– O pênalti inexistente em Coritiba 0x1 Corinthians

Quando falamos de subjetividade na interpretação da Regra do Jogo, damo-nos ao “luxo” de criar várias hipóteses para explicar certas situações. Mas em alguns não precisam de tanta “lenga-lenga”, pois são mais objetivos!

Por exemplo: a bola que Lucas Piton (SCCP) chuta para o gol e bate sem querer no braço de Maílton (Coritiba). Ali, não há intenção, não há movimento antinatural ou intenção disfarçada, não há tentativa de ludibriar a regra nem desejo de aumentar o espaço, nem qualquer coisa que possa justificar a marcação. Bateu por ocasião da jogada, simplesmente. Como tirar o braço da disputa num movimento fisiológico normal em distância tão curta?

O experiente árbitro Leandro Pedro Vuaden, que não marcou nada naquele instante, chamado pelo VAR mudou de ideia e marcou pênalti. Errou feio.

O legal seria que depois do jogo tivéssemos uma palavra da arbitragem: por quê marcou? Qual a justificativa?

Pense: e se fosse esse lance contra Corinthians, Flamengo, Palmeiras, São Paulo…?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.