– Eu tenho medo de quem se diz “dono da verdade”…

Leio que o Deputado Federal Guilherme Boulos, líder do MTST, defendeu a criação de uma Procuradoria em Defesa da Democracia, que visa denunciar crimes contra desinformação e levar a pessoa a julgamento (foi à CNN Brasil, em reportagem de Marcelo Sappio).

Apesar do nome bonito, isso é um perigo… afinal, quem é dono da informação verdadeira?

Explico: ditaduras criam nomes pomposos como “Tribunais de defesa do povo” ou “Juntas da democracia popular”, e nada disso exerce a função proposta, mas se tornam instrumentos de censura à oposição (e os exemplos existem: Cuba e China, por exemplo). Não sejamos ingênuos…

Como avaliar informação real e diferenciar de opinião, que pode ser certa ou errada? Vemos no Brasil alguns excessos disso nos dias de hoje, e de vários lados ideológicos.

Reflita o expoente maior: se estou em um culto / missa / cerimônia religiosa, e defendo um conjunto de crenças que vão ao contrário de algum interesse, isso pode ser criminalizado! Traga ao âmbito político: os radicalismos de Lula e de Bolsonaro, tornariam-se um prato cheio à causa, dependendo do interesse.

A liberdade de expressão ainda é o melhor caminho, e o mau uso dela (como a ofensa a outrem) deve render responsabilização. Mas crime de “opinião”, travestido de fake news ou algo semelhante, é assustador.

Guilherme Boulos (PSOL-SP), deputado federal eleito

Imagem extraída de https://www.cnnbrasil.com.br/politica/boulos-defende-criacao-de-procuradoria-contra-desinformacao-e-diz-que-fake-news-influenciaram-eleicao/?utm_source=social&utm_medium=twitter-feed&utm_campaign=politica-cnn-brasil&utm_content=link

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.