outro?

7. violência e pertencimento (ou falta de pertencimento) se interpenetram o tempo todo;

8. esse é um grande tema para a campanha presidencial.

9. na contramão de tudo isso: um projeto maravilhoso de caixas de livros nos pontos de ônibus; o sujeito leva o que quiser pra casa (depois traz de volta, lido); está acontecendo na cidade de Vitória da Conquista, interior da Bahia.

images.jpg

– Dia dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael

Tenho nome de anjo, embora, logicamente não seja um. Mas tal honraria me faz refletir, meditar, orar… e concluir: os anjos estão presentes na nossa vida, são servos de Deus e tão amigos nossos, e ao mesmo tempo deixamos-os de lado.

Neste dia 29, lembramo-nos dos 3 mais importantes anjos da Bíblia, citados abaixo. Conheça suas histórias (extraído de: Amaivos.uol.com.br)

SÃO MIGUEL, SÃO GABRIEL E SÃO RAFAEL

São Miguel é o defensor do povo de Deus em tempo de angústia e é também padroeiro da Igreja, pela tradição é quem acompanha as almas dos mortos até o céu.  É também conhecido como o Chefe das Milícias Celestes e é invocado na luta contra o mal.  Considerado Príncipe dos Serafins, seu nome significa “aquele que é semelhante ao próprio Deus.”

São Gabriel é o grande comunicador, sendo responsável pelo anúncio do nascimento de João Batista e, honra maior, pelo anúncio à Maria sobre o nascimento de Jesus Cristo.  É conhecido como patrono de todos aqueles que trabalham com transmissão de informações.  Seu nome significa “homem de Deus” ou, ainda, “Deus mostrou-se poderoso”.

São Rafael é o companheiro de viagem do homem, seu guia e protetor na adversidade.  É considerado protetor dos viajantes e um poderoso intercessor junto ao Pai.  Seu nome significa “aquele que cura”.

Santificando minha vida:  Deus nos concede a proteção dos santos anjos como auxílio em nossa vida.  Costumo lembrar-me dessa proteção e agradeço a Deus por ela?

bomba.jpg

– Marinho e a consciência coletiva

Muitos tratam o jogador Marinho, do Santos FC, com ironia e desdém, devido as brincadeiras e memes surgidos de suas falas. Mas repare que são simples brincadeiras, sem maldade ou prejuízo para alguém. Folclore de um cara espirituoso!

Entretanto, Marinho tem falado ultimamente de cidadania, respeito, combate à discriminação e inclusão. Inclusive, disse no programa “Bem Amigos” da Sportv sobre o ativismo de atletas importantes como Lebron James ou Louis Hamilton:

“Quando o Hamilton faz isso, o Lebron faz isso lá nos EUA, eles têm muito respeito. Se no Brasil você vai fazer é muito mimimi, ‘Nutella’, isso e aquilo. Mas eu vou defender a bandeira porque muita gente passa por isso e não tem voz ativa. Não ligo para o que vão falar de mim. O importante é eu saber, olhar para o próximo, pessoas que passam por isso diariamente, sofrem com isso nos empregos e não podem falar, senão vão ser mandadas embora.”

É isso mesmo: ter empatia faz a diferença na dignidade de alguém. Parabéns, Marinho!

– A real preocupação da Segunda Onda de Covid-19

Quando surgiu o Novo Coronavírus, ele era algo desconhecido. A Ciência foi aprendendo sobre suas características (e continua até hoje) e muita coisa ainda está para ser respondida. As 3 principais:

  1. O que / como / quando se dará a 2a onda
  2. A intensidade e duração desse novo momento crítico (já real em alguns países); e
  3. As chances de reinfecção (duraria apenas alguns meses a imunidade?).

Eu fico estarrecido em ver o caos voltando na Espanha e Inglaterra, possibilitando um novo lockdown, além da situação de Manaus, que estava calma, voltando a ser calamitosa.

Será que os planos de reabertura e volta da normalidade até o final do ano serão deixados de lado? Viveremos essa angústia do isolamento e cuidados sanitários extremos (que são necessários) por quanto tempo?

Parece-me que o grande triunfo do vírus é iludir as pessoas que a coisa está mais calma. Não podemos relaxar!

Mundo tenta conter segunda onda da covid-19 sem novos confinamentos

– O tamanho do sol é a medida da beleza!

Ter um dia com muita inspiração é fundamental. Veja só o retrato, abaixo, do amanhecer aqui na Divisa de Jundiaí com Itupeva, no Interior de São Paulo.

Que o tamanho do Astro-Rei e seu brilho contagiante nos iluminem para não cansarmos na caminhada cotidiana.

Imagem

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Bom dia, 3a feira

👊🏻 Bom dia!
Tudo pronto para suar mais uma vez em busca de #saúde.
Vamos correr a fim de produzir e curtir a tão necessária #endorfina?
🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #training #corrida #sport #esporte #running #adidas #asics
Clique 1:

🙏🏻 Correndo e Meditando:
Ó #NossaSenhoraDosAnjos, rogai por nós que recorremos a vós. #Amém.”
⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #MãeDeDeus #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade
Clique 2:

🌺 Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da #natureza.
🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento
Clique 3:

🌅 Desperte, #Jundiaí.
Que a #TerçaFeira possa valer a pena!
🍃🙌🏻 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia
Clique 4:

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– O que é que realmente vale na vida?

Levamos a vida tão a sério, que muitas vezes nos esquecemos de que ela precisa ser vivida com leveza. Brincando com as situações que são permissíveis, rindo das coisas simples ou apenas deixando ela fluir!

Pedi para a minha filha Estela mandar um beijo pra mim. Na sua inocência e sapequice, tirou um sarro mostrando a língua e disse: “Você é muito ‘Manezão’, Papi”.

Taí: o que é que vale a pena na vida, se ela não for de diversão e auto-ironia? Ser Mané (a expressão popular tão conhecida) se faz muitas vezes necessário para aliviar o fardo do dia-a-dia.