– Quais as primeiras impressões do Paulista FC?

Todos nós sabíamos que a diretoria do Paulista FC e do grupo de apoio “Novo Paulista” estavam de mãos atadas. Sem dinheiro, com o clube tendo que decidir se pedia licença de disputar a série A2 ou se jogava a competição com os garotos que fizeram a base na Copa Paulista, sucumbiu a uma oferta de investidores.

Claro, sempre há risco de sucesso ou fracasso, e na avaliação da diretoria, o investimento das pessoas que terceirizaram o time de futebol para a disputa do Campeonato Paulista foi a saída “menos ruim”. Uma tentativa de manter as portas do Jayme Cintra abertas e ter sobrevida por 3 meses.

E agora, como tem sido o início dos trabalhos?

No mínimo, questionável. Há de ser transparente para se obter confiança, e aqui se peca ao não dizer as claras de onde vem o dinheiro, quem são os investidores e outras explicações mais lúcidas. Se os parceiros não se revelam, acabam por permitir especulações, muitas delas ruins.

Sobre o técnico português Paulo Fernandes e sua Comissão Técnica: os jornalistas Heitor Freddo, Thiago Batista de Olim e Robson Moura já mostraram tudo sobre o que precisávamos saber: é de currículo fraco e aparentemente bem inferior ao Beto Cavalcante, o ex-treinador (e que conhece muito bem a A2 e o futebol do interior de SP). De repente, pode ser que Paulo nos surpreenda e monte um ótimo esquema de jogo moderno – e aqui virá o convencimento: no dia 31, com uma vitória contra o Bragantino na estréia do elenco profissional, mostrando que herdou o DNA do conterrâneo consagrado José Mourinho, o “One Special”!

Dispensar jogadores como fez na chegada é, em tese, natural (mesmo que achemos injusto na prática). Afinal, quem paga exige fazer tudo do seu jeito (e se estiver combinado que os investidores têm direito, paciência…).

O que me parece tudo isso?

Penso que o grupo de investidores não terceirizou, mas sim ARRENDOU o Galo. Dessa forma, também me parece o mesmo esquema usual em muitos clubes pequenos: alguém assume a camisa por um tempo, coloca seus diretivos técnicos e os jogadores que possam ter no seu cartel. Assim, a comissão técnica nativa do Paulista e jogadores com vínculo não seriam interessantes para quem coloca a grana para usar o clube como vitrine de negociação para os atletas que empresariam.

Tudo o que colocamos aqui é apenas impressão (ou mais uma das especulações permitidas pela falta de clareza de quem está colocando o dinheiro). Acho que o Paulista acerta em arriscar para sobreviver, mas deve ficar de olho aberto. Mas cá entre nós: nenhum maluco vai jogar dinheiro fora, e nesses tempos de futebol business, o(s) investidor(es) querem ter lucro. No caso do parceiro do nosso Paulista, o prejuízo será grande se, ao invés de agregar valor aos atletas e fazer um bom papel, o time se apresentar mal e desvalorizar a “commodity” chamada jogador de futebol.

Torçamos! Que o time vá bem na partida de estréia contra um rival tradicional, anime os torcedores e faça um bom papel. E tudo isso somente o tempo dirá…

 

– A Diferença dos Protestos na Capital Paulista

O que acontece de tão diferente nos protestos realizados em São Paulo?

Nos protestos dominicais contra a corrupção do Governo Federal, de gente que trabalha durante a semana e sai na folga para reclamar, não há briga com a Polícia (tem até selfie!). Os trajetos combinados são cumpridos e não há depredação de imóveis. Todo mundo de rosto limpo.

Nos movimentos durante a semana contra o preço das passagens de ônibus, no horário de trabalho e no rush, os manifestantes vão pra cima da PM! Não querem cumprir regras e promovem vandalismo e atos de radicalidade. Muitos mascarados/ disfarçados.

E é a mesma Polícia… A culpa das brigas então é de quem?

bomba.jpg

– Ensino Superior Gratuito: Sonho ou Realidade?

O Projeto é ambicioso: o Chile quer tornar universal o acesso às universidades, sem qualquer custo aos alunos.

Conseguirá?

Extraído de: http://bit.ly/1JHVRdX

CHILE PASSA A OFERTAR ENSINO SUPERIOR GRATIS

O Chile começa a pôr em marcha em 2016 a gratuidade no ensino superior, promessa da presidente Michelle Bachelet e uma das principais demandas dos protestos estudantis que há cinco anos convulsionaram o país.

Mas a novidade tem recebido uma chuva de críticas, a começar pela pressa com que foi implantada. A sanção presidencial ocorreu na véspera de Natal, poucos dias antes da matrícula deste ano letivo.

“A gratuidade não pode ser feita de qualquer maneira”, disse à Folha o deputado Gabriel Boric, um dos líderes dos protestos de 2011.

“Devemos primeiro fortalecer as universidades estatais e estabelecer compromissos para que as demais [instituições privadas, que recebem recursos públicos] não tenham fins lucrativos.”

Sem conseguir aprovar uma reforma completa do ensino superior, que mudaria também a forma de ingresso, a formação de professores e o financiamento das universidades públicas, o governo de Bachelet previu a gratuidade no Orçamento de 2016.

Mas não criou um marco legal para levar a proposta adiante nos anos seguintes.

Ficaram de fora, ainda, os alunos de instituições de ensino técnico superior. Em 2016, só 30 universidades poderão oferecer o benefício, restrito aos alunos de famílias que fazem parte dos 5% mais pobres do país.

“Está mal desenhado. Muitos estudantes de baixa renda que cursam o ensino técnico foram excluídos do benefício”, diz Harald Beyer, diretor do Centro de Estudos Públicos e ex-ministro da educação do governo de Sebastián Piñera (2010-14).

“O tratamento diferenciado frustra muitas famílias”.

UNIVERSALIZAÇÃO

O governo de Bachelet diz que quer começar pelas melhores escolas e com os mais vulneráveis. A meta, porém, é universalizar a gratuidade no ensino superior em 2020.

bomba.jpg

– Corrupção no Brasil: Como tudo isso terminará? Como escolher um político bom?

Collor, FHC, Lula, Dilma: todos citados em delação premiada por Nestor Cerveró!

Não tem um nome honesto sequer neste país? Não restará político limpo em Brasília?

Lula, quando deputado, xingava o ex-presidente Collor e queria o seu impeachment. Quando subiu ao poder, Luís Inácio deu a Petrobrás para Fernando Collor fatiá-la entre seus comparsas, digo, amigos.

Desanimador…

Fico com a observação do Padre Zezinho, SCJ, sobre como escolher um candidato, postada em seu Twitter:

Entrou para a política para resolver as dores e carências do povo, sem ficar rico com isso. Se você conhece alguém assim, vote nele ou nela!

É isso aí!

bomba.jpg

– São Paulo 1×0 Figueirense em um Dia Negro do Futebol

Me dá nojo.

Ontem, dia 14, poderia ter sido marcado apenas por mais um dos inúmeros erros de arbitragem de futebol. Só que não…

Justamente na data na qual se celebrava “o Dia do Treinador”, que coincidiu com a descoberta de que o Cel Nunes recebeu quase R$ 250.000,00 de indenização e recebe mensalmente R$ 14.768,00 como “vítima da ditadura” (você não leu errado não, clique em: http://wp.me/p4RTuC-dQR); poucas horas após se revelar que o chefe sindical dos árbitros de SP e ex-membro da FPF, Arthur Alves Júnior, usava o cartão corporativo para pagar festas particulares e casas noturnas de mulheres de fama supostamente duvidosas (vide em: http://wp.me/p55Mu0-Ig), tivemos a partida entre São Paulo 1×0 Figueirense pela Copa São Paulo. E por que chamamos a atenção para tal jogo?

Não pelo erro do pênalti mal marcado: o zagueiro Brendo (FIG) deu um carrinho em Ignácio (SPFC) fora da área e o atacante caiu dentro. O árbitro, equivocadamente, marcou tiro penal.

Passaria batido se o árbitro não fosse Flávio Rodrigues Guerra, que está suspenso por 100 dias pelo STJD, devido a mentira que contou na súmula de Corinthians x Santos quando expulsou por engano David Braz (relembre o caso em: http://wp.me/p55Mu0-z2).

Se já falamos diversas vezes que a Copa São Paulo de Futebol Jr perdeu seu propósito real para jogadores e para a arbitragem (neste caso, o de revelar jovens árbitros – clique em: http://wp.me/p55Mu0-HM), há certas coisas que beiram a falta de bom senso: por quê o Coronel Marcos Marinho vai escalar Guerra em tal competição? Dizer que é para dar ritmo de jogo é “conversa fiada”, já que quantos árbitros ficam sem escalas durante os torneios e voltam a ser escalados sem ritmo.

Não adianta dizer que a Copa São Paulo Jr é competição amadora, pois lembremo-nos que a suspensão de 27 de novembro de 2015 é em dias para jogos oficiais. A Copinha não é um torneio oficial (embora não profissional) da FPF?

Muitas pessoas relembraram o fato do Cel Marinho ser padrinho de casamento de Guerra e supostamente beneficiá-lo em escalas. Discordo. Pra mim não é favorecimento, é incompetência.

bomba.jpg

– Ô dona Setransp, melhora aí!

Parei no semáforo do cruzamento da Rua Siracusa e Rua Messina, próximo ao Hospital Universitário de Jundiaí. E me impressionei com a quantidade de placas de sinalização

Muitas vezes a gente reclama da pouca informação; porém, o excesso torna a coisa confusa também. O do cruzamento referido, na foto abaixo, é prova disso!

Aliás, repare na quantidade de fios nos postes. Caramba…

– Cel Nunes, o anistiado político!

Se você pensa que já viu de tudo no Brasil, saiba que existem coisas que parecem impossíveis mas acontecem: o Coronel Antonio Carlos Nunes de Lima, 77 anos, um dos homens fortes do regime militar na Região Norte do Brasil (e que hoje é presidente da CBF) recebe mensalmente R$ 14.678,00 da FAB como anistiado político, por ser (pasmem) vítima da ditadura!

Além desse valor, ele já recebeu um soldo indenizatório de R$ 243.416,25, em ato assinado pelo então Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, como verba retroativa.

Não é piada: um agente do regime militar recebendo como vítima do que ele próprio ajudava a produzir: a repressão, a ditadura e a força acima da lei.

bomba.jpg