– Fatos Comuns que se Tornam Graves Crimes no Oriente Médio

Olha que matéria curiosa: a Revista Superinteressante trouxe 8 fatos corriqueiros para nós do Ocidente, mas que são crimes / pecados gravíssimos em alguns países árabes. Compartilho:

8 coisas do seu dia-a-dia que são proibidas em países islâmicos radicais

Carolina Vilaverde 28 de setembro de 2012Em setembro de 2011, a história de Kainat Soomro comoveu o mundo. A paquistanesa de 17 anos foi sequestrada, estuprada por 4 homens e, por pouco, não teve que morrer para lavar a própria honra. É que, segundo a tradição islâmica, mulheres que fazem sexo antes do casamento trazem vergonha para a família e devem ser punidas com a morte. Mas a família de Soomro enfrentou a tradição. O resultado: eles foram perseguidos, receberam ameaças de morte e tiveram a casa atacada.

Casos como esse reforçam a polêmica em torno do islamismo no ocidente. Claro, nem todas as nações islâmicas são tão radicais. Mas casos extremos e fundamentalismo existem em qualquer lugar e religião. Aqui, mostramos coisas que são comuns no seu dia-a-dia, mas que seriam condenáveis em países muçulmanos conservadores:

1. Acessar a internet livremente

Muçulmanas no computador

Você que passa horas navegando na web e adora falar mal do governo pelo Facebook, jogue as mãos para o céu e agradeça por morar no Brasil. Durante o regime de Hosni Mubarak, o Egito não censurou diretamente a internet, mas manteve seus principais blogueiros e críticos do governo sob constante vigia. Mubarak caiu, mas a prática continua. Pessoas têm sido perseguidas, ameaçadas e até presas por criticar os rumos do país na web, segundo um relatório do Reporters Without Boarders de março de 2012.

Outro país com restrições é o Irã. No começo do ano, quando a Revolução Islâmica completou 33 anos, o acesso a contas de e-mail e redes sociais foi cortado. Havia boatos de que protestos contra o governo estavam sendo organizados na época. No dia 25 de setembro, vários jornais internacionais divulgaram que o país parece já ter as bases técnicas para criar uma rede online nacional. Os iranianos teriam, então, sua própria rede de internet, separada da web que o resto do mundo usa. E isso, obviamente, só aumentaria o controle sobre as informações que podem ser acessadas no país.

2. Beber cerveja

Várias passagens do Alcorão afirmam que todos os produtos intoxicantes são proibidos. Por isso, países como Líbia, Irã, Paquistão e Arábia Saudita tornaram as bebidas alcoólicas ilegais. Na Arábia Saudita, você só conseguirá consumir álcool se for um diplomata estrangeiro. Ou se arranjar uma garrafa com um contrabandista. Há décadas, os líbios só conseguem beber cerveja ou vinho assim: comprando no mercado negro. E no Irã, onde o mais comum é produzir a própria cerveja em casa, a punição para quem é pego bebendo não é nada leve: são 80 chicotadas.

3. Namorar

Muçulmanos não podem ter nenhum tipo de intimidade com pessoas do sexo oposto de fora da família antes do casamento. Nada de tirar um tempo para conhecer melhor o pretendente, nada de criar intimidade antes do casório. A escolha do marido ou esposa segue o padrão do Islã: é a família quem decide, depois de muito planejamento e ponderação, sem estar sob o efeito da agitação dos hormônios dos jovens.

Apesar de “mortes por honra” serem ilegais na Arábia Saudita, quase não há condenação a esse tipo de assassinato. No Paquistão, as coisas melhoram um pouco: sexo fora do casamento não é mais punido com a morte, mas com uma prisão de até 5 anos. No Irã, uma pessoa solteira que fizer sexo pode levar 100 chicotadas.

4. Dirigir carros (se for mulher)

Em setembro de 2011, as mulheres da Arábia Saudita conquistaram um direito básico: o de poder votar e concorrer às eleições locais pela primeira vez. Não que a gente possa se gabar. Mulheres brasileiras só puderam votar em 1932. Agora, as sauditas tentam quebrar outra barreira para sua independência: poder dirigir um automóvel.

No ano passado, Manal al-Sharif, de 32 anos, foi presa apenas por ter divulgado um vídeo em que dirigia. Outra mulher, identificada apenas como Shema, foi condenada a 10 chicotadas por ter desrespeitado a ordem de não dirigir. Essa restrição é feita pelos religiosos muçulmanos. E o mais chocante é que não existe uma lei escrita que proíba a ação no país. Mesmo assim, as punições contra quem descumpre a regra são feitas de forma oficial, como a prisão de Manal.

5. Viajar desacompanhada (se for mulher)

Nos Emirados Árabes, um país mais liberal, as mulheres podem dirigir. A proibição fica por conta das passageiras. Uma moça só pode pegar um táxi sozinha em Dubai se outra estiver ao volante. Na Arábia Saudita, as mulheres sofrem diversas restrições: não podem escolher as próprias roupas, não têm direito sobre o próprio corpo e não podem viajar sem a permissão do marido ou pai. Esta última regra é tão rígida que está afetando até estrangeiras que chegam ao país. Quase mil peregrinas muçulmanas vindas da Nigéria foram detidas esta semana pelas autoridades sauditas por estarem sem acompanhantes. As mulheres, que tinham como destino a cidade de Meca, estão sendo ameaçadas de deportação.

6. Raspar a barba

Se você é do tipo que reclama sempre que tem que fazer a barba, pense duas vezes na próxima vez. Em alguns países islâmicos, a prática é reprovada e pode gerar até perseguições religiosas. Segundo algumas interpretações do Alcorão, o ato de raspar a barba é pecado. No Egito, religiosos muçulmanos que seguem essa linha estão em uma campanha informal para convencer os barbeiros a deixar de oferecer o serviço. O barbeiro Bahaa Shaaba contou ao siteEgypt Independent que seu estabelecimento foi invadido por homens que lhe acusaram de pecador e disseram que ele pagaria por isso no dia do julgamento.

Depilar o rosto ou arrancar os pelos que estão sobrando também não é de bom tom. Mas, se depender de alguns barbeiros, a prática deve continuar. “Para ser honesto, ficamos com medo de ir para o inferno e paramos de barbear as pessoas durante uma semana. Então, percebemos que íamos falir, e voltamos a fazer o serviço”, disse Shaaban.

7. Ler o livro que você quiser


“A imprensa é livre para expressar sua opinião, desde que ela não seja contra a fundação do Islã ou dos direitos das pessoas, e a lei vai explicar os detalhes”. Esse é o artigo 24 da Constituição da República Islâmica do Irã. Na prática, esses detalhes proíbem, entre outras coisas, qualquer obra que crie uma atmosfera de perda dos valores nacionais ou de valorização da cultura ocidental.

Você já sabe o que aconteceu depois: diversos livros foram banidos do Irã. Entre eles, alguns best-sellers, como “O Código da Vinci”, de Dan Brown, e algumas publicações políticas importantes como “O Contrato Social”, de Jean-Jacques Rousseau. Além disso, escritores conceituados, como Gabriel García Márquez e seu livro “Memória de Minhas Putas Tristes”, estão banidos. Ah, “O Zahir”, do brasileiro Paulo Coelho também está na lista dos proibidos.

8. Ser gay, lésbica ou bissexual

Mesmo com todo o preconceito que ainda existe com os homossexuais no mundo ocidental, ainda estamos na frente de muitos países islâmicos neste tema. O Islã deixa sua posição sobre o assunto bem clara: a homossexualidade é proibida.  As explicações variam. Alguns afirmam que isso distorce a ordem natural na qual Deus criou os seres humanos. Outros dizem que isso leva à destruição da família e da instituição do casamento. As duas justificativas se parecem bastante com o argumento dos religiosos cristãos contra os gays. Mas pode ser pior.

No Líbano, onde a homossexualidade é ilegal, 36 homens foram presos e torturados porque estavam em um cinema pornô-gay no começo de agosto.  No Afeganistão, a orientação sexual também dá cadeia. Sudão e Arábia Saudita têm pena de morte para a os gays. Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irã, onde também há a pena de morte nesses casos, declarou em entrevista a CNN nesta semana que a homossexualidade é “um comportamento muito desagradável” proibido por “todos os profetas de todas as religiões e todas as fés”.

– Falta Ética, Inexiste Pudor, ou é tudo um Grande Mal Entendido?

Há certas coisas que impressionam. Leio no Blog do Paulinho uma bombástica matéria sobre a Federação Paulista de Futebol e a relação do seu presidente Marco Polo Del Nero com funcionários da casa – e principalmente da arbitragem.

A matéria traz à tona o envolvimento de uma empresa fornecedora de Tecnologia da Informação, que supostamente seria de Marco Polo, realizando negócios com a Cooperativa dos Árbitros e pessoas relacionadas com a Comissão de Arbitragem – como o Cel Marinho e Arthur Alves Júnior.

Sempre fiz críticas à incompatibilidade de cargos de dirigentes da Cooperativa e do Sindicato, entidades que devem brigar pelos árbitros, hoje sendo funcionários da FPF. Também critico a competência da atual Comissão. Mas confesso que me surpreendi com essa denúncia publicada pelo jornalista Paulinho.

Não existe conselho ético capaz de aceitar tais fatos… A quem os árbitros se socorrerão?

Para quem quiser, a matéria abaixo (o link está em: http://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/04/15/del-nero-se-utiliza-de-laranja-para-tomar-dinheiro-de-fpf-cbf-tv-fpf-e-ate-da-arbitragem/)

Del Nero se utiliza de “laranja” para tomar dinheiro de FPF, CBF, TV FPF e até da Arbitragem

charge marin del nero

Dentro de algumas horas teremos a Assembléia de Aprovação de Contas da CBF, em que estarão reunidos todos os presidentes de Federações de futebol do Brasil.

No intuito de ajudá-los em suas decisões, demonstraremos, nas linhas abaixo, mais um capítulo dos subterrâneos métodos de gestão da dupla Del Nero/Marin.

No dia 22 de março de 2011, o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, montou uma empresa de TI (informática), a T2M Tecnologia e Serviços Ltda., para prestar serviços à própria entidade e também a empresas coligadas.

Para não levantar suspeitas, colocou como “laranja” um funcionário da FPF, Fernando Luiz Mendes França, que ocupa o cargo de supervisor de TI, conforme podemos observar no link abaixo:

http://www.futebolpaulista.com.br/noticias/Expediente

A T2M é também responsável, desde a posse de José Maria Marin, por todo o departamento de TI da CBF.

Fernando França, inclusive, criou sistema que possibilita ao presidente da FPF acessar computadores da Confederação até de seu laptop pessoal.

cbf 6

Mas não são apenas FPF e CBF que contribuem com generosos pagamentos pelos serviços da empresa do dirigente.

Aliás, TODOS os clientes da T2M possuem ligações com a entidade máxima do futebol paulista.

cbf 5

Desde entidades ligadas à arbitragem, que deveriam, por motivos óbvios, manter independência da Federação e de seu dirigente maior, até a empresa responsável pela TV FPF, que é também a empregadora oficial de sua “namoradinha”, a repórter da emissora.

Aquela que Del Nero pediu para detetives grampearem, em ação flagrada, posteriormente, pela Polícia Federal.

Uma das clientes é a COAFESP (Cooperativa de Trabalho dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo), que tem dois membros da FPF como gestores.

Silas Santana, presidente, que na Federação ocupa o cargo de Ouvidor de Arbitragem e Artur Alves Junior, que além de membro da Comissão de Arbitragem da FPF, é também Diretor Financeiro da COAFESP, ou seja, responsáveis por pagarem a mensalidade da empresa de Del Nero.

http://www.coafesp.org.br/

Promiscuidade total.

Mas não para por ai, afinal, ter a arbitragem na mão, e vice-versa, pode garantir poderes interessantes e, por que não, lucrativos a quem deles souber fazer utilização.

Razão pela qual o SAFESP (Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo) também é cliente do presidente da Federação.

E, quem é o presidente do SAFESP ?

Artur Alves Junior, membro da Comissão de Arbitragem da FPF e diretor financeiro da COAFESP.

http://www.safesp.org.br/pt/safesp/pg_membros.php

Ah ! Arturzinho é também Secretário Geral da ANAF (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol), intimamente ligada ao comando de arbitragem da CBF.

http://www.anaf.com.br/2014/?page_id=2

É ou não uma farra ?

cbf 2

Por sinal, que ainda não terminamos de contar.

Outro cliente de Marco Polo Del Nero é o desconhecido Clube Tremembé, na Zona Norte de São Paulo, que tem, por “coincidência”, como Diretor de Finanças, ou seja, quem emite o cheque, o presidente da Comissão de Arbitragem da FPF, Coronel Marcos Cabral Marinho de Moura.

http://www.catclube.com.br/pt/cat/diretoria.php

cbf 3

Para finalizar a “clientela”, temos a GG12 Comunicação Empresarial Ltda., responsável pela TV FPF, e contratante oficial da namorada de Del Nero.

Observe, abaixo, o twitter da empresa fazendo propaganda utilizando-se da parceria com a Federação.

cbf 4

É essa gente, absolutamente criativa na arte de se locupletar do futebol brasileiro, que pretende dominá-lo por mais alguns anos.

Hoje, os presidentes de todas as Federações de Futebol do país estarão frente a frente com Del Nero, Marin e todos os que lhes proporcionam guarida.

Terão coragem de questionar as evidentes irregularidades publicadas não apenas neste espaço, mas também noutras mídias, ou se venderão pelos cheques assinados por Marin, descritos no Blog do Juca ?

O leitor poderá questionar a todos os representantes do futebol, em seus respectivos estados, antes, durante e depois da reunião, pelos e-mails publicados abaixo.

es.presidencia@cbf.com.brgo.presidencia@cbf.com.br;ma.presidencia@cbf.com.brmg.presidencia@cbf.com.br;ms.presidencia@cbf.com.brmt.presidencia@cbf.com.br;pa.presidencia@cbf.com.brpb.presidencia@cbf.com.br;pe.presidencia@cbf.com.brpi.presidencia@cbf.com.br;pr.presidencia@cbf.com.brrj.presidencia@cbf.com.br;rn.presidencia@cbf.com.brro.presidencia@cbf.com.br;rr.presidencia@cbf.com.brrs.presidencia@cbf.com.br;sc.presidencia@cbf.com.brse.presidencia@cbf.com.br;sp.presidencia@cbf.com.brto.presidencia@cbf.com.br;ac.presidencia@cbf.com.bral.presidencia@cbf.com.br;am.presidencia@cbf.com.brap.presidencia@cbf.com.br;ba.presidencia@cbf.com.brce.presidencia@cbf.com.br;df.presidencia@cbf.com.br

EM TEMPO: Registro da T2M na internet em nome de Fernando França, “laranja” de Marco Polo Del Nero.

cbf 1

– Os Reembolsos Financeiros aos Ex-Atletas da Seleção

Há décadas, a transformação das condições financeiras dos atletas de futebol vem mudando. Jogar num grande time é sinônimo de fama, sucesso e alto salário. Jogar num pequeno é outra história…

Mas em outros tempos, não se ficava rico no futebol. Pelo que jogavam, quanto ganhariam em salários hoje Pelé, Carlos Alberto, Garrincha, Tostão…?

A geração de 50, 60 e 70 não recebia dinheiro significativo, e tão pouco era possível contribuir para a Previdência Social. O que ocorreu: alguns dos atletas das Seleções de 58, 62 e 70, após o encerramento da carreira, estão pobres e não se aposentaram, pelo não reconhecimento da profissão de atleta de futebol.

Agora, o Governo Federal dará a eles R$ 100 mil, além de uma aposentadoria complementar de R$ 4.100,00. Se o ex-atleta recebe R$ 1 mil, o INSS banca a diferença.

Justo ou não?

Alguns dirão que eles não se prepararam para o encerramento da carreira. Outros dirão que eles foram vítimas do modelo previdenciário e da própria condição de jogador, e que merecem por ter representado o país (e até mesmo como indenização da Previdência Social).

E você: o que pensa sobre isso? Deixe seu comentário.

(Em tempo: Pelé e Tostão recusaram tal recebimento por alegarem estabilidade financeira).

imgres.jpg

– Os Vistos aos ilegais haitianos no Brasil

O Acre está em estado de emergência. O motive é que pessoas do Haiti fogem da miséria do seu país e tentam entrar no Brasil pela frágil fronteira do Acre com a Bolívia. E estando aqui, buscam qualquer emprego ou coisa que os ajudem a sobreviver.

O problema é: o número de haitianos no pequeno Acre é tão grande, que já sacrifica a população local! O Governo acreano não consegue socorrer nem a sua própria gente, quanto mais refugiados…

Nada de negar solidariedade, mas vale uma reflexão: o Brasil vai conceder visto de permanência a eles. Temos condições para isso? Já resolvemos a miséria dos próprios brasileiros natos?

Extraído de: http://www.redebrasilatual.com.br/temas/cidadania/2013/04/governo-vai-conceder-visto-humanitario-a-haitianos-ilegais-no-pais

GOVERNO VAI CONCEDER VISTO HUMANITÁRIO A HAITIANOS ILEGAIS NO PAÍS

Secretário nacional e Justiça diz que medida especial se dá pela ‘responsabilidade diplomática e histórica do Brasil com o povo do Haiti’

Os haitianos que entraram ilegalmente no país deverão receber visto humanitário que lhes garanta a permanência no país por cinco anos. O documento poderá ser renovado por igual período e, dependendo da situação, ser trocado pelo visto permanente. De acordo com o secretário nacional de Justiça, Paulo Abrão, a regularização será destinada apenas aos imigrantes haitianos.

“O conjunto de medidas especiais que o Estado brasileiro adota para fins de regularização dentro do nosso território está destinado aos haitianos, em virtude da responsabilidade diplomática e histórica que o Brasil tem com o povo do Haiti”, disse o secretário, em entrevista à imprensa na cidade de Rio Branco, antes de ir para Brasileia com a equipe multissetorial enviada pelo governo federal a fim de analisar a situação dos imigrantes ilegais no município acriano.

Ainda de acordo com o secretário nacional de Justiça, os africanos e asiáticos, também refugiados no Acre, passarão por outros procedimentos. “Essas medidas, a priori, não estão sendo alcançadas a quaisquer outras nacionalidades, que deverão seguir os procedimentos ordinários que a nossa legislação prevê. Caso haja uma solicitação fática de protocolo de refúgio, esse pedido é encaminhado para o Comitê Nacional para Refugiados para que haja deliberação, analisado cada caso individualmente. Se for negado, essas pessoas deverão se retirar do território”.

O grupo multissetorial que está em Brasileia é composto por representantes da Polícia Federal, dos ministérios da Justiça, Relações Exteriores, trabalho e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Além de verificar o problema fronteiriço, cada órgão terá uma função na regularização dos imigrantes. Serão emitidos documentos como CPF, Carteira de Trabalho e protocolo de pedido de refúgio no país.

Abrão explicou também que a equipe multissetorial irá estudar uma forma de solucionar o problema da imigração ilegal, mas não definiu o que deve ser feito. “Nesses quatro dias aqui, no Acre, nós vamos apurar o nosso diagnóstico em relação à questão dos haitianos. Já existe um conjunto de iniciativas elaboradas, visando a estimular a vinda [dos haitianos] pelo mecanismo da emissão de vistos no Haiti e desestimular a vinda pelas vias irregulares, terrestres aqui pelo Acre. Essas medidas serão anunciadas em um momento mais oportuno”.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos do governo do Acre, Nilson Mourão, entende que o problema e a necessidade da participação do governo federal são urgentes. “Nosso principal objetivo é que as autoridades federais vejam, in loco, a realidade. Nós estamos carregando os problemas com muita dificuldade, com muito sacrifício, porque o problema é complexo. Agora estão vindo nos visitar e é extremamente importante que nos vejam, constatem a realidade, para tomar as providências que nós entendemos cabíveis”, disse.

Mourão defende a assistência aos imigrantes abrigados no estado, mas alerta para a presença de traficantes e coiotes (agenciadores de imigrantes ilegais) entre os refugiados. “A grande maioria são pessoas pobres, humildes, que buscam dias melhores aqui no Brasil. São vítimas, tanto da catástrofe como vítimas dos coiotes. É claro que no meio deles existem coiotes e traficantes infiltrados. Há todo um problema de tráfico de drogas, de contrabando, tráfico de armas que sempre acompanham movimentos migratórios que são feitos dessa forma”, alertou.

image.jpg

– Eu sofri com o Bug do Windows 7. E você?

E os computadores que deixaram de funcionar na quarta/quinta-feira? Culpa de uma atualização da Microsoft que lesionou consumidores.

Eu perdi dinheiro no meu comércio. E você, teve transtornos também?

Veja o ocorrido:

Extraído de: http://is.gd/wC7tBc

JANELA COM DEFEITO E COMPUTADORES EM PANE PREJUDICAM EMPRESAS

Na quarta-feira, ao chegar para trabalhar, o fisioterapeuta Marcelo Sarmento se deparou com um sério problema: os computadores da clínica não estavam funcionando. Com isso, várias guias de autorização dos planos de saúde não puderam ser emitidas. “Só quando os computadores voltarem a funcionar é que vamos enviar essas guias. Já há um atraso e, dependendo do tempo que demorarmos para colocá-los em operação, vamos receber dos convênios só daqui a dois meses”, afirma o fisioterapeuta.

O problema ocorrido na clínica onde Fernando trabalha atingiu também milhares de outros brasileiros, de todos os cantos, e o motivo foi só um: terça-feira à noite, a Microsoft disponibilizou uma atualização do sistema operacional Windows 7 e, ao fazê-la (a maior parte delas de forma automática), uma grande dor de cabeça também se instalou, uma vez que a implantação do update fez com que o computador não pudesse ser novamente iniciado. A falha só atingiu aos que têm em suas maquinas a versão de 32 bits do sistema, e se originou quando a pessoa fez a instalação da atualização definida pela Microsoft como KB2823324.

De imediato, a gigante dos softwares não anunciou qualquer pacote de correção do bug, cuja falha afetou a vida e o trabalho de milhares de usuários – fato que deveria forçar a empresa a criar ações rápidas e efetivas. Apenas afirmou em nota que o problema estava restrito ao Brasil e que já estava trabalhando para solucioná-lo, pedindo desculpas pelo transtorno.

Para evitar isso, recomenda-se que seja desativada do computador a função atualização automática do Windows 7, embora, de acordo com Rogério Pereira, diretor de operações da Sr. Computador (uma das maiores empresa brasileiras especializada em computadores, com sede em São José dos Campos – SP e filial em Belo Horizonte), contar com atualização automática é sempre recomendado, pois elas conseguem detectar possíveis vulnerabilidades no Windows.

Ele explica que, além do problema da atualização KB2823324, que apresentou inconsistência com alguns arquivos Windows ocasionando a falha, já se detectou também que um programa de segurança bancária adotado pelas instituições financeiras apresentou conflito com o sistema, fato que se tornou claro no momento dessa atualização. “É importante frisar que essa falha não comprometeu dados ou outros recursos da máquina, apenas a sua inicialização. Se isso ocorreu com alguém, é porque o seu computador já apresentava outros problemas, que apenas se agravaram”, afirma.

SEM FORMATAÇÃO Em sua página oficial na internet, a Microsoft explica que “em 10 de abril de 2013 tomamos conhecimento que alguns usuários enfrentaram dificuldades após aplicarem o update de segurança Windows 7 KB2823324.” O site da empresa mostra também o que fazer para restaurar o sistema. Ontem a empresa tirou do ar a atualização problemática que apresentava incompatibilidade com softwares de terceiros.

imgres.jpg

– Dívida Impagável do Flamengo. E os demais clubes?

Nesta semana, divulgou-se que o Flamengo realizou uma auditoria que constatou: sua dívida é de R$ 750 milhões de reais!

Como se trabalha desse jeito?

E os demais clubes? O Vasco/RJ está devendo até para o porteiro do clube. O Guarani de Campinas se encontra quase falido e rebaixado. O Paulista de Jundiaí se virou com o chamado “consórcio de credores”.

A que caminho os pequenos clubes vão, se os grandes e tradicionais estão assim?

Aliás… ninguém é responsabilizado por má gestão? E o Governo com as dívidas de impostos a receber?

imgres.jpg

– Quanto mais internacionais, os torneios de futebol se tornam mais importantes

Teremos na Liga dos Campeões, dentro em breve Real Madrid x Borussia e Barcelona x Bayern. Sua competição co-irmão na América do Sul, a Libertadores, apresentará São Paulo x Atlético e na próxima fase um possível Corinthians x Grêmio.

Enquanto isso…

Temos União Barbarense x Santos, Palmeiras x Guarani…

O que empolga mais? Para qual jogo você guarda dinheiro e expectativa?

Parece que num prazo não tão longo, os estaduais deixarão de existir. Não motivam em nada mais!

imgres.jpg

– Um dia Importante!

Hoje estaremos comemorando um dia especial: o Aniversário de Batizado da nossa afilhadinha Ana Luiza!

Sermos padrinho e madrinha significa: tornarmos 2os pais! E, mesmo que não fôssemos padrinhos dela, assim agiríamos. Tanto a Ana Luiza, como nossa doce sobrinha Julia e nosso legal sobrinhão Júnior são para nós mais do que sobrinhos: são como filhos, como irmãos da nossa Marininha, que amamos e queremos bem.

Quando pequenina, a “Tatinha” nos chamava de Di (de paDrInho e maDrInha). Hoje, somos Nhô e Nhá (de PadriNHO e MadriNHA).

Ô menina lindinha… Feliz Aniversário de Batismo, Ana Luiza!

271.jpg