– A minha feliz alienação do BBB

Não curto o programa “Big Brother Brasil”, mas respeito quem possa gostar. Pelas redes sociais, muita gente citando nomes como Babu, Prior ou Manu, que nem imagino quem sejam.

Aliás, mesmo alienado, impossível não saber que um dos eliminados teve mais de 1,5 bilhão de votos (nem sei o que pensar sobre esse número: a pessoa podem ligar quantas vezes quiser num mesmo número?).

Imaginei que Prior, o último eliminado, fosse um “mocinho”, pois vejo muita gente lamentando sua saída, inclusive jogadores de futebol. Mas, ao ler a notícia de que ele foi acusado de estupro anteriormente, fico pensando: “era vilão”?

Sei lá. Mas que é um negócio tremendamente chato para mim, ô se é!

BBB': com a saída de Prior, relembre as músicas de todas as ...

– Não se pode morar (nem morrer) na rua!

Viram as imagens de Las Vegas (EUA), onde um grande estacionamento foi demarcado com retângulos a fim de que os moradores de rua possam dormir “seguros” e não contrair o Novo Coronavírus?

Puxa… me chocou. O que acontecerá ao mundo?

Assistir cenas como essa, ver os caixões empilhados no Equador ou o desespero de espanhóis e italianos, traz uma grande tristeza.

Há pouco, no noticiário noturno, tanto o presidente americano Donald Trump pediu para pessoas ficarem em casa quanto Boris Johnson, primeiro-ministro inglês, que acrescentou “ficar em casa é salvar vidas”.

Não existe muita saída: é uma bola de neve, que arrasa economias, destrói sonhos e, principalmente, mata!

Ouvir os relatos de quem morre pela insuficiência respiratória causados pelo Covid-19 dá medo. É ser sufocado e nada poder fazer.

1585714047846.jpg

– O que pode significar o não-pagamento da Globo quanto a parcela dos Estaduais aos clubes? Acabou ou não o torneio?

Com a informação de que a Rede Globo suspendeu o pagamento das últimas parcelas dos Campeonatos Estaduais (está na mídia tal informação, embora eu não tenha lido nenhuma nota oficial), imagino o desespero dos clubes de futebol. 

Penso que, se os Regionais voltarem, automaticamente o valor restante a pagar é quitado; se não tem restante de torneio, não tem restante de pagamento. É um produto: entregou a mercadoria, recebeu o pagamento. Se ele está em partes, o saldo a pagar deve ser igual. 

Porém, apesar dos clubes do RJ se reunirem e mostrarem que querem acabar o campeonato dentro de campo, e os paulistas estando em férias, fica a grande questão (especialmente aos grandes clubes): quando jogar, sem sacrificar ainda mais outras competições?

Só o tempo dirá. Enquanto isso, a angústia dos cartolas em acabar logo com a quarentena e retomar aos trabalhos (devido a dificuldade financeira) deve ser enorme. É o inevitável “Custo-Covid”.

Não posso deixar de importunar: e os clubes pequenos nessa hora tão difícil, não? Para esses, as Federações precisam olhar ainda mais com carinho neste momento delicado  (entendendo que: quem formam as federações são os clubes, independente de tamanho ou idade).

8F2D2CD7-EDD2-47EE-9E0E-7ECB1E3D156F