– Uma escapadinha não faz mal…

Terminando o domingo, com uma confissão: fugi ontem (mas jeans voltei) para o Guarujá, a fim de ficar com a minha família que estava por lá.

Imagem

Olha só o que comi com minha esposa…

Hum… delicioso camarão (faz muiiiiito tempo que não sentia esse sabor).

Imagem

🍤 #shrimps

– Você é Multitasking?

Um mal dos tempos modernos: excesso de tarefas que não nos permite fazer uma coisa por vez. E, por isso, faz várias atividades ao mesmo tempo!

Você sofre disso?

Não é o único… Veja que interessante:

(extraído da Revista Galileu, Ed Outubro, pg 42-45, por Priscilla Santos, Daniela Arrais e Érika Kokay)

FAÇA UMA COISA DE CADA VEZ

Não dá pra ser multitarefa. Muita gente já descobriu isso. Conheça pessoas que conseguiram se concentrar em uma atividade por vez, diminuíram a angústia e ganharam tempo pra curtir a vida

Você começa a escrever um e-mail de trabalho, mas é interrompido pelo toque do celular. Atende à ligação e, quando desliga, vê avisos de mensagens na telinha. Abre uma delas mas, antes mesmo de responder, algum colega chama você para terminar aquela conversa que começaram de manhã… E assim você vai, pulando de uma tarefa para outra. Ao final do dia, o desconforto de ter começado muitas coisas, concluído algumas e produzido bem menos do que gostaria. Vem a angústia de que sobrou muita coisa para o dia seguinte — e pouco tempo para aproveitar a vida.

Esse comportamento, comum no multitasking, estilo dos que desempenham várias tarefas ao mesmo tempo, começa aos poucos a ceder espaço a um estilo oposto: o monotasking. Ou seja: concentrar em uma coisa de cada vez com a intenção de fazer tudo bem feito, de preferência passando algum tempo longe das distrações da internet. “É uma contra-tendência, uma antítese ao excesso de informação e estímulos que vivemos”, diz Linda Stone. Para essa ex-executiva da Apple e Microsoft e uma das maiores estudiosas de atenção humana hoje, estamos deixando a era da Atenção Parcial Contínua (CPA, em inglês), em que prestamos um pouco de atenção a várias coisas o tempo inteiro, para entrar na era do unifoco, em que de fato nos concentraremos nos que estamos fazendo no momento. “Tudo que é escasso se torna valioso. A nova escassez é ter tempo para pensar e se concentrar”, afirma Henry Manson, chefe de pesquisa da agência de tendências de consumo Trendwatching, uma das maiores do mundo. “Vivemos uma aceleração do tempo: tudo tem que ser rápido, imediato. Mas não se pode ter inovação sem períodos de reflexão e preguiça”, diz a filósofa Olgária Matos, professora da USP.

O analista de sistemas Fabiano Morais, 40 anos, de Brasília, é um representante dessa tendência. Fabiano é obrigado a passar horas e horas à frente do computador por conta de seu trabalho — ele desenvolve sistemas para a web. E entende bem o significado da palavra dispersão: “É aquela fissura de saber se alguém te mencionou no Twitter ou fez um post novo no Facebook”. Como empreendia seus próprios projetos e trabalhava de casa, o empresário não sabia mais o que era horário de expediente, final de semana ou feriados. Mas reagiu a essa falta de limites, e criou espaço para folgas e diversão. “Quis comandar o ritmo da minha vida”, diz. Um exemplo: Fabiano passou a fechar o e-mail e sites tentadores enquanto executa uma tarefa. Virou adepto da yoga e de meditação para aumentar seu foco no presente.

Quando percebeu que os resultados eram positivos, acabou criando um projeto próprio em torno do tema: o Moov, um serviço na web que permite compartilhar listas de tarefas, contatos e histórico de relacionamento entre uma equipe. Fabiano coordena ainda 15 pessoas em uma empresa de tecnologia da informação e aplica em grupo os benefícios do que aprendeu. “As noites e finais de semana, agora, se transformaram em tempo livre ao lado da família.”

mishpacha image

Imagem extraída de: https://mishpacha.com/multitasking-is-it-for-real/

– E terminou o dia com uma nuvem “diferente”:

E com essa nuvem “diferentona”, rumo ao prédio, terminou o dia.

A natureza gosta de brincar com suas formas, não?

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#entardecer #sunset #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds #BragançaPaulista

– Perguntas sobre o Cruzeiro SAF nas mãos de Ronaldo:

O Cruzeiro, um dia, vendeu o jogador Ronaldinho para a Holanda. De lá, ganhou o mundo e virou Fenômeno. Agora, o empresário e ex-atleta Ronaldo Nazário compra o time que o revelou

Sem paixões, analisemos: foram R$ 400 milhões por 90% de ações. Porém, os 10% que restam ao clube impedem algumas coisas drásticas, como mudar as cores da agremiação, escolher outra cidade-sede ou alterar o escudo ou nome (chamamos isso de Golden Share, ou seja: 1% das ações, se estiverem com o clube, permite o poder de veto a tais itens).

Quando o investidor é uma pessoa jurídica, obrigatoriamente ela deve indicar uma pessoa física responsável pela operação. No caso da Raposa, a “Tara Sports”, empresa espanhola que de fato é quem faz o negócio, indicou um dos seus sócios, Ronaldo Nazário (a Tara é dona do Valladolid, o outro clube no qual Ronaldo é dono e que caiu para a 2a divisão).

A questão é: o valor médio de investimento será de R$ 6,6 mi / mês nos próximos 5 anos. No futebol, tal valor é relativo. Mesmo sendo o novo dono das receitas (e das despesas – pois o clube deve quase 1 bilhão de reais), fica a pergunta: ao final do período, terá valido a pena a operação? Você ouve falar de atletas ganhando 800 mil no futebol brasileiro em times de ponta. O Cruzeiro, partindo disso, terá um time modesto e a prioridade é não deixar a coisa piorar?

Algo que vale discutir: apesar do “auê” do anúncio do negócio, o que foi acertado é a intenção da concretização do acordo. Ele ainda dependerá da auditoria do comprador, onde comprovará se as contas e pendengas financeiras e jurídicas foram apresentadas corretamente pelo vendedor. Ou seja: se existirem dívidas não sabidas ou alguns processos não declarados, tudo pode ser cancelado.

Com o Cruzeiro, um dos grandes do futebol brasileiro, funcionou assim. Como será quando investidores de outros países ou até mesmo “suspeitos” de negócios escusos (como ocorre na Inglaterra) desejarem adquirir clubes de outro porte?

Aliás, fica a pergunta: qual o interesse em adquirir SAFs que nascem extremamente endividadas e que não tem projeção nacional (as dívidas do Cruzeiro, reforço, continuam a existir, pois o CNPJ de uma SAF não “cancela” os débitos do CNPJ que o substituiu, apenas dá condições de ter um fôlego).

Por fim: Andrés Sanches, ex-presidente do Corinthians, confirmou que Ronaldo o convidou para ser CEO da SAF. É mole? O mesmo recusou porque disse: “não dá, sou corintiano”. Mas quando ele queria presidir a CBF não teve essa desculpa…

Agora dono do Cruzeiro, Ronaldo foi vendido pelo clube ao futebol europeu com apenas 17 anos; relembre! | LANCE!

Imagem extraída de: https://www.lance.com.br/cruzeiro/agora-dono-do-cruzeiro-ronaldo-foi-vendido-pelo-clube-ao-futebol-europeu-com-apenas-17-anos-relembre.html. Montagem da Foto: Lance, com Crédito da divulgação do Cruzeiro.

– Belonofobia do Presidente ou Birra?

Li o texto abaixo sobre “Medo de Agulhas”. E o autor faz uma inteligente questão brincando com o “pavor de vacinas” que o presidente Bolsonaro tem. Na verdade, parece ser birra.

Me pesa ver mortes que poderiam ser evitadas ou sofrimentos que seriam minimizados, caso as pessoas tomassem as vacinas. Na era da tecnologia de ponta em que vivemos, com tamanho investimento em pesquisa científica que foi dispensado, custa crer que estamos ainda discutindo “se deve ou não tomar as vacinas” – fora as desculpas esfarrapadas dos antivax. Neste contexto, infelizmente o chefe da nação também é culpado (afinal, tem desdenhado das vacinas e publicado vídeos contestadores sobre elas).

Abaixo, extraído de: https://brasildelonge.com/2021/12/16/belonofobia/

BELONOFOBIA

por José Horta Manzano

Depois que a covid, firme e vigorosa, se agarrou ao mundo e não soltou mais, vêm sendo ressuscitadas palavras e expressões que cochilavam no fundo do armário junto aos saquinhos de naftalina.

Epidemia e pandemia, por exemplo, só saíam do armário pra lembrar surtos de tifo, varíola ou peste bubônica, coisa dos séculos de antigamente.

Ouvi ontem – pela primeira vez, que eu me lembre – a misteriosa palavra belonofobia. É composição erudita formada pelos elementos gregos βελόνα (belóna = agulha) + φοβία (fobia = pavor). Portanto, belonofobia (ou belenofobia) é pavor de agulha.

O único dicionário de língua portuguesa em que encontrei a palavra foi o Estraviz, dicionário benfeito mas pouco conhecido, que congrega o léxico português, o galego e o brasileiro. Ensina que belonofobia é o “receio mórbido em tocar agulhas, alfinetes e objetos que podem picar”.

Atrás dessa palavra, talvez se esconda o verdadeiro motivo de tanta gente rejeitar a vacina, a começar pelo capitão: pavor de agulha. No mundo, muitos entram nessa categoria.

Por alguma razão que desconheço, o povo brasileiro, com raras exceções, foge a essa recusa irracional. Estatísticas informam que apenas 2% de nossos conterrâneos entram na categoria dos antivax. Note-se que, em certos países da Europa, mais de 30% dos habitantes rejeitam a picada.

Eu desconfio que a imensa maioria dos ‘vacino-hesitantes’, embora não ousem confessar, têm mesmo é medo da agulha. À vista de uma seringa, já sentem as pernas bambeando.

Pra tentar convencer os hesitantes, a Suíça abriu um estágio de sensibilização. Gratuito e com duração de duas horas, o cursinho conta com a participação de enfermeiras e psicólogos que ‘apresentam’ seringas e agulhas aos participantes, suavemente, como quem leva as crianças ao serpentário pra mostrar cobra. O objetivo é esconjurar o medo irracional.

Se a técnica vai diminuir a quantidade de ‘vacino-hesitantes’, só o tempo dirá. Se funcionar, seria interessante pagar uma passagem para nosso capitão, pra permitir que ele participe também. Proponho fazer uma vaquinha pra comprar esse bilhete. De ida simples, de preferência, sem volta possível. Contribuo com gosto.

Imagem extraída de: https://brasildelonge.com/2021/12/16/belonofobia/

– Rezando no 4o domingo do Advento.

Participar da Santa Missa é uma benção. E neste 4o domingo do Tempo do Advento (que significa “espera do ‘acontecimento’, que é o Natal de Jesus), vemos Nossa Senhora grávida visitando sua prima Santa Isabel, que também estava grávida (esperando São João Batista).

Deste lindo encontro surgiu o Magnificat, tão bela canção proferida por Maria. Tem como não sentir a Presença de Deus com tal exaltação?

Aqui, 17h na Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Bragança Paulista. Que pintura, vejam só:

– Psicologia das Antigas.

Um pouco de humor: nos anos 80, quando você saía do seu normal, que “tratamento” você recebia?

O meu não era nenhum desses abaixo, mas a ”varinha de marmelo”… porém, era merecido!

Ops: é claro que esse meme, de autoria anônima, é uma brincadeira. Psicólogos e psiquiatras são necessários.

– Repost: 7 Questões Interessantes sobre a Goleada do Barcelona sobre o Santos

Há 10 anos… o Santos se assustava com o Barcelona no Mundial da FIFA:

O que dá para falar da decisão do Mundial FIFA de Clubes? Um time que beira 80% de posse de bola nos leva a crer em duas coisas: que ele é excepcional e que seu adversário é muito fraco!

Pense bem: 76% é como brincadeira de bobinho, onde um sujeito fica fazendo papel de tolo tentando recuperar a bola. Acontece que o adversário do Barcelona era o Campeão da Libertadores, o Santos!

Será que o futebol sulamericano está tão por baixo? O Barcelona é bom demais, tudo bem, mas a ponto do campeão europeu enfiar 4 gols de diferença no campeão da América do Sul?

Neymar sumiu. E ainda há gente que dizia que o Puyol era caneludoA Jóia da Vila, segundo o Footstats, teve 55 segundos de posse de bola em 90 minutos de jogo!

Visivelmente, o Santos estava assustado; Muricy errou em escalar um time o qual nunca treinou (será que ele não ponderou os riscos de tentar uma formação inédita justo contra o Barça?); e, o pior: a nítida percepção de que o nível entre futebol jogado na Europa hoje é muito diferente do que o daqui.

Não concordava quando diziam que o Neymar precisava jogar na Europa para provar sua qualidade, afinal, ganhou a Libertadores. Acho que estou mudando de idéia…

Mas algo bacana e polêmico, a fim de uma reflexão. Questões imaginárias:

1- O que Muricy pôde falar aos seus atletas no vestiário, depois do acachapante 1º tempo?

2- Há 6 meses, Muricy “era o cara”, o comandante da Libertadores. Para muitos, hoje, ele deveria ser demitido… De bestial à besta em 3 gols. Tem fundamento a sua culpa?

3- Este Barcelona de Messi e Cia (2010) se iguala em majestade com o Santos de Pelé e sua trupe (anos 1960)?

4- Ao invés de time da casa ser convidado para o Mundial, por que não o detentor do título? Seria legal termos a certeza de que em 2012 o Barcelona estará em campo defendendo a permanência da posse do troféu!

5- Neymar, na entrevista FIFA, exaltou o Barça e disse que o Santos é o “segundo maior time do mundo”. Puxa, a diferença entre o futebol do primeiro time para o segundo (segundo a lógica do Neymar) é tão grande assim?

6- Puyol disse que o Barça tem que melhorar a cada dia. Como é que faz, para um time perfeito como o dele?

7- Léo disse bobagem na saída: que o Barcelona seria vaiado se tocasse a bola assim, caso jogasse no Brasil. Seria mesmo?

Por fim, uma observação bacana: na maior parte do tempo, ouvia-se os gritos de “Santos, Santooooss’ sobrepondo as vozes dos torcedores do Barcelona, maioria no estádio. Pena que de nada adiantou..

Sobre a arbitragem: Mundial de Clubes com árbitros do Azerbaijão, Nova Zelândia, Kirguistão, El Salvador? É a globalização do apito…. $ó pode $er i$$o. Mas justiça seja feita: nos lances em que apareceram, o árbitro Ravsham Irmatov (UZB) e o bandeira Bakhadyr Kochkarov (KSG) foram bem. O outro, cujo nome até omiti, nem apareceu no jogo (partida fácil de se apitar, diga-se de passagem!)

E você, o que achou do jogo? Deixe seu comentário:

Imagem extraída de: https://www.youtube.com/watch?v=UYPu3rMvcDs

– Trocando o turno.

Meia-noite no Lago do Taboão, em Bragança Paulista. O sábado vai dormir para o domingo mostrar serviço.

Até no escuro a paisagem é bonita!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby