– E os times que “deixaram de ser” mas ainda são?

Dias atrás tivemos a Flórida Cup e ouvi muita gente falando do Glascow Rangers ter vencido o Corinthians por 4×2.

ERRADO, quem estava lá era o Rangers, com as mesmas cores e mesma torcida.

Ops. Mas era outro time mesmo?

Entenda: o Glascow Rangers, tradicional rival do Celtic, faliu! E voltou na última divisão com outro nome / razão social / estatuto / dados de fundação. Ou seja: quebrou, “mudou seus documentos” e ressuscitou como outra pessoa jurídica, zerado em dívidas.

Na Itália, a Fiorentina (e mais recentemente o Parma) fizeram a mesma coisa. Aqui no Brasil era comum você transformar o Vila Xurupita FC em Esporte Clube Vila Xurupita, mudando seu CNPJ e voltando sem dívidas.

É uma jogada complicada, pois a pergunta inevitável se torna: o Rangers herdou ou não os títulos do Glascow Rangers?

E a Fiorentina? Quer me convencer que não é o mesmo time “Viola” de Julinho Botelho, de Sócrates e de Batistuta, sediado em Firenze? Então tá…

Portanto, lembremo-nos: o Novo Horizontino que está no Paulistão da A1, não é o mesmo Novo Horizontino vice-campeão de 89, mas um novo time (com novos administradores, sem dívidas – embora com nome quase idêntico e as mesmas cores) que veio da 4a divisão para a 1a em um sério trabalho. Certo Globoesporte (que creditou ser a mesma agremiação)?

bomba.jpg

Anúncios

– Só aceito discutir política com quem não é fanático! Para coxinhas, mortadelas e bolsonaristas:

Minha geração viu a ditadura cair e o povo sofrido comemorar. Viu Maluf versus Andreazza na Eleição Indireta e enfim Tancredo posteriormente dando ar de esperança!

Minha geração acreditou num cara jovem e ao mesmo tempo um grande ator: Collor, o falso caçador de marajás.

Minha geração viu o primeiro impeachment do Brasil, liderado por Luís Inácio, um sindicalista que dizia não aceitar a corrupção.

Minha geração viu Itamar Franco ressuscitar a produção do fusquinha e se envolver no que era chamado escândalo na época: o presidente do “topete” namorar uma mocinha que curtia o Carnaval sem calcinha (e hoje existe tanta coisa por aí, que isso seria irrelevante).

Minha geração viu o preço dos produtos ser um valor X na manhã, Y à tarde e Z no dia seguinte. Ela tinha sido outrora iludida como “fiscal do Sarney” no congelamento de preços, engoliu o sequestro da poupança por parte da Zélia Cardoso e teve que ter esperança na URV do FHC, que um dia sentou na cadeira da prefeitura paulistana, afirmou ser ateu e que tinha fumado maconha – tudo isso em entrevista na Playboy e perdendo a Eleição para o Jânio por conta disso.

Minha geração vibrou com o frango a R$ 1,00, comemorou a horrorosa Seleção de 94 quebrar o jejum de títulos na Copa do Mundo e se encantava com a mocinha Maitê Proença contracenar com Lima Duarte, o Sassá Mutema. Não dava para fazer même dessas coisas, pois o Orkut (que nasceu e morreu) não existia, o Teletrin, sucessor do BIP, só aceitava texto e o embrião do telemóvel iria nascer com a Telesp Celular nesse período. 

Minha geração por muito tempo só tinha a viva lembrança de um único Papa – que ousava em ser polonês (um não europeu ocidental), e que nunca pensou em ter um representante no Vaticano que veio do “fim do mundo”, como o argentino cardeal Bergoglio dissera.

Minha geração viu o tumultuador Lula surgir e depois virar “paz e amor” de maneira demagógica para vencer as Eleições. E SEMPRE desconfiou dele pelo passado complicado.

Assim, se você não nasceu “na década de 70 para trás”, não tem familiaridade e nem viveu essas lembranças, como você vai querer polarizar uma discussão sobre política? Como dizer que Messi jogou mais bola do que Maradona (pior – duvidar de Pelé!)? De que forma querer me catequizar a respeito do que é “democracia” e mundo moderno?

Respeito todas as pessoas mais jovens e que não são dessa época. Mas é difícil entender que esses moços e moças querem ser donos da verdade, defendem cegamente a honestidade de Lula & Cia e pior: se acham “acima do bem e do mal”! Não viveram nada, não tem experiência de vida e ainda são fantochezinhos na mão de políticos – dos “bolsamitos, dos coxinhas e dos mortadelas (aí você identificou alguns termos do seu dia-a-dia). 

Pobres de espírito… não sabem nada, inocentes! E são enganados com alegria, gostam de causar na Web e, apesar dos pesares, ainda vão querer dizer que no tempo da Dilma a “poupança Bamerindus continuava numa boa”!

São ainda pessoas a amadurecer, mas que não ouse discutir com elas (elas – essas pessoas, os radicais). Jovens estudados se encaixam no rol de pessoas que vale a pena debater, além daqueles que têm uma vida suada e já estão no tempo da aposentadoria (e se recusam a aceitar o discurso de Temer sobre a Reforma da Previdência, defendida por aqueles que não largam o isso dos vencimentos acumulados desde o tempo do INPS).

Como é duro falar de política nesse país com respeito ao voto alheio!

bomba.jpg

– Ainda sobre R10…

Tenho escrito algumas coisas há dias sobre a magia do futebol de Ronaldinho Gaúcho e da sua falta de comprometimento com o profissionalismo na carreira. Mas ainda não escrevi nada depois do anúncio da sua aposentadoria!

Se pedirem para eu escolher os 4 maiores jogadores de futebol brasileiros que vi (desde que “nasci para o futebol”), escolheria: Zico, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Romário (e creio que estão no mesmo patamar de outros craques brasileiros como Zizinho, Vavá, Leônidas e Mané Garrincha, que só assisti por vídeo ou li em livros por conta da minha idade) – Pelé, claro, não vale.

Estamos falando de gênios. E gênios comprometidos com sua genialidade superfaturam o que querem. Títulos, troféus, fanáticos apaixonados para os admirarem ou dinheiro! Neymar está indo corretamente nesse caminho (por isso que não está citado na minha lista, afinal ele ainda é jogador e com a carreira em andamento). Ronaldinho Gaúcho galgou tudo isso em doses menores, preferindo ser um buon vivant.

Claro, o problema é só dele, já que poderia ter vencido mais bolas de ouro do que as duas que ganhou e preferiu curtir a vida. Sou sincero em afirmar: o auge de R10, para mim, supera o de Lionel Messi. Mas a duração da carreira de ambos é diferente por culpa da dedicação no que fazem!

Dava prazer assistir o brasileiro; era gostoso ficar no sofá, era ver o futebol-arte legítimo. Nas coletâneas em vídeo futuras, imagine o que poderemos ver.

Uma pena que o showman tenha superado tão precocemente o jogador profissional que existe dentro dele. Mas que enquanto jogou encantou, não há dúvida. A imagem positiva que fico dele é sendo aplaudido de pé pelos torcedores do arquirrival Real Madrid após capitanear uma incrível vitória em pleno Santiago Bernabéu. A negativa, quando recebeu a medalha olímpica com grande menosprezo falando num telefone celular.

bomba.jpg

– Uma excepcional semana para todos nós!

Uma rotina energizante da madrugada/manhã em 4 cliques:

1.Bom dia!
Começando a semana novamente. Tudo pronto para suar mais algumas vezes. Vamos correr nesta #madrugada abafada?
#Fui #RunningForHealth #run #cooper #corrida #saúde #sport #esporte #running
bomba.jpg

2.Correndo e Meditando:
“Ó #Jesus, vivo e presente em todos os #sacrários da face da Terra, socorrei-nos. #Amém.”
#Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #MãeDeDeus #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerânciabomba.jpg

3.Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das #roseiras.
#corrida #treino #flor #flowers #flor #pétalas #jardim #jardinagem #garden #flora #run #running #esporte #alongamentobomba.jpg

4.Desperte, #Jundiaí!
Ótima #SegundaFeira a todos.
#sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia #FotografeiEmJundiaí
bomba.jpg

BOA SEMANA PARA NÓS!