– A Via Crucis dos Trabalhadores Endividados

O ufanismo é uma das perversas práticas dos ocupantes do poder – em suas três instâncias: municipal, estadual e federal. Basta alguma pequena melhora em qualquer dos indicadores econômicos, ainda que passageira, para que os governantes e seus “lambe-botas” saiam esgoelando mundo afora que, graças às políticas aplicadas, as coisas melhoraram. Tentam tapar o sol com a peneira, iludindo incautos e toda sorte de gente que vive no sufoco com sua economia familiar. Assim, quando falam em crescimento do emprego, por exemplo, vendem a ilusão de que o país caminha na rota certa e que “todos seremos felizes num futuro bem próximo”, que todos terão trabalho, que as famílias deixarão de viver na rua da amargura. No bojo desta lengalenga, estimulam os trabalhadores a comprar, comprar, comprar, não importa o quê. E o resultado, também perverso, não tarda a aparecer.
Dados do Banco Central revelam que 22,44% da renda familiar estão sendo aplicados para o pagamento de dívidas e que, apesar disso, a inadimplência (calote, falta de pagamento) dos trabalhadores continua alta. Com os baixíssimos salários que vigoram no país, não se consegue manter uma família padrão atendendo às suas necessidades básicas. Como a publicidade comercial é estimuladora ao consumo, mas é também desleal, leva os menos precavidos ao consumo impensado, especialmente com as compras parceladas. Com isto, quando menos esperam, as dívidas estouram o orçamento familiar, levando os responsáveis ao desespero ou, então, ao calote indesejado.
Mas o trabalhador, via de regra, não é caloteiro, não gosta de dar o cano em ninguém, preza sua dignidade e faz de tudo para mantê-la intacta. Quer ser uma saudável referência para seus filhos e para seu entorno. Com tal preocupação, parte, então, para iniciativas mais ousadas em busca dos recursos necessários. Se estiver trabalhando, propõe-se a fazer horas extras, incluindo feriados e domingos. Aí começa a comprometer sua vida familiar: sai cedo de casa, volta muito tarde, dorme pouco e não descansa o suficiente, repete a rotina inclusive nos fins de semana, vai se estressando, comprometendo sua saúde, deixando de acompanhar seus filhos, faltando com a companhia devida à sua esposa ou ao seu marido, enfim, comprometendo toda sua vida familiar. E, pior ainda, se adoecer, perde o emprego.
Outros dados recentes complementam as informações acima, revelando a intensidade dessa vida crucificada: “Quase um quarto dos trabalhadores que procura emprego temporário nesse fim de ano têm como objetivo obter uma renda extra para pagar dívidas. Desses, mais da metade (59%) já está empregada e nunca prestou serviços temporários”, revela pesquisa feita pela empresa Vagas Tecnologia (Estadão, 5/11/2012 – Economia, pág. B1). Portanto, mais trabalhadores em dupla jornada. Serão pelo menos dois meses que, inegavelmente, provocarão o cansaço e desgaste físico e emocional desses trabalhadores. Os possíveis resultados negativos são bem previsíveis.
A abordagem inicial desse artigo fala do discurso enganoso dos políticos e seus fiéis servidores e o classifica como perverso. Perverso por várias razões: porque os empregos atuais não estão garantidos, pois a demissão do trabalhador virou rotina do sistema capitalista; a rotatividade da mão de obra a cada ano já é gritante; a cada novo emprego corresponde algum achatamento salarial; o tempo entre um emprego perdido e outro alcançado é sempre, pelo menos, de alguns meses; se o trabalhador já tiver passados dos 50 anos de vida, terá muito mais dificuldades em encontrar trabalho; sem trabalho, não há salário e, sem salário, não tem como atender às necessidades da casa. Resultado frequente: inquietações, irritações, queixas, desentendimento entre esposos, entre pais e filhos. Quantos lares já se desfizeram em casos semelhantes? Quanta gente buscou “consolo” na bebida? Quantos jovens fizeram sua iniciação às drogas? Quantas meninas se entregaram bem cedo à prostituição?
Mas a perversidade maior é a de esconder para o conjunto da sociedade que o padrão de vida do trabalhador vem sendo rebaixado progressivamente, seu poder aquisitivo “caindo pelas tabelas”, seus direitos fundamentais sendo roubados em conta gotas por anos a fio, sendo-lhe negados os dados comparativos para que possa entender esse processo corrosivo do seu padrão de vida. Essa negação da verdade leva-o à acomodação, ao conformismo, ao fatalismo de sua vida miserável.
Entretanto, segundo os discursos dos políticos de plantão, tudo está bem e ainda vai melhorar. Entram anos, passam-se anos, entram e saem governantes e as políticas públicas não mudam seu rumo, tudo vai sendo feito para que o capital acumule mais, para que as riquezas produzidas socialmente se concentrem nas mãos de uns poucos e cada vez mais reduzidos ladrões legalizados. A crueldade se potencializa porque o povo continua a legitimar governantes ilegítimos e a legitimar esse sistema político-econômico excludente, que vai gerando miséria e barbárie crescentes. É irritante ver gente que deveria dedicar sua vida à formação da consciência crítica do povo a se mancomunar com o poder, ou a fechar os olhos diante de tantas e frequentes injustiças!
(*
Waldemar Rossi é metalúrgico aposentado e coordenador da Pastoral Operária da Arquidiocese de São Paulo).

– Celulares Alternativos podem ser Bloqueados!

Essa é para quem comprou celular do camelô ou em sites “Xing-ling”: se o aparelho não for homologado pela Anatel, ele será bloqueado!

As operadoras e os fabricantes estão, em conjunto com o Governo, agilizando a novidade.

Extraído de: http://is.gd/ZPrLnr

OPERADORAS QUEREM BLOQUEAR CELULARES PIRATAS ATÉ O ANO QUE VEM

As operadoras de telefonia móvel e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estão investindo em um sistema que bloqueia o uso de celulares piratas e clonados. A partir do ano que vem, esses aparelhos serão monitorados e aqueles não tiverem certificação da Anatel não serão mais habilitados pelas prestadoras de telefonia.

O sistema está em fase de elaboração. Ele funcionará no momento em que o chip é inserido para habilitar o aparelho. Nesse momento, a operadora fará a leitura de um número de série do terminal, conhecido como IMEI. Se o aparelho não é homologado, não ocorre a habilitação imediata e o usuário é encaminhado para atendimento na prestadora.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e do Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) espera que o controle traga benefícios como o desenvolvimento da indústria e uma redução nos problemas enfrentados pelos usuários, como dificuldades de fazer ligações e queda de chamadas, provenientes do mau funcionamento do aparelho terminal.

O cadastro possibilitará ainda ter o conhecimento do tamanho desse mercado, que já vem sendo combatido com medidas restritivas à importação de celulares não homologados, segundo o SindiTelebrasil.

– Quando a Fama Trai…

Recomendo a Coluna da Walcyr Carrasco na Revista Época desta semana. Intitulada “A Fama Trai”, ele abordou as humilhações que alguns artistas vivem pós-esquecimento e a luta para se manter na ativa.

Aqui, Vanusa, excepcional cantora que estava esquecida e que protagonizou um vexame ao cantar o Hino Nacional. Hoje, ela ganha dinheiro com aquela situação, participando de propagandas e entrevistas.

Pior que ela, há a Rita Cadilac, a chacrete que até aceitou fazer filmes pornôs. Sobre ela, Walcyr Carrasco lembra que Alexandre frota, ao contracenar com ela, disse: “parecia estar pegando minha vó”…

A questão maior de tudo isso é: a fama! Quem convive com ela, sofre em perdê-la. Os holofotes são fundamentais para a vida de alguns.

– Fluzão Campeão num Campeonato Fraco.

O Fluminense, merecidamente, é Campeão Brasileiro. Mas algumas coisas devem ser ditas sobre o torneio:

O Campeão da América, Corinthians, disputou o torneio sem a equipe principal em diversas rodadas. Claro, isso faz diferença e não é problema do Tricolor Carioca.

O melhor jogador do Brasil, Neymar, jogou menos da metade da competição por estar servindo a Seleção, enquanto o Flu não tinha desfalques. Também não é problema dos cariocas, mas deve se pensar nisso…

Uma final esvaziada: o palco do título foi num estádio com menos de 25% de lotação, sendo que o público do jogo que entra na história como “do título” com apenas 8.000 testemunhas!

Erros de arbitragens se fizeram presentes no torneio, mas não tiveram influência no título: àqueles que creditam aos árbitros a pontuação expressiva, lembrem-se que a equipe só perdeu 3 jogos e que também foi prejudicada (vide o gol mal anulado de ontem ou o jogo Fluminense X Atlético no primeiro turno…) Erros se compensam durante o torneio. O Atlético Mineiro, que talvez tenha sido o clube que mais reclamou, ontem foi beneficiado em São Januário contra o Vasco e não fez alarde sobre os erros-pró.

Enfim, particularmente acho que o torneio foi nivelado por baixo. Escolheria os 3 craques, pela ordem de boas atuações: Neymar, Fred e Ronaldinho Gaúcho. Revelação? Bernard. E no apito? Xi…

Seneme mais sofreu com contusões do que apitou. Vuaden foi bem, apesar que, na partida de ontem em Presidente Prudente, andou em campo e acabou o jogo visivelmente cansado. Talvez o nome seja Heber, embora me pareça estar com a barriga saliente.

Revelação do apito?

Fica vago. Sinto que nesse ano não revelamos nenhum bom nome novo. Triste.

E você? Quem escolheria como craque do Brasileirão, a revelação e o melhor árbitro?

– Como uma Corporação Pode Entrar na Era da Colaboração Criativa

Olha que interessante: como as empresas podem, em 5 passos fáceis, inovar! Ainda: 5 passos simples do empreendedorismo (com inovação, claro, pois é uma condição sine qua non).

São conselhos do especialista em empreendedorismo Michael O’Neil Bedward, extraído de: Época negócios, Ed 44, pg 30:

  • 5 PASSOS PARA AS EMPRESAS INOVAREM
  • 1. tempo para o funcionário inovar. Crie ambientes propícios para novas ideias;
  • 2. Reduza os níveis hierárquicos na tomada de decisões. Isso confere agilidade;
  • 3. Aprove as inovações. Não restrinja a criatividade ao discurso formal;
  • 4. Estruture um departamento para gerir a inovação;
  • 5. Compre ideias criativas ou pequenas empresas com protótipos ou projetos inovadores.

5 PASSOS PARA OS EMPREENDEDORES SURGIREM

1. Atue por um tempo numa companhia criativa, para ganhar experiência e autoconfiança;

2. Monte um pequeno negócio (bedroom business) e comece a trabalhar em casa;

3. Construa uma rede de relacionamento no mundo real e na internet;

4. Faça um portfólio e convença um empresário que admira a ser seu mentor;

5. Encontre um sócio que entenda de finanças e marketing e que se apaixone por sua idéia.

– Assembléia ampliada do Laicato do Brasil marcou o encerramento do Ano Jubilar

por Reinaldo Oliveira – Comissão de Comunicação do CNLB-Sul 1

A Assembléia Geral Ordinária do Conselho Nacional do Laicato do Brasil, ampliada com a participação do Levante do Laicato Jovem do Estado de São Paulo, realizada nos dias 09, 10 e 11 de novembro, no Centro de Convivência das Irmãs Agostinianas, em Jundiaí/SP, marcou o encerramento do Ano Jubilar pelos 25 anos de atuação do Conselho Nacional do Laicato do Brasil – Regional Sul 1, no Estado de São Paulo.

Na abertura no dia 09, com a acolhida dos leigos, leigas e jovens, pelo presidente do CNLB-Sul 1, Luiz Antonio Ferreira, predominou o clima de fraternidade ocorrido durante toda a Assembléia, que teve a participação de representantes de mais de 20 Dioceses do Estado de São Paulo.

Os trabalhos do dia 10, teve pela manhã, a presença do Bispo Dom Vicente Costa – da Diocese de Jundiaí, que transmitiu mensagem de incentivos aos participantes da Assembléia e comunicou a todos a boa notícia da instalação do Conselho Diocesano de Leigos da Diocese de Jundiaí, inclusive com a participação do padre Silvio Andrei Rodrigues – referencial do Setor Leigos da Diocese de Jundiaí e do Severino Braga da Silva, membro do Conselho Diocesano de Leigos, recém instalado.

A noite em Sessão Solene aconteceu a apresentação do histórico da atuação do CNLB-Sul 1, nestes 25 anos e uma emocionante homenagem a àqueles leigos e leigas que iniciaram o processo de instalação do Conselho no Estado de São Paulo.

No dia 11, nos trabalhos de encerramento a Assembléia contou com a presença de Dom Milton Kenan Junior – Bispo referencial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), para o Conselho Nacional do Laicato do Brasil – Regional Sul 1, que após a celebração eucarística participou de parte da Assembléia, onde transmitiu informações de relevante importância para o CNLB-Sul 1.

De acordo com o presidente do CNLB-Sul 1, Luiz Antonio Ferreira, foi bastante gratificante a realização da Assembléia que marcou avanços importantes nas ações e no protagonismo de leigos e leigas do Estado de São Paulo, da participação de dezenas jovens que com muita alegria refletiram o tema “Ecologia e Sustentabilidade”. Desta reflexão foram pontuadas algumas ações como a conscientização nas comunidades sobre a importância do Laicato para as pastorais e movimentos juvenis, fomentar as discussões do grupo na rede social facebook, realizar um fórum de discussões todo primeiro domingo de cada mês via facebook, com a participação de jovens convidados e confirmação de participação nas próximas assembléias. A próxima Assembléia Geral será realizada em março de 2013, na cidade de Araras/SP.