– Entendendo Lances de pé alto com base no Majestoso

Quando ouvimos falar de termos como solada, pé-alto, perna erguida e outros, lembramo-nos de pronto de “lance ilegal no futebol”. Mas será que isso realmente procede?

Vamos lá: tecnicamente, falamos em “jogo perigoso”. Se um atleta disputar a bola com a perna erguida, por exemplo, pode atingir um adversário e lesioná-lo. Se não atingir, o árbitro deve marcar tiro livre indireto, sem aplicação de cartão. Se atingi-lo, deve marcar tiro livre direto (não se pune com cartão, caso entenda que foi uma ação imprudente; aplica-se cartão amarelo, caso entenda-se jogada temerária; expulsa-se com o cartão vermelho, caso entenda força excessiva). Há ainda outra situação: quando dois atletas não se percebem, trombam e caem – aí é acidente de trabalho ou simplesmente  casualidade, não ocorrendo infração.

Mas o grande problema é: como entender se uma perna erguida é ou não jogo perigoso?

Li alguns comentários de torcedores querendo diferenciar uma disputa de bola com o bico da chuteira ou com a sola. Na verdade, o que se deve avaliar, independente de qual parte do pé: o risco de lesão.

Para fazer a avaliação, o árbitro deve considerar alguns fatores:

  • a- A bola está em que altura?
  • b- As pernas do jogadores estão erguidas ou não? Importante: um jogo perigoso pode ocorrer também no chão, com uma disputa de atleta que pratique um carrinho que atinja a bola com as travas, mesmo não atingindo o adversário.
  • c- Há disputa de bola ou o jogador está sozinho, sem levar risco a alguém?
  • d- A que distância os atletas estão para a disputa de bola?

O LANCE DE SÃO PAULO x CORINTHIANS, especificamente:

Na partida de ontem, a bola sobra para Alexandre Pato que está com a perna erguida. Já ter dominado ou não a bola será irrelevante para essa análise, já que a ação praticada na disputa deve ser levada em conta, e não o domínio efetivo. Ato contínuo, Rogério Ceni, que estava na disputa, chuta o pé do atleta corinthiano.

Vamos lá: se a bola estivesse no chão e ambos estivessem a disputando, logicamente pênalti inconteste e as nuances citadas não devem ser levadas em conta. Mas com a bola no alto, vale discutir:

1- Pato levanta a perna numa distância segura para disputa-la, ou, por estar em velocidade, deveria ser mais prudente e tomar cuidado para não levar risco ao goleiro são-paulino?

2- Rogério Ceni tenta atingir a bola e foi imprudente ao chegar atrasado e atingir o adversário, ou só o acerta pois a perna estava ainda levantada?

3- O principal ponto de discussão: Pato está com a perna erguida a uma distância segura ou não de atingir Rogério Ceni? E aqui você tem duas possibilidades, sendo que ambas são coerentes à Regra do Jogo:

3.1- Se você entende que a distância era suficiente para que Pato pudesse dar uma solada, ou toque, ou patada (não importa como) para tentar o domínio (independente se dominou ou não), então Pato não cometeu ilegalidade alguma e o chute de Rogério Ceni foi falta. Sendo na área, pênalti.

3.2- Se você entende que a distância era insuficiente para que Pato tentasse o domínio com segurança, então nesse instante deve-se marcar tiro livre indireto a favor do São Paulo FC, e a partir desse momento o jogo já está paralisado. Se Rogério Ceni o atingir ou não, não se pode marcar infração pois a partida estava parada (ou seria paralisada, caso o árbitro não tenha tempo de apitar o lance) por jogo perigoso. O pé alto precedeu o chute. Tal lance é como “pênalti em impedimento” – se um atleta está em impedimento, recebe a bola e antes do bandeira erguer seu instrumento o atacante sofrer uma falta do zagueiro, deve-se marcar tiro livre indireto contra a equipe do atacante, pois a partida já não valia mais no momento do chute do zagueiro (entretanto, devido a força do chute, o atleta pode receber a punição disciplinar e, curiosamente, até ser expulso com tiro livre a seu favor!)

Como se vê, as duas possibilidades explicadas em 3.1 e 3.2 serão escolhidas única e exclusivamente pela interpretação. O lance é difícil e não há absurdo na decisão ser uma ou outra.

Particularmente, entendi que houve infração de Pato; mas a outra decisão também é respeitável, como pudemos estudar.

O que não pode é relatar o lance como está na súmula do jogo: Segundo o árbitro, Rogério Ceni foi punido por “calçar o adversário”. Aí, não há imagem que mostre tal calço…

Sobre a análise da arbitragem da partida São Paulo 1 x 2 Corinthians, visite o link do Jornal Bom Dia / Diário de São Paulo, em:

http://www.redebomdia.com.br/blog/detalhe/18720/Analise+da+Arbitragem+de+Sao+Paulo+x+Corinthians

Ou no Blog Pergunte ao Árbitro:

http://pergunteaoarbitro.blog.terra.com.br/2013/03/31/empate-em-erros-capitais-na-vitoria-corinthiana/

Ou ainda no Blog de Contemporaneidades do prof Rafael Porcari:http://professorrafaelporcari.blog.terra.com.br/2013/03/31/empate-em-erros-capitais-na-vitoria-corinthiana/

imgres.jpg

E no lance acima, o que fazer?

– Entendendo Lances de pé alto com base no Majestoso

Quando ouvimos falar de termos como solada, pé-alto, perna erguida e outros, lembramo-nos de pronto de “lance ilegal no futebol”. Mas será que isso realmente procede?

Vamos lá: tecnicamente, falamos em “jogo perigoso”. Se um atleta disputar a bola com a perna erguida, por exemplo, pode atingir um adversário e lesioná-lo. Se não atingir, o árbitro deve marcar tiro livre indireto, sem aplicação de cartão. Se atingi-lo, deve marcar tiro livre direto (não se pune com cartão, caso entenda que foi uma ação imprudente; aplica-se cartão amarelo, caso entenda-se jogada temerária; expulsa-se com o cartão vermelho, caso entenda força excessiva). Há ainda outra situação: quando dois atletas não se percebem, trombam e caem – aí é acidente de trabalho ou simplesmente  casualidade, não ocorrendo infração.

Mas o grande problema é: como entender se uma perna erguida é ou não jogo perigoso?

Li alguns comentários de torcedores querendo diferenciar uma disputa de bola com o bico da chuteira ou com a sola. Na verdade, o que se deve avaliar, independente de qual parte do pé: o risco de lesão.

Para fazer a avaliação, o árbitro deve considerar alguns fatores:

  • a- A bola está em que altura?
  • b- As pernas do jogadores estão erguidas ou não? Importante: um jogo perigoso pode ocorrer também no chão, com uma disputa de atleta que pratique um carrinho que atinja a bola com as travas, mesmo não atingindo o adversário.
  • c- Há disputa de bola ou o jogador está sozinho, sem levar risco a alguém?
  • d- A que distância os atletas estão para a disputa de bola?

O LANCE DE SÃO PAULO x CORINTHIANS, especificamente:

Na partida de ontem, a bola sobra para Alexandre Pato que está com a perna erguida. Já ter dominado ou não a bola será irrelevante para essa análise, já que a ação praticada na disputa deve ser levada em conta, e não o domínio efetivo. Ato contínuo, Rogério Ceni, que estava na disputa, chuta o pé do atleta corinthiano.

Vamos lá: se a bola estivesse no chão e ambos estivessem a disputando, logicamente pênalti inconteste e as nuances citadas não devem ser levadas em conta. Mas com a bola no alto, vale discutir:

1- Pato levanta a perna numa distância segura para disputa-la, ou, por estar em velocidade, deveria ser mais prudente e tomar cuidado para não levar risco ao goleiro são-paulino?

2- Rogério Ceni tenta atingir a bola e foi imprudente ao chegar atrasado e atingir o adversário, ou só o acerta pois a perna estava ainda levantada?

3- O principal ponto de discussão: Pato está com a perna erguida a uma distância segura ou não de atingir Rogério Ceni? E aqui você tem duas possibilidades, sendo que ambas são coerentes à Regra do Jogo:

3.1- Se você entende que a distância era suficiente para que Pato pudesse dar uma solada, ou toque, ou patada (não importa como) para tentar o domínio (independente se dominou ou não), então Pato não cometeu ilegalidade alguma e o chute de Rogério Ceni foi falta. Sendo na área, pênalti.

3.2- Se você entende que a distância era insuficiente para que Pato tentasse o domínio com segurança, então nesse instante deve-se marcar tiro livre indireto a favor do São Paulo FC, e a partir desse momento o jogo já está paralisado. Se Rogério Ceni o atingir ou não, não se pode marcar infração pois a partida estava parada (ou seria paralisada, caso o árbitro não tenha tempo de apitar o lance) por jogo perigoso. O pé alto precedeu o chute. Tal lance é como “pênalti em impedimento” – se um atleta está em impedimento, recebe a bola e antes do bandeira erguer seu instrumento o atacante sofrer uma falta do zagueiro, deve-se marcar tiro livre indireto contra a equipe do atacante, pois a partida já não valia mais no momento do chute do zagueiro (entretanto, devido a força do chute, o atleta pode receber a punição disciplinar e, curiosamente, até ser expulso com tiro livre a seu favor!)

Como se vê, as duas possibilidades explicadas em 3.1 e 3.2 serão escolhidas única e exclusivamente pela interpretação. O lance é difícil e não há absurdo na decisão ser uma ou outra.

Particularmente, entendi que houve infração de Pato; mas a outra decisão também é respeitável, como pudemos estudar.

O que não pode é relatar o lance como está na súmula do jogo: Segundo o árbitro, Rogério Ceni foi punido por “calçar o adversário”. Aí, não há imagem que mostre tal calço…

Sobre a análise da arbitragem da partida São Paulo 1 x 2 Corinthians, visite o link do Jornal Bom Dia / Diário de São Paulo, em:

http://www.redebomdia.com.br/blog/detalhe/18720/Analise+da+Arbitragem+de+Sao+Paulo+x+Corinthians

Ou no Blog Pergunte ao Árbitro:

http://pergunteaoarbitro.blog.terra.com.br/2013/03/31/empate-em-erros-capitais-na-vitoria-corinthiana/

Ou ainda no Blog de Contemporaneidades do prof Rafael Porcari: http://professorrafaelporcari.blog.terra.com.br/2013/03/31/empate-em-erros-capitais-na-vitoria-corinthiana/

imgres.jpg

E no lance acima, o que fazer?

– A Burra e Birrenta Barra que é sustentar Feliciano

E o Pastor Marcos Feliciano, o mesmo que deu declarações homofóbicas e que afirmou que os negros são amaldiçoados desde Noé, que ainda não caiu do indevido cargo que lhe deram como presidente do Conselho dos Direitos Humanos da Minoria?

Incrível. Como um partido tão pequeno como o PSC tem tanta força junto aos demais? E como Dilma se mostra tão insensível com essa situação, que logo não intervém?

Mas uma curiosidade: o movimento gay faz manifestações quase que diárias contra ele. Porém, o movimento negro parece menos interessado. Por quê?

Sinceramente, não entendi até agora. E, na última sexta-feira, conforme publicado na FSP de hoje, outra “bola fora”: Disse que as críticas ao seu nome é por que “pela primeira vez na história do Brasil um pastor conseguiu ocupar o lugar que era dominado por Satanás”.

Ele se intitula enviado por Deus?

Está querendo buscar apoio de bancadas religiosas, mesmo não sendo uma Guerra Santa.

imgres.jpg

– Boas e Verdadeiras Notícias?

Ahmadinejad, o ditador iraniano, declara que não investirá mais na corrida armamentista;

Cuba anuncia eleições livres e democráticas no país;

– A China acaba com o monopólio político do Partido Comunista;

Deputados corruptos brasileiros aceitam renunciar ao cargo e devolver o dinheiro desviado;

– A Coréia do Norte resilve abrir as fronteiras e discutir a unificação da Coréia do Sul;

Analfabetismo no Brasil tende a cair sensivelmente até o final do ano;

– Número de homicídios em SP cai para Zero;

Marco Polo Del Nero renuncia à Federação Paulista de Futebol.

E… 1o de Abril !!!

Triste… mas são simplesmente desejos que não se realizam facilmente.

imgres.jpg

– Globo e dono da Claro querem dominar a América Latina

Calma, é algo normal no mundo das empresas. É que a Rede Globo quer se associar ao bilionário das comunicações Carlos Slim e comprar emissoras de televisão no continente. Uma parceria de gigantes…

Extraído de: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/globo-quer-comprar-emissoras-junto-com-slim-diz-blog

GLOBO QUER COMPRAR EMISSORAS JUNTO COM CARLOS SLIM, DIZ BLOG

Empresa de mídia e maior bilionário do mundo teriam começado a negociar a aquisição de outras empresas na América Latina

A maior empresa de mídia do país e o homem mais rico do mundo estudam comprar juntos outras emissoras na América Latina. Segundo informações do blog Radar, de Veja, a Globo teria iniciado conversas com Carlos Slim, dono da América Móvil, para a aquisição de outras empresas em vários países da região.

Se for para frente, essa não será a primeira vez que as duas partes dividem participações em um mesmo negócio. Como se sabe, a Globo detém uma fatia minoritária na Net, empresa controlada pela América Móvil. A companhia de Slim também tem Embratel e Claro na sua carteira de ativos no Brasil. Avaliada em mais de 36 bilhões de dólares, a gigante de telecomunicações é uma das principais fontes de receita do empresário mexicano.

A notícia vem à tona pouco tempo depois das Organizações Globo divulgarem seus resultados financeiros de 2012. No ano passado, o grupo lucrou 2,9 bilhões de reais, um aumento de 35,9% sobre o consolidado de 2011. A receita líquida da empresa, por sua vez, subiu 32,4%, chegando a 12,2 bilhões de reais.

Em se tratando de negócios no setor, Slim também anunciou, na última semana, a compra dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, em 2016. A empresa terá exclusividade sobre a exibição para a América Latina, com exceção do Brasil – por aqui, os direitos serão divididos entre Globo, Record e Band.

imgres.jpg