– Uma 4a fúnebre para o futebol brasileiro: Palmeiras 1×1 Flamengo, Coronel Nunes e fala de Micalle

Na véspera da Copa da Rússia, 3 acontecimentos lamentáveis para o mundo do futebol brasileiro. Vamos a eles?

1- Palmeiras x Flamengo: um clássico dessa magnitude não pode ter 6 jogadores expulsos. Fruto da não colaboração dos jogadores (né, Dudu e Cuellar?), da truculência de quem se diz Pittbull e realmente faz cachorrada – e nem leva Cartão Vermelho (sim, me refiro ao violento carrinho de Felipe Mello em Vinicius Jr, desnecessário e criminoso) e da péssima atuação de Bráulio Machado, árbitro catarinense que foi muito mal (culpa só do árbitro ou de quem escala / inventa, ou melhor, sorteia tais juízes?).

Disse o presidente Eduardo Bandeira de Mello, do Flamengo, após o ocorrido:

Lance truculento e covarde contra uma criança”.

Criança boa de bola e que vale muitos euros, ressalte-se…

2- Cel Nunes, o atual presidente da CBF, criado por Marco Polo Del Nero como vice-presidente a fim de não permitir que Delfim Moreira, o outro vice da entidade e desafeto dele, um dia assumisse a presidência, fez lambança ao descumprir o acordo da Conmebol com a Concacaf e votasse no Marrocos, ao invés da candidatura da América do Norte para a Copa de 2026 (em troca, a Concacaf votaria na candidatura Uruguai / Argentina / Paraguai para 2030, frente à Inglaterra quando ocorresse o pleito.

Claro que teorias conspiratórias surgirão: represália contra os americanos por conta do FBI, suborno dos africanos e vinganca pelos americanos e mexicanos terem recusado jogar a Copa América 2019 em nosso país, além de outras tantas coisas. O certo é que houve trapalhada: Nunes quis votar no Marrocos, pensou que era voto secreto e fez a “cáca”.

Nesta semana, Cel Nunes disse ao presidente da FIFA, Infantinno:

Mande preparar a Taça pois eu é que vou levantá-la.

Depois do ocorrido, o presidente da AFA, Cláudio Tapia, declarou:

Quando os homens fazem um acordo, precisam cumprir”.

Que descrédito aos nossos cartolas…

3- Rogério Micalle, treinador paranista, reclamou muito da arbitragem de Dewson Freitas, o árbitro paranaense da FIFA (terra do Cel Nunes), no empate de Paraná 1×1 Cruzeiro. Disse sobre a CBF:

Eu trabalhei lá, sei como é”.

Lembram que o Cruzeiro reclamou demais da última arbitragem?

No futebol, o talento dos brasileiros com a bola nos pés é muito diferente do que com as canetas…

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.