– Análise da Arbitragem de Paulista de Jundiaí 3×0 União São João e observações.

Para 317 torcedores (sendo 14 vindo de Araras e que estavam no reservado à torcida adversária) e uma renda de R$ 4.490,00, vimos dois tempos de futebol completamente diferentes: um equilibrado, outro em que o Paulista jogou melhor.

A arbitragem foi muito fraca, que deixou muito a desejar tecnicamente (num jogo fácil para apitar).

O árbitro Willians Costa marcou 25 faltas no 1º tempo, sendo 18 do Paulista e 7 do União (3 cartões amarelos para o mandante). No 2º tempo, 11 faltas do Paulista e 10 do União (3 cartões amarelos para o mandate e 2 para o visitante; 1 vermelho para o mandante). E na súmula do jogo, uma mentira: total de 30 faltas na partida inteira, sendo 16 do Paulista e 14 do União. E sabe por que isso acontece? Porque o 4º árbitro não anota direito, e quando avisa o juiz, um número é inventado. Afinal, como explicar o excesso de faltas marcadas num jogo tranquilo? Aqui, a maquiagem foi ridícula: só no 1º tempo já extrapolou o número do jogo inteiro…

Lances não faltosos viraram infração! Por exemplo: Aos 08 minutos, Victor Emerson segurou a camisa do seu adversário, soltou, a jogada continuou sem ser falta, e ele parou e marcou pelo puxão. Não pode…

Aos 12 minutos, já tínhamos 9 faltas marcadas. Encostou ou caiu, marcou (incluindo as que não foram).

Me assustei: aos 27 minutos, o goleiro Felipe Viotti, do Paulista, estava ajeitando a bola e com pressa, pois o time precisava ganhar. Eis que o árbitro fez sinal para ele agilizar, ele não entendeu e… recebeu Cartão Amarelo por retardamento!

Aos 30 minutos, o árbitro ficou “perdido”, pois todo mundo começou a reclamar num jogo fácil. Aos 32m, marcou uma falta inexistente em um lance de impedimento, onde havia acertado o bandeira Risser Jarussi (que acertou vários “fora-de-jogos”).

No segundo tempo, com os times mais cansados e o resultado “sendo aceito” (vitória do Paulista e derrota do União) os times deixaram o jogo ainda mais fácil para apitar – e menos faltas foram marcadas pelo árbitro.

No critério dos cartões, os de reincidência só existiram pelas numerosas faltas marcadas. Correta a advertência para Amarildo por tirar a camisa na comemoração do gol. Mas aos 48 minutos do 2o tempo, deixou de dar o 2º amarelo para o zagueiro do União, que cometeu uma falta idêntica a cometida do lateral Victor Emerson (que levou amarelo e foi expulso).

Demais observações:

1. Na torcida Raça Tricolor, 5 faixas de protesto:

Torcida Traída Jamais será Vendida”
“Fora Diretoria Amadora”
“Cadê a Transparência”
“2 anos e Nada Mudou”.
“Conselho Omisso”

2. O resultado mais justo no 1o tempo seria o empate. E quando o União estava sendo melhor, saiu o gol do Paulista e aí a sorte mudou! Tudo o que estava dando errado (contusões, erros de marcação e passes errados) começou a mudar. Isso significa: questões emocionais afetam demais o Paulista (tanto negativa quanto positivamente).

3. Que coisa o futebol mostrado pelo Victor Emerson… 3 anos depois da sua primeira passagem, regrediu! Ele é ótimo jogador e sempre me pareceu um bom menino. Algo de errado deve estar acontecendo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.