– Homens com Depressão Pós-Parto? Sim, existem!

Uma pesquisa da Universidade de Auckland mostra: muitos homens sofrem de depressão pós-parto e podem transmitir isso para as suas crianças.

Vale a leitura,

Extraído: http://doutorjairo.blogosfera.uol.com.br/2017/02/15/certos-homens-tambem-sofrem-de-depressao-pre-natal-ou-pos-parto/

CERTOS HOMENS TAMBÉM SOFREM DE DEPRESSÃO PRÉ-NATAL OU PÓS-PARTO

Homens estressados ou com a saúde debilitada podem ficar deprimidos quando as parceiras ficam grávidas, e os sintomas também podem surgir depois do nascimento do filho. É o que mostra um estudo feito na Nova Zelândia, e publicado no periódico Jama Psychiatry.

Hoje, sabe-se que alguns homens também podem ser vítimas da depressão pré-natal ou pós-parto, condições já bem estudadas nas mulheres. O objetivo do trabalho atual foi identificar os principais fatores de risco para a depressão paterna.

Pesquisadores da Universidade de Auckland analisaram os sintomas de 3.523 homens na faixa dos 33 anos, que foram entrevistados quando suas parceiras estavam no terceiro trimestre de gravidez e nove meses após a chegada do filho.

Os resultados mostraram que 2,3% dos participantes, ou seja, 82 homens, apresentaram sintomas fortes de depressão durante a gravidez das parceiras, e 4,3% (153) relataram os sintomas depois do nascimento da criança.

Os pesquisadores notaram que o problema foi mais frequente nos homens mais estressados e com saúde mais frágil, de um modo geral. No caso da depressão após o nascimento, os sintomas também foram mais presentes nos pais que estavam desempregados, separados da mãe da criança e que já tinham histórico do transtorno.

Os autores observam que o pai exerce uma influência vital para o desenvolvimento da criança, por isso a depressão também pode ter efeitos diretos ou indiretos nos filhos. Reconhecer os sintomas e buscar ajuda o quanto antes pode evitar que isso aconteça.

bomba.jpg

Anúncios

– Os gastos do Vice-Presidente da República que não mais existe!

Nos últimos 3 meses, segundo a Folha de São Paulo (por Daniel Carvalho e Gustavo Uribe, 30/04), o Gabinete da Vice-Presidência da República (que está vago, já que o vice que foi eleito, Michel Temer, está exercendo a presidência), gastou R$ 361.800,00 para sua manutenção, nos últimos 3 meses.

Detalhe: há apenas 1 funcionário…

Durma-se com um barulho desses!

bomba.jpg

– A injustiça ao negro Muntari

Passou “batido” por mim: a insensibilidade do árbitro italiano Minelli, em 30 de abril, na partida entre Pescara e Crotoni, quando o ganês Sulley Muntari (do Pescara), jogador de cor negra, reclamou que estava escutando ofensas racistas da torcida adversária. Questionando o juizão se ele não iria parar o jogo, recebeu a sugestão de que “deveria deixar para lá e não dar importância”. Insistindo, o jogador acabou levando Cartão Amarelo por reclamação.

Revoltado, resolveu abandonar o gramado e, por tal gesto, recebeu o 2o cartão amarelo e consequentemente o Vermelho.

Absurdo total! Disse o atleta:

“Ficaram gritando ofensas para mim desde o começo. No início, vi crianças em um pequeno grupo e fui até os pais para entregar minha camisa e dar o exemplo. Mas os gritos racistas continuaram com outro grupo em outra parte do estádio. Fui falar com eles, mas o árbitro me disse que eu tinha que deixar para lá. Foi então que eu me irritei. Por que ao invés de parar a partida eu é que tinha que deixar? Os torcedores são responsáveis, mas o árbitro deveria ter feito outra coisa. Tenho certeza que se parassem os jogos, esse tipo de coisa não voltaria a acontecer”.

Tudo isso é lamentável. Só existe uma raça: a humana!

bomba.jpg

– A Cracolândia em Guerra e os Bandidos sendo protegidos

É “a mortadela fatiando a máquina”, ou se preferir, a “banana comendo o macaco”.

Leio que a PM e a GCM precisaram agir dentro da Cracolândia, devido a tumultos. O local, dominado por traficantes (que são donos literalmente dos espaços) e viciados (que não podem sair de lá pois são reféns), virou cenário de guerra.

O curioso é que alguns grupos CONDENARAM a ação da Polícia Militar. Os traficantes não permitem que as famílias retirem os seus entes do vício; o comércio de drogas ao céu aberto predomina; um mundo a parte lá existe (ou melhor, um inferno).

E pensar que existe aqueles que querem saber como funcionam as drogas… Tonto é aquele que aceita “uma provadinha”, ou ainda aquele que diz: “vou experimentar e não fará mal, pois sou forte”.

Extraído de: http://noticias.r7.com/sao-paulo/coletivos-publicam-carta-contra-repressao-policial-na-cracolandia-11052017

COLETIVOS PUBLICAM CARTA CONTRA REPRESSÃO POLICIAL NA CRACOLÂNDIA

Ação da PM e da GCM na quarta deixou quatro pessoas feridas a bala

Ao menos 28 grupos publicaram na noite desta quarta-feira (10) uma carta de repúdio contra as ações violentas da Polícia Militar e da Guarda Civil Metropolitana na região conhecida como Cracolândia, no bairro da Luz, centro de São Paulo.

O documento foi divulgado horas após agentes públicos de segurança entrarem em confronto com os usuários de drogas que moram na região. Aos menos quatro pessoas ficaram feridas por disparos dos policiais.

Segundo a PM, a confusão começou após homens da GCM perseguirem e prenderem um suspeito de roubo na Alameda Dino Bueno. A GCM então pediu apoio da PM para conter a confusão, após os agentes entrarem no chamado “fluxo”, o trecho da Dino Bueno, entre a Rua Helvétia e o Largo Coração de Jesus, que é totalmente ocupado pelos usuários. A polícia acabou interditando vias da região, como a Avenida Rio Branco no sentido da Marginal do Tietê. O controle de pessoas e veículos se manteve até a noite de ontem.

De acordo com a carta, “foi mais um ataque a populações desprotegidas que estão nas periferias e pontos de interesse do mercado imobiliário. O projeto é apenas eliminar os grupos que demonstram a falência das políticas públicas. A guerra às drogas é novamente a justificativa para o extermínio e o encarceramento dos pobres e negros”.

O R7 apurou que, desde o início da gestão João Dória, usuários de crack e grupos que prestam assistência aos dependentes químicos — inclusive funcionários dos programas Recomeço, do governo do Estado, e do De Braços Abertos, da prefeitura — temem uma megaoperação de limpeza da população que vive naquelas ruas. Isso prejudicaria o trabalho de redução de danos que vem sendo realizado na Cracolândia nos últimos anos.

O clima de incerteza se instalou desde que o prefeito João Doria anunciou, durante a campanha eleitoral do ano passado, o fim do De Braços Abertos, o que não aconteceu até agora. Pelo programa, o dependente químico recebe moradia e remuneração em troca de serviços como varrição de ruas e plantio. O usuário é incentivado a reduzir o consumo de drogas, por meio de acompanhamento multidisciplinar, mas a internação não é exigida.

Em janeiro, a prefeitura declarou que o novo programa de combate ao crack, chamado “Redenção”, vai exigir exames antidoping frequentes dos usuários como contrapartida para receberem a moradia. Quem não aceitar correrá o risco de perder o auxílio.

Em fevereiro, Doria afirmou que o Redenção vai “retirar” os dependentes da rua. A remoção seria feita de forma “humanitária”, segundo o prefeito, que não detalhou a ação. Até hoje o programa ainda não foi explicado para a população, sendo adiado mais de uma vez. A expectativa é que seja iniciado no segundo semestre. A técnica de internação forçada já foi aplicada na Cracolândia, sem sucesso.

bomba.jpg

– Olá, sabadão!

Rapidinho pois o tempo urge: compartilhando uma rotina energizante para o corpo, alma e mente!

Levantando e correndo na madrugadaclique 1:

bomba.jpg

Correndo e rezando em Jesus Misericordiosoclique 2:

bomba.jpg

Alongando e admirando a beleza das floresclique 3:

bomba.jpg

Indo trabalhar na contemplação do nascenteclique 4:

bomba.jpg

Ótimo sábadode trabalho ou de descanso – à todos os amigos!