– Os Drones que poderão fiscalizar as Rodovias. Realidade ou Fake?

É Fake News, mas poderia ser real com os avanços tecnológicos!

Bombou na Internet há dois anos o vídeo onde um drone consegue captar nas rodovias paulistas os motoristas que falam ao celular, dirigem com o braço para fora e cometem outras infrações. 

Muitos ficaram assustados. Mas, verdade ou mentira, independente o que seja, para o bom motorista nunca haverá problemas. Certo?

Assista abaixo: ​

Anúncios

– Rogério Ceni e o Cruzeiro

Pois é: falta de aviso, não foi!

Rogério Ceni fazia um ótimo trabalho no Fortaleza e aceitou ir para o Cruzeiro, com todos os problemas expostos pela mídia no campo esportivo e policial. Muitos acharam um erro; outros, um upgrade na carreira.

Hoje, o ex-goleiro e agora treinador vê os jogadores do clube se rebelando contra ele, em especial por terem fechado um grupo em defesa de Thiago Neves, que se tornou desafeto de Ceni.

Provavelmente Rogério Ceni não terminará o ano na Raposa. O que fará? Onde estará em 2020?

As especulações começarão: vai para o Exterior? Voltará ao Fortaleza? Ficará no radar do Santos FC caso Sampaoli não emplaque mais uma temporada? Pode pintar no SPFC no lugar de Cuca?

A única certeza é a incerteza do futuro…

OPS: Atualizando – Ceni acaba de ser demitido nesta tarde de 5a feira.

Resultado de imagem para Rogério ceni e o Cruzeiro

– O Câncer de Mama realmente é Genético?

A pergunta-título dessa postagem é uma perturbação muito comum. Se sim, quando e/ou em quais casos é?

Compartilho essa relevante matéria sobre o que já se sabe sobre genes e hereditariedade de alguns tipos de câncer de mama e de ovário, abaixo,

extraído de:

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2018/09/15/interna_ciencia_saude,706147/amp.html

TÉCNICA APONTA COM PRECISÃO DE PACIENTE TEM RISCO DE CÂNCER

Testes para identificação de mutações genéticas no BRCA1 estão cada vez mais comuns e acessíveis

Com o resultado em mãos, médicos podem descartar o risco de malignidade em pacientes com histórico familiar que sugerem a possibilidade de câncer de mama ou ovário. Contudo, dos milhares de variantes conhecidos desse gene, muitos ainda se encontram em um limbo diagnóstico. Não se sabe se têm ou não potencial para silenciar a função natural de reparação do DNA e, assim, evitar ou facilitar a disseminação de células tumorais.

Com a tecnologia de edição do genoma Crispr, pesquisadores da Universidade de Washington em Seattle, nos Estados Unidos, conseguiram classificar, de forma rápida e com acurácia, quase 4 mil variantes do BRCA1 em apenas seis meses. A expectativa da equipe é de, nos próximos dois anos, identificar, em todas as mutações conhecidas desse gene, o potencial maligno ou benigno e, assim, orientar pessoas que, hoje, não sabem se tomam iniciativas profiláticas, como a remoção das mamas, ou esperam o câncer se manifestar.

“Devido ao histórico familiar de câncer de mama ou ovário, é comum mulheres fazerem o teste para mutações no BRCA1, mas ter uma variante e não saber o que ela significa é muito estressante”, observa Jay Shendure, pesquisador do Departamento de Ciências Genômicas da Universidade de Washington e autor sênior de um artigo sobre a técnica, publicado na revista Nature. De acordo com ele, atualmente milhares de mutações encontram-se na categoria das variantes de significado desconhecido, quando é impossível dizer se podem ou não causar câncer.

Banco internacional

O oncologista Sergio Simon, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (Sboc), explica que, hoje, a principal ferramenta para a classificação de mutações do BRCA1 é um banco de dados internacional, o Brotman Baty, no qual, há duas décadas, médicos e laboratórios de genética inserem informações sobre aquelas encontradas em pacientes. Uma delas foi descoberta por Simon em uma família paquistanesa que vive no Brasil.

Em dois anos, foram 15 casos registrados de pacientes com a mutação maligna. Quando não se sabe se a variante pode desencadear o câncer, é preciso esperar a doença se manifestar para, então, informar à comunidade científica sobre a classificação da versão do gene.

“Com os relatos de casos, vai ficando mais claro se a mutação é patogênica. Mas esse é um processo muito demorado”, diz.

Com a tecnologia desenvolvida por um estudante de PhD do laboratório de Jay Shendure, não será preciso esperar os geneticistas inserirem mutações no banco de dados, nem a doença surgir para se saber se elas podem provocar o câncer. Dessa forma, pacientes com alterações hoje identificadas como desconhecidas já não ficarão sem orientações sobre o procedimento mais indicado. “Agora, podemos fazer interpretações com confiança. E isso apenas em um gene, mas, talvez, possamos pegar o mesmo paradigma e estendê-lo a outros genes”, afirma Shendure.

Alta acurácia 

A técnica do pesquisador Greg Finley foi batizada de edição genômica de saturação e consiste no uso da enzima Crispr, que, como uma tesoura, corta pedaços do DNA para modificar as sequências. Usando essa ferramenta, os pesquisadores fizeram diversas alterações no BRCA1, inclusive algumas ainda não identificadas em humanos, e mediram os efeitos de cada uma delas em células humanas cultivadas em laboratório. Os cientistas ficaram surpresos com o grau de acurácia do método, que identificou corretamente mutações sabidamente malignas e benignas.

Uma das vantagens destacadas por Finley é poder fazer a avaliação de um grande número de variantes em um curto espaço de tempo. “Para testar quase 4 mil mutações, levamos cerca de seis meses. Acreditamos que, em dois anos, conseguiremos classificar todas as mutações do gene BRCA1”, diz Finley. “Nossa esperança é de que o banco de dados Brotman Baty continue a crescer e se torne um ponto central para guiar a interpretação das variantes.” O presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica destaca que esse prazo é um avanço muito grande em relação ao que se tem hoje. “Essa técnica vai clarificar cada vez mais os testes genéticos, esclarecendo resultados que, agora, ainda são um ponto de interrogação”, avalia Sergio Simon.

Resultado de imagem para Mutações genéticas

– Xingar em Inglês não pode também! Sobre Flamengo 3×1 Internacional

Há tempos meu amigo Luiz Flávio de Oliveira está meio que “de lado” nas escalas importantes. Imagino inclusive que não sustentará o escudo FIFA em 2020. Sei que existem muitas reclamações da arbitragem dele na partida entre o Mengão e o Colorado na noite dessa 4a feira.

Não assisti ao jogo e nem conseguirei ver os melhores momentos, mas li que alguns o criticaram por expulsar Paolo Guerrero por ofensas. O peruano, segundo a súmula, o ofendeu com “Fuck You”!

Se não dá Cartão Vermelho por isso, aí perde a moral… e cá entre nós: não precisa nem saber o “ingrêis” básico para entender o que isso significa. Nesse lance, acertou.

Resultado de imagem para Flamengo Internacional

– Dia de São Cosme e Damião

Hoje, 26 de setembro, é dia de festa para a Comunidade Católica: comemora-se os santos irmãos gêmeos Cosme e Damião, considerados por muitos protetores das crianças.

Porém, como o Brasil é um país de imenso sincretismo religioso, algumas crenças africanas lembram desses dois santos como divindades de sua fé, celebrando no dia 27, amanhã.

Compartilho a história de vida e santidade deles, extraída do site da Comunidade Canção Nova:

SÃO COSME E SÃO DAMIÃO

Eram irmãos gêmeos, médicos de profissão e santos na vocação da vida. Viveram no Oriente e, desde jovens, eram habilidosos. Com a conversão passaram a ser também missionários, ou seja, aproveitando a ciência com a confiança no poder da #oração levavam a muitos a saúde do corpo e da alma. Viveram na Ásia Menor, até que diante da perseguição de Diocleciano, no ano 300 da era cristã, foram presos pois eram considerados inimigos dos deuses e acusados de usar feitiçarias e meios diabólicos para disfarçar as curas. Tendo em vista esta acusação, a resposta deles era sempre:

“-Nós curamos as doenças, em nome de Jesus Cristo e pelo seu poder!”

Diante da insistência, quanto à adoração aos deuses, responderam:

“-Teus deuses não têm poder algum, nós adoramos o Criador do Céu e da terra!”

Jamais abandonaram a fé e foram decapitados em 303. São considerados os padroeiros dos farmacêuticos, médicos e das faculdades de medicina.

– São Cosme e São Damião, rogai por nós!

CURIOSIDADE: Cosme e Damião foram degolados na Síria a mando do imperador Deocleciano, que queria impor a sua religião a esses cristãos. EXATAMENTE a mesma coisa que os terroristas do ISIS (Estado Islâmico) fazem hoje – e na mesma região!

bomba.jpg

– Uma boa recordação para esta 5a feira!

Como em toda a 5a feira se faz postagens saudositas (chamadas de #tbt), a publicação de hoje é de um dia muito bom: a minha filhota Marina Porcari e o “Poço dos Desejos”!

Qual seria o seu pedido ideal a ser feito, caso encontrasse um?

O meu é o mesmo de sempre: SAÚDE e PAZ!

Ótimo dia a todos.

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby