– A Bipolaridade do Mundo Organizacional

Compartilho um artigo extremamente oportuno de um fenômeno atual: a “Mudança de ‘Humor Organizacional’ das Empresas”, retratado pelo Prof José Renato Sátiro Santiago.

Abaixo, extraído de:

http://jrsantiago.com.br/blog/texto/A_Bipolaridade_no_Mundo_Corporativo_e_seu_uso_indevido

A BIPOLARIDADE NO MUNDO CORPORATIVO E SEU USO INDEVIDO

Distúrbio caracterizado pela repentina mudança de humor de seu paciente, a bipolaridade tem invadido o dia a dia de todos nós.

Diferentemente do que acontecia em um passado remoto, hoje em dia não é tão raro conhecermos alguém que sofra deste mal.

A questão aqui, no entanto, não diz respeito ao efetivo crescimento, mas sim ao seu diagnóstico.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a OMS, há cerca de 340 milhões de pessoas que sofrem de transtornos desta natureza (1 a cada 20).

Sim, sofrer é o termo certo, pois se trata de uma doença com a qual se deve ter um enorme cuidado.

Conforme alguns estudos, o índice de suicídio entre as pessoas bipolares é cerca de 30 vezes maior se comparado com aquelas que não possuem tal distúrbio.

Assustador.

Ainda assim, há um mal maior sofrido por uma pessoa bipolar, o preconceito.

Muitos, talvez por pura ignorância no assunto, costumam associar as características deste mal como sendo “pura frescura” ou “falta de uma boa surra quando criança”.

Como se fosse possível controlar seus efeitos.

No mundo corporativo, por exemplo, não é incomum confundirem a bipolaridade com questões bem diferentes sem qualquer relação de causa e feito.

Isto é péssimo e é o pior que pode ser feito.

Quantos de nós, ao longo de nossa vida profissional, já testemunhamos colegas que mudam radicalmente de postura e comportamento de um momento para o outro.

Tal tipo de situação costuma ser marcada por frases de tal estirpe “…ele (ou ela) só pode ser bipolar…”.

A verdade absoluta é que isto está longe de ser bipolaridade.

O que seria apenas uma estratégia de sobrevivência, mesmo que vil, passa a ser entendido como algo que é feito sem que haja a devida previsibilidade.

A pessoa bipolar age de acordo com o seu humor, e este, o humor, muda de forma muito rápida e extremada.

Trata-se de algo que pode ser controlado com tratamento, inclusive com medicação apropriada.

A mudança de posicionamento repentino, conforme conveniência, não possui qualquer relação com este tipo de transtorno.

O assunto sobre o qual se refere é outro.

Além disso, e justamente por se tratar de uma doença, é uma irresponsabilidade o uso indevido de um assunto tão sério para qualificar alguém.

Uma atitude preconceituosa, pois tende a associar uma doença como sendo uma característica pessoal.

“Ah mais eu não sabia disso”.

Ainda assim, o desconhecimento sobre as características desta, ou de qualquer outra, doença não serve de atenuante ao seu uso indevido.

Aliás, isto deveria servir para tudo, não é mesmo?

Imagem relacionada

Anúncios

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista x Flamengo

Para o confronto entre o Galo da Japi e o Urubu de Guarulhos, teremos um árbitro com bom desempenho atualmente e bandeiras bem experientes em tempo de Federação e nos jogos trabalhados. Abaixo:

Árbitro: Danilo da Silva
Árbitro Assist 1: Osvaldo Apipe de Medeiros Filho
Árbitro Assist 2: Risser Jarussi Corrêa
Quarto Arbitro: Luciano Rodrigo Zacharias

Danilo esteve no Jayme Cintra em 2017 na derrota do Paulista por 2×0 contra a Matonense e teve ótimo arbitragem (relembre aqui: https://wp.me/p55Mu0-1lK). Na oportunidade, foi muito bem técnica e disciplinarmente, estando muito centrado no jogo. Neste ano, atuou em bastantes partidas da Série A3 e luta para estar na A2 em 2019.

Osvaldo já trabalhou em diversos jogos do Galo, é experiente e sempre realizou trabalhos regulares.

Risser, o assistente 2, já esteve em Jundiaí na abertura do campeonato (Paulista 0x0 Amparo), tendo boa atuação, além de participar de outras partidas do Tricolor Jundiaiense na A3 e A2.

Torço para uma boa arbitragem e uma excelente partida de futebol.

Acompanhe a transmissão de Paulista x Flamengo pela Rádio Difusora Jundiaiense AM 810, com o comando de Adilson Freddo. Narração de Marcelo Tadeu; comentários de Heitor Freddo e Robinson “Berró” Machado; análise da arbitragem com Rafael Porcari; reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Na técnica externa Antonio Carlos Caparroz. Domingo, às 10h00 – mas a jornada esportiva começa a partir das 09h00 para você ter a melhor informação com o Time Forte do Esporte!

– Festa de São Tiago e São Filipe

Hoje é dia de dois apóstolos de Cristo: São Tiago Menor e São Filipe. Vamos conhecer suas belas histórias?

Extraído de Cancaonova.com

HISTÓRIA DE SÃO TIAGO E SÃO FILIPE

Ambos nasceram na Galileia e foram discípulos e apóstolos de Jesus Cristo, e por Ele deram a vida.

Filipe nasceu em Betsaida, e o Evangelho de São João é que nos apresenta dados a respeito de seu santo testemunho. Jesus passou, chamou-o e ele disse ‘sim’ com a vida.

Ele foi ‘canal’ para que São Bartolomeu também se tornasse discípulo de Cristo. Durante o acontecimento da multiplicação dos pães, Filipe também participou deste milagre (foi para Filipe que Jesus perguntou como se faria para alimentar aquela multidão).

Na Santa Ceia, o apóstolo Filipe é quem pede a Jesus: ‘Mostra-nos o Pai e isso nos basta’ (Jo 14,8). Filipe estava em Pentecostes com a Virgem Maria e os outros apóstolos.

São Clemente de Alexandria nos diz que ele foi crucificado. Que honra para os apóstolos morrerem como o seu Senhor!

São Tiago também foi martirizado, por volta do ano 62. Ele que nasceu em Caná, filho de Alfeu, familiar de Nosso Senhor Jesus Cristo. E foi um dos doze apóstolos.

Nos Atos dos Apóstolos encontramos ele como o primeiro bispo de Jerusalém.

Tiago recebeu mais de uma visita de São Paulo e foi reconhecido como uma das colunas principais da Igreja, ao lado de São Pedro e São João.

Uma das cartas do Novo Testamento é atribuída a ele. E, nela, o apóstolo nos ensina que a fé sem obras é morta e que é preciso deixarmos que o Espírito Santo governe a nossa língua.

O martírio não está centrado no sofrimento, mas no amor a Jesus Cristo que supera essa vida.

São Filipe e São Tiago, rogai por nós.

942611_567189363321730_1608160334_n.jpg

– A Impaciência ou o Fanatismo dos Torcedores na mudança da Grandeza das equipes.

Brigar por futebol vale a pena?

Vez ou outra nós vemos aficcionados torcedores invadirem treinos de seus times do coração para protestarem. É fanatismo, incoerentemente com os estádios vazios.

Será que a pressão que desce das arquibancadas ao campo é aceitável ou exagero?

Sou contra toda a forma de violência. Torcedor deve incentivar o seu time durante o jogo, e após ele, vaiar. Mas nada de transformar em ações práticas de agressão.

O treino é local de trabalho. Não gosto de momentos de briga nesse local. Mas pensemos: será que não está mudando a “feição” dos clubes brasileiros?

No começo do século XX, Bangu, América, São Cristóvão, Canto do Rio e Bonsucesso eram forças no futebol carioca. Aqui em São Paulo, tínhamos o Ypiranga, o Germânia, o Jabaquara…

Alguns encerraram as atividades, outros apequenaram-se. Hoje, temos novos clubes em destaque nos regionais: Audax e Red Bull, entre outros.

Será que daqui 30 anos, teremos os mesmos clubes que hoje ou ontem foram protagonistas? Quem era o Água Santa há 10 anos? E o São Caetano, há 20?

Aceitar novas realidades é importante. Noroeste, Marília, Paulista, Internacional e São José não são mais importantes coadjuvantes na 1a divisão de seus estados. Guarani e Portuguesa deixaram de serem importantes times da 1a nacional. Qual o futuro deles?

Aliás, qual o destino dos estaduais?

Sempre aprendi que quando estamos em um momento histórico, não percebemos que estamos fazendo história. E o fato a ser historiado no futuro é: o futebol brasileiro está em transição, seja no peso das camisas, na administração dos clubes e nas táticas dentro de campo. Se o final dessa mudança será positivo ou não, só o tempo dirá! E isso traz a reflexão: são lúcidos os protestos violentos de torcedores ou são em vão, pois eles de nada adiantarão?

bomba.jpg

– A PM e os bandidos nos morros cariocas.

Leio na Revista Isto É, ed 2522, Coluna Semana de Antonio Carlos Prado, a respeito do mega-assalto no Galeão, dias atrás::

US$ 1 milhão é o valor da carga com celulares Samsung que foi roubada de um dos terminais do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. Até quinta-feira 19, nenhum dos 3 ladrões fora preso – avisada que os celulares estavam no Morro da Maré, a PM alegou falta de segurança para ir ao local.

É mole? E olha que o Exército está por lá.

Fim do mundo…

Resultado de imagem para Morros cariocas favelas

– Sorte do Carrillo, Azar do Carille. Sobre Corinthians 1×2 Independiente

No jogo de ida pela 1a fase da Libertadores, o Independiente reclamou da derrota por um gol irregular contra o Corinthians em seus domínios. Nessa quarta-feira, como visitante, jogou muita bola no primeiro tempo e depois só se garantiu no segundo em Itaquera. Contou com a má sorte do adversário (até gol contra de Romero, o matador de Fábio Carille), e a boa atuação da arbitragem peruana de Victor Carrillo.

Três “lances do apito a serem destacados”:

1- A anulação do gol argentino de Franco, que seria o 3o do Independiente: Figal, fora do lance da bola, cometeu infração leve em Rodriguinho na frente do árbitro, corretamente marcada. Foi uma falta comum, boba e desnecessária (um empurrão para provocar desequilíbrio). Tal bobagem foi determinante para anular o tento (mesmo a infração não tendo importância alguma na conclusão da jogada).

2 – Os acréscimos reclamados pelo Corinthians no 1o tempo: todo tempo extra deve ser acrescido por atendimento médico, retirada de jogadores lesionados e substituições de atletas. Cera, por exemplo, deve ser punida em campo com advertência (seja verbal no início do jogo ou com Cartão Amarelo na persistência). Nada a justificar longo tempo de acréscimo

3 – A Expulsão de Emerson Sheik: corretíssima! O jogador veterano, tão importante na conquista da Libertadores e que usou de muita malícia contra os argentinos do Boca Júniors na finalíssima anos atrás (até mordeu o dedo do adversário), nesta noite bobeou: infantilmente chutou Sanchez Miño (desnecessariamente e bem pilhado) na frente da arbitragem. A “milonga brasileira” prejudicou o Timão.

Enfim: vitória merecida para o Independiente e preocupante atuação do Corinthians. Aliás, nessa Libertadores, está difícil encontrar um time que possa fazer frente a Liverpool ou Real Madrid, finalistas da UEFA Champions League.

 

– Oi, dona 5a feira!

06h20 – Desperte, Jundiaí!

Ter tantas nuvens no céu é prenúncio de que enfim teremos uma boa chuvinha ao longo desta 5a feira?

Tomara que sim.

Ótimo dia a todos. Veja só que linda nossa paisagem há pouco: um horizonte maravilhoso na Terra da Uva!