– O Papa e a declaração acolhedora ao gay chileno

Ainda sentindo as críticas por não ser efusivo contra os acusados de cometer abuso sexual nas Dioceses do Chile, o Papa Francisco trouxe uma prova de acolhimento e tolerância.

Disse Francisco a um cidadão homossexual, chamado Juan Carlos Cruz:

O fato de ser gay não interessa. Deus te fez assim, te ama assim e eu não quero saber. O papa te ama assim. Tem de ser feliz como é”.

É por aí mesmo. Deus detesta o pecado, mas ama o pecador.

Abaixo, extraído de: https://www.cartacapital.com.br/sociedade/201cdeus-te-ama-assim201d-afirma-o-papa-francisco-a-homossexual

“DEUS TE AMA ASSIM”, AFIRMA O PAPA FRANCISCO A HOMOSSEXUAL

Na mais explícita declaração de um papa contra o conservadorismo religioso em relação às orientações sexuais, Francisco confortou um homossexual vítima de abusos por parte de um padre chileno. “O fato de ser gay não interessa. Deus te fez assim, te ama assim e eu não quero saber. O papa te ama assim. Tem de ser feliz como é”.

Juan Carlos Cruz, para quem o papa dirigiu suas palavras, foi uma das vítimas do padre Fernando Karadima, condenado pelo Vaticano por ter cometido abusos sexuais no Chile na década de 1980. O escândalo levou ao pedido de renúncia coletiva dos clérigos chilenos.

Francisco deu um passo mais ousado em relação a sua evasiva frase de 2013. “Quem sou eu para julgar?”, perguntou na ocasião quando pressionado a externar sua posição sobre o tema.

A declaração é ainda um outro gesto de desculpas de Francisco após as infelizes declarações durante a sua passagem pelo Chile em janeiro. Na ocasião, o papa definiu como “calúnias” as acusações contra o bispo Juan Barros, que teria encobrido os abusos sexuais praticados por Karadima durante décadas.

A defesa de Barros motivou críticas ao papa. Entre os insatisfeitos estava o cardeal norte-americano Sean O’Malley, nomeado para suceder a Bernard Law na diocese de Boston na sequência dos escândalos de pedofilia naquela cidade. O’Malley acusou Francisco de ter causado “grande dor” às vítimas de abusos sexuais por parte integrantes da Igreja.

Após as reprimendas públicas, o papa se desculpou: “O drama dos abusados é tremendo. O que é que sentem as vítimas? Tenho de pedir-lhes desculpa, porque a palavra ‘prova’ feriu. A minha expressão não foi feliz. Peço desculpa se as feri, sem me aperceber, sem o querer. Dói-me muito”.

bomba.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.