– A Arena Neo Química de Itaquera: sobre a negociação do Naming Rights do Corinthians.

Para quem não viu, o Estádio do Corinthians, depois de tanto tempo, ganhou “nome de patrocinador”.

Abaixo, extraído de: https://esportes.r7.com/prisma/cosme-rimoli/fui-estuprado-andres-sauda-a-neo-quimica-arena-01092020

“Fui estuprado.” Andrés saúda a Neo Química Arena

Sem surpresa. Hypera Pharma compra naming rights do estádio corintiano. R$ 300 milhões. O grupo escolheu o nome Neo Química Arena

01/09/2020 – 00h56 (Atualizado em 01/09/2020 – 01h20)

Corinthians receberá R$ 300 milhões pelos naming rights. Promessa cumprida

Corinthians receberá R$ 300 milhões pelos naming rights. Promessa cumprida

Reprodução/TV Corinthians

São Paulo, Brasil

“Fui estuprado.”

Esta frase do presidente Andrés Sanchez, ao explicar como foi a negociação da venda dos naming rights para a Hypera Pharma, acabou sendo a única surpresa, no anúncio do novo nome do estádio corintiano.

Até a designação Neo Química Arena foi revelada três horas antes do que a empresa combinou com o clube. Deveria ser no primeiro minuto desta terça-feira, dia em que o Corinthians completa 110 anos.

Deveria.

Mas um funcionário decidiu registrar os bastidores da live do anúncio. 

E, às 21 horas, ele acabou com o mistério.

Publicando uma foto onde se via, nas arquibancadas, o nome da nova arena estampado nas arquibancadas.

O acordo que ‘estuprou’ Andrés Sanchez foi histórico.

Desde 2010, o presidente corintiano jurava que iria vender o nome do estádio. Jurava que venderia por R$ 400 milhões, por 20 anos.

O anúncio oficial foi 'furado'. Às 21 horas acabou o segredo.  Constrangedor

O anúncio oficial foi ‘furado’. Às 21 horas acabou o segredo. Constrangedor

Reprodução/Twitter

Andrés viajou à China, Emirados Árabes, fez inúmeros contatos, mas não conseguiu fechar negócio.

Enquanto isso, o apelido Itaquerão foi difundido.

Mas foi mesmo no Brasil que Andrés Sanchez acabou encontrando na Hypera Pharma, que já foi parceira do Corinthians, patrocinadora master nos uniformes de 2010 a 2012.

O motivo que Andrés revelou ter sido ‘estuprado’ foi que o dirigente teve um revés na negociação com o grupo Hypera Pharma. Ele queria de qualquer maneira fechar a transação por R$ 350 milhões. Não conseguiu.

Teve de ceder e a transação foi fechada em R$ 300 milhões.

O dirigente tomou a decisão que o dinheiro dos naming rights será usado para pagar parte do estádio. 

O clube garante que a dívida pela arena é de R$ 530 milhões.

Foi uma vitória de Andrés.

Ele está na reta final do seu terceiro mandato como presidente corintiano.

A negociação para o pagamento do estádio foi péssima.

A ligação entre Corinthians e Neo Química nasceu há dez anos

A ligação entre Corinthians e Neo Química nasceu há dez anos

Corinthians

O comprometimento da arrecadação dos jogos tinha estrangulado financeiramente o clube.

Os atrasos de salários viraram recorrentes para o time.

Assim como os processos trabalhistas.

Andrés vinha sendo duramente criticado, questionado.

Até que houve o acordo com a Hypera Pharma.

E a nova arena ganhou o batismo tardio.

R$ 300 milhões a menos de dívida pelo estádio.

É uma conquista histórica para o Corinthians.

O valor é o mesmo que a seguradora Allianz pagou ao Palmeiras pelos naming rights de sua arena.

O dirigente estava aliviado, na live de anúncio do acordo.

Demorou dez anos, mas cumpriu o que havia prometido.

Mesmo tendo sido ‘estuprado’.

A estádio do Corinthians terá um nome por 20 anos.

Neo Química arena…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.