– Darth Vader Lego.

Posso estar enxergando mal, mas esse Darth Vader em Lego (mega tamanho) está custando R$ 5.999,99 (mega caro).

Que “barato”! Não chegou “nem” a 6 mil reais (US$ 1,000.00).

Imagem

– Dias difíceis precisam de cores. E paciência.

A vida é um turbilhão de emoções. De dores. De alegrias. De decepções…

Você acorda bem. O dia não te trata bem. A vida sobre você é um desdém. E, claro, você não se colabora também. Aí, tudo dá errado.

E quando você não acorda bem, e as coisas não te ajudam também? Piorou!

Você se esforça, demonstra amor e sacrifícios, e tem alegria por tais atos. Mas a repulsa da sua presença – consciente ou inconsciente, pensada ou demagoga – te arrebenta no coração.

Quem te expulsa, pode fazê-lo até mesmo por amor. Mas um amor irracional, maldoso, que te magoa.

E você insiste em estar com os que você ama, mas nem todos querem estar com você (mesmo que eles os amem)…

Respeite fundo. Pare. Respire de novo. Dê tempo ao tempo. Perdoe. Faça de conta que nada aconteceu e continue. E, se precisar, arranje um tempo pra você. Isso é necessário!

Mas lembre-se: nunca cobre perfeição de comportamento das pessoas ou o mesmo amor que pode não ser correspondido. Você pode se decepcionar.

Enquanto isso, dedique-se às pessoas mais próximas que te amam. Por exemplo, sua própria casa. Continue mimando os outros, mas perceba que vale a pena evitar as dores de uma discussão.

Nestes dias que as coisas não dão certo e a mente fica acinzentada, nublada e sem vida, faça coisas que te distraia. Colha flores, contemple a natureza ou, simplesmente, vá colorir sua vida (como, por exemplo, registrando um botão de rosa tão vermelho como esse).

Não se esqueça: respire fundo!

– Dizendo adeus.

Nuvens dando adeus a mais um dia!
Bom descanso – e precisamos.

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #inspiração #mobgrafia #XôStress #clouds

– O bem humorado Papa, na brincadeira da Cachaça com o Brasil.

Sou fã de Francisco!

E se o Papa disse… o jeito é tomar pinga mesmo… 😂

Extraído de: https://www.terra.com.br/amp/noticias/mundo/brasileiros-nao-tem-salvacao-e-muita-cachaca-brinca-papa,fb7dd06d96980b07564cf268c054f3c4otz9ze40.html

“BRASILEIRO NÃO TEM SALVAÇÃO, É MUITA CACHAÇA”, BRINCA O PAPA

Em um momento descontraído no final da audiência geral nesta quarta-feira (26), no Vaticano, o papa Francisco fez uma piada com um grupo de brasileiros.
Ao caminhar pelo pátio de San Damaso, o Pontífice foi abordado pelo padre João Paulo, de Campina Grande (PB), que pediu orações para a população do Brasil. “Santo Padre, reze por nós, brasileiros”, disse.
Francisco, por sua vez, respondeu sorrindo: “Vocês não têm salvação. É muita cachaça e pouca oração”, brincou.
Um vídeo da brincadeira foi publicado nas redes sociais de correspondentes de rádio e televisão do país latino-americano.
Na última segunda-feira (24), o argentino também protagonizou um momento inusitado ao beber chimarrão oferecido pelo jornalista gaúcho Jackson Erpen, durante visita na redação da Rádio Vaticano.

Em: https://fb.watch/5KnVcPDlyh/

– Rumos da Carreira Profissional: Generalista ou Especialista?

Especialista ou generalista? O que fazer na Carreira? Como Fazer? Onde Fazer?

Tais dúvidas foram muito bem abordadas nesse ótimo texto de Adriano Silva, do “Blog do Executivo Ingênuo”, voltado aos estudantes de Administração de Empresas, jovens executivos e pós-graduandos.

Pela irreverência e ótima qualidade, dentro de um assunto corriqueiro à nossa formação profissional, compartilho com os amigos:

QUANTAS ALMAS VOCÊ TEM?

Tem gente que é especialista. Que define desde o comecinho da carreira o que deseja fazer da vida e decide, sobretudo, o que não quer fazer. Essas pessoas enveredam por um caminho profissional bem definido e não se afastam dele por nada. Costumam pensar o seu talento como uma coisa única e, portanto, recusam tudo que não for precisamente aquilo que escolheram fazer. Dizem para os outros e para si mesmas que só sabem fazer aquilo, que não sabem fazer outra coisa, e avançam por aquela carreira, vida afora, sem olhar para trás.

E tem gente que é generalista. Que gosta de fazer uma coisa mas não descarta fazer outras. Essas pessoas investem num caminho profissional mas mantêm sempre um olho nas alternativas, nas realidades paralelas. Costumam pensar seu talento como uma coisa multifacetada e, portanto, não raro, decidem ir lá ver que outra vida poderiam ter se tomassem outros rumos, se tentassem a mão em outras áreas. Alguns podem até ver profissionais desse naipe como inconstantes, como gente que antes de avançar demais em um determinado caminho, troca de caminho e começa tudo de novo. Mas eles preferem se ver como talentos irrequietos, profissionalmente curiosos, ávidos por conhecer mais e viver coisas novas. E, assim, tratam de viver várias vidas numa só.

Eu acho que, no fundo, tenho alma de especialista. Sinto uma certa inveja de quem se embreta num só fazer sem medo algum de abrir mão do descortínio, de não contar com tantas rotas de fuga e saídas de incêndio caso aquela carreira deixe de oferecer boas oportunidades e simplesmente vá para o vinagre. No entanto, minha carreira tem sido bastante generalista. Devo ter também, em algum lugar (não precisa dizer onde), um bichinho que me faz sempre romper o horizonte, quebrar as paredes e colocar as minhas eventuais competências sempre em vários cestos ao invés de jogá-las integralmente num cesto só. Ainda não sei se isso mais me ajuda (tenho de fato construído algumas obras relevantes ao longo da carreira) ou mais me prejudica (será que eu poderia ser muito melhor em alguma coisa específica se eu tivesse me entregado a ela de corpo e alma há duas décadas?)

Enquanto não sei responder a isso, vou vivendo. Escapando do tédio do especialista – às vezes com nostalgia de uma carreira com um escopo menor. E vivendo as turbulências dos vários recomeços do generalista – às vezes com vontade de ter um pouquinho mais de mesmice e calmaria em minha rotina.

E você?

Resultado de imagem para generalista ou especialista

– Já abasteceu combustível no Posto Corinthians?

Fui dono de Posto de Combustíveis por muitos anos, e sei que ramo de atividade complicadíssimo é esse. 

Pois bem: há alguns dias foi inaugurado um posto licenciado pelo… Corinthians! 

Diferente e arriscado. Só as grandes redes estão sobrevivendo neste mercado tão marcado por máfias (a Lava-Jato que o diga…). Curioso para saber o desenrolar da operação.

Compartilho, extraído de: https://vejasp.abril.com.br/cultura-lazer/posto-do-corinthians/

POSTO CORINTHIANS FOI INAUGURADO

O Posto Corinthians foi inaugurado no sábado (1º) na Zona Leste da cidade. Com decoração em preto e branco, a estação de abastecimento fica a cerca de dois quilômetros da Neo Química Arena, o Itaquerão. O estabelecimento funciona 24 horas por dia.

Licenciado para o Grupo CPN, o espaço deve se tornar ponto de encontro de torcedores. Quando a pandemia arrefecer, jogos devem ser transmitidos em dois telões na área externa, onde há uma arquibancada de concreto.

O espaço tem ainda um memorial de brasões e bandeirões e uma loja de conveniência, que vende produtos licenciados  do time. Parte do faturamento do posto é revertido ao Corinthians, de acordo com o clube.

Posto do Corinthians. Avenida Líder, 2000, Itaquera.

Duas imagens que mostram o posto. À esquerda, com o mascote de time à frente. À direita, um ônibus preto.

– Minha combinação perfeita: o verde e o azul caipira.

🗾 Um céu limpo totalmente inspirador. Como não contemplar?

Eu amo esse Interior Paulista… especialmente nas cores azul e verde!

🙌🏻 ☀️ 📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#natureza #paisagem #fotografia #mobgrafia #inspirador #sky #landscapes

– O Hello e o Telefone!

Puxa, não sei onde li ou escutei, só sei que: logo após o telefone ser inventado por Graham Bell,  criou-se uma regra de, ao atendê-lo, para a pessoa saber que você estava na linha, dizer: “você está aí” ou “tem alguém do outro lado”?

E sabe como surgiu o alô?

Com o pai da lâmpada elétrica, Thomas Edson! Ele se habitou a dizer Hello, e a moda pegou. O “Hello” virou “Alô” e até hoje é usado.

Imagem relacionada

– A Trindade Santa e o Genoma

Anos atrás, numa liturgia dominical que celebrava a Santíssima Trindade na Igreja Católica, ouvi e  resgato um texto de uma bela homilia do Papa Bento XVI, dizendo que: “O ser humano tem em seu genoma o sinal profundo da Trindade, do Deus-amor”.

Interessante, profundo e significativo!

Abaixo, da Rádio Vaticano, e extraído do Blog de Jeferson Ferreira, em: http://jefferreira.blog.terra.com.br/2009/06/07/papa-bento-xvi-fala-sobre-a-santissima-trindade/

“Deus é todo amor, só amor, amor puríssimo, infinito e eterno. Não vive em uma esplêndida solidão, mas é uma fonte inesgotável de vida que se doa e se comunica incessantemente”, destacou o Papa Bento XVI neste domingo, 7, dia da Santíssima Trindade. Cerca de 50 mil peregrinos estiveram presentes na Praça São Pedro para a oração mariana do Ângelus com o Papa. O Santo Padre lembrou as três solenidades do Senhor que a liturgia nos propõe após a festa de Pentecostes: Santíssima Trindade, Corpo de Deus e Sagrado Coração de Jesus.

Cada uma destas celebrações sublinha uma perspectiva a partir da qual se abrange todo o mistério da fé cristã: a realidade de Deus Uno e Trino, o Sacramento da Eucaristia e o centro divino-humano da Pessoa de Cristo”, destacou. Trata-se, na verdade, de “aspectos do único mistério da salvação”. “Num certo sentido, resumem todo o itinerário da revelação de Jesus”.

Bento XVI referiu-se então sobre “a Santíssima Trindade tal como a fez conhecer Jesus”: “Criador e Pai misericordioso; Filho Unigênito, eterna Sabedoria encarnada, morto e ressuscitado e o Espirito Santo que tudo faz mover, cosmos e história, em direção à recapitulação final”.

“Três Pessoas que são um só Deus porque o Pai é amor, o Filho é amor, o Espírito é amor. Deus é todo amor, só amor, amor puríssimo, infinito e eterno”.

Deus não está fechado em si mesmo, e para constatá-lo, é suficiente observar o macro-universo: nossa terra, os planetas, as estrelas e galáxias; mas também o micro-universo: células, átomos, partículas elementares.

“Em tudo o que existe, está impresso o nome da Santíssima Trindade, porque tudo provêm do amor, é voltado ao amor, e se move impulsionado pelo amor, naturalmente em níveis diferentes de consciência e liberdade”.

O Papa explicou ainda que a Santíssima Trindade, são “três Pessoas que são um só Deus, porque o Pai é amor, o Filho é amor, e o Espírito é amor”.

“A maior prova de que somos feitos à imagem da Trindade é que somente o amor nos faz felizes, pois vivemos para amar e ser amados”, disse o Papa, que usou uma terminologia científica.

“O ser humano tem em seu genoma o sinal profundo da Trindade, do Deus-amor”.

Após rezar a oração do Angelus, o Papa saudou os peregrinos em várias línguas, e em espanhol, exortou os fiéis a proclamar a fé em Deus Pai, que enviou ao mundo seu Filho, Caminho, Verdade e Vida, e o Espírito da santificação, para revelar aos homens seu imenso amor, resgatando-os do pecado e da morte.

bomba.jpg

– O Red Bull Bragantino se torna modelo a ser seguido no Brasil.

Eu sou defensor inconteste do clube-empresa, seja para os pequenos clubes formadores (um exemplo bacana: o Metropolitano, de Jundiaí, que tem seus objetivos bem claros dentro dos seus propósitos em revelar atletas) ou para os grandes conglomerados (o City Group, dono do Manchester City e outros tantos times, é o exponencial: vide o magnífico CT construído para o Montevideo City Torque, sua recente aquisição).

Se o propósito é ter lucro, ganhar títulos, apresentar talentos jovens, fazer marketing ou simplesmente sobreviver, não importa. Importa é que a realidade está aos nossos olhos e será inevitável no futuro: os grandes de hoje não serão necessariamente grandes daqui há 20 anos!

Quando estamos na história, não a percebemos acontecer com profundidade. Nos anos 60, o inglês Nottingham Forest era campeão da UEFA Champions League. O Nuremberg era o “grandão” da Alemanha, e o Botafogo servia a Seleção Brasileira (em seus melhores anos) com metade do seu plantel. E hoje, como estão esses outroras incontestáveis clubes grandes?

Escrevemos sobre “grandeza dos clubes” quando o próprio Botafogo caiu, e abordamos os “conglomerados de clubes-empresas” aqui: https://wp.me/p4RTuC-teV.

Pois bem: o Red Bull Bragantino tem feito muito bem a sua parte, classificado para a segunda fase da Copa Sulamericana após uma combinação de resultados e sua vitória fora de casa contra o Tolima (somente o 1o do grupo se classifica nesta competição). E os demais brasileiros, o que fizeram? Vide o Corinthians, eliminado logo no quarto jogo dos seis existentes.

A fase de maior conquistas de títulos do Paulista de Jundiaí (se considerados os anos de parceria em relação à proporcionalidade dos anos de sua centenária história) foi como clube-empresa junto à Parmalat, quando o time mudou o nome para Etti Jundiaí – e deixou, além dos acessos no Brasileirão e no Paulistão (com títulos nas divisões inferiores), a semente que frutificou na Copa do Brasil. Depois da co-gestão e da colheita desses louros, sucumbiu à quarta-divisão estadual.

Diferente de co-gestão, o Red Bull é dono dos clubes que administra. E é essa a nova tendência: clube ter dono, como na Inglaterra, na Itália, nos EUA…

Engana-se que o futebol não muda. Ele é dinâmico e não percebemos – dentro e fora de campo. Quem resistiu aos modelos WM de jogo, ficou para trás. Quem imaginaria o sistema de Cartões Amarelos e Vermelhos, substituições e impedimentos com dois atletas atrás da linha da bola nos anos 40? Como pensar que o poderoso Paulistano, tão campeão no Estado de São Paulo, seria uma lembrança no futebol paulista? Ou ainda: que nos tempos em que negros eram excluídos do futebol e que imperava o amadorismo (com a humilhação das histórias do pós-de-arroz), hoje possuiriam salários milionários por mês e estariam até jogando em seleções nórdicas?

Tudo se transforma. Talvez nossa geração não veja os “novos grandes”, mas ocorrerá com nossos filhos ou netos. Garotos de 12 anos não sabem que a Portuguesa, o América e o Bangu tinham certa frequência em 1as divisões, mas conhecem as escalações de Barcelona, Real Madrid ou PSG. Aliás, o que era (nem existia) o PSG nos anos 50? O Bayern era inexistente até os anos 70…

Mesmo se o Massa Bruta / Toro Loko não tivesse se classificado, o trabalho dentro e fora de campo é ótimo. Quiçá São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Santos fizessem isso…

Em tempo, é óbvio que existe resistência de alguns torcedores: dos que se apegam ao saudosismo, dos que relutam à modernidade em nome do “futebol-raiz” e dos que invejam o modelo e não o tem. À eles, a comparação é fácil: não usem o celular, mas sim o telefone fixo; não comprem Smart TVs, mas usem a de tubo; fiquem no Raio X e ignorem as Ressonâncias Magnéticas modernas. Ou, simplesmente, optem insistentemente pela máquina de datilografar ao invés do computador.

Os usuários desses equipamentos antigos (ou jogadores e torcedores de futebol) podem ser os mesmos, mas ficarão defasados com o passar dos anos até ficarem excluídos (ou serem bulinados) pelo tempo. Claro, o torcedor mais fanático não pensa em nada disso (até porquê o fanatismo impede a racionalidade).

IMPORTANTE: clube nos modelos tradicionais, se fica deficitário, empurra a dívida com a barriga. Clube-empresa, se tem prejuízo e não resolve, quebra. E isso significa: independente do modelo, a competência sempre deverá vir em primeiro lugar.

– A 1a geração onde os filhos têm QI menor que os dos pais. E a culpa é de quem?

Pela primeira vez na história, uma geração é menos inteligente do que os seus pais. E a culpa é das telas!

Extraído de: https://saude.abril.com.br/blog/pediatria-descomplicada/familia-digital-o-abuso-de-telas-cobra-um-preco-alto-de-todos/

O ABUSO DAS TELAS COBRANDO UM PREÇO ALTO DE TODOS

Não desgrudar de dispositivos tecnológicos atrapalha o desenvolvimento pleno das crianças e afeta o convívio familiar. Precisamos rever esse hábito

É um jantar típico de família. Os celulares estão apoiados sobre a mesa. Cada um possui seu próprio aparelho, que vibra de cinco em cinco segundos, chamando para algo que certamente pode esperar.

O pai utiliza fones sem fio e está numa call interminável. A criança mais nova é colocada diante de um tablet – que passa Mundo de Bita ou Galinha Pintadinha – para que consiga permanecer à mesa. O filho adolescente está preocupado em terminar logo o jantar para postar uma selfie com um filtro novo no Tik Tok. Ao fundo, a televisão ligada anuncia algo no noticiário. Parece uma cena comum para você? Essa é a mais nova geração digital. Ou melhor, família digital.

O fato é que nunca estivemos tão conectados com o mundo que nos cerca – as informações voam. Mas isso não é necessariamente um problema. A grande questão é o tempo que dedicamos às novas tecnologias. Pode reparar: não fazemos ideia da quantidade de horas que passamos em frente às telas. O turno de trabalho acaba e continuamos ali, passeando na rede social, assistindo a séries ou filmes, lendo notícias e fofocas, vendo lives…

O mais assustador é que esse tipo de comportamento se agrava sem nem percebermos. O tempo de tela foge do controle dos pais quando um tablet ou celular cai na mão de uma criança. Pior: perdemos a noção do que elas estão vendo. E é importante lembrar que, fora músicas inocentes e jogos educativos, as redes estão cheias de conteúdos perigosos, com insinuação sexual e cyberbullying, além de vídeos que estimulam o consumismo, definindo o comportamento do jovem e do adolescente.

Temos que refletir sobre onde chegamos. Afinal, o tempo de ócio criativo deixa de existir quando uma tela entra em jogo. Perde-se a capacidade de pensar, inventar, criar histórias. Perde-se a oportunidade de se relacionar com o outro, de dar risada e de curtir momentos em família – como acontecia na mesa de jantar.

Não precisamos (ou não deveríamos) ficar online o tempo todo. Esse comportamento nos desconectou da presença real, do olho no olho e da convivência em família. Isso tudo precisa ser resgatado – e urgentemente.

Estudos de neurociência mostram que o cérebro humano é capaz de fazer 700 a 1 mil conexões cerebrais por segundo nos primeiros anos de vida. Aos 2 anos de idade, teremos mais conexões cerebrais do que aos 6 anos. Apenas as mais importantes serão mantidas até a vida adulta. Que memórias e aprendizados você quer oferecer ao seu filho?

Viva o mundo real

Penso que o desenvolvimento da criança está intimamente ligado à vivência que ela tem do mundo. O brincar, o contato com a natureza e a relação com o outro, por exemplo, são momentos importantes de aprendizado. Muitas tarefas e estímulos podem e devem ser orientados, mas essas experiências mais livres permitem que a criança exercite a capacidade criativa em seu máximo potencial.

São aspectos do desenvolvimento que não podem ser conquistados através de uma tela. Por isso, refiro-me a esse aspecto de alienação digital: devemos perceber o quanto o uso dos eletrônicos nos privaram de tantas outras coisas essenciais.

Longe de mim ser contra o avanço da tecnologia! Seria negar o mundo que nos cerca. Nossos filhos nasceram na era touch, com a facilidade de ter tudo na palma da mão. O digital faz parte da vida deles. O grande dilema, faço questão de frisar, é o mau uso desses recursos.

Segundo o neurocientista francês Michel Desmurget, vivemos um momento histórico, no qual, pela primeira vez, os filhos têm um quociente de inteligência (o famoso QI) mais baixo que o dos pais. Em outras palavras, a geração atual tem menor capacidade cognitiva, apresentando problemas de linguagem, concentração, memória e cultura.

Isso é decorrente da diminuição das interações sociais, da piora da qualidade do sono, do aumento de atividades que não exercitam a mente, entre outras coisas que estão, no fundo, intimamente associadas ao uso abusivo das telas.

De parceiros a vilões

Os dispositivos digitais se transformam em um problema no momento em que deixamos de interagir com nossos filhos da forma que deveríamos. Veja: o cérebro deles é estimulado de outra maneira quando se divertem ao ar livre, usam jogos e brinquedos reais e lidam com pessoas de carne e osso.

Com a pandemia de coronavírus, a situação ficou ainda mais crítica. Afinal, atividades essenciais, como a ida à escola, ficaram restritas (quando possível) ao universo online. E, assim, passou-se um ano inteiro.

Sem falar que muitos pais liberaram as telas não apenas para as aulas, mas também para atuarem como passatempos, já que, além de cuidar das crianças, precisavam trabalhar e manter a casa em ordem.

Mas, como minimizar os danos? Como sobreviver às condições que uma pandemia nos impôs? É urgente que tomemos as rédeas e saibamos controlar o que nossos filhos estão vendo e por quanto tempo. Trago aqui algumas dicas de sobrevivência à tecnologia – elas servem inclusive para os adultos.

1. Comece impondo limites para todos: momentos em família nunca devem acontecer com o celular, tablet ou qualquer tecnologia individual sendo utilizada. Aproveitem o tempo para conversar e interagir de forma real.

2. O horário de refeições deve ser sagrado: nada de celulares à mesa.

3. Controle o tempo de uso: para crianças abaixo de 2 anos, as telas devem ser evitadas ao máximo. Para crianças de 2 a 5 anos, limitar a uma hora por dia. Dos 6 aos 10 anos, permita de uma a duas horas diárias. Para adolescentes entre 11 e 18 anos, de duas a três horas por dia é o suficiente. Todas as atividades devem ser supervisionadas e ter intuito educacional.

4. Não existe segredo na internet! Os pais devem estar cientes dos conteúdos que os filhos assistem, e tomar especial cuidado com aqueles de cunho violento e sexual (com nudez e pornografia), além das práticas de cyberbulling.

5. Tenham (todos) um momento de desconexão. Promova o contato com a natureza, a prática de exercícios físicos e as atividades ao ar livre – que sejam possíveis nesse momento.

6. Estejam atentos aos sinais de que algo não vai bem, como alteração de comportamento, agressividade, irritabilidade, dificuldade para dormir, sonolência excessiva durante o dia ou mesmo apatia. Tudo isso pode sinalizar depressão, ansiedade e até mesmo experiências de violência na internet.

7. Deem o exemplo enquanto pais, aprendendo também sobre o uso racional das tecnologias, já que isso afeta toda a família.

Seguimos nesse processo de constante aprendizado, lembrando sempre que a primeira infância só é vivida uma única vez.

criança brincando com tablet

Excesso de telas traz repercussões para a família toda. Foto: Robo Wunderkind/Unsplash/SAÚDE é Vital

– Wonderful Morning.

06h00 no Lago do Taboão!

🇺🇸 An extremely beautiful dawn in Bragança Paulista, interior of Brazil. Cheer the nature!

🇧🇷 Um amanhecer extremamente bonito em Bragança Paulista, interior do Brasil. Viva a natureza!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#sky #céu #landscapes #horizonte #fotografia #paisagem #inspiração #mobgrafia #XôStress #bragançapaulistasp #morning

– Brasileiros vencem e estão nas Oitavas da Libertadores.

Há tempos não tínhamos uma noite de vitórias tão convincentes de Brasileiros na Libertadores, não?

Abaixo, um resumo extraído de: https://asantosmatheus.wordpress.com/2021/05/26/brasileiros-vence-e-estao-na-oitavas-da-libertadores/

BRASILEIROS VENCEM E ESTÃO NAS OITAVAS DA LIBERTADORES

por Matheus Santos

Clubes vencem e estão na fase eliminatória.

Atlético-MG, São Paulo e Fluminense vencem seus jogos e estão nas oitavas de final da competição Continental – ambos venceram seus jogos coincidentemente por 3 e esperam seus adversários. O sorteio será na próxima terça-feira dia 1 de Junho.

FLUMINENSE VENCE NA ARGENTINA

Clube fez uma bela partida na Argentina e se classificou em 1 no seu grupo.

O Fluminense foi à Argentina jogar contra o confiante River Plate, e venceu com uma excelente partida do atacante Fred, com um gol e duas assistências.

VENCE E CONVENCE

Com 8 pontos na tabela de classificação do grupo D, o Fluminense precisava apenas de si para classificar e conseguiu o seu objetivo. Com gols de Fred, Nenê e Yago.

CAIO PAULISTA ABRIU O PLACAR

Jogador abriu o placar na Argentina.

Logo aos 22 minutos do primeiro tempo depois de jogada de Fred, o atacante fez um belo passe na área para Caio Paulista abrir o placar no Monumental de Nuñes.

NENÊ AMPLIA

Jogador fez o segundo do time visitante.

Depois de abrir o placar o Fluminense continuou atacando, até novamente Fred, depois de um belo passe por elevação para Nenê, que chegou chutando a bola – que ainda desviou na defesa Argentina e foi parar no fundos das redes novamente.

RIVER DIMINUI NO SEGUNDO TRMPO

Já não precisando de si para classificar, o River Plate teria de ir para cima do Fluminense, mas a situação ficou complicada depois que Maidana foi expulso no início do segundo tempo.

Mas aos 40 minutos da segunda etapa a equipe Argentina diminuiu com Girotti depois de um bom cruzamento de seu companheiro.

YAGO FELIPE FEZ O TERCEIRO

Jogador fez o 3 e decretou a vitória do time brasileiro.

Já no final da partida, com o placar de 2 a 1, no contra ataque com a defesa do River Plate bagunçada, Abel Hernández tocou para Yago Felipe livre, que não desperdiçou e fez o 3 e definiu o jogo.

RIVER SE CLASSIFICA APESAR DA DERROTA

Mesmo com a derrota por 3 a 1 dentro de casa para o Fluminense e com o resultado favorável do outro jogo, já que Santa Fé e Júnior de Barranquilia empataram por 0 a 0. O time Argentino se classificou.

Agora os 2 clubes esperam por sorteio na próxima fase da competição, podendo se enfrentar novamente.

SÃO PAULO VENCE EM CASA

Tricolor venceu em casa.

No jogo 300 do São Paulo na Libertadores, o Tricolor Paulista venceu em casa e também se classificou. Tricolor atacou, teve paciência fez 3 a 0 e se classificou em segundo em seu grupo.

BRUNO ALVES ABRIU O PLACAR

Zagueiro inaugurou o placar da partida.

Logo aos 24 minutos depois de cruzamento na área em cobrança de escanteio, o zagueiro tricolor subiu mais alto que a defesa adversária e abriu o placar no Morumbi.

Com a placar aberto, o São Paulo no primeiro tempo (continua no link acima).