– Movimento Voto Consciente apresenta relatório das sessões da Câmara Municipal de Jundiaí

por Reinaldo Oliveira

No dia 16 de dezembro a Câmara Municipal de Jundiaí realizou a ultima sessão ordinária e uma extraordinária do ano de 2014. Na sessão ordinária foi eleita a nova mesa diretora para o biênio 2015/2016, que terá como presidente o vereador Marcelo Gastaldo (PTB). E na sessão extraordinária foram votados importantes projetos.

Também no dia 16, o Movimento Voto Consciente Jundiaí, que faz o acompanhamento das sessões camarária desde 2006, com anotações em planilhas de fatos que ocorrem durante as sessões, apresentou um relatório onde aponta que do tempo utilizado para as 87 sessões do biênio, 27% do tempo foi gasto com a suspensão dos trabalhos.

Das 87 sessões os voluntários do Movimento Voto Consciente Jundiaí fizeram o relatório com análise de 29 sessões, o que corresponde a 1/3 das sessões realizadas. No dia 19 de dezembro, em matéria veiculada no Jornal de Jundiaí, alguns vereadores fizeram ressalvas quanto a votação às pressas de alguns importantes projetos.

Na ressalva informam não terem tido tempo suficiente para um melhor estudo e leitura dos projetos. Logo, o desperdício de tempo gasto com a suspensão dos trabalhos é um flagrante desrespeito ao publico que comparece à Câmara Municipal para ver e acompanhar os trabalhos dos nobres vereadores.

É importante que eles revejam o tempo gasto com a suspensão dos trabalhos, no sentido de respeito para o público que comparece às sessões, bem como para utilização melhor do tempo para o estudo e leitura dos projetos. Os dados utilizados para obter o percentual, podem ser acessados no site da Câmara Municipal de Jundiaí.

Conheça o trabalho do Movimento Voto Consciente Jundiaí acessando o http://www.votoconscientejundiai.com.br

bomba.jpg

– O Custo de um Político no Brasil!

Segundo a Revista Isto É (ed 2279), um deputado federal custava em 1986 o equivalente a 33 salários mínimos (ou CZ$ 27.000,00). Hoje, ele custa 203 salários mínimos ou R$ 138.000,00.

Mas essa conta pode ser ainda maior, se somar tudo o que eles podem gastar num mês: o auxílio moradia é de R$ 3.900,00eles têm 38.000,00 por mês para gastar com material de escritório, restaurantes e combustíveloutra verba de R$ 78 mil reais para contratar até 25 assessoresressarcimento médico com reembolso ilimitado!

Lembrando: além de toda essa grana, não nos esqueçamos do salário, que hoje é de R$ 26.723,13.

Um bom negócio, né? Quantos “Joões Plenários” temos por aí…

url.jpg

– O Futebol Brasileiro chorou nesse final de semana…

Para quem mora no Brasil e gosta de um bom jogo de futebol, esse último domingo foi para chorar. Não pela falta de jogos locais, mas sim pela diferença gritante dos espetáculos vistos internacionalmente.

Amigos, a diferença da qualidade das partidas dos grandes centros europeus, dos esquemas táticos e da arbitragem é abissal!

Perceba: qualquer partida do Brasileirão não consegue ter bola rolando por dois minutos ininterruptamente, que alguém faz uma das malditas “faltas táticas”, aquelas defendidas por Felipão para parar o adversário. Sábado, no Marrocos, o Real Madrid pegava a bola e a jogava, sem botinada ou erro de passe. Ficava MINUTOS com a bola no pé, tocando-a e jogando ofensivamente, sem “bicão” ou “chutão”. Só parava quando o San Lorenzo apelava e parava na catimba. Domingo, na Inglaterra, Liverpool x Arsenal jogaram o fino da bola! Ninguém rifava a pelota, o jogo não parava, as jogadas eram construídas e o torcedor aplaudia os belos lances a todo instante. Jogo pra frente, jogo jogado, jogo disputado.

Parecia até… o Brasil de outrora! E isso é assustador, pois qualquer jogo da Premier League parece outro esporte diferente do que o futebol brasileiro.

E diga-se o mesmo da arbitragem! Aqui, encostou se marca a “faltinha”, vício cada vez mais comum. Lá fora, “falta” tem que ser falta mesmo! E nisso também estamos ficando para trás: O respeito incontestável que os estrangeiros tinham da arbitragem brasileira foi se perdendo ao longo dos últimos anos, graças a péssimos trabalhos dos cartolas e permissão de politicagem na indicação de talentos.

Estou preocupado: até a Copa de 2018 o Campeonato Brasileiro se sucateará ainda mais?

Pelo andar da carruagem, temo que sim!

bomba.jpg