– O segredo das Lojas CEM para não vender na Internet e ganhar dinheiro com isso!

Quem é do Interior de São Paulo, sabe do respeito que as Lojas Cem recebem dos seus clientes. E na posição número 3 na venda de eletrodomésticos do país, resiste surpreendentemente em não vender pela Web.

A pergunta é: Por quê?

Abaixo, em: http://revistapegn.globo.com/Administracao-de-empresas/noticia/2018/12/saiba-razao-para-rede-lojas-cem-nao-vender-nada-na-internet-e-mesmo-assim-faturar-bilhoes.html

A RAZÃO PARA LOJAS CEM NÃO VENDER A PRAZO (E MESMO ASSIM FATURAR BILHÕES)

Terceira maior varejista de eletrodomésticos e móveis do País, com vendas anuais de R$ 5,3 bilhões, a Lojas Cem não vende nada pela internet

Terceira maior varejista de eletrodomésticos e móveis do País, com vendas anuais de R$ 5,3 bilhões, a Lojas Cem não vende nada pela internet. E, no que depender de seus donos, a empresa vai continuar ‘offline’ – ao contrário das concorrentes Via Varejo e Magazine Luiza que têm aumentado a aposta no e-commerce para ampliar o faturamento de R$ 25,6 bilhões e R$ 11,7 bilhões no ano passado.

Não é de hoje que a varejista, que começou em 1952 como uma oficina de conserto de bicicletas, em Salto, no interior do Estado de São Paulo, rema contra a maré. Vinte anos atrás, quando concorrentes venderam as carteiras de créditos para os bancos com a intenção de ganhar fôlego financeiro, a varejista contrariou o mercado. Até hoje, banca a venda a prazo com os próprios recursos.

“Sempre nos questionam por que não vendemos pela internet”, conta o sócio-diretor Natale Dalla Vecchia, de 82 anos, filho do fundador. Ele começa a costurar seu argumento dizendo que os concorrentes falam como se o comércio online respondesse por 80% das vendas de móveis e eletrodomésticos. “Na verdade, representa 2,7% desse mercado. É pouquíssimo”, acrescenta o irmão mais novo, Cícero Dalla Vecchia, sócio-diretor, que responde pelas áreas fiscal e financeira.

Além da pequena representatividade das vendas online no setor, Cícero aponta dois outros obstáculos que desestimulam a empresa a investir na internet. Um deles é a tributação diferente para cada Estado. “Quem vende nacionalmente pela internet tem de acompanhar a legislação de todos os Estados”, diz ele. Hoje com 266 lojas espalhadas entre São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná, a rede tem 70 funcionários só para cuidar de questões tributárias. Esse já é um dos maiores departamentos da companhia.

Outra barreira à internet é a logística. A empresa só tem lojas num raio de até 600 quilômetros do centro de distribuição de 120 mil m², em Salto. A partir de 2019, a família iniciará um plano de expansão para dobrar o tamanho do centro de distribuição.

Freguesia. Mas a principal razão para a varejista não ingressar na internet é o perfil da sua freguesia. “O consumidor da internet é classe A, mais exigente, chorão, pechincheiro”, diz Natale. Já o público predominante das Lojas Cem é de classe B e C, que frequenta lojas de rua, gosta de tocar e ver a mercadoria e conversar com vendedor. Aliás, todas as lojas da rede são de rua e só três ocupam prédios alugados. “Acreditamos na loja de rua e em prédios próprios”, diz Natale.

Quem dita as regras na empresa é a família Dalla Vecchia, que não quer negociar ações na Bolsa de valores, com uma abertura de capital. São três irmãos, filhos do fundador Remígio Dalla Vecchia, e um cunhado que tocam a empresa, de 11.300 funcionários, quase todos formados na companhia.

“Não temos CEO (Chief Executive Officer, na sigla em inglês, a pessoa de maior autoridade na empresa)”, afirma Natale. Ele conta que as decisões são tomadas pelo colegiado de sócios e que raras vezes há divergências. Alguns princípios são inegociáveis: “Compramos as mercadorias em prazo curto, não mandamos a carteira de crédito para financeiras, não distribuímos lucro, não abrimos lojas em shoppings”, lembra Natale.

Há dois anos, a pedido dos fornecedores, que queriam entender como a empresa atua, os sócios responderam às principais perguntas e colocaram no papel. “Os fornecedores mostraram o documento a concorrentes, que leram até o terceiro parágrafo e disseram que assim não dá para trabalhar”, conta. “E nós trabalhamos desse jeito. Somos conservadores, fazemos tudo diferente e somos a empresa que mais dá certo.”

‘Não há só uma receita de sucesso’, diz consultor.

A gestão à moda antiga da Lojas Cem, que contraria o movimento dos concorrentes, divide os especialistas em varejo. “Não tem só uma receita de sucesso”, afirma Eugênio Foganholo, consultor da Mixxer Desenvolvimento Empresarial. Na sua opinião, a rede tem disciplina estratégica “extraordinária” num segmento no qual as margens são apertadas e o sucesso de uma empresa se dá pelo insucesso de outra. “Eles têm a riqueza de dizer não e escolher com clareza o caminho.”

Já Claudio Felisoni de Angelo, presidente do Ibevar, considera uma “loucura” a Lojas Cem não ir para a internet. Ele compara a decisão da companhia a uma corrida. “Trabalhar apenas com lojas físicas hoje é como se a empresa corresse com uma perna só, enquanto a concorrência corre com as duas: lojas físicas e comércio online.” O presidente da SBVC, Eduardo Terra, reconhece a decisão e a solidez da companhia. Mas pondera que o mercado está mudando rapidamente e que a decisão de onde comprar está nas mãos do consumidor. “Quem não estiver em todos os canais perde venda.”

Resultado de imagem para lojas cem

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista x Independente

Para o confronto entre os Galos de Jundiaí e Limeira, a equipe de arbitragem está composta por:

Árbitro: Danilo da Silva
Árbitro Assistente 1: Leandro Matos Feitosa
Árbitro Assistente 2: Paulo de Souza Amaral
Quarto Árbitro: Daniel Carlos Luciano Fernandes

Danilo foi muito bem no jogo entre Tupã x Paulista, rodadas atrás, mostrando estar preparado tecnica e disciplinarmente. Já apitou a série A2 e tem desempenhado um bom rendimento nesta temporada.

Na partida citada, houve a expulsão correta do goleiro Matheus – mas que era um lance curioso e o juizão soube conhecer os detalhes da regra. Explico-o aqui: https://professorrafaelporcari.com/2019/08/03/surpreenda-se-a-expulsao-do-goleiro-do-paulista-no-jogo-do-tupa-foi-justa-e-se-fosse-dentro-da-area/

Acompanhe a transmissão de Paulista x Independente pela Rádio Difusora Jundiaiense AM 810, com o comando de Adilson Freddo. Narração de Rafael Mainini, comentários de Rafael Porcari e reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Sábado, às 16h00 – mas a jornada esportiva começa a partir das 15h00 para você ter a melhor informação com o Time Forte do Esporte!

bomba.jpg

– E as Eleições do SAFESP?

O seu Euclydes Zamperetti Fiori, ex-árbitro de futebol e que mantém a coluna “Futebol: Política, Arbitragem e Verdade” (publicada semanalmente no Blog do Paulinho), trouxe uma informação importante sobre as Eleições do Sindicato dos Árbitros: a possível entrada da FPF para resolver a cizânia entre situação e oposição!

Como um dos fundadores do Sindicato dos Árbitros, no tempo em que a entidade era mais organizada, imagino a tristeza do seu Euclydes em perceber que, se confirmando a interferência da Federação Paulista, poderemos ter uma entidade chapa branca pseudo-oficializada.

Mais do que isso: depois de toda a pendenga entre os candidatos Arthur e Aurélio, se ambos derem as mãos a pedido de Reinaldo Bastos, a coisa ficará estranha demais…

Aguardemos! Abaixo, extraído de: https://blogdopaulinho.com.br/2019/09/04/coluna-do-fiori-edicao-extraordinaria-fpf-pode-intermediar-fusao-de-desafetos-no-safesp/

PIZZA DE LAMA NO SAFESP

Nos próximos dias, a FPF, através do presidente Reinaldo Carneiro Bastos, intermediará reunião entre os que disputam a presidência do SAFESP.

A informação foi repassada por fonte da Federação a este colunista e também ao jornalista Paulinho.

Nela, existe a previsão de que os desafetos, Arthur Alves Junior e Aurélio Sant’Anna Martins, o primeiro, atual presidente, o outro, suposto ‘opositor’, se acertem.

Na prática, Aurélio retiraria a candidatura e aceitaria se compor na chapa da situação, carregando consigo a vice Regildenia, apesar dela, em passado recente, ter acusado o atual mandatário do Sindicato de assédio.

O acordão antecipa-se à decisão judicial, em vias de ser proferida, que, em caráter liminar, suspendeu as eleições do órgão, e agora julgaria o mérito.

Ambas as chapas, por razões distintas, estariam irregulares.

Num quadro em que a oposição também é situação, e vice-versa, quem sofre são os árbitros, vítimas de uma entidade que seguirá adiante, sem o devido contraponto, muito menos fiscalização.

– A Morte do filho do Cafu. #ForçaCAFU!

Que notícia triste, que nenhum pai ousa imaginar: PERDER UM FILHO! Dizem que a dor de ver o falecimento de um rebento é a maior do que qualquer outras dores, pois, afinal, não é o caminho natural das coisas.

O futebol deu tudo a Cafu (que foi reprovado por diversas peneiras até conseguir se projetar). Batalhou, venceu, ganhou títulos e dinheiro. Projetou ONGs, tentou ajudar comunidades carentes e, nos últimos tempos, começou a ser traído pelas contas (https://wp.me/p4RTuC-nxE), algo que se tornou público.

O mesmo futebol lhe tirou nesta 4a feira algo preciosíssimo: DANILO, seu filho de 29 anos, que sofreu um infarto jogando bola em casa.

Que Deus possa confortar a todos!

Na foto, Danilo (de branco), com os irmãos e Cafu, comemorando o dia dos pais (Instagram).

– Orquídeas desabrochando!

Orquídeas muito bonitas embelezando o nosso jardim. Como elas são inspiradoras!

Viva a estação das flores que se aproxima! Xô, inverno e que venha a primavera.

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby