– Corruptos fazem como o Maluf quando querem o poder!

Paulo Salim Maluf, que de tanto ser ironizado por desviar dinheiro e ele retrucar que nunca foi provado nada (mesmo com as “provas provando”), roubou popularmente para o povo o bordão “rouba mas faz”, que um dia foi referência ao Adhemar de Barros.

Na semana passada, Maluf, que é hoje deputado federal (por incrível que possa parecer), declarou:

“Temer é um homem bom, doesto, probo, correto e descente, que esta sendo acusado de maneira absolutamente imprópria (…) Conheço o Lula mais do que ninguém. Ele não fez nada e nem crime nenhum para ser condenado a nove anos de prisão. Isso é uma injustiça”.

Tenha certeza de duas coisas: advoga em causa própria com esses exemplos e, caso os nomes e os partidos políticos fossem os outros, ele faria o mesmo.

Aliás, quais importantes contribuições, no atual mandato, Paulo Maluf destinou ao povo brasileiro?

bomba.jpg

Anúncios

– Explicando o impedimento passivo de Potker no Internacional 1×0 Luverdense

Que final de jogo “circense” no Beira-Rio, na partida entre Internacional x Luverdense, pela série B do Brasileirão! Vamos falar sobre o assunto, didaticamente, sobre quem errou e quem acertou.

Aos 47 minutos do 2o tempo, o Inter está no ataque e a bola é lançada para Joanderson, que está em posição legal. Potker, que está em posição de impedimento, tenta dominá-la durante o trajeto mas não a toca. Em outros tempos, você poderia dizer que ele interferiu na jogada, mas as recomendações da FIFA atuais, para esse lance, pedem o toque efetivo. Só que o bandeira Márcio Eustáquio Santiago (que é experiente), foi traído pelo impulso e marcou o impedimento. O árbitro Igor Junio Benevenuto (que já destaquei em outras oportunidades: vem crescendo bastante na carreira e está realizando uma excelente temporada) teve uma leitura perfeita do lance e mandou a jogada seguir (foi corajoso) e na continuidade saiu o gol do Colorado e as reclamações. É nítido que o bandeira percebeu o erro na sequência e se arrepende (repare o gestual dele, meio que apavorado com o acontecido).

Sabe qual o grande problema aqui? Apesar do erro crasso do bandeira (indiscutível), esse gol legal poderia ser evitado se os JOGADORES conhecessem melhor a regra e NÃO DESISTISSEM DA DISPUTA DE BOLA até ouvir o apito do árbitro! É o árbitro a autoridade máxima da partida, não o bandeira. E, nas escolas de arbitragem, sempre é ressaltado que inevitavelmente vai dar confusão se o bandeira erguer seu instrumento de maneira errada e o juiz não concordar com a marcação, pois é um vício / costume / reflexo do jogador parar de jogar quando vê a “flanela erguida”!

Taí mais uma recomendação aos clubes de futebol que gastam fortunas com maus investimentos e não têm um instrutor ou professor de Regras do Futebol em suas comissões técnicas: orientar seus atletas a só parar quando ouvirem o apito!

Em suma: gol legal, acerto do árbitro, erro técnico do bandeira e desconhecimento de regra dos atletas. Deu no que deu!

O vídeo dos melhores momentos desse jogo está abaixo, e o lance entre 5’43 e 6’13”, em: https://www.youtube.com/watch?v=2P2ksA6LexY

Para quem possa interessar, o quadro 3 de orientação da Regra 11 (impedimentos), do livro 2017/2018 (não foi disponibilizado em português pela CBF ainda, só no original em inglês), mostrando que o árbitro acertou. Abaixo:

bomba.jpg

– 4a feira gelaaaada…

Que frio, não amigos?

Sei que o tempo gelado não pode ser desculpa. Ontem não fiz meu copper-corujão, então, senti falta da tão importante endorfina. Dessa forma, bem agasalhado, fui para a corrida matutina. Clique-motivação 1:

bomba.jpg

Correndo e meditando, pedindo a Deus pelas nossas famílias! Hoje, pela intercessão da Sagrada Família de Nazaré: Jesus, Maria e José. Nosso clique-reflexão 2:

bomba.jpg

Pós-treino, alongando e contemplando a beleza das flores. Nossa foto da rosa “rosada” no clique-admiração 3:

bomba.jpg

E, por fim, indo ao trabalho com esse dia bem nublado. Será que o sol ainda hoje vingará? Clique-contemplação do céu infinito 4:

bomba.jpg

Ótima quarta-feira a todos!