– E o presidente do Brasil não parabenizará Biden?

Me assusta (ou melhor: me impressiona) que o MUNDO tenha parabenizado Joe Biden, novo presidente eleito dos EUA (e aqui não julgo se ele é bom ou ruim para os americanos e para o mundo), mas o presidente brasileiro Jair Bolsonaro não o tenha feito.

Seria…

  • Arrogância?
  • Falta de Diplomacia e Educação?
  • “Esquecimento”?

Até agora: China, Turquia, México e Rússia não deram os parabéns mas avisaram que aguardam o desfecho de uma manifestação final. CORÉIA DO NORTE e BRASIL são os únicos que não se pronunciaram.

Brasil e Estados Unidos aceleram diálogo sobre parceria comercial

– Chega uma certa idade, e…

Depois dos “18 anos”, o corpo (mesmo com todos os cuidados na carcaça), começa a apresentar defeitos.

Atualmente, estou tendo problemas com ferro. Ô coisa chata essa reposição… ainda mais para um panaca com medo de agulhas como eu! 💉

Enfim, façamos sem reclamar. Não dói, mas é incômodo o tempo perdido.

– Cristofobia e Islamofobia: o discurso e a “real”.

Vivemos num mundo multicultural. Existem democracias (Brasil, EUA, Itália, França), ditaduras (Venezuela, Cuba, China, Coreia do Norte) e teocracias (Irã, Arábia Saudita, Vaticano). Mas independente de que ideologia político-governamental as nações sejam, todas têm algo em comum no mundo moderno: a discussão do convívio harmonioso e a existência de tolerância ou intolerância religiosa – se deve existir o aceite ou não da liberdade de crença.

Enquanto a Europa vai ficando cada vez mais descrente, envelhece sua população e tem cada vez um número menor de crianças por casal, o Mundo Árabe expande-se com uma taxa de natalidade muito alta, trazendo ao mundo novos seguidores do islamismo. Portanto, os muçulmanos (pela matemática) serão a grande parcela religiosa do planeta dentro em breve.

Diante de todo isso, com a migração de povos árabes da África e da Ásia para outros continentes (especialmente à Europa), começa ocorrer a chamada Islamofobia (a discriminação por ser do Islã).

Infelizmente, é comum que isso ocorra a estrangeiros que habitam uma terra que não é sua (esse é um dos fatores), somada às ações de grupos radicais, como observados em ações de terrorismo (que não representam o Islamismo na sua integralidade), deixando muita gente com aversão desse povo. Portanto, tornou-se uma variável específica de xenofobia.

A Cristofobia, a variante de fobia contra cristãos, existia na perseguição do Império Romano aos convertidos. Tanto que as catacumbas eram o local de celebração das primeiras missas, em decorrência da necessidade de se esconder. Nos dias atuais, vê-se não mais um ataque contra os católicos em si (ou seja: por ser praticante), mas pelo fato de existirem cristãos que se fanatizam e deturpam a fé, onde ocorre a generalização equivocada. Outros, de maneira charlatã, explorando a crença alheia. Por fim, outros ainda usando o nome de Cristo como bandeira mas defendendo contraditoriamente causas como armamento e aborto. O cristão (evangélico ou católico) que vive corretamente sua fé, tende a sofrer a Cristofobia justamente daqueles que nada creem e concomitantemente desdenham de quem crê por conta destes que não vivem corretamente como cristãos (exceção feita às regiões que proíbem o Cristianismo radicalmente, como China e outras ditaduras).

O católico verdadeiro não prática a Islamofobia ou qualquer prática de discriminação. Ele ama o seu próximo e não pratica proselitismo (Jesus nos ensina isso à exaustão nos Evangelhos). Sabe conviver com quem pensa ou crê diferente. Não violenta o direito do outro, e espera a reciprocidade, mas de maneira franciscana (que saibamos amar e perdoar do que ser amados e perdoados, dando sem esperar receber).

Independente da profissão de fé, sejamos lembrados pela acolhida, inclusão, respeito e paciência com outros povos de cultura diferente – não caindo no erro de enxergar em atos de fanatismo violento (sejam eles de muçulmanos, judeus, cristãos ou ateus), uma maneira incorreta de colocar a culpa numa generalizada população.

Por fim: nada tem a ver com Cristofobia a queima de igrejas no Chile, pois ali foi vandalismo de anárquicos travestidos de manifestantes políticos, onde procuraram depredar símbolos que remetiam às origens dos colonizadores, com a desculpa de era necessária uma “nova constituição”. Dessa forma, as “Casas de Deus” sofreram pelos pecados dos outros.

Como cristãos, façamos sempre a nossa parte, imitando os ensinamentos do nosso Salvador.

– Empresas Obrigam Funcionários a Perder Peso!

A Folha de São Paulo (http://classificados.folha.com.br/empregos/962671-perda-de-peso-e-novo-alvo-de-empresas.shtml) trouxe dias atrás uma importante matéria sobre o mundo corporativo e algumas exigências aos funcionários.

Uma delas é: fazer com que os funcionários emagreçam!

Hum… assunto delicado, tratado abaixo:

PERDA DE PESO É ALVO DAS EMPRESAS

Por Marcos Vasconcellos

Companhias estão levando ao pé da letra a expressão “cortar gordura”. O termo, que define redução de gastos no mundo corporativo, agora também refere-se a programas de emagrecimento.

O Vigilantes do Peso Empresarial registrou alta de 185% da clientela no último ano. Hoje atende a 37 empresas do país que têm de 100 a 110 mil funcionários. No mesmo período de 2010, eram 13. O Leve na Boa, programa de orientação nutricional da Omint, companhia de saúde corporativa, teve adesão de seis empresas no primeiro semestre de 2011 -durante todo o ano de 2010, foram oito.

O aumento da obesidade no trabalho segue o ritmo observado no país. Segundo o Ministério da Saúde, em 2010, 48,1% dos brasileiros eram obesos ou tinham sobrepeso. Em 2006, o índice era 42,7%.

A analista de recursos humanos Danielle Shibayama, 30, pediu para participar do programa oferecido pela empresa de software em que trabalha, Totvs. Estava “insatisfeita” com os 63 kg em 1,58 m e com a “autoestima baixa”.

Em dois meses e meio, perdeu 6,2 kg. Recuperou a confiança e diz estar mais disposta. O programa, avalia, é melhor do que dietas que fez sozinha, pois, na empresa, ela “compartilha experiências”.

imgres.jpg

– Domènec Torrent é vítima da suas próprias virtudes ou da falta de aculturação no futebol brasileiro?

Domme, treinador do Flamengo, é sabidamente um homem de grande curriculum. Não foi assistente de Pep Guardiola por acaso. Se fosse ruim, não teria “enganado” tanta gente por tanto tempo.

Partindo deste princípio (de que ele é competente), precisamos entender o que acontece com o treinador catalão na Gávea:

1- Seus métodos estão sendo aplicados? Se sim, os jogadores conseguiram entender?

2- Essa mesma metodologia é adequada para o estilo de jogo / características do elenco do Flamengo?

3- Falta aculturação de Domme às várias nuances do futebol brasileiro, e esse problema de adaptação poderia ser significativo?

4- Estaria sendo boicotado / preterido pelos atletas, que gostariam de alguém mais próximo ao trabalho do antecessor Jorge Jesus?

5- A pressão de um time grande como o Mengão é a responsável pelo questionamento de tudo isso, já que existem ótimos e péssimos placares no trabalho realizado até agora, necessitando de tempo (e paciência) para afinar o time (no relacionamento e na tática)?

Em suma: será que, se tivéssemos público nos estádios, a enorme massa flamenguista estaria pedindo a cabeça de Domènec, e a diretoria rubro-negra conseguiria resistir?

O último questionamento é na base do achismo e não se tem resposta absoluta. As outras 5, não, pois há como se discernir as dúvidas e avaliar para se tomar atitudes que darão tranquilidade ao técnico, a fim de que o trabalho continue sem percalços.

Ou você, amigo leitor, entende que Domme (por força de bastidores e resultados) não vingará 2021?

Há quem profetize uma troca de treinadores entre Flamengo x Benfica, voltando Jorge Jesus e enviando Domènec Torrent aos encarnados (o que eu duvido muito).

Domènec Torrent lamenta 'apagão' e derrota do Flamengo no Castelão

– E se tivéssemos um lockdown no final do ano (o 1o do país)? Qual seria a reação?

Algumas nações europeias estão adotando o lockdown para conter a 2a onda de Covid_19, mesmo tendo sofrido economicamente durante a pandemia, com a finalidade de minimizar prejuízos humanitários (e econômicos também, por conta de outras nuances que podem ser trabalhadas em um próximo artigo).

Aqui no Brasil, não vivemos lockdown em momento algum, mas uma quarentena de alguns dias em lugares específicos. Pelas projeções comparativas, se seguirmos o calendário europeu da doença, possivelmente a segunda onda se aproxime no final de 2020.

  • Teria clima, entre Natal e Reveillón, de nova quarentena ou lockdown?

Claro, inimaginável pela cultura e pelos padrões da nossa população. O melhor é: prevenir-se, a fim de evitar tal evento em nosso Brasil.

Cada vez mais países europeus retomam lockdown contra nova onda de covid-19  | Notícias internacionais e análises | DW | 01.11.2020

– Bom dia, 2a feira.

👊🏻 Bom dia.
Ôba! Uma nova semana está começando. Que ela seja produtiva, serena e com bons resultados.
Vamos para um bom #cooper, a fim de que a iniciemos bem?
🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #training #corrida #sport #esporte #running #nike #mizuno #adidas
Clique 1:

🙏🏻 Correndo e Meditando:
Ó #NossaSenhoraAparecida, rogai por nós que recorremos a vós. #Amém.”
😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #Aparecida #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade
Clique 2:

🌺 Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da #natureza. Hoje, com nossa #roseira.
🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento
Clique 3:

🌅 Desperte, #Jundiaí.
Que a #SegundaFeira tão bonita possa valer a pena!
🍃🙌🏻 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia
Clique 4:

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby