– O Dr Felicidade e as dicas para ser feliz!

Já pensou existir um PhD em Felicidade, e que trabalha numa das principais universidades do mundo?

Ele existe e nos dá uma boa dica para evitar a infelicidade, os vícios! E alerta: “O maior vício do mundo atual não é o álcool, as drogas nem o jogo: é a tela do celular.”

Extraído de: https://www.metrojornal.com.br/colunistas/2018/12/17/tal-ben-shahar-o-professor-de-harvard-que-ensina-ser-feliz.html

TAL BEN-SHAHAR, O PROFESSOR DE HARVARD QUE ENSINA A SER FELIZ!

por Angélica Banhara

Ele se formou em Psicologia e Filosofia pela Universidade de Harvard (EUA) e lá conduziu seus estudos até se tornar PhD. Mas a fama veio mesmo quando seu curso de Psicologia Positiva passou a figurar entre os mais concorridos de Harvard. O israelense Tal Ben-Shahar esteve dias atrás no Brasil para palestrar no workshop Positive Experience, organizado pela Sociedade Brasileira de Coaching. Autor de vários livros sobre positividade e felicidade, inclusive o best-seller do The New York Times Seja Mais Feliz, Ben-Shahar dá algumas dicas para serem colocadas em prática hoje.

1. Deixe a infelicidade entrar

Se permita ser real, humano. Você não precisa estar feliz o tempo todo. “Quando negamos as emoções dolorosas e negativas — que são naturais, elas se intensificam”, diz Ben-Shahar. Os sentimentos — raiva, angústia, ansiedade — existem independentemente da nossa vontade. Aceitar esses sentimentos não significa se resignar, pois nós decidimos que atitude tomar a partir dessas emoções.

“Coragem não significa não ter medo. Significa ter medo e seguir em frente apesar disso”, conclui.

Dica de Ben-Sahar: “Precisamos ter uma espaço na nossa vida para sermos autênticos e realistas, deixando que as emoções ‘passem’. Do contrário, acabamos comprometendo nossa felicidade, saúde e corremos o risco de um ‘burnout’ (crise de esgotamento físico e mental)”.

2. Aprenda a lidar com o estresse

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), vivemos uma pandemia de estresse no mundo todo. O estresse prejudica a criatividade e a produtividade no trabalho e desencadeia doenças crônicas, como problemas cardíacos, hipertensão, diabetes e até câncer.

Por que o estresse está aumentando tanto? Estamos sobrecarregados, tentando fazer um malabarismo, acumulando muitas coisas ao mesmo tempo.
Ben-Shahar aponta que a descoberta mais relevante dos últimos 20 anos é que: o estresse não é o problema. Ele tem um potencial positivo e faz parte do sistema de defesa do nosso organismo.

O problema é a falta de tempo de recuperação entre os momentos de estresse — fundamental para o equilíbrio físico e mental.

O ser humano tem total capacidade de lidar com o estresse, desde que ele seja intercalado pelos momentos de recuperação.

“ As pessoas mais bem sucedidas, mais saudáveis e mais felizes experimentam o estresse como todos nós, mas encaixam momentos para recuperação na rotina estressante. Esses intervalos entre as situações estressantes têm a função de reenergizar a nossa vida”, afirma o professor.

Há 3 níveis de “recuperação” do estresse:

A – Nível micro

Tirar de 10 a 15 minutos para meditar, tomar um café ou apenas caminhar.

Ir à academia com regularidade.

Sair com amigos ou com a família. Nessas situações, o celular deve ficar na bolsa (nada de ficar olhando ou digitando).

(Dica: durante o expediente, a cada 2 horas, pare por um minuto e respire lenta e profundamente. Inspire contando até 5 e expire no mesmo tempo.)

B- Nível intermediário

Ter uma boa noite de sono. Para quem sofre com insônia: só o fato de estar na cama, deitado e relaxado, já tem efeito positivo na recuperação.

Aproveitar o fim de semana para descansar, viajar ou fazer programas com a família ou amigos.

Tirar um dia de folga de vez em quando.

     (“As pesquisas mostram que quem tira um dia de folga ou tem uma boa noite de sono fica mais criativo, produtivo e feliz”, diz Ben-Sahar).

C – Nível macro

Viajar de férias, pelo menos por uma semana.

      (“São nesses momentos de descanso que atingimos nosso potencial de saúde e felicidade.”)

3. Valorize os relacionamentos

“Este é o indicador número 1 da felicidade e da saúde: as pessoas que investem em seus relacionamentos são mais saudáveis e mais felizes”, declara Ben-Shahar.
E vale todo tipo relacionamento: romântico, familiar, de amizade, profissional…

O professor afirma que, com o surgimento das mídias sociais, o relacionamento entre as pessoas acabou prejudicado. O problema não são as mídias em si, mas seu uso excessivo.

“O maior vício do mundo atual não é o álcool, as drogas nem o jogo: é a tela do celular.”

Os relacionamentos virtuais não substituem o olho no olho, os relacionamentos pessoais.
Quando não desgrudamos do celular, deixamos de aprimorar nosso foco, engajamento e empatia, qualidades fundamentais tanto na vida pessoal como na profissional.

E conclui citando um estudo realizado em parceria pelas universidades de Harvard e Columbia que mostra que, quando fazemos algo bom para o outro, isso traz benefícios para nós mesmos e para todos ao nosso redor.

No estudo foram selecionados dois grupos de participantes: ambos tiveram seus níveis de felicidade mensurados.

O grupo 1 recebeu uma quantia em dinheiro para ser gasto com qualquer coisa que desejassem: um presente para si mesmo. Depois das compras, os níveis de felicidade foram mensurados e tinham aumentado.
No dia seguinte, essas pessoas foram novamente avaliadas. Os níveis de felicidade voltaram para os anteriores à compra.

Na segunda parte da pesquisa, o grupo 2 recebeu a mesma quantia de dinheiro que o primeiro grupo, mas foi orientado a gastar com os outros doando para uma instituição de caridade, comprando presentes para amigos e familiares… Depois das compras, os níveis de felicidade foram mensurados e tinham aumentado tanto quanto os do primeiro grupo.

A diferença foi que, no dia seguinte, quando essas pessoas foram novamente avaliadas, os níveis de felicidade tinham diminuído um pouco, mas estavam significantemente maiores do que os do grupo 1. Conclusão: doar é receber…

Coluna AngélicaO professor Ben-Shahar e eu durante sua passagem por São Paulo

– Os ciclos de interesse dos clubes aos treinadores de futebol

Há épocas em que os clubes de futebol apostam em jovens treinadores emergentes. Depois, o modismo se torna o de estrangeiros. Agora, com Abel no Vasco, Luxemburgo no Palmeiras e tantos nomes mais experientes cogitados, teremos um revival com Levir Culpe (só que ele se aposentou…), Muricy Ramalho e Felipão?

Será?

Resultado de imagem para Abel no Vasco

– A Psicanalista e o Casamento

Assisti a participação da consultora do programa Amor & Sexo Regina Navarro Lins no Programa Pânico. E me surpreendi com a defesa do comportamento CONTRA O MATRIMÔNIO.

Você ouvirá a psicanalista falando que o casamento tem que ser evitado, que a família tradicional é uma tragédia, que a culpa da forma nuclear da família e o fracasso dela é da Igreja Católica que pregava o celibato e depois pregou o “até que a morte nos separe”. 

Mais do que isso, ela prega ainda que o homem tem que se livrar do mito da masculinidade”. 

Isso mostra como o mundo é diverso. Para mim, o casamento é a permissão de que o homem e a mulher sejam uma só carne e encontrem na família a felicidade plena concedida pela Graça de Deus.

Talvez a Dona Regina esteja generalizando a sua própria experiência particular. Ou ela tem razão no que diz?

Assista no link em: https://www.youtube.com/watch?v=3J_fNSczZD4

– Sampaoli fala porquê o acerto com o Palmeiras não deu certo

Em entrevista à Agência de Notícias EFE (de Madrid) o ex-treinador do Santos, o argentino Jorge Sampaoli declarou basicamente que o seu salário e os investimentos no time foram determinantes para o negócio não fechar. Abaixo:

“Não chegamos a um acordo econômico nem na postura esportiva, e o Brasil é um país exigente. O Flamengo se distanciou muito em referência aos demais e eu desejaria ficar no país para conquistar o Brasileiro. Não deu certo”.

Custa crer que com tanto investimento o Palmeiras não desejasse ter uma postura financeira agressiva (como tem feito desde que se associou com a Crefisa) e não iria gastar bastante para tentar a Libertadores e/ou o Brasileirão.

Em determinado momento, pensei até que Sampaoli e Palmeiras estavam esperando o ano acabar para que a multa rescisória fosse diminuta. Mas, pelo jeito, não foi isso que aconteceu…

– De quem é o destino?

São batidas as frases: o futuro está em suas mãos, é você quem faz o seu futuro, ou “o destino está em suas mãos”. Mas gosto dessa em específico:

O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos”.

(Eleanor Roosevelt, ex 1a dama dos EUA).

De fato, o futuro sempre será incerto. Só que se não sonharmos, ficará ainda mais duvidoso com chances de ser triste.

img_1035

– 3a em fotos!

Bom dia, amigos!

Um tempo carrancudo lá fora, com vento e nuvens predominando na madrugada. Ainda assim, é possível correr e curtir o cooper gostoso. Vamos suar?

Enquanto eu corro, converso com as coisas do Alto. Hoje pedindo as bençãos de Nosso Senhor Jesus Cristo através da intercessão da Virgem de Fátima:

Depois de correr bastante, alongar por alguns minutos entre as flores com suas pétalas gotejadas:

Como não tem outra paisagem no horizonte a não ser das nuvens escuras, aqui vai o clique do amanhecer de um dia qualquer, para inspirar nossa manhã:

Mas para não ficarmos no figurado  / recordação, compartilho os 5 minutos de céu azul de hoje, que surgiu mais tarde:

Ótima 3a feira para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby