– Análise da Arbitragem de Paulista 0x0 Juventus

Cristiano de Lazzari realizou uma boa arbitragem na partida entre Paulista 0x0 Juventus pela Copa Paulista neste domingo.

Tecnicamente, foi bem. Fez uma boa leitura de lances de vantagem (foram vários, com destaque aos 49 minutos quando Ariel-PFC foi derrubado por Salinas-CAJ e a bola sobrou para Michel). Embora não tenha sido tão exigido, acertou nas marcações ou não de faltas (em especial, soube interpretar a simulação de Ferrinho-CAJ e Ariel-CAJ, ambos no segundo tempo).

Disciplinarmente, razoável, pois deixou de advertir Branquinho-PFC aos 17 minutos por jogo brusco grave e Paulo Vitor-CAJ aos 54 minutos, por matar um contra-ataque com um agarrão. Os demais cartões foram bem aplicados.

Fisicamente, se comportou bem quando teve que correr e se posicionou tão bem quanto.

Sobre a postura, um aconselhamento: precisa estar presente na frente de jogadores que ficam discutindo entre si. Fazer o sinal de “calma” com as mãos, de longe, não é bom (tanto que a falta de advertência verbal foi percebida em vários bate-bocas de jogadores das duas equipes).

O bandeira 1 Eduardo de Souza Neto teve bastante exigência e dificuldades. Nos vários impedimentos, erros e acertos. Mas o ponto crucial foi o desentrosamento com o árbitro: por duas oportunidades, esperou o árbitro definir o que marcar. Além disso, na sua frente Fábio Gomes-PAU roubou a bola com a mão e não auxiliou o juizão como deveria.

Já o bandeira 2 José Paulo Ferreira Mariano marcou vários impedimentos e ajudou o árbitro na marcação de faltas. Sempre atento.

Leandro Carvalho da Silva, o quarto árbitro, ficou ligado nos 90 minutos e deixou o trio despreocupado com o jogo.

Enfim: em nada influenciou a arbitragem na partida.

bomba.jpg

– Dia de Santo Inácio de Loyola

Hoje a Igreja celebra Santo Inácio de Loyola, precursor dos Jesuítas (e aqui, lembrando como membros ilustres dessa ordem José de Anchieta e o Papa Francisco) – é dele a frase: “Em tudo, Amar e Servir! Este deve ser o propósito

Conheça sua história, em: http://is.gd/YHLPrn

HISTÓRIA DE SANTO INÁCIO DE LOYOLA

Íñigo (Inácio) López nasceu na localidade de Loyola, atual município de Azpeitia, próximo a San Sebastian, no País Basco, na Espanha, em 1491. De família rica, o caçula de treze irmãos, decidiu dedicar-se à espiritualidade aos 26 anos, quando abandonou a carreira militar, voltando a estudar para melhor abraçar a vocação descoberta de evangelizador. De 1522 a 1523 escreveu os Exercícios Espirituais, baseados em sua experiência de encontro com Deus, através de reflexões que levam em conta sua própria humanidade. Os Exercícios Espirituais se tornaram, mais tarde, um reconhecido método de evangelização para os católicos.

Em 1534, com mais seis companheiros, entre eles Francisco Xavier, funda a Companhia de Jesus, que recebe a aprovação do Papa Paulo III em 1540, quando Inácio é escolhido para o cargo de superior-geral da ordem.

Os jesuítas se espalharam pelo mundo. No Brasil, tiveram importante papel na conversão e proteção de indígenas durante a época colonial, além de contribuírem decisivamente para o ensino com colégios em diversos pontos do território nacional que hoje integram a Rede Jesuíta de Educação.

Santo Inácio morreu em Roma, em 31 de julho de 1556, aos 65 anos. Em 1922, o Papa Pio XI declarou Santo Inácio padroeiro de Retiros Espirituais.

bomba.jpg