– Inclusão, de maneira bem didática:

Se você tem dúvida de como explicar o que é INCLUSÃO, o desenho abaixo lhe ajudará a entender de maneira claríssima:

89661391_1020988164940393_5349997102837530624_o

– Que falta de respeito, Federação Paulista e CBF! O Novo Coronavírus é seletivo?

Revoltante a decisão da FPF de proibir a presença de público na cidade de São Paulo (e que depois foi a mesma da CBF, incluindo a cidade do Rio de Janeiro) nas partidas de futebol.

Quer dizer que o torcedor do Interior Paulista e Fluminense são imunes ao Covid-19?

Tudo o que eu disse antes dessa decisão sobre os envolvidos numa partida de futebol (leia aqui: https://wp.me/p4RTuC-p3l), reitero: árbitros, imprensa, comissões técnicas e jogadores também podem ser infectados pelo vírus e podem passar (sem saber e nem ter sentido sintomas) às pessoas dentro dos grupos de riscos.

Será que o Coronavírus não atinge caipira (essa é uma expressão respeitosamente carinhosa e cultural, pois eu sou caipira) pela lógica burra da FPF? Não tem que ter portão fechado (até porquê existe aglomeração fora dos estádios, onde torcedores se juntam para acompanhar as partidas). Tem que suspender as partidas. 

Se na Europa os jogadores jeans foram infectados, por quê atleta brasileiro seria imune?

Ou é falta de sensibilidade, ou é ganância demais. E uma 3a hipótese: burrice!

Resultado de imagem para torcedor trsite

 

– Boulos e a vacina cubana: o Fanatismo que cega…

Pelo twitter, escreveu Guilherme Boulos, do PSOL:

Vacina contra o coronavirus utilizada na China foi produzida em Cuba. De tanto gritarem “vai pra Cuba” acabarão indo todos…

Mas que irresponsabilidade é essa? Não existe vacina para o Covid-19, nem produzida para Cuba nem produzida por China, Israel ou EUA.

Será que é uma “barrigada” que ele caiu e acabou virando divulgador de Fake News, ou simplesmente a adoração aos regimes-irmãos (é só ver as entrevistas onde ele defende ditaduras como Cuba e Venezuela) que o faz estar cego a bobagens como essas?

Lamentável… o Fake News, abaixo:

1584045077_5e6a9c152aa8f

– Cansou o Grenal, não?

De novo um jogo envolvendo Grêmio x Internacional (Grenal) com muita violência? Que coisa…

Deixou de ser um jogo de futebol, passou a ser um combinado nervoso de pessoa que se odeiam, onde a bola é apenas uma desculpa para brigar.

O árbitro argentino Fernando Rapallini expulsou 8 atletas (todos corretamente). Mas poderia ter mandado muito mais…

Mais um exemplo de fanatismo que maltratada a sociedade…

Resultado de imagem para grenal arapallini

– A Prática do Slow Work nas Empresas

Um movimento ganha corpo no mundo organizacional: o de reduzir o ritmo frenético de trabalho que tanto estressa os profissionais.

Você conseguiria participar da turma do Slow Work?

Extraído de: http://is.gd/t1YoBz

DESACELERE O TRABALHO

Essa é a máxima do movimento slow work: quanto mais flexível for o ambiente profissional, mais produtiva será a equipe.

Natália Martino

Executivo de uma multinacional espanhola, Leonardo Ricciardi, 35 anos, iniciou 2012 como um típico profissional de sucesso. Mas a remuneração alta cobrava seu preço: a diferença de fuso horário com a Espanha fazia seu dia começar às 4h30. Cansado dessa rotina, Ricciardi resolveu trocar de emprego em fevereiro. Hoje gerente de operações de uma empresa de tecnologia no Rio de Janeiro, ele ganha duas vezes menos do que no emprego anterior. Em compensação, trabalha como, quando e onde quer. “Abaixei meu padrão financeiro, mas acompanho o crescimento da minha filha e finalmente vou terminar meu curso de chinês, que adio há seis anos”, diz. Essa flexibilidade é uma das vertentes do slow work, “trabalho lento”. Apesar do nome, especialistas garantem que a estratégia pode aumentar significativamente a produtividade da empresa. “Somos bombardeados com informação o tempo todo e se espera que a resposta seja sempre instantânea, mas a resposta mais rápida nem sempre é a melhor”, disse à ISTOÉ Peter Bacevice, consultor da DEGW, multinacional especializada em melhorias nos ambientes corporativos.

“O conceito de slow work é basicamente facilitar a vida dos empregados”, diz Clara Linhares, professora de gestão de pessoas da Fundação Dom Cabral. A satisfação deles, por sua vez, aumenta seu comprometimento com a empresa e sua produtividade. Para gerar esse contentamento vale tudo que favoreça o florescimento de novas ideias e o equilíbrio da vida profissional e pessoal. Mas as mudanças precisam ser feitas com cuidado. “A dica é incorporar as mudanças aos poucos e depois de muito diálogo com os funcionários”, diz Clara Linhares. Sem pressa e com mais eficiência, como o próprio slow work.

Resultado de imagem para slow work

– Quaresma e Reflexões: como você tem vivido esse tempo forte da Igreja?

Estamos no Período Quaresmal, quando relembramos a Paixão de Cristo e refletimos sobre a vida.

Nesta época, devemos nos atentar a 3 santas práticas: o Jejum, a Caridade e a Oração.

ORAÇÃO nos ajuda a estarmos em diálogo com Deus; a CARIDADE nos aproxima dos nossos irmãos necessitados; já o JEJUM é em busca do nosso auto-controle.

Quanto ao Jejum, vale lembrar: não é deixar de comer carne e ir comer bacalhau. A idéia central é de abdicar de algo que gostamos e reverter em favor dos pobres. Se eu como muito, deixo de comer e com o dinheiro compro comida aos famintos; se eu perco muito tempo assistindo televisão, deixo de assistir e aproveito aquele tempo para praticar ações sociais. Enfim, é trocar algo que nos dá prazer em favor de ações fraternas.

Jejum, portanto, não é relacionado exclusivamente ao alimento, mas sim a atitude!

Particularmente, penso na Quaresma como um período de CORAGEM! Sim, coragem para mudar minha conduta, para abrir mão de algumas vaidades, para tomar decisões particulares, para aceitar desafios e principalmente: para ser uma pessoa melhorPara isso, intensifico essas 3 práticas citadas. Mas sempre me puxando a orelha para lembrar que, sem coragem e propósito de não vacilar, não conseguirei, já que nossa natureza é fraca e pecadora.

A propósito: se você é católico, não tenha vergonha em dizer: “estou vivendo o Tempo Quaresma buscando a conversando diária de maneira mais intensa!”

imgres.jpg

 

– O que a CBF e as Federações estão esperando para parar os campeonatos devido ao Coronavírus?

Para muitos, uma “gripezinha” que não deveria afetar as coisas. Para outros, algo muito sério que merece todas as ações preventivas. Mas vamos ser realistas e trazer à discussão o Novo Coronavírus no “campo esportivo”?

Eu tenho bastante saúde. Se eu contrair a gripe do Covid-19, me recupero bem rápido e sem dificuldades. Mas o problema é que será inevitável não ter contato, no dia-a-dia (em casa, na rua, em estabelecimentos, nos estádios ou nas igrejas), com crianças que tenham imunidade baixa e idosos com problemas respiratórios. A transmissão em massa será algo a se preocupar.

Repare: Mikel Arteta, treinador do Arsenal; diversos jogadores na Itália de todas as divisões; atletas do basquetebol na Espanha; funcionários da McLaren se preparando para a abertura da Fórmula 1… todos eles contraíram o vírus (sem contar artistas e demais personalidades). Só “lá no estrangeiro” que isso ocorre, aqui não ocorrerá?

Um jogador do PSG, da Roma, do Bayern, do Barcelona (Messi, por exemplo) são indiscutivelmente mais talentosos do que um jogador qualquer da 3ª divisão paulista. Ele ganha muito mais dinheiro do que seu colega aqui e traz mais receita ao seu clube. Porém, em dignidade humana são idênticos. Por quê no Exterior existe a preocupação com atletas como os dos clubes citados e no Brasil ninguém fez nada ainda?

Assim, por quê a CBF e a FPF estão demorando tanto para suspender seus torneios? Como eu, esses jogadores têm saúde boa e se relacionarão com outras pessoas (de boa ou má saúde) diariamente. O torcedor na arquibancada, de toda origem e característica diversa, idem. Dessa forma, mudar o cotidiano (em nome de quem pode ser vítima fatal – que são esses grupos de riscos) e estando com o estado de pandemia decretado, se faz necessário paralisar os jogos de futebol.

A Bundesliga estuda não ter campeões nem rebaixados em suas séries. Cancela-se, simples! E em 2021 recomeça sem time que subiu nem time que desceu. A Conmebol  adiou jogos da Libertadores e as Eliminatórias da Copa estão aguardando definições, por ordem da FIFA. No Mundo Desenvolvido afora, resumidamente, os campeonatos pararam. Será que no Brasil somos tão subdesenvolvidos a ponto de não perceber a gravidade, ou a cartolagem só pensa em evitar prejuízo financeiro?

Insisto: não é só com os outros que isso acontece. Convivo com crianças saudáveis e não saudáveis, idosos saudáveis e não saudáveis, e me preocupo com eles. Se eu pegar COVID-19 e me isolar, é uma coisa. Se eu pegar e, até eu saber que peguei, imagine quantas pessoas eu contaminei?

A hora de tomar providências é urgente. Afinal, a OMS não estaria de “cabelos em pé” e o mundo parando à toa. Só o futebol brasileiro é imune ao Novo Coronavírus? E nada de jogar com portões fechados, pois o contato físico existe dentro de campo.

Resultado de imagem para Futebol e Coronavírus

– Um Mundo Indesejado

Há anos, ocorreu o forte terromoto que vitimou milhares de pessoas no paupérrimo Haiti. A notícia é vencida. O povo já sofrido ainda luta para sobreviver. Mas o modo de vida da população é algo que assusta tanto quanto a tragédia. Leio no portal Terra a entrevista do enviado especial do site, Francisco de Assis, com a embaixatriz do Brasil no Haiti. É triste, assustadora, e desanimadora.

Como imaginar a vida das mulheres, num país em que elas engravidam sistematicamente, pois é o único período em que não apanham do marido? Como viver num local onde a mortalidade infantil beira 50%? A chance de uma criança nascer viva (isso não quer dizer saudável) é a mesma dela nascer morta.

Compartilho, extraído de: Terra (clique no link para citação)

HAITIANAS ENGRAVIDAM PARA PARAR DE APANHAR

Diante do caos que marca a rotina de Porto Príncipe, a embaixatriz do Brasil no Haiti conta detalhes dos bastidores do país após o terremoto do último dia 12. Em entrevista ao Terra, Roseana Teresa Aben-Athar Kipman relatou o alto índice de mortalidade infantil, a violência contra a mulher e comentou sobre o espírito de luta do povo haitiano, que, mesmo em plena catástrofe, ainda permanece de cabeça erguida.

O desastre
“O que posso dizer é que nos bairros onde os danos pessoais foram menores, menor foi o desastre. Justamente porque quando cai uma placa de zinco na cabeça, o ferimento é muito mais leve do que se cai uma laje de concreto. Então, você cai, faz um galo, levanta e vai embora. Quando uma casa de concreto cai em cima de você, há soterramento.”

Mortalidade Infantil
“A mortalidade infantil no Haiti é de cerca de 45%. As mães são subnutridas. As avós também. Não têm nem leite no peito. Tenho crianças que sequer se sentam. É preciso fazer um trabalho de recuperação de todas elas. Um trabalho a longo prazo.”

Violência contra mulheres
“Os homens engravidam várias mulheres ao mesmo tempo. As mulheres gostam da gravidez porque esse é o único momento em que elas não apanham. Elas vivem apanhando dos maridos, mas quando estão grávidas ficam nove meses sem apanhar. Por isso, quando falamos para as mulheres que elas precisam evitar a gravidez, elas retrucam que é o único momento em que não apanham. É impossível fazer um controle de natalidade no Haiti.”

O abuso contra as crianças
“Não são apenas as mulheres que apanham dos homens. As crianças também sofrem muito com esse tipo de violência. Há uma imposição grande por parte do sexo masculino e isso se reflete em violência. A situação das crianças aqui é sempre ruim. Foi sempre assim. Os pais não tem o mínimo de cuidado com os filhos. Essas crianças que perderam os pais no terremoto vão ter duas alternativas. Ir para orfanatos ou ficar nas ruas e se transformarem em bandidos.

Projetos Sociais
“Nenhuma atividade foi parada. Estamos trabalhando junto com o exército. A diferença é que a gente agora está recolhendo os mortos. Nunca havia recolhido nenhum morto. É o que acontece aqui. Nosso trabalho é excelente. Isso não é o trabalho de um, mas, sim, o trabalho de todos. Ninguém faz um trabalho sozinho.”

Voluntariado
“Eu sou voluntária. Todos são voluntários. Estou aqui porque quero. Se não quisesse estaria em outro lugar, mas cheguei aqui para trabalhar no Haiti e é isso que estou fazendo. Eu trabalho em vários lugares, com vários grupos religiosos. Se não há brasileiro em determinado país, eu não trabalho. Sou embaixatriz do Brasil para cuidar dos brasileiros.”

Segurança
“Ando com dois soldados disfarçados para me dar segurança. Eles ficam à paisana, sem mostrar as armas, mas por baixo das roupas, tenha certeza que estão com um armamento pesado. São os melhores fuzileiros da marinha brasileira. Tenho que andar de carro blindado. As coisas aqui são complicadas. Não é fácil entrar na periferia como as pessoas podem pensar. “

O trabalho na Embaixada
“A Embaixada do Brasil ficará inteira aqui. Mas qualquer um que quiser ir embora poderá. Nós decidimos que vamos ficar. Não vamos tirar os pés do Haiti. Viemos aqui para trabalhar e não vai ser agora, que o Haiti mais precisa da gente, que vamos embora.”

A reconstrução
“Já tem gente tirando pedras entre os escombros para reconstruir as casas. Tivemos um terremoto de 5.3 graus e mesmo assim eles estão trabalhando. Se você parar para pensar, ainda estão acontecendo terremotos aqui. As casas abaladas estão caindo. Mas mesmo assim você vê as praças cobertas por lonas de forma organizada. Foram eles que se organizaram. Eles que estão se arrumando”.

bomba.jpg

– Uma ótima 6a feira para todos!

👊🏻 Bom dia!
Verticalizando o esqueleto a fim de fazer o dia render!
Sem enrolar: vamos correr?
🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #corrida #sport #esporte #running
Clique 1:

🙏🏻 Correndo e Meditando:
Ó Virgem Maria, mãe de Deus e nossa também, rogai por nós que recorremos a vós, ó Imaculada Rainha da Paz. #Amém.”
⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #MãeDeDeus #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade
Clique 2:

🌺 Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das #flores. Tão coloridas e tão inspiradoras logo pela manhã…
Aqui, uma #pétala de #primavera.
🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #jardim #jardinagem #garden #flora #run #running #esporte #alongamento
Clique 3:

🌅 Desperte, #Jundiaí, com o clique deste #amanhecer de dias atrás!
Que a #SextaFeira possa valer a pena!
🍃🙌🏻 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #mobgraphy #mobgrafia
Clique 4:

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby