– Pipoca com guaraná?

Alguém está servido?

Pipoca com guaraná foi o que se popularizou, devido ao comercial icônico da Antártica. Mas o gostoso, para mim, é pipoca com pimenta.

E pra você?

Imagem

– Pobre Capitão do Navio Evergreen…

Caramba, que encalhe, não?

O navio que literalmente travou o Canal de Suez, no Egito, impedindo a saída do Mar Vermelho, está “realmente em maus lençóis”. A imagem é auto-explicativa:

Quantas centenas de outros grandes navios estão à espera da liberação de passagem?

Os quatro maiores gargalos do transporte marítimo mundial | Notícias e  análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 27.03.2021

– A reportagem sobre Morgado, o folclórico árbitro paulista.

Que baita matéria de Adriano Wilkson pelo UOL! Ele escreveu sobre o folclórico “Morgadinho“.

Tenho muito respeito por ele. Não o conheci pessoalmente, mas me lembro das partidas por ele apitadas. E me recordo que, no início da minha carreira, árbitros me avisaram: “Aqui no nosso meio, cuidado se te chamarem de ‘sobrinho’, pois é uma forma de sacanear alguém. É que ‘sobrinho’ era como o Morgado chamava os namorados dele, quando os levava ao vestiário”.

Se a discriminação sexual ocorre hoje, imagine naquele tempo!

Extraído de: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2021/03/28/pantera-cor-de-rosa-famoso-juiz-dos-anos-80-morreu-esquecido-com-hiv.htm

“PANTERA COR-DE-ROSA”: FAMOSO JUIZ DOS ANOS 80 MORREU ESQUECIDO COM HIV

O árbitro Roberto Nunes Morgado marcou época no futebol brasileiro dos anos 80. Parecia um personagem tirado da ficção. O bom nível técnico de sua arbitragem era, às vezes, ofuscado por certas decisões controversas, como a de expulsar quatro jogadores do Palmeiras no mesmo jogo em 1987 ou dar cartão vermelho para soldados da Polícia Militar que patrulhavam um Ferroviário x Vasco em 1983.

As extravagâncias levaram a comissão de arbitragem da Federação Paulista a exigir um exame de sanidade mental ao juiz, que costumava se gabar: “Agora, sou o único juiz da praça que tem atestado de sanidade mental.” As pernas esguias e o estilo um tanto espalhafatoso fizeram Morgado ser conhecido como a “Pantera de Cor-de-Rosa”.

Homossexual assumido e praticante de religião de matriz africana, ostentava um vasto bigode que cobria parcialmente os lábios. Costumava frequentar a Boca do Lixo, tradicional ponto de produção de cinema, farra e prostituição do centro de São Paulo, onde andava liderando um séquito de amigos.

“Todo mundo abandonou o Morgado quando ele adoeceu”, lembra Luciano, que tinha 8 anos quando o pai morreu em um leito do hospital Emílio Ribas em São Paulo em 1989. Um ano antes, o árbitro tinha descoberto que havia contraído o HIV, vírus que nos anos 80 era considerado mortal.

“Ele tinha muitos amigos, pagava a conta de todo mundo nas baladas, mas quando descobriu que tava com a doença, todos se afastaram”, conta o filho. Luciano recebeu o sobrenome do árbitro quando Morgado se casou com Lígia, mãe biológica de Luciano, que hoje trabalha vendendo lanches na zona leste da capital.

“Quando ele era vivo, a Federação ajudava a nossa família, mas depois que ele morreu, minha mãe casou de novo e a ajuda foi encerrada. Passamos muita dificuldade”, conta o filho do juiz. Morgado tinha dificuldade para manter seu dinheiro consigo. Segundo a imprensa da época, costumava proferir uma frase clássica que servia de chamariz para os amigos se juntarem: “Eu assino o cheque porque a letra mais bonita daqui é minha.”

O descontrole financeiro levou alguns de seus amigos mais próximos a administrar os rendimentos de Morgado. Segundo o filho Luciano, era José Astolphi, presidente da comissão de árbitros paulista, quem cuidava do dinheiro do pai. O único bem que Morgado, aspirante ao quadro da Fifa, conseguiu adquirir foi um apartamento na Praia Grande, litoral paulista.

Seus últimos dias foram vividos praticamente sozinho no hospital, de acordo com uma reportagem intitulada “O drama de um aidético” da Revista Placar, de dezembro de 1988. Morreu meses depois.

“O Morgado é um juiz que em várias oportunidades demonstrou um desequilíbrio psicológico muito grande”, afirmava Galvão Bueno, narrador de São Paulo 3 x 1 Palmeiras, a segunda semifinal do Paulista de 1987.

“Ele se mostra excessivamente nervoso, gesticula demais, faz muita confusão no jogo, às vezes irrita o jogador. Eu vi uma vez o Morgado apitar o jogo fora de campo, que nem um maluco. E mostrou cartão vermelho pra polícia, pra gandula, ficou com o cartão na mão correndo fora de campo.” A expulsão de quatro palmeirenses e a confusão que se armou no final da partida decretaram o fim da carreira do árbitro.

A personalidade excêntrica do juiz, sempre enfatizada pela crônica esportiva dos anos 80, contrastava com seu lado doce e apegado à família, segundo o filho Luciano. Um momento desses ficou registrado nas páginas da “Placar”.

Em 1979, o juiz, aos 33 anos, posou ao lado da mãe, Nair, com um uniforme preto engomado por ela. Os pais, imigrantes portugueses de origem pobre, eram sustentados pelo dinheiro que o filho fazia no futebol e nos outros empregos que teve.

Reportagem da Placar de dezembro de 1988 sobre o árbitro Roberto Nunes Morgado
Imagem: Reprodução

Da esquerda para a direita, Dirceu Fernandes (Escola de Árbitros da Federação), Alberto Ferreira, Roberto Nunes Morgado, Adriano Tito Correa e Leonerte dos Santos Imagem: Que fim levou/3º tempo

– Domingo de Ramos

Começamos a Semana Santa com esse abençoado Domingo de Ramos, festividade em que lembramos a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém, saudado pelos fiéis com ramos de palmeiras, humildemente montado em um jumentinho, pronto para seus derradeiros dias.

A pergunta é: próximo da Festa Maior da Cristandade, a Páscoa da Ressurreição, você aproveitou e fez valer bem o Tempo da Quaresma para a sua vida? O que mudou nesse tempo forte de introspecção e reflexão?

bomba.jpg

– Mais de 60% dos Brasileiros trabalham no Tempo Livre

Veja que dado interessante: 61% dos brasileiros resolvem os problemas do trabalho em casa; mas 37% admitem que resolvem problemas da sua casa no trabalho. O quê fazer?

Extraído de Exame.com: http://is.gd/eW82ej

61% DOS BRASILEIROS RESOLVEM PROBLEMAS DE TRABALHO NO TEMPO LIVRE

Pesquisa mostra que, no Brasil, 36% dos profissionais precisam estar disponíveis para questões do trabalho num esquema 24/7

Além das jornadas de trabalho já extensas, mais da metade dos profissionais brasileiros admitem que resolvem questões do trabalho em seus momentos de folga. É o que aponta levantamento da consultoria Randstad divulgado neste mês.

Mesmo assim, quando comparados com chineses e indianos, os brasileiros são os que menos levam trabalho para casa. Na Índia, 69% dos profissionais afirmam que trabalham após o horário do expediente enquanto na China, 80% dos profissionais admitem esse tipo de comportamento.

A postura dos profissionais é um resultado direto da cultura corporativa. Na Índia, 61% dos profissionais afirmam que as empresas esperam que eles estejam disponíveis num esquema 24/7. Na China, 64% percebem isso. Já no Brasil, apenas 36% dos profissionais precisam estar disponíveis para questões do trabalho 24 horas por dia, sete dias por semana.

Ao ficar mais tempo ligados no trabalho, os chineses também são os que mais lidam com questões pessoais durante o expediente. Segundo a pesquisa, 60% aderem a esta prática. Na Índia, 49% fazem isso e no Brasil, 37% dos brasileiros resolvem problemas pessoais no trabalho.

Por outro lado, os indianos são os que mais distraem com a internet durante o expediente, segundo a pesquisa. No total, 51% deles admitem que se perdem durante o expediente navegando na rede.

No Brasil, apenas um em cada cinco profissionais admitem que se distraem facilmente com a internet no trabalho.

imgres.jpg

– Mostre que você está saudando o Salvador!

Assim como o povo saudou Jesus entrando em Jerusalém no lombo de um burrico, com palmas e folhagens, queremos repetir tal gesto de louvor neste Domingo de Ramos, onde a COVID não nos permite celebrar na Igreja em comunidade – mas não impede de manifestarmos em casa a nossa fé!

Decore sua casa também com as folhas de palmeiras e evangelize.

CANTEMOS:

Hosana hei, Hosana ha
Hosana hei, Hosana hei
Hosana ha (mais um vez!)
Hosana hei, Hosana ha
Hosana hei, Hosana hei
Hosana ha (ele é o Santo)

Ele é o Santo, é o filho de Maria
Ele é o Deus de Israel
Ele é o filho de Davi (Santo é seu nome)
Santo é o seu nome, é o Senhor Deus do universo
Glória Deus de Israel
Nosso Rei e Salvador (quero ouvir, Hosana)

Hosana hei, Hosana ha
Hosana hei, Hosana hei
Hosana ha (vocês!)
Hosana hei (isso), Hosana ha (bom)
Hosana hei, Hosana hei
Hosana ha (vamos a ele)

Vamos a ele com as flores dos pinhais
Com os ramos de oliveira
Alegria e muita paz (Santo é seu nome)
Santo é o seu nome, é o Senhor Deus do universo
Glória Deus de Israel
Nosso Rei e Salvador (eu quero ouvir)
Hosana hei, Hosana ha
Hosana hei, Hosana hei
Hosana ha (vocês)
Hosana…

Continuar lendo

– Explicando o erro da arbitragem em Sérvia 2×2 Portugal: como isso acontece?

Estando 2×2, e Portugal com um atleta a mais do que a Sérvia, eis que nos acréscimos uma bola é chutada por Cristiano Ronaldo e vai entrando no gol… mas Mitrovic deu um carrinho para tentar salvar sua meta.

Pelas imagens, o sérvio não conseguiu, pois a bola ultrapassou a linha (e ultrapassou bastante) de acordo com as imagens.

Mas sem VAR ou a tecnologia da linha do gol (aquela onde um alarme soa e vibra no relógio do árbitro), a partida precisava de árbitros que não vacilassem ou estivessem cientes de que erros não poderiam ser corrigidos a posterior. Lembrando novamente: na UEFA, não há esses recursos modernos nas Eliminatórias da Copa do Mundo.

O lance era do bandeira holandês Mario Diks. Ele não estava correndo na linha imaginária do penúltimo defensor nem da bola (repare que está um pouco atrasado). Já seu compatriota, o árbitro Danny Makkelie, teve a visão encoberta pelo próprio corpo de Mitrovic.

Enfim: um erro que custou 2 pontos para os portugueses, tendo como destaque Cristiano Ronaldo jogando a faixa de capitão no chão como um ato de revolta.

Sérvia x Portugal: Palpite das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 (27/03)

– Parabéns, Ministro da Saúde Dr Marcelo Queiroga! Mas o Presidente aprovou o discurso?

Que ótima surpresa!

O novo Ministro da Saúde Marcelo Queiroga, em live ontem (sábado), pediu para as pessoas:

  • não viajarem no feriado, reforçando a necessidade de ficarem em casa;
  • usarem máscaras pois elas são importantes; e,
  • em hipótese alguma se aglomerarem, mantendo distanciamento social.

Bem diferente do que o discurso (e os atos praticados) do Presidente Jair Bolsonaro, ao longo dos últimos 12 meses.

Tomara que não leve um puxão de orelha dele. É ótimo ver um cara técnico no comando.

Marcelo Queiroga diz que meta do governo é vacinar 1 milhão por dia -  Diário do Poder

– A bonita alvorada!

Uma das minhas preferidas alvoradas: há 2 anos, em Jundiaí!

Não sei porquê, mas este amanhecer sempre me inspira!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#sol #natureza #inspiração #motivação #sun #natureza

– Nossa última Missa de Ramos presencial… 🌿

Em 2019, nossa última participação numa celebração PRESENCIAL de Domingo de Ramos…

Que possamos voltar à normalidade o quanto antes! A Pandemia de COVID nos impede de muitas coisas…

🌿 #Catolicismo # #Missa #DomingodeRamos2021