– Quais as primeiras impressões do Paulista FC?

Todos nós sabíamos que a diretoria do Paulista FC e do grupo de apoio “Novo Paulista” estavam de mãos atadas. Sem dinheiro, com o clube tendo que decidir se pedia licença de disputar a série A2 ou se jogava a competição com os garotos que fizeram a base na Copa Paulista, sucumbiu a uma oferta de investidores.

Claro, sempre há risco de sucesso ou fracasso, e na avaliação da diretoria, o investimento das pessoas que terceirizaram o time de futebol para a disputa do Campeonato Paulista foi a saída “menos ruim”. Uma tentativa de manter as portas do Jayme Cintra abertas e ter sobrevida por 3 meses.

E agora, como tem sido o início dos trabalhos?

No mínimo, questionável. Há de ser transparente para se obter confiança, e aqui se peca ao não dizer as claras de onde vem o dinheiro, quem são os investidores e outras explicações mais lúcidas. Se os parceiros não se revelam, acabam por permitir especulações, muitas delas ruins.

Sobre o técnico português Paulo Fernandes e sua Comissão Técnica: os jornalistas Heitor Freddo, Thiago Batista de Olim e Robson Moura já mostraram tudo sobre o que precisávamos saber: é de currículo fraco e aparentemente bem inferior ao Beto Cavalcante, o ex-treinador (e que conhece muito bem a A2 e o futebol do interior de SP). De repente, pode ser que Paulo nos surpreenda e monte um ótimo esquema de jogo moderno – e aqui virá o convencimento: no dia 31, com uma vitória contra o Bragantino na estréia do elenco profissional, mostrando que herdou o DNA do conterrâneo consagrado José Mourinho, o “One Special”!

Dispensar jogadores como fez na chegada é, em tese, natural (mesmo que achemos injusto na prática). Afinal, quem paga exige fazer tudo do seu jeito (e se estiver combinado que os investidores têm direito, paciência…).

O que me parece tudo isso?

Penso que o grupo de investidores não terceirizou, mas sim ARRENDOU o Galo. Dessa forma, também me parece o mesmo esquema usual em muitos clubes pequenos: alguém assume a camisa por um tempo, coloca seus diretivos técnicos e os jogadores que possam ter no seu cartel. Assim, a comissão técnica nativa do Paulista e jogadores com vínculo não seriam interessantes para quem coloca a grana para usar o clube como vitrine de negociação para os atletas que empresariam.

Tudo o que colocamos aqui é apenas impressão (ou mais uma das especulações permitidas pela falta de clareza de quem está colocando o dinheiro). Acho que o Paulista acerta em arriscar para sobreviver, mas deve ficar de olho aberto. Mas cá entre nós: nenhum maluco vai jogar dinheiro fora, e nesses tempos de futebol business, o(s) investidor(es) querem ter lucro. No caso do parceiro do nosso Paulista, o prejuízo será grande se, ao invés de agregar valor aos atletas e fazer um bom papel, o time se apresentar mal e desvalorizar a “commodity” chamada jogador de futebol.

Torçamos! Que o time vá bem na partida de estréia contra um rival tradicional, anime os torcedores e faça um bom papel. E tudo isso somente o tempo dirá…

 

Anúncios

Um comentário sobre “– Quais as primeiras impressões do Paulista FC?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.