– Vamos montar o quebra-cabeça?

A alegria de montar o quebra-cabeça!

Com muita ajuda do papai, é claro. Mas vale a atividade lúdica. E só entre nós: esse é para 8 anos…

Os da idade dela, ela já sabe montar tranquilamente, mas quanto mais forçar o aprendizado, melhor para o desenvolvimento (e diversão também).

Imagem

– Marcelo Queiroga, o novo Ministro da Saúde.

Na parte da manhã, comentamos sobre a provável não-aceitação da Dra Ludmila Hajjar como Ministra da Saúde (vide aqui: https://professorrafaelporcari.com/2021/03/15/ludhmila-a-ex-nova-ministra-da-saude/). À tarde, Pazzuello garantiu que era o Ministro e não estava demissionário. Agora a noite, o Dr Marcelo Queiroga, cardiologista, foi anunciado como o titular da pasta.

O Brasil não é para amadores, não? Mais do que isso, vamos torcer para que ele dê certo, afinal, estamos entrando no pior período da pandemia.

Cotado para Saúde, cardiologista se reúne com Bolsonaro no Planalto

– Que nuvem é essa?

A natureza nos presenteia com suas formas inusitadas!

Que imagem lhe vem à cabeça quando você vê essa nuvem branca ☁️ ?

A cinza parece um disco voador…🥏 🛸

(Clicada há pouco, 16h, da janela aqui de casa).

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#clouds #BragançaPaulista #nature #paisagem #landscape

– Ignorância, Orgulho ou Intolerância: o que é pior para o enfrentamento da expansão do Coronavírus no Brasil?

PRECONCEITO vem de PRÉ – CONCEITO, ou seja, conceituar algo anteriormente. 

Se você acha que o Coronavírus, meses atrás, era uma bobagem, você tinha preliminarmente um conceito. O pré-conceito de que não era perigoso.

Porém, depois de tudo o que aconteceu (mortes e contágio pandêmico), aquele pré-conceito deixou de ser verdadeiro. Se você o mantém como correto, tornou-se um preconceituoso (aceitou o pré-conceito e não mais o mudou).

Em nosso país, há uma divergência grande entre governadores estaduais e presidente da República em gerir a crise pandêmica, e isso influência a vida do brasileiro.

Assim, independente se os políticos estão preparados para o combate efetivo, se auto-avalie:

  • Se você discordar de alguma ideia, respeitando a diferença do próximo, é algo democrático (e isso é bom!) Mas…
  • Se você discordar de alguma ideia, e querer prevalecer unicamente a sua, é intolerância.
  • Se você discordar de alguma ideia por desconhecimento e mantê-la, é ignorância.
  • Se você discordar de alguma ideia por birra, aí é orgulho.

Enfim: qual o grande empecilho para o Brasil frente o Covid-19?

 

– Descanse em Paz, Gilmar Fubá!

Puxa vida, morreu o folclórico jogador de futebol Gilmar Fubá, que tanto tempo jogou no Corinthians.

Me lembro muito bem dele, um sujeito bem simples e carismático. Ele tinha a minha idade, e a última vez que apitei ele foi pela antiga série B1A, no jogo entre Ranchariense x Red Bull Brasil (onde era a estrela do time naquela época).

Tinha 45 anos e faleceu por conta de um câncer de medula óssea.

– A importância da participação em Conselhos de Direitos

Recebi e compartilho: sobre a necessidade de, enquanto cidadãos, nos organizarmos e participarmos nas pastorais e conselhos pertinentes às nossas realidades, fazendo isso com capacitação e propriedade.

Abaixo:

A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO EM CONSELHOS DE DIREITO

Por Reinaldo Oliveira

A Constituição Federal de 1988 possibilitou a criação dos Conselhos de Direitos, através do afirmado no parágrafo 1º …”todo o poder emana do povo”, e também através dos parágrafos 194, 196, 204, 206 e 227. Os Conselhos de Direitos têm por objetivo facilitar, para os conselheiros e conselheiras a compreensão do papel das políticas públicas, despertando a consciência e participação do cidadão na construção destas ações. Eles existem em âmbito nacional, estadual, regional e municipal, compostos por voluntários vindos de movimentos sociais, pastorais sociais, sindicatos, associações de classes e outros, cujas participações demandam questões voltadas aos mais frágeis e vulneráveis.

E esta participação se torna bastante importante, tendo em vista que nos últimos tempos vem sendo de crise, dos modelos econômico e democrático, com uma conjuntura, sujeita a mudanças, que tem provocado graves perdas nos direitos sociais, causando extrema desigualdade e pobreza. Por este e outros motivos os voluntários nos Conselhos de Direitos têm relevante participação reivindicando, debatendo, defendendo e sugerindo a manutenção das políticas, bem como articulando outras que venham em prol dos mais frágeis e vulneráveis.

Neste sentido em 2019 a Igreja Católica, sempre atuante com trabalho continuo na área social, através de seus movimentos e pastorais, lançou como contribuição e reflexão a Campanha da Fraternidade com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas”, onde através de três ações: Ver, julgar e Agir, trouxe visibilidade, debate e proposições sobre este importante assunto. Ainda na visibilidade do tema e ação efetiva, setores da Igreja que promovem formação/educação realizaram e continuam realizando cursos voltados aos agentes de pastorais, líderes comunitários e outros.

Em 2020, o CEFEP – Centro Nacional de Fé e Política “Dom Helder Câmara”, promoveu de agosto a novembro o curso “Formação em Políticas Públicas para Conselheiros Municipais”, com a participação de mais de uma centena de participantes de várias regiões do país. A Arquidiocese de Porto Alegre em parceria com a Caritas Diocesana, realizou de novembro de 2020 a fevereiro de 2021 o curso “Formação Cidadã em Políticas Públicas para Conselheiros Municipais” também com a participação de mais de uma centena de participantes.

Durante todo o ano de 2020 o Núcleo de Fé, Política e Cidadania “Dom Amaury Castanho”, de Jundiaí/SP ministrou vários cursos com conteúdo voltados para agentes que atuam na vida pública. E continua oferecendo estes cursos, de forma online e gratuitos, também em 2021. A REC – Rede de Escolas da Cidadania, de São Paulo, que tem mais de uma dezena de Escolas de Fé e Cidadania também realiza durante todo o ano, cursos de formação para a atuação nas esferas públicas. Ainda importante falar que várias Universidades também oferecem cursos de graduação, online e gratuitos nas mais diversas áreas da administração pública. Então…você também é convidado a pesquisar/consultar uma destas entidades, escolher um dos cursos oferecidos, se inscrever e breve atuar nestes espaços, de participação popular, atuando como conselheiro, desenvolvendo esta atividade muito gratificante. É isso! (* Conselheiro dos Conselhos Municipal do Idoso e Conselho Municipal da Saúde).

– A Covid não escolhe as pessoas…

Com muita dor no coração, soube ontem que o Vinícius Zane, filho do nosso amigo Dori, faleceu por Covid.

Meu Senhor Jesus… 23 anos, sadio, trabalhador e com ótimo comportamento. Se prevenia, tinha responsabilidade e ainda assim foi contaminado.

Perder um filho é algo não natural para um pai. A tristeza deve ser imensurável… Estou até agora inconformado (imagine seus pais e amigos).

Ainda assim, se vê gente duvidando desta pandemia. Que Deus perdoe esses ignorantes – mas antes, que Ele conforte toda a família do agora saudoso jovem Vinícius.

– Cassino e Gabigol: Mas e o Flamengo como empresa?

Um time de futebol precisa entender que seus jogadores são “outdoors” ambulantes. Promovem sua marca, são dissociáveis. 

Se o atleta erra, o clube pune e mostra à sociedade que não compactua dos erros. Mas… nem sempre é assim!

Viram Gabigol? Num Cassino (que é proibido), numa sala sem janelas (em plena pandemia), tentando se esconder embaixo da mesa (dispensa comentários) e dando “carteirada” na Polícia (lamentável).

O que fez o Flamengo?

Nada. Alegou que ele está de férias e não tem “nada com isso”…

Não tem mesmo? 

Para grandes e respeitadas empresas, o seu colaborador é a extensão de sua imagem, valores e impressões. Uma pena que o Mengão não pense assim.

A propósito: segundo o noticiário, deputados, cantores e outras personalidades são assíduos frequentadores do local que, mesmo se fosse legalizado, deveria estar fechado por conta da pandemia. Aliás, a desculpa inocente de que o jogador foi “jantar pensando que era um restaurante”, não colou nem um pouco, não?

– Definindo a Geração Z

Nós constantemente falamos sobre a Geração Y, que, afinal de contas, são os jovens executivos que estão tentando revolucionar a Administração de Empresas.

Mas e a Geração Z (chamada por muitos como Geração @)?

Compartilho um interessante material da Revista Exame, sobre quem são esses adolescentes / jovens que poderão revolucionar ainda mais o mundo dos negócios, e, por que não, a sociedade!

Destaque para as crenças e valores dessa moçada que vem por aí.

Extraído de: http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/geracao-quem-sao-e-como-se-comportam

GERAÇÃO Z: QUEM SÃO E COMO SE COMPORTAM

Os teens de hoje que têm entre 13 e 18 anos em breve tomarão o poder do mercado de consumo, assim como os seus “antepassados”, a Geração Y. Eles nasceram e vivem na era digital, estão interconectados, super informados, têm um sentimento crítico elevado, são egocêntricos, precisam ser reconhecidos e procuram seus próprios momentos de fama. Para eles, as marcas continuam sendo relevantes em suas vidas para construir sua identidade, aponta a pesquisa “Geração @ e as Mudanças dos Consumidores Teens”.

O estudo realizado pela Enfoque Pesquisa de Marketing no Brasil e apresentado ontem, dia 22, na sede da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa mostra um adolescente cuja vida passa 24 horas por dia nas telas. Principalmente a do computador, para acessar a internet, em que 77% preferem passar o seu tempo, contra 66% da Televisão e 54% do celular. Mas eles não consumem uma mídia de cada vez.

Enquanto estão na internet, os teens multitarefa ouvem música, falam ao telefone e assistem à TV, nesta ordem. O ambiente digital é um território conquistado por eles e onde têm suas próprias linguagens. A disputa pela atenção deste público é cada vez mais feroz. Tudo que se passa na vida deles hoje tem uma tela. Eles não consomem mídia, mas sim conteúdo que os permite interagir e compartilhar, principalmente nas redes sociais.

Geração Display

As redes sociais são parte fundamental na vida dos adolescentes brasileiros para se socializarem, conhecer pessoas, ter reconhecimento e auto-estima. Em seus perfis, eles se mostram como querem ser vistos, geram e compartilham conteúdo constantemente. “Os teens de hoje são autores e protagonistas de seus momentos”, afirma Zilda Knoploch, CEO da Enfoque Pesquisa de Marketing (foto). “É uma geração display. São obcecados por se verem e serem vistos. Até o processo de paquera mudou. Primeiro ele se mostra e depois conhece”, explica.

Agora, as marcas precisam conhecer e interagir com esses jovens que Zilda chamou de Geração @, também denominada por Geração Z. Eles são adolescentes nascidos após 1995. A forma de fazer Marketing tem que ser diferente. “Temos que entrar na vida destas pessoas, acompanhar a vida delas e se relacionar. Não é mais um discurso da marca para o teen, mas uma conversa entre os dois”, diz a CEO da Enfoque.

É uma interação sem fim que tem como base o conteúdo. As marcas que não tiverem conteúdo e um propósito estarão fora do jogo. Elas precisam preencher um espaço que está vago na mente dos novos adolescentes que se mostram sem perspectivas, uma vez que 52% das mais de 1.500 pessoas entrevistas em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, das classes A, B e C, se mostram abertos a morar em outro país. Elas não têm confiança nas empresas, nos políticos, nem no Estado, mas 70% dos garotos e garotas confiam na Igreja, seguida da Seleção Brasileira de Futebol, do Exército, da Rede Globo e dos Bancos.

Atitudes diferentes, mas nem tanto

Em meio a uma fase de transição, os novos teens se mostram materialistas e extremistas em relação às suas emoções. Assim como a Geração Y, querem tudo para ontem e alguns deles já sentem falta de tempo para fazer tudo que gostam. É um fenômeno decorrente da maior gama de atividades diárias além da escola, principalmente nas classes AB. Seus ídolos não estão no esporte, mas sim na família, sendo a mãe a principal.

Sobre o futuro, a maioria não tem ideia do que acontecerá a eles, apenas querem desfrutar o hoje. A diferença é que, na classe A, alguns desejam estudar e trabalhar no exterior. O vasto acesso a informação lhes permite sentir que o mundo cabe em suas mãos. Num ambiente de excessos, a opinião de seus amigos é confiável e mais influente que a das marcas.

A música está presente em todas as situações que este jovem passa, formando a trilha sonora da vida dele mais do que no passado. O que não muda, segundo a pesquisa, é que as marcas continuam representando os códigos de moda para esta geração, seja como pertencimento, para obter status ou até mesmo se diferenciar.

Resultado de imagem para Geração Z

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida.

– Oração pela Pátria, pela Igreja e pelo Santo Padre.

Originalmente postada pelo Pároco da nossa comunidade, o Padre Alex Motta da Paróquia Santa Luzia de Bragança Paulista-SP, a oração abaixo é uma das “ferramentas da fé” que a Igreja Católica nos oferece nestes tempos tão difíceis, especialmente quanto às dores que o Brasil vem sofrendo por culpa da pandemia.

Compartilho a prece, além da esperançosa mensagem do nosso sacerdote, extraído de: https://www.facebook.com/photo?fbid=4140556635977763&set=a.612725412094254

ORAÇÃO PELA PÁTRIA, PELA IGREJA E PELO SANTO PADRE

Sabemos que o tempo não está sendo fácil, mas nossa fé e nossa esperança não se esmoreceu.

Estamos presenciando situações difíceis em nosso país e em nossa igreja.

Diante de tudo isso, devemos nos unir em oração e pedir a Deus que, com sua Mão Poderosa, intervenha em nossa história.

Para isso, a Igreja disponibiliza uma oração que pode ser feita após a bênção do Santíssimo Sacramento ou em outra ocasião.

Acredito que a ocasião favorável seja agora. Ainda mais que estamos no período quaresmal, tempo propício para intensificarmos nossas orações e penitências.

Por isso, segue abaixo a oração “Pela Pátria, pela Igreja e pelo Papa”, além disso, que possamos fazer uma obra de penitência e oferecer pelo nosso país e pela Igreja.

– Palmeiras 2×0 Ferroviária: Apita-se e Joga-se Futebol. Mas não se gosta…

Assistiram o jogo do Verdão contra a Ferrinha? Respeitosamente… um “joguinho”, de péssima qualidade técnica e pouca inspiração. E essa observação vale para jogadores e arbitragem. E a partir desta partida quero ampliar para o futebol brasileiro em geral: como conquistar novos torcedores, com tais modorrentos jogos?

Aliás, culpa disso é da condução dos confrontos pelos árbitros, que picam, travam e engessam a dinâmica das partidas. Me recordo com muita saudade das cobranças e orientações na Escola de Árbitros da FPF com o professor Gustavo Caetano Rogério, nos anos 90, quando tivemos a última grande safra de árbitros paulistas. O pedido era: “façam ter tempo de bola rolando” e “agilizem o jogo”. Hoje…

Voltando para Palmeiras x Ferroviária, ficam as perguntas para tentar descobrir porque tanta lentidão, num jogo que pareceu ter 180 minutos, e não 90, de tão cansativo que foi (acompanhei metade pelo rádio e metade pela TV, mas era interminável).

Atletas e Jogadores tinham…

⁃ Preguiça?
⁃ Falta do gosto pelo esporte?
⁃ Medo?
⁃ Acomodação?
⁃ Um misto de tudo isso?

O futebol deve ser apitado com o cumprimento das regras e a efetiva demonstração do espírito do jogo. Quando passa a ser “administrado” ou “mediado”não gosto. E é isso que está acontecendo: jogos “protocolares”, por obrigação, jogados e apitados sem “tesão” e sem vontade.

Ontem, o que se viu não foi uma exclusividade da condução do jogo do árbitro Flavio Rodrigues de Souza. Tem sido assim no futebol brasileiro em geral (com exceção de Vuaden nos bons tempos, de Edna Alves mais recentemente, de Raphael Claus e Paulo César de Oliveira no começo de suas carreiras). E a culpa é de todos.

No íntimo, penso que parece que os protagonistas do esporte não gostam do que fazem.

E você, o que acha de tudo isso? Deixe sua opinião:

– Ludhmila: a ex-nova Ministra da Saúde?

A goiana Dra Ludhmila Hajjar, competente médica cotada para substituir o General Pazzuello no Ministério da Saúde, provavelmente nem assumirá o cargo.

Motivo?

Eleitora e defensora de Ronaldo Caiado (governador de Goiás), Ludhmila teve um áudio vazado onde elogia a coragem das autoridades goianas em restringir as atividades naquele Estado para combater a pandemia de COVID e, durante sua fala, critica o Presidente Bolsonaro chamando-o de “psicopata” por não entender a gravidade do momento.

Em que pese a empatia da profissional e seu discernimento, lamentavelmente a vaidade do futuro ex-chefe vai barrá-la.

Ou não?

Entretanto, se ainda com essas críticas Bolsonaro sucumbir à Ciência e der posse a ela, terá meu aplauso.

Em tempo: a saída de um general por uma médica seria ótima, mas Pazzuello, tão criticado pelo próprio presidente, pediu mesmo demissão ou foi uma “combinação de fatores”? Afinal, entraremos nas duas piores semanas de contágio, segundo os médicos.

Compartilho, extraído de: https://oglobo.globo.com/brasil/medica-cotada-para-assumir-ministerio-da-saude-perde-preferencia-apos-bolsonaro-ouvir-audio-atribuido-profissional-24924904?versao=amp

ATUALIZANDO: Dra Ludhmila negou o convite do Governo

– E a 2a feira já começou (e faz tempo).

👊🏻 Olá amigos.
Bom dia, nova semana. #BomDia, Segundona!
Tentando “tocar o barco da vida”, começando a #manhã / #madrugada com um bom #cooper para ter #ânimo. Quem vem junto?
🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #Asics #training #corrida #sport #esporte #running
Clique 1:

🙏🏻 Correndo e Meditando:
Ó #VirgemMaria, rogai por nós que recorremos a vós. #Amém.
⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade
Clique 2:

🌺 Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da #natureza.
Hoje, com nossas #lantanas.
🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento
Clique 3:

🌅 06h00 – Desperte, #BragançaPaulista, com seu #horizonte tão belo.
Que a #SegundaFeira possa valer a pena!
🍃🙌🏻 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia
Clique 4:

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby