– Rasgando dinheiro no RJ?

Curto e grosso: o Governador Witzel vai aterrar a obra da Estação Gávea do Metrô. Já foram milhões investidos e necessitariam-se outros tantos.

Não é mais fácil arranjar parceiros para terminar a obra e assim atender os anseios da população, do que enterrar esse dinheiro já gasto e o carioca ficar sem o transporte coletivo de qualidade?

Pobre Brasil e seus políticos…

Obra da estação de metrô da Gávea, na zona sul do Rio de Janeiro. Foto: Ricardo Borges/Folhapress

Anúncios

– O Jovem Cidadão no Mercado de Trabalho e sua Inserção na Corporação

É sabido que as dificuldades sociais são grandes empecilhos à formação do jovem em nosso país. A baixa escolaridade, as muitas influências de exemplos negativos refletidos em mídias sociais e a falta de oportunidade de emprego podem explicar o surgimento de uma geração chamada de “nem-nem” (derivado de um termo utilizado na Europa que denomina aqueles que nem estudam / nem trabalham).

Como inserir esse jovem na sociedade? Que preparo terão no mundo das empresas e no relacionamento social diário?

Para tanto, extinguir a evasão escolar e fomentar programas de oportunidade para o primeiro emprego (como jovens aprendizes), se tornam ações fundamentais para essa geração.

Porém, quando falamos de FORMAÇÃO, não se pode fazer referência apenas para a inserção profissional, mas também à social. Isso significa que, além dos treinamentos corporativos, deve-se ter a preocupação com os valores morais, éticos, inclusivos e que promovam o bem comum.

Acima de jovens que deixem a ociosidade, está a preocupação de que isso os tornem profissionais e cidadãos, prontos para incentivar a formação de novos talentos e que sirvam de exemplo àqueles que não trabalham e nem estudam. Para tanto, carece-se de políticas públicas, boa vontade das empresas engajadas em responsabilidade social e o fortalecimento de ONGs capazes de tal promoção.

bomba.jpg

– Quem disse que a arbitragem de futebol deve ser um sacerdócio?

Ainda jovem, ouvi falar que “a arbitragem de futebol deve ser um sacerdócio”, pois você abre mão dos seus finais de semana livres, da sua família e de vários prazeres da vida.

Tem lógica. Mas tem diferença: não se serve a Deus, mas a Ricardos Teixeiras, Marcos Polos, Marins e, agora, Caboclos. O representante de Deus na Terra, nessa analogia, ao invés de ser o Papa, chefe da Igreja, serão os presidentes das Comissões de Arbitragens (compare com o chefe do seu Estado). Seus auxiliares, os bispos (quem os orienta?).

Arbitragem, na verdade, não é um sacerdócio, mas sim um casamento que muitas vezes não dá certo e tem prazo de validade.

Desejar entrar numa escola de árbitro, quando jovem, é como uma paquera. Você se apaixona, namora (é um tempo de conhecimento quando você faz o curso, que custa caro mas dá prazer), aí você fica noivo e casa. Casar é se formar! E no começo, seduzido e encantado, cada jogo escalado é como a noite das relações carnais mais íntimas! Você entra cheio de desejo, vontade, ânimo (para não usar uma palavra mais vulgar: tesão).

Mas com o passar do tempo, seu casamento começa a trazer dúvidas, pois o encanto balança por coisas que você duvida, ouve falar, mas nunca viu. Seria a amada uma infiel? Não seria a princesa encantada do namorico, mas sim uma falsa donzela, parecendo uma bela garota com alma de diabo?

Aí vem as saídas inadequadas. Os desvios comportamentais. Os relaxamentos e as mesmices. E você começa a olhar com uma visão mais crítica e desconfiada da até então amada amante.

Amante? Essa palavra é um perigo no meio da arbitragem…

Surgem as “convicções duvidosas” (a ironia, aqui, é explícita). Você conquistou a noiva com sua beleza e virtudes e se mantém pelos seus méritos, ou ela dá preferência a outras qualidades, ou melhor, fraquezas que você não percebe?

Quando você realmente se dá conta que se enganou, percebe que foi ludibriado pela beleza estonteante e pelo desafio pessoal provocado pela libido. Tanto que lhe cegou os defeitos da amada (que já existiam, mas você fazia vista grossa).

Até que… descobre a traição! O sujeito de bem se convence que o divórcio é necessário pela honestidade e honra a ser preservada. O picareta, se oferece à amada pela paixão e aceita o relacionamento aberto, swings e outras coisas pós-modernas. E depois que você larga tudo isso, vê que ao seu redor há inúmeros outros elementos querendo assumir a ex-esposa, não importando se ao longo do casamento terá infidelidade – pois estes aceitam o preço dela e se dão satisfeitos pelos voos mais altos do bel-prazer. Em alguns casos, traem juntos! Suruba, sem-vergonhice, imoralidade…

Claro, a historinha acima é uma analogia do sacerdócio e do casamento, ou, se preferir, do que se prega e do que se pratica. Sacerdotes de bem servirão a Deus em busca da santidade, nunca sendo chefiados por Bezerros de Ouro como um dia os hebreus fizeram ao cair em tentação na fuga do Egito. Casais de bem manterão a fidelidade e gerarão filhos bem educados, respeitando-se mutuamente e evitando lugares e ocasiões para cair na perdição.

Enfim: em todas as atividades da vida existem os bons e ruins. Todos são honestos, até que se prove o contrário. E gosto de parafrasear o icônico jornalista ítalo-brasileiro Cláudio Carsughi, que um dia disse e me marcou:

Se Deus, na sua infinita realeza e bondade, não poupou da permissão da tentação da corrupção nem a sua própria Igreja, por quê blindaria o futebol? Mais ainda: uma categoria específica, a dos árbitros de futebol!

Às vésperas de novas turmas de arbitragem em avaliação / testes nas diversas CEAFs, fica o lembrete: nunca adorem homens, cartolas do futebol ou se façam reféns de uma atividade. Amem a arbitragem, mas não digam Amém a tudo! Lembre-se que encontrarão os bons e os ruins; se aproximem dos que têm virtudes, para que não sejam peças de um jogo de xadrez.

A arbitragem não é para ingênuos. Vida longa aos que estão na atividade honrando-a.

bomba.jpg

– O Salário Ideal! Quanto dinheiro você precisa receber para ser feliz?

Segundo a Revista Superinteressante, ed/Julho 2019, realizou-se uma pesquisa global pelo Gallup World Poll (164 países com 1,7 milhão de pessoas), onde era perguntado: quanto dinheiro alguém precisa para ser feliz?

A resposta, na média, foi: 5 mil dólares / mês (ou, de preferir, US$ 60,000.00 / ano).

Alguns números interessantes: para a América Latina, bastam US$ 35,000.00 / ano. Na Austrália, a maior exigência: US$ 125 mil.

E para você, qual seria um salário ideal?

Resultado de imagem para Salário ideal

– Bodas de Rosas!

Hoje, eu e minha querida Andréia completamos 17 anos de casamento (bodas de rosas)!

Que Deus nos conserve outros 17, e mais 17, depois outros 17… 

Te amo para sempre! Obrigado pelo carinho, respeito, cumplicidade e amor. E pelas filhas maravilhosas que brotaram desse relacionamento que se tornou uma só carne com as bençãos de Deus!

IMG_0428

– Uma 6a bem colorida, apesar do tempo sisudo!

Bom dia, amigos. Quem cedo madruga, Deus ajuda. Vamos correr a fim de ter melhor qualidade de vida?
Hoje um pouco mais frio, porém suportável.
Fui! (Clique 1):

🏃‍♂️ #running #sports #corujão #saúde #corrida #asics

Imagem

Correndo e Meditando, pedindo as bênçãos da Mãezinha do Céu.
Ó Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós. Amém”. (Clique 2):

🙏🏻 #fé #faith #religião #catolicismo #NossaSenhora #Aparecida #paz

Imagem

No final do treino, alongando com as roseiras ainda molhadas pela chuva. Afinal, só daqui a pouco teremos o clarão e, talvez, o calor da manhã! (Clique 3):

🌷 #flores #flowers #natureza #roseira #rosa #pétalas #alongamento

Imagem

Apesar de sisudo, o céu ainda permite um pouco de luz.
Há de ser uma ótima jornada para todos nós! (Clique 4:)

📸 #morning #paisagem #landscapes #fotografia #amanhecer

Imagem

Ótima Sexta-Feira para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby