– E não é que o diálogo se torna verdadeiro (apesar do cenário)?

Creio que ainda é temeroso, mesmo com as medidas de segurança, voltar às aulas.

Mas ir à praia como nesse meme brincalhão, não dá, né?

Abaixo:

– O que é justo, precisa ser dito: Bolsonaro não fez campanha contra a vacinação, como alguns dizem.

Por conta do fanatismo político, é necessário sempre começar os textos lembrando: não sou bolsonarista, lulista, dorista ou “qualquercoisista” que seja. Sou apartidário, mas não apolítico.

Leio algumas postagens de pessoas dizendo que o presidente Jair Bolsonaro estaria fazendo campanha contra a vacinação de Covid-19, quando disse que “ninguém é obrigado a tomar a vacina”. Mas vocês viram o contexto?

Uma enfermeira gritou enquanto ele passava “que uma boa vacina levava 14 anos para estar pronta para o mercado” (dando a entender que as vacinas não são seguras). Daí veio a resposta acima, no sentido de que “toma quem quiser”.

São várias as frases beirando a imbecilidade que foram ditas pelo presidente nos últimos meses de pandemia, condenadas aqui mesmo no blog, mas não se impute uma culpa inexistente a ele quanto a isso. Caso contrário, não faria sentido o gasto com a parceria da Unifesp com Oxford.

Acréscimo: realmente as vacinas que estão sendo desenvolvidas são muito mais rápidas do que as demais na história (o que não quer dizer que sejam necessariamente inseguras). Abordamos sobre isso aqui: https://professorrafaelporcari.com/2020/08/11/sputnik-5-a-vacina-da-russia-contra-o-covid_19-sera-produzida-no-brasil/.

Rússia anuncia primeiro lote de vacinas da Covid-19 para setembro | Vacina | G1

– Do Futebol do Equador vem o exemplo de cuidados contra o Coronavírus.

Pandemia é algo para ser levado a sério, especialmente no futebol profissional – a mais importante das atividades menos importantes.

Vejam só que exemplo vem do Equador, onde o descuido de um atleta rendeu uma pesada multa.

Extraído de: https://jovempan.com.br/esportes/futebol/campeonato-equatoriano-multa-jogador-em-r-65-mil-por-beijar-a-bola.html

CAMPEONATO EQUATORIANO MULTA JOGADOR EM R4 65 MIL POR BEIJAR A BOLA

Sergio López violou o protocolo de segurança para evitar a propagação da covid-19

O jogador argentino Sergio López, do Aucas, foi multado em US$ 1,2 mil, cerca de R$ 65 mil, pela Liga Pro, que organiza as primeiras divisões do Campeonato Equatoriano, por ter beijado a bola durante a vitória de sua equipe sobre o Maracá por 1 a 0, na última sexta-feira. Em ata publicada hoje pela Liga Pro, a atitude do meio-campista é expressamente proibida pelo protocolo de segurança aplicado no campeonato para evitar a propagação do novo coronavírus. É uma das punições mais severas aplicadas no futebol do país em razão da pandemia desde a volta do esporte em território equatoriano, em 14 de agosto.

No último dia 17, dois jogadores do Olmedo Marco Vinicio Nazareno, Joao Paredes e Kevin Mina, foram multados pelo Comitê Disciplinar da Liga Pro, por trocarem camisas com Pedro Pablo Perlaza, artilheiro do campeonato, e Cristian Borja, ex-Flamengo. Ambos atuam pela LDU de Quito, e receberam a mesma punição.

A LDU de Portoviejo foi multada em US$ 500 no último dia 24 por não terem fornecido um kit de primeiros socorros, enquanto o Emelec foi multado em US$ 2 mil por não ter fechado o estádio e não fornecer mais de dois pontos de acesso, violando os protocolos de biossegurança.

Punição aplicada a López é uma das mais severas aplicadas no futebol do Equador em razão da pandemia

– Endorfina, Serotonina e outros Hormônios da Felicidade.

Somos dependentes de certos hormônios para termos bom humor e ótima qualidade de vida. Mas você sabe quais são eles e como os obter?

Abaixo, extraído de: https://www.bbc.com/portuguese/amp/geral-39299792

OS HORMÔNIOS DA FELICIDADE: COMO DESENCADEAR EFEITOS DA ENDORFINA, OXITOCINA, DOPAMINA E SEROTONINA

Ao longo dos séculos, artistas e pensadores se dedicaram a definir e representar a felicidade. Nas últimas décadas, porém, grupos menos românticos se juntaram a essa difícil tarefa: endocrinologistas e neurocientistas.

O objetivo é estudar a felicidade como um processo biológico para encontrar o que desencadeia esse sentimento sob o ponto de vista físico. Ou seja, eles não se importam se as pessoas são mais felizes por amor ou dinheiro, mas o que acontece no corpo quando a alegria efetivamente dispara, e como “forçar” esse sentimento.

Neste sentido, há quatro substâncias químicas naturais em nossos corpos geralmente definidas como o “quarteto da felicidade”: endorfina, serotonina, dopamina e oxitocina.

A pesquisadora Loretta Breuning, autora do livro Habits of a happy brain (“Hábitos de um cérebro feliz”, em tradução livre), explica que “quando o seu cérebro emite uma dessas químicas, você se sente bem”.

“Seria bom que surgissem o tempo todo, mas não funcionam assim”, diz a professora da Universidade Estadual da Califórnia (EUA). “Cada substância da felicidade tem um trabalho especial para fazer e se apaga assim que o trabalho é feito.”

Conheça a seguir maneiras simples para ativar essas quatro substâncias químicas da felicidade, sem drogas ou substâncias nocivas.

1. Endorfinas

As endorfinas são consideradas a morfina do corpo, uma espécie de analgésico natural. Descoberta há 40 anos, as endorfinas são uma “breve euforia que mascara a dor física”, classifica Breuning.

Por isso, comer alimentos picantes é uma das maneiras de liberar esses opiáceos naturais, o que induz uma sensação de felicidade. Mas essa não é a única maneira de obter uma “injeção” de endorfina.

De acordo com estudo publicado no ano passado por pesquisadores da Universidade de Oxford (Inglaterra), assistir a filmes tristes também eleva os níveis da substância.

“Aqueles que tiveram maior resposta emocional também registraram maior aumento na resistência a dores e sentimento de unidade em grupo”, disse à BBC Robin Dunbar, professor de Psicologia Evolutiva e autor do estudo.

Dançar, cantar e trabalhar em equipe também são atividades que melhoram, por meio de um aumento nas endorfinas, a união social e tolerância à dor, afirma Dunbar.

2. Serotonina

Como a serotonina flui quando você se sente importante, o sentimento de solidão e até mesmo a depressão são respostas químicas à sua ausência.

“Nas últimas quatro décadas, a questão de como manipular o sistema serotoninérgico com drogas tem sido uma importante área de pesquisa em biologia psiquiátrica e esses estudos têm levado a avanços no tratamento da depressão”, escreveu em 2007 Simon Young, editor-chefe na revista Psiquiatria e Neurociência .

Um sintoma da depressão é esquecer situações felizes. Por isso, acrescenta Korb, olhar fotos antigas ou conversar com um amigo pode ajudar a refrescar a memória.

O neurocientista descreve três outras maneiras: tomar sol, receber massagens e praticar exercícios aeróbicos, como corrida e ciclismo.

3. Dopamina

A dopamina costuma ser descrita como responsável por sentimentos como amor e luxúria, mas também já foi tachada de ser viciante. Daí sua descrição como “mediadora do prazer”.

“Baixos níveis de dopamina fazem que pessoas e outros animais sejam menos propensos a trabalhar para um propósito”, afirmou John Salamone, professor de Psicologia na Universidade de Connecticut (EUA), em estudo sobre efeitos da dopamina no cérebro publicado em 2012 na revista Neuron. Por isso, acrescentou o pesquisador, a dopamina “tem mais a ver com motivação e relação custo-benefício do que com o próprio prazer.”

O certo é que essa substância química é acionada quando se dá o primeiro passo rumo a um objetivo e também quando a meta é cumprida. Além disso, pode ser gerada por um fato da vida cotidiana (por exemplo, encontrar uma vaga livre para estacionar o carro) ou algo mais excepcional (como receber uma promoção no trabalho).

A melhor maneira de elevar a dopamina, portanto, é definir metas de curto prazo ou dividir objetivos de longo prazo em metas mais rápidas. E celebrar quando atingi-las.

4. Oxitocina

Por ser relacionada com o desenvolvimento de comportamentos e vícios maternos, a oxitocina é muitas vezes apelidada de “hormônio dos vínculos emocionais” e “hormônio do abraço”.

Segundo estudo publicado em 2011 pelo ginecologista e obstetra indiano Navneet Magon, “a ligação social é essencial para a sobrevivência da espécie (humanos e alguns animais), uma vez que favorece a reprodução, proteção contra predadores e mudanças ambientais, além de promover o desenvolvimento do cérebro.”

“A exclusão do grupo produz transtornos físicos e mentais no indivíduo, e, eventualmente, leva à morte”, acrescenta. Por isso, o obstetra considera que a oxitocina tem uma “posição de liderança” nesse “quarteto da felicidade”: “É um composto cerebral importante na construção da confiança, que é necessária para desenvolver relacionamentos emocionais.”

Abraçar é uma forma simples de se conseguir um aumento da oxitocina. Dar ou receber um presente é um outro exemplo.

Breuning, da Universidade da Califórnia, também aconselha construir relações de confiança, dando “pequenos passos” e “negociando expectativas” para que ambas as partes possam concretizar o vínculo emocional.

Copyright © 2019 BBC

Uma rápida tabela incluindo outros hormônios, abaixo:

– Flordelis consegue um feito: a unanimidade dos deputados de siglas diferentes!

A Câmara dos Deputados quer cassar o mandato da Deputada Pastora Flordelis, que mandou matar o marido. E a cada dia, surge mais “um podre” da história desta senhora.

Já se sabe que ela combinou com alguns filhos a morte do Pastor Anderson, com quem ela era casada; que ele e ela mantinham relações sexuais com filhos adotivos (e lembremo-nos que ambos pregavam a unidade e o louvor à família…) e que tentou envenenar aos poucos o seu esposo antes do assassino acertá-lo com 30 tiros. Agora, surge a informação que antes do assassinato estavam numa casa de swing!

Existe um filme rodado sobre a “história de superação da pobre moça Flordelis”, romanceado como modelo de vida e vitória. Mas depois de tudo o que se viu, imagino o sucesso do roteiro de um suposto “filme 2″…

A única certeza: deputados de todas as siglas não querem mais a pastora no Congresso. Um milagre alcançado por ela?

Flordelis e pastor podem ter ido à casa de swing antes do crime - Brasil - iG

– Credulidades e Incredulidades pessoais que tenho com o futebol

O futebol é um microcosmo social. Portanto, nele e em volta dele, acontece de tudo:

  • Torcedores profissionais que sugam os clubes, mas também apaixonados que devotam a vida por atletas que nem sabem da sua existência.
  • Cartolas que pregam a libertação das práticas corruptas de diretorias anteriores, mas fazem a mesma coisa com roupagem diferente.
  • Empresários que tentam forçar a escalação dos seus atletas e que, na impossibilidade, tentam derrubar treinador.
  • Jogadores que jogam para garantir o técnico no cargo e outros que procuram derrubá-lo.
  • Contratos fechados na surdina e contratos arranjados para as vésperas de eleição no clube, claramente como “obra política e/ou eleitoreira”.
  • Jogador caro de clube grande que paga “pedágio” para treinador e diretor (com o nome atual de “rachadinha”) e jogador ou treinador de agremiação pequena que paga ao clube para ser escalado e/ou dirigir o time (comprando a vaga).
  • Técnico-empresário que leva seus jogadores do “portfólio” a fim de usar o clube como barriga de aluguel para outros.
  • Jogo “de compadre” para garantir resultado agradável aos dois times. 
  • Árbitros santos e árbitros endemoniados dentro e fora de campo.

Se continuar o relato, perceberemos que, se usarmos da racionalidade, o futebol não é um esporte que dá prazer, mas sim um negócio suspeito da indústria do entretenimento. Mas… ainda assim a gente gosta de ver a bola rolar!

E você: no que acredita ou desacredita no futebol?

Proteção a jogadores de futebol e o que isso significa em 2019 | Em tempo

– Quem é o consumidor que vai gastar de verdade?

Quem é o consumidor que realmente vai gastar as riquezas da Economia Global? Os Boomers, a Geração X ou os Millenials?

Muito bacana o artigo que compartilho abaixo, extraído de: https://www.istoedinheiro.com.br/consumidor-conectado-exigente-e-ansioso/

CONSUMIDOR CONECTADO, EXIGENTE E ANSIOSO

por Cecília Andreucci

Altamente digitalizado, pressionado por uma montanha de informações, consumidor desconfia das organizações e da propaganda

Não há mais como falar de consumo sem falar de tecnologia – aliás poucas coisas hoje escapam desta proposição. Nós, brasileiros, somos os mais ávidos por novas tecnologias, inovação e por consumir toneladas de informação disponibilizadas na rede (mesmo ficando ansiosos com tudo isso). O uso de smartphones disparou e nos colocou como uma das nações mais digitalizadas. Somos prodígios nas redes sociais, mas nos preocupamos muito com a possibilidade de nossos dados serem hackeados. E há razões concretas para essa preocupação. Especialistas concordam que não é uma questão de “se” os sistemas de informação serão atacados, mas “quando” e em “qual” proporção. Ninguém está protegido.

Essas informações foram reforçadas pelo presidente global para consumo e varejo de uma grande consultoria internacional em evento recente. Ele apresentou o resultado de uma ampla pesquisa sobre as profundas mudanças nas motivações, atitudes e expectativas do consumidor nesse século, realizada em oito países, dentre eles o Brasil.

O resultado de cada país retrata, naturalmente, seu momento social, econômico e político, mas seguem muitas tendências globais, dentre elas o protagonismo da internet como fonte de informação, a preocupação crescente com a segurança de dados pessoais, a expectativa por qualidade e conveniência, e experiências mais intuitivas e personalizadas.

Outro aspecto pesquisado foi a confiança nas instituições, que atinge 47%. As menos confiáveis são organizações governamentais e as de propaganda – 37% e 26%, respectivamente. Essa última poderia também ser explicada por uma sociedade cada vez mais letrada na disciplina, que nunca desconfiou tanto da comunicação publicitária. Bancos e empresas de saúde gozam o mais alto nível de confiança, ainda que não seja tão alto assim (aproximadamente 60%). No Brasil, saímos fora da curva, abaixo da média, em instituições governamentais, energia e serviços de utilidade pública. Fácil de entender. E confiamos mais nas empresas de tecnologia que os demais países, talvez porque façamos muito uso delas.

E, resultado dos nossos últimos anos complicados, desenvolvemos uma cultura de barganha, passamos por um down trade, procurando produtos com melhor custo-benefício. Com isso, baixamos nosso padrão de consumo. Também reportamos o mais alto nível de preocupação com a aposentadoria (em termos financeiros). E vemos como principal indulgência na vida, a boa comida, o que é bastante frugal.

Outra perspectiva interessante da apresentação tratou da nova demografia etária do planeta e suas peculiaridades em termos de motivação, atenção, conexão, uso do tempo e gastos. Apesar de os Boomers (pessoas nascidas entre anos 40 e meados dos anos 60) terem acumulado muita riqueza, é a geração seguinte, a X, que deve herdá-la e gastá-la. Estima-se que um trilhão de dólares. Geralmente negligenciada pelas estratégias de marketing, é apelidada de geração-sanduíche ou geração-esquecida. A primeira a cuidar de seus pais e de seus filhos simultaneamente, sofre mais pressões por recursos e tempo. Apesar de terem nascidos antes da internet, são bastante digitalizados. Produtos e serviços devem refletir essa realidade.

Dentro da mesma casa que vive um “X”, há uma grande chance de viver um Millennial (nascido entre 1980 e 1999) e um “Z” (nascido depois de 2000). As nativas digitais cresceram na era da explosão das tecnologias de computação e de comunicação. Para a “Z” tudo ocorre, porém, numa dimensão e velocidade mais acentuadas. Se os Millennials queriam conhecer todas as possibilidades digitais, a geração “Z” chegou para fazer a curadoria, criar, projetar e mixar todas as mídias, conteúdos e experiências. Com baixíssima concentração, demandam que sejam seduzidos em segundos, ou outro estímulo vai atraí-los rapidamente.

Nessa casa hipotética, todos seguem se influenciando mutuamente, diariamente.

Não é fácil para a liderança das organizações capturar as necessidades destes grupos. Especialmente porque, como eu, muitos são da geração X, os imigrantes digitais. Para além das pesquisas e consultorias, que contribuem muito, aqueles que convivem de perto com as três outras gerações que habitam o planeta devem ter maior chance de sucesso.

(*) Cecília Andreucci é conselheira de administração, mercadologista e doutora em comunicação.

Consumidor conectado, exigente e ansioso

– Você conhece Dorotéia?

Eu não a conhecia. Mas nesses tempos em que o mundo necessita de pureza, compartilho a história dessa santa que a Igreja hoje celebra: Santa Dorotéia!

Extraído de CançãoNova.com:

SANTA DOROTÉIA

Escolheu viver sua juventude na castidade perfeita (virgindade consagrada), em jejum e com muita oração

Nascida em Cesareia da Capadócia no Século III, Santa Doroteia teve seus pais martirizados. Em sua liberdade e formação herdada principalmente dos pais, Doroteia escolheu viver sua juventude na castidade perfeita (virgindade consagrada), em jejum e com muita oração, atraindo desta maneira a afeição daqueles que eram testemunhas de sua humildade, doçura e prudência.

Doroteia foi uma das primeiras vítimas do governador Fabrício, que recebeu ordens imperiais para exterminar a religião cristã. Após um interrogatório, que não a fez renunciar a Jesus, ela continuava cheia de alegria, e dizia: “Tenho pressa de chegar junto de Jesus, meu Senhor, que chamou para si os meus pais”.

Teófilo, um advogado, em tom de brincadeira, disse para Doroteia que enviasse do jardim de seu esposo frutos ou rosas, e Doroteia, levando a sério, disse que se ele acreditasse em Deus ela faria o que ele havia pedido.

Aconteceu que antes dela morrer, pediu uns instantes para rezar, chamou um menino de seis anos e entregou-lhe o lenço com o qual havia enxugado o rosto a fim de que chegasse para o advogado Teófilo.

O menino entregou o lenço, justamente na hora em que Doroteia foi decapitada (no ano de 304) e Teófilo entendeu a mensagem de Cristo, e de perseguidor dos cristãos, converteu-se pelo testemunho e intercessão da santa mártir aceitando livremente morrer decapitado por causa do nome de Jesus.

Santa Doroteia, rogai por nós!

 bomba.jpg

– Jô no STJD pela agressão no Majestoso.

O lance de Jô socando Diego Costa no São Paulo 2×1 Corinthians, não visto pela arbitragem e que passou batido pelo VAR, foi denunciado ao STJD. Aliás: esta, exatamente, é a jogada em que o árbitro de vídeo deveria estar atento e não esteve – até porquê, devido às reclamações dos jogadores, era lógico que algo real ou simulado deveria ter acontecido e a cabine analisado.

Se visto pela arbitragem, era para Cartão Vermelho. E cá entre nós: a ação de Jô não foi resultante de alguma reação unfair-play, mas provavelmente pela irritação da própria atuação do corintiano, que sucumbiu à boa marcação do jovem são-paulino.

Acontece. Quantas vezes vemos jogadores perdendo o controle emocional por não conseguirem render o que podem, por culpa de inesperadas boas jornadas de quem não se imaginava (e aqui não é menosprezo ao zagueiro do SPFC, mas pela lógica, a experiência do atacante do SCCP seria mais decisiva na partidaem tese).

Em tempo: no “palpitômetro”, acho que Jô pegará 1 jogo de suspensão (que seria a automática de uma expulsão).

São Paulo x Corinthians: veja histórico do clássico no Brasileirão

– Persuasão Financeira e o Burro de Ouro do Rei Felipe

Avalie: Você se dobra ao Poder do Dinheiro?

E de um “burro carregado de ouro”?

Uma belíssima reflexão de Heródoto Barbeiro, sobre ‘Felipe, Rei da Macedônia’, compartilhada pelo Prof José Renato Santiago (extraído de: http://www.jrsantiago.com.br/barbeiro.html)

O texto remete: até onde a persuasão financeira modifica nosso comportamento?

O BURRO DE FELIPE

O rei da Macedônia, Felipe, aproveitou-se do enfraquecimento das cidades estado da Grécia, arruinadas por guerras imperialistas de dominação e iniciou um processo de conquista de toda a região. Com um bom exército, se considerava um grego, ainda que para estes, não passava de um bárbaro sem cultura. O fato é que uma a uma as cidades começaram a cair. Umas diante de um exército bem montado, outras simplesmente abriam as portas de suas muralhas para que Felipe entrasse com as suas tropas. Perguntado como conseguia essa façanha de conquistar uma cidade sem nenhum combate, Felipe respondeu que não havia cidade que resistisse a um burro carregado de ouro. O macedônio, se vivesse nos dias atuais provavelmente seria louvado com um exímio praticante da “real politik”. Ou seja acima das ideologias está a corrupção, capaz de fazer homens e mulheres traírem as suas convicções, e no caso em tela, até mesmo trair sua cidade entregando-a ao inimigo. Felipe sabia que com os bolsos cheios de ouro é possível mudar discursos, transformar inimigos em amigos e financiar falcatruas e até mesmo o assassinado dos resistentes.

Dobrar-se ao poder do dinheiro é uma fraqueza de todos os seres humanos e não de apenas alguns que estão no governo, dizem uns . Isto sempre acontece e sempre vai acontecer dirão outros. Quer no passado, quer no presente essa corrupção é paga pela população, uma vez que, parodiando Peter Drucker, não há corrupção grátis. Encher os bolsos faz com que velhos lutadores contra a plutocracia aristocrática se dobrem aos argumentos dos que querem se apropriar das terras, das riquezas ambientais do país e serem indultados pelos danos que já provocaram na natureza. É a aliança dos ex-capitães donatários, os velhos latifundiários travestidos de globalismo, com as transnacionais detentoras das tecnologias de sementes, agro tóxicos e dos preços nos mercados. As duas pontas do sistema se uniram em busca de negócios fantásticos, capazes de gerar recursos para alugar mentes e línguas e contratar as mais refinadas assessorias de burocratas incrustados no governo.

Pessoas, organizações, partidos, associações de toda ordem mudam de programa, de opinião, de convicção. Isto é próprio da evolução da sociedade humana. Alguém já disse só os imbecis não mudam. Porém há alguns princípios éticos e morais que sobrevivem às mudanças da conjuntura. Ser contra a privatização dos serviços públicos, como a telefonia, mudar de idéia, e depois privatizar os principais aeroportos do país, é aceitável, ainda que discutível. Aceitar propina para defender “special interests” é crime até mesmo nos países do centro do sistema. Na periferia é aceito como algo normal, e que não merece nenhum reparo. Tráfico de influência dá cadeia nos países de tradição democrática, no Brasil dá ministério, acesso aos restaurantes de luxo, as convenções nos resorts caríssimos, enfim, abre as portas para fazer parte do stablishment. Há portas e portas para a ascensão social sem que seja necessário sujar as mãos com negociatas ou adesão à interesses anti nacionais. O burro do Felipe está à solta, não há porta de gabinete que ele não tente entrar. Em alguns consegue.

bomba.jpg

– The Golden Hour

Um céu maravilhoso, dourado, iluminando a praça esportiva e inspirando a todos: eis o amanhecer na Pista de Atletismo do Complexo Esportivo Nicollino de Lucca (a “Pista do Bolão”), em Jundiaí/SP.

A natureza nos reserva sempre belos momentos para se registrar. Aqui, um exemplo de que a mudança de clima (a temperatura está caindo com essas nuvens chegando) ainda assim não interferem na beleza do dia.

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Oi, 4a feira.

👊🏻 Bom dia!
“Começar bem a labuta” é sinônimo de “acordar cedo e fazer acontecer”!
Sendo assim, comecemos a luta com um ótimo cooper-corujão na manhã-madrugada?
🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #training #corrida #sport #esporte #running #mizuno #adidas #asics #active
Clique 1:

🙏🏻 Correndo e Meditando:
Ó #NossaSenhoraDaCaridadeDoCobre, rogai por nós que recorremos a vós. #Amém.”
⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #MãeDeDeus #Maria #Caridade #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade
Clique 2:

🌺 Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da #natureza. Hoje, com a “#Rosa do Deserto” (que acabei de regar).
🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento
Clique 3:

🌅 Desperte, #Jundiaí, sob o #luar tão bonito.
Que a #QuartaFeira possa valer a pena!
🍃🙌🏻 #lua #moon #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia
Clique 4:

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby