– Eu tinha uma Dilênia…

Você sabe que planta é a Dilênia?

É um “pé-de-bola”, uma planta exótica, que dá umas frutas grandes e redondas. Também é chamada de fruta-cofre, maçã de elefante, bolsa de pastor e árvore da pataca. As dilênias chamam a atenção, mas de tudo isso, algo que eu não sabia: elas são comestíveis!

Meu pezinho de dilênia se foi. Mas fica a curiosidade: para quem conhece, vale a pena comer?

Compartilho, extraído de: https://is.gd/G8KHYc

DILÊNIA – O uso na cozinha

Parece que o uso da fruta como espécie comestível não vingou [no Brasil], diferente de outras espécies asiáticas como a jaca ou a fruta-pão. Talvez pela fartura de outras frutas ou o cheiro forte. O fato é que nos locais de origem a fruta é usada principalmente como ingrediente acidificante. Mordendo um pedaço da sépala tem-se a sensação de estar diante de um pedaço de maçã verde ainda não madura. A textura crocante só é interrompida pelas ínumeras fibras lenhosas – mais lenhosas que as da cana, por exemplo.Quando os frutos estão mais verdes ou no caso das sépalas mais internas é possível cortar a fruta transversalmente e depois em cubinhos de modo a deixar as fibras quase imperceptíveis, mas o mais recomendado é mesmo cozinhar, bater no liquidificador e passar por peneira para extrair a fibra. O caldo obtido é ácido, só um pouco adocicado e pode ser usado como um suco de tamarindo, para cozinhar carnes, fazer curries, temperar lentilhas, fazer molhos, juntar a outras frutas sem acidez pra fazer geleias etc.O bom de cozinhar antes de bater é que você pode aproveitar a parte amilácea não fibrosa, que passa cozida pela peneira, para espessar molhos e sopas. A cocção evita que o suco oxide, fato que acontece com o produto cru. Mas é possível também bater os pedaços de sépala crus leite – neste caso vira uma coalhada para ser tomada na hora, antes que escureça.O miolo ou o fruto propriamente dito, que se forma em gomos, é crocante, translúcido, azedindo e tem sabor de florzinhas de begônia. Como é babento e guarda muitas sementes, joguei à terra, para usar apenas as sépalas.

PASSO A PASSO PARA UMA RECEITA

Como você não vai encontrar os frutos em feiras nem em supermercados, fique de olho nos jardins públicos, como na cidade universitária – USP, por exemplo (veja comentários do post anterior, informação da Juba)

Com uma faca pesada, abra a fruta ao meio; tire o miolo (que, botanicamente, é o fruto verdadeiro) com uma faca ou colher – você vai usar as sépatas

O miolo é comestível, mas não é muito agradável pois tem muito muco pegajoso

Separe as sépalas e lave bem

A parte convexa pode ser descascada com um descascador de legumes

Já a pele da parte côncava pode ser puxada com uma faquinha. Veja que esta sépala, que estava localizada mais internamente, não tem muita fibra e pode ser usada em quantidade pequena, picadinha, como tempero (à moda do tomate, por exemplo)

Um fruto rendeu 273 g de polpa útil

… Que foi cozida por 20 minutos até amolecer, batida no liquidificador com a água de cocção ou um pouco mais e passada por peneira. Veja a quantidade de fibras – como fibras de cana, que não se desfazem com o simples mastigarO suco obtido pode ser usado para acidular, temperar, alimentar. Veja algumas dicas de uso nos próximos posts. Obrigada a todos os leitores que responderam e parabéns aos que acertaram!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s