– Amor pelos filhos é imensurável.

A gente fala para os filhos o quanto os amamos. Diariamente!

Mas se eles soubessem o tamanho infinito desse amor…

Imagem

– Qual caminho você escolhe diariamente?

No dia-a-dia, você tem opção de decidir seu futuro. O presente permite que a estrada vindoura para o “expresso do amanhã” seja feita de várias possibilidades:

caminhos retos, tortuosos, curvilíneos; margens bonitas, feias, claras ou escuras; trechos aprazíveis, espinhosos ou assustadores.

Não importa, o que vale (e aqui deixando a literatura poética para usar a objetividade) é: como e por onde andaremos?

Precisamos sempre escolher o caminho da ética, da honestidade e da cidadania, independente dos fatores que podem nos distanciar das coisas que gostamos em favor da razão e da verdade – pois essas trazem um futuro com mais segurança e correção, dispensando-nos de contratempos que possam afetar nossa alma e mente.

Como tem sido a escolha dos seus caminhos?

– Quando suas Preferências o tornam ignorante por culpa das Redes Sociais!

Publicado originalmente há 2 anos, mas com uma temática bem atual…

As redes sociais estão por trás do fanatismo de muitos. Em especial, os algoritmos do Facebook, onde você lê o que “só se quer”.

Pegue Haddad ou Bolsonaro na última Eleição Presidencial: se você tem preferência por um deles, as publicações que lhe aparecem são de louvor ao amado e demonização ao outro. Não existe bom senso!

Aliás, o Internauta centrado, que tem espírito crítico aguçado, é obrigado a receber publicações dos dois lados! E isso cansa.

Talvez o texto abaixo, publicado na Folha de São Paulo em 12 de Outubro passado (5 dias depois do 1º turno presidencial), diga muita coisa sobre essa bolha criada pelas Redes Sociais (e aqui a observação é precisa, independente da preferência política da autora do texto). 

Abaixo, extraído de: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/fernandatorres/2018/10/bolha.shtml

BOLHA

Por FERNANDA TORRES

WhatsApp, fake news e engajamento dos cultos evangélicos ganharam de lavada as eleições

No programa de David Letterman na Netflix, Barack Obama cita um teste realizado pela Casa Branca durante a Primavera Árabe, que pretendia avaliar o poder de direcionamento do algoritmo nas redes sociais. Internautas de direita, de esquerda e de centro digitaram a palavra Egito, a fim de descobrir o que cada segmento obteria como resposta.

Os conservadores foram direcionados para links relacionados ao terrorismo, ao jihad e à ameaça muçulmana. A busca dos progressistas resultou em notícias que festejavam o levante egípcio como um auspicioso despertar do mundo árabe. Já os de centro foram brindados com inofensivos sites turísticos, que anunciavam os “Best Places to Visit in Egypt”.

Vivemos isolados em bolhas de preferência, ignorando, por completo, a do vizinho.

Quem esteve presente na manifestação do #EleNão vivenciou uma multidão pacífica de senhoras, senhores, crianças e militantes feministas. Os que não foram às ruas viram versões distorcidas de meninas de peito de fora, enfiando crucifixos no meio das pernas, fumando maconha e clamando pela volta de Satanás.

A assombrosa alavancada de um candidato a governo do Rio de Janeiro, o ex-juiz Wilson Witzel —que, em dois dias, atingiu 39% de preferência nas urnas—, prova que os métodos de convencimento da velha política foram parar na lata de lixo da história.

O WhatsApp, as fake news e o engajamento dos cultos evangélicos ganharam de lavada as eleições de 2018.

Num vídeo gravado, Witzel se dirige à Polícia Militar, prometendo extinguir a Secretaria de Segurança Pública para eliminar a má influência dos políticos nos órgãos de policiamento investigativo e ostensivo.

A medida, acredito, receberá o apoio de uma massa de eleitores que associam a política ao crime. Um cidadão que, fora de sua bolha, levantar a voz em favor da secretaria de Segurança corre o risco de ser crucificado pela conivência com a corrupção.

A classe artística, cuja opinião vem sendo inoculada pelo simples teclar de dez letras: Lei Rouanet, tem enfrentado rejeição semelhante à da política.

No último debate presidenciável, na TV Globo, os candidatos presentes repetiram a retórica de acusações ao PT e ao PSDB, além das réplicas do Lula Livre. Indefesos diante da nova máquina eleitoral, eles pareciam falar do túnel do tempo do milênio passado.

Os grupos fechados do meu celular aplaudiram o discurso de Boulos contra a ditadura militar, mas a indignação morria ali, entre muros. A ditadura não está na pauta dos que cresceram na redemocratização com o celular em punho. A Lava Jato e a crise na segurança, sim.

O golpe de 1964 e o AI-5 são tão distantes da experiência histórica dos que têm menos de 40 anos quanto Juscelino, o tenentismo e a política do café com leite.

No colégio abastado do filho de um amigo meu, todos os garotos de 18 que votaram no partido Novo migrarão para o PSL, convencidos de que a aliança do livre mercado com a “sociedade de bem” armada trará benefícios para o país.

Nenhum deles se preocupa com uma possível ascensão de forças paramilitares —muito menos com a perseguição a grupos identitários. Tudo é visto como petismo travestido de mimimi humanitário para esconder os anos de roubalheira.

O que impressiona é perceber que, assim como na eleição de Donald Trump, os chamados progressistas, que deveriam estar atentos ao futuro das novas mídias, permaneceram fiéis aos mesmos instrumentos de divulgação de ideias do tempo da vovó menina.

Enquanto isso, a ultra direita vem agindo cirurgicamente, há bastante tempo, em dois campos aparentemente antagônicos e difíceis de serem vencidos agora: a inteligência artificial e a fé em Cristo, em voga desde o fim da Antiguidade.

Vai encarar?

bomba.jpg

Charge de Thiago Lucas

– A não-expulsão de Kayzer é exemplo de falta de padrão do VAR.

Eu não havia assistido Athletico 2×2 Flamengo, e vi somente hoje a bobeada da arbitragem no lance que deveria ser de expulsão de Renato Kayzer. Errou feio o VAR ao chamar o árbitro. Pior ainda o juizão: Marielson Alves (que dizem estar cotado para ir à FIFA, por ser baiano e gozar de bom relacionamento com o presidente interino da CBF, Ednaldo Rodrigues – ambos são baianos) literalmente “pipocou”. Indiscutível agressão.

Eu iria escrever sobre isso, mas o jornalista Ricardo Perrone redigiu o que eu penso com exatidão! Abaixo:

Extraído de: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/colunas/perrone/2021/11/03/perrone-e-mais-dificil-defender-o-var-do-que-renato-gaucho-no-flamengo.htm

É MAIS DIFÍCIL ENTENDER O VAR DO QUE RENATO GAÚCHO NO FLAMENGO.

por Ricardo Perrone 

O empate em dois gols entre Athletico-PR e Flamengo, nesta terça (2), pelo Brasileirão, terminou com Renato Gaúcho e o VAR na berlinda.

Tanto o árbitro de vídeo quanto o técnico do Flamengo têm sido soterrados por críticas devido a atuações ruins.

Novamente, o uso da tecnologia, que veio para salvar a arbitragem, falhou e fez o contrário: prejudicou o jogo e especialmente o Flamengo.

Por sua vez, Renato Gaúcho, que veio para salvar o Flamengo, falhou ao repetir antigos erros.

Na opinião deste colunista, Márcio Henrique de Góis, responsável pelo VAR, cometeu uma falha grosseira ao chamar o árbitro Marielson Alves para revisar o lance da expulsão de Renato Kayzer, que acabou anulada de maneira incompreensível.

Já Renato voltou a comandar um time irregular, sem equilíbrio entre ataque e defesa, lento e desorganizado na transição defensiva e com dificuldades para escapar da marcação adversária.

O torcedor do Flamengo terminou a partida indignado com a arbitragem e com o técnico de seu time. É compreensível, pois problemas que nunca são corrigidos irritam e desanimam. Isso vale para os dois alvos de críticas.

Porém, dá para acreditar mais na recuperação de Renato do que na do VAR. O treinador tem em mãos um elenco de alto nível para os padrões do futebol brasileiro, fez bom trabalho no Grêmio e teve um início promissor na Gávea.

No outro lado do balcão, o nível da arbitragem no Brasil, na média, é fraco. Desde que o VAR começou a ser usado no país houve desconfiança por causa de seu mau uso e da falta de transparência da arbitragem nacional. Não há esperança de uma melhora a curto prazo porque não é visível um trabalho em busca de soluções.

Renato ao menos faz o Flamengo jogar bem em parte dos jogos. E o treinador pode se redimir conquistando o título da Libertadores na final contra o Palmeiras.

Por outro lado, o que aconteceu em Curitiba foi um golpe duro nos defensores do VAR, como eu. Não há luz no fim do túnel.

Renato, que costuma pecar pela falta de lucidez em suas entrevistas, tem razão. Dessa vez, a arbitragem passou dos limites e deixou uma mensagem perigosa: nem toda agressão merece cartão vermelho.

É injustificável a permanência de Kayzer em campo depois de chutar e desferir socos na direção de Léo Pereira. Nem uma sabotagem encomendada teria feito melhor contra o árbitro de vídeo como a equipe que conduziu a arbitragem de Athletico-PR x Flamengo.

O treinador acertou também quando disse que o juiz deveria dar entrevista depois do jogo. É óbvio que os árbitros precisam falar para que possamos entender melhor suas interpretações. E não há razão para as decisões não serem esclarecidas em tempo real para o público com o juiz fazendo o anúncio em um microfone. É assim em outros esportes.

Também não existe motivo para não acontecer uma real profissionalização dos árbitros. São temas que discutimos muito antes de Renato assumir o Flamengo e não vemos evolução.

Sempre defendi o uso da tecnologia no futebol como forma de auxílio aos juízes. Mas, a maneira displicente e sem padrão como ela tem sido usada por aqui torna essa defesa cada vez mais desgastante. É mais fácil defender a permanência de Renato Gaúcho no Flamengo do que o VAR no Brasil.

Sim, Renato ainda pode fazer o time evoluir. Trocar de treinador antes da final da Libertadores seria arriscado porque o substituto teria pouco tempo para identificar e corrigir os problemas. O mais seguro e justo é a direção esperar o final da temporada para ter elementos substanciais em sua análise sobre o trabalho do técnico. No caso do VAR no Brasil, só vejo acomodação, incoerência e desesperança.

– Felizmente, Negros e Pardos são maioria nas Universidades da Rede Pública!

Um número para comemorar: desde 2019, 50,3% dos estudantes da Rede Pública de Ensino Superior são negros ou pardos, diminuindo a desigualdade social / educacional no Brasil.

Abaixo, extraído de: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2019/11/13/pela-1a-vez-pretos-e-pardos-sao-mais-da-metade-dos-universitarios-da-rede-publica-diz-ibge.ghtml?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=g1

PELA PRIMEIRA VEZ, PRETOS E PARDOS SÃO MAIORIA NO ENSINO SUPERIOR NA REDE PÚBLICA

Pela primeira vez, a população que se declara de cor preta ou parda passou a representar mais da metade – o número exato é 50,3% – dos estudantes de ensino superior da rede pública, de acordo com a pesquisa Desigualdades Sociais por Cor ou Raça Brasil, divulgada nesta quarta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Com democratização do acesso ao ensino superior e também com mais jovens se declarando de cor preta ou parda, atingiu-se pela primeira vez essa proporção, de mais da metade. A pesquisa mostra melhoras em geral na educação, mas existe ainda desigualdade grande”, afirmou Luanda Botelho, pesquisadora do IBGE.

Sancionada em 2012, a Lei Federal de Cotas definiu que metade das matrículas nas universidades e institutos federais deveriam atender a critérios de cotas raciais e sociais em quatro anos. Segundo Luanda, a política de cotas explica, contudo, apenas uma parcela da maior presença de negros.

Embora represente agora mais da metade dos estudantes do ensino superior, a população de cor preta ou parda permanece sub-representada, já que representa 55,8% da população brasileira. Para os indicadores educacionais, o instituto baseou-se em indicadores pesquisados em 2018.

Esse maior acesso de pretos ou pardos na educação também está presente nos primeiros anos de estudos. A frequência das crianças de até 5 anos na creche ou escola cresce de 49,1% em 2016 para 53% em 2018. O abandono escolar também diminuiu, embora ainda seja maior do que entre brancos.

Outro indicador em trajetória de melhora é a taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade, que passou de 9,8% em 2016 para 9,1% em 2018. A proporção com pelo menos o ensino médio completo cresceu por essa mesma base de comparação, de 37,3% para 40,3%, considerando a população com 25 anos ou mais de idade.

Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

– A Sexualidade e o Catolicismo.

Compartilho com os amigos um texto muito interessante sobre Sexo numa Dimensão Cristã, escrito pela psicóloga Manuela Melo, da Comunidade Católica Canção Nova.

A SEXUALIDADE É DOM DE DEUS

A vivência da sexualidade implica amar o outro com o nosso ser

Quero, hoje, refletir com você sobre a riqueza e a beleza da sexualidade humana. Falando sobre sexualidade humana, Victor Frankl nos diz o seguinte: Dizemos sempre que o ser humano é um composto de corpo, alma (psíquico) e espírito. Em face desta estrutura, o ser humano pode tomar diferentes atitudes como sujeito que ama e experimenta a vivência do amor. As três dimensões da pessoa humana correspondem também a três possíveis formas de atitude.

A primeira e a mais primitiva das atitudes é a sexual, na qual a aparência física de uma pessoa é o que atrai o outro e lhe dá o impulso sexual. Essa atitude tem por meta apenas o corpo, pois não consegue avançar mais do que isto, ou seja, não alcança a pessoa em si, apenas alguma característica física exerce atração sobre o outro.

A segunda atitude é a paixão, da qual se consegue ultrapassar a dimensão do corpo e orientar-se para a dimensão psíquica do outro, ou seja, já não é somente o corpo que atrai, mas atinge a emocionalidade. Essa é uma característica psíquica que exerce atração sobre o outro.

A terceira atitude é do amor. Esta é a forma mais elevada em nossa sexualidade e atinge a dimensão espiritual do ser humano. Nela, alcança-se o outro em plenitude. Quem ama, neste sentido, vai além de uma aparência física ou de simples emoções; enxerga o outro em toda sua riqueza, como um ser “único e irrepetível”, e a meta é o outro em si.

A Igreja, através do Conselho Pontifício para a Família, nos diz que “o amor, que se alimenta e se exprime no encontro do homem e da mulher, é dom de Deus; é, por isso, força positiva, orientada à sua maturação enquanto pessoas… O ser humano, com efeito, é chamado ao amor como espírito encarnado, isto é, alma e corpo na unidade da pessoa. O amor humano abarca também o corpo, que exprime o amor espiritual. A sexualidade, portanto, não é qualquer coisa de puramente biológico, mas refere-se, antes, ao núcleo íntimo da pessoa”.

Com isto, podemos perceber que a atitude sexual, simples e pura, é vazia e pode trazer prazer momentâneo quando os interesses estão puramente centrados no físico. Isso transforma o outro simplesmente em um objeto sexual. Uma vida sexualmente ativa, dentro desses parâmetros, não garante a ninguém sua realização nem mesmo em sua felicidade.

Enquanto permanecemos atados a tais conceitos, não crescemos como pessoas, não alcançamos a realização e a felicidade que Deus tem reservada para nós. Todo ser humano, como imagem e semelhança de Deus, é chamado a viver muito mais do que momentos de prazer.

Enquanto cristãos, precisamos compreender que a sexualidade humana não é algo apenas biológico, como ensina a Igreja e como diz Victor Frankl, porque ela atinge a dimensão espiritual da pessoa, atinge as camadas mais íntimas e profundas de nós mesmos.

Precisamos entender que a nossa sexualidade é dom de Deus. Através dela, podemos nos doar plenamente a outro ser e fazermos a experiência do amor encarnado em nossa vida.

Sexualidade não quer dizer apenas vida sexual ativa. A vivência de nossa sexualidade implica em amar o outro com o nosso ser mulher ou com o nosso ser homem, implica doação eum amor concreto, manifestado nas pequenas coisas de nosso cotidiano. De minha parte, como missionária e consagrada a Deus, sou testemunha de como é plena a vida dos que são chamados ao matrimônio na Canção Nova. Como celibatária, posso dizer que me sinto plena, sinto-me mulher e amada.

A escolha da dimensão em que vamos viver a nossa sexualidade cabe a cada um de nós. Espero que você faça a escolha de vivê-la em plenitude, como Deus quer que a vivamos.

Manuela Melo
psicologia@cancaonova.com
Missionária da Comunidade Canção Nova, formada em Psicologia, com especialização em Logoterapia e MBA em Gestão de Recursos Humanos.

Resultado de imagem para Sexualidade e Cristianismo

Foto extraída de: https://ensinarhistoria.com.br/cinto-de-castidade-um-mito-inventado-para-ridicularizar-a-idade-media/ A noiva recebe um cinto como sinal do matrimônio sacramentado. Iluminura do “Decretum Gratiani”, 1140-11142. (Blog: Ensinar História – Joelza Ester Domingues)

– Gestão e “Congestão” de Carreira dos treinadores de Futebol.

Algo que precisa ser discutido: as decisões que os treinadores de futebol tomam ao longo de suas carreiras.

É dito que as Seleções de Futebol da Europa nunca têm os melhores treinadores. Afinal, a carreira deve se desenvolver em clubes, que os remuneram muito bem. Treinar Selecionado Nacional só na proximidade da aposentadoria (vide Klopp, Guardiola, Ancellotti…). Aqui no Brasil, o conceito funciona diferente: a Seleção é o auge!

Já nos clubes locais, temos algumas particularidades:

1- ir para quem pode te dar estabilidade na carreira (o que é difícil),

2- ir para quem é grande (e isso é discutível),

3- ir para quem te pagará mais (livre mercado) ou

4- ir para quem vai brigar por títulos (o que se restringe a alguns)?

Lógico, se a agremiação oferecer as 4 situações, excelente!

Um exemplo? Vágner Mancini. Quem é jundiaiense como eu, torce para o sucesso do ex-jogador do Paulista de Jundiaí e treinador do Galo quando venceu a Copa do Brasil. Deixou na cidade muitos amigos e ótimas lembranças esportivas e sociais. Só que… Mancini é um “acertador de equipes”. Junto ao seu amigo Dorival Jr, defendeu a estabilidade de técnicos em seus cargos e o fim das “demissões resultadistas”. Nos últimos tempos, foi “sacaneado” no São Paulo, quando tinha a promessa informal de ser o treinador efetivo. Porém, abandonou o Atlético Goianiense e foi para o Corinthians. Idem ao Grêmio, quando realizava um grande trabalho no América-MG (que deve se tornar uma empresa e vendido a um interessado americano, segundo se cogita). Está prestes a cair para a 2a divisão do Brasileirão, e fica a questão: está gerindo bem sua carreira?

Cuca é o atual vice-campeão da Libertadores da América, e deixou o Santos para um projeto no Atlético Mineiro. Ceni é o atual campeão brasileiro, e depois da conturbada saída do Fortaleza para o Cruzeiro (com retorno ao clube e depois a ida ao Flamengo), está de volta ao SPFC, mais maduro. Sylvinho está trabalhando e aprendendo os macetes da função com o “carro do Corinthians” em andamento. E por aí vai.

Pergunto-me:

  • As decisões dos treinadores quando vão escolher os clubes, fora o apelo emocional, financeiro e pessoal, são discutidas com gente especializada e profissional, dando orientações a esses treinadores?

Gerir mal a carreira pode dar uma “congestão” indesejada, e ficar fora dos holofotes principais… vide Adilson Batista, PC Gusmão, e outros nomes que “quase vingaram”/ vingaram parcialmente.

Olho para uma lista com nomes de treinadores brasileiros e não vejo quem  poderia assumir o Palmeiras

Foto-arte: Estadão, extraída do link: https://esportes.estadao.com.br/blogs/robson-morelli/olho-para-uma-lista-com-nomes-de-treinadores-brasileiros-e-nao-vejo-quem-poderia-assumir-o-palmeiras/, na matéria de Robson Morelli

 

– Adorando Jesus Cristo na Eucaristia, rezando com Santo Afonso Ligório!

Quinta-feira é dia reservado pela Igreja Católica à Adoração ao Santíssimo Sacramento. Sendo assim, rezemos:

ORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO por Santo Afonso de Ligório.

Senhor meu Jesus Cristo, que pelo amor que tendes aos homens, estais de noite e de dia neste Sacramento, todo cheio de piedade e de amor, esperando, chamando e recebendo todos os que vêm visitar-Vos; eu creio que estais presente no Santíssimo Sacramento do altar.

Eu vos adoro do abismo do meu nada e vos dou graças por todos os benefícios que me tem feito; especialmente por vós mesmo dardes a mim neste sacramento; por me terdes concedido como advogada vossa Mãe Santíssima, e por me terdes chamado a visitar-vos nesta igreja.

Eu vos saúdo, pois hoje, o vosso amantíssimo Coração, e a minha intenção é fazê-lo por três motivos: primeiro, em ação de graças por esta grande dádiva; segundo, para compensar-vos de todas as injúrias que tendes recebido, neste Sacramento, de todos os vossos inimigos; terceiro, com intenção de adorar-Vos, nesta visita, em todos os lugares da terra onde vossa presença sacramental está menos reverenciada e em maior abandono.

Meu Jesus, eu vos amo de todo o meu coração; pesa-me de ter, no passado, tantas vezes ofendido a vossa divina bondade.

Proponho, com o auxílio de vossa graça, nunca mais ofender-vos para o futuro.

E, no presente, miserável qual sou, eu me consagro todo a Vós e renuncio toda a própria vontade.

Recomendo-vos as almas do purgatório, especialmente as mais devotas do Santíssimo Sacramento e da Bem-aventurada Virgem Maria.
Recomendo-vos também todos os pobres pecadores.

Finalmente, desejo unir, meu querido Salvador, todos os meus afetos com os de vosso amorosíssimo Coração; e, assim unidos, os ofereço a vosso Eterno Pai e lhe peço em vosso nome que por vosso amor os queira aceitar e atender. Amém.

bomba.jpg

Foto: Arquivo Pessoal (imagem clicada na Capela do Santíssimo Sacramento, na Paróquia São João Bosco, em Jundiaí-SP).

– #tbt 3: Viva o Interior Paulista.

Há 1 ano…

Voltando para Jundiaí com a paisagem maravilhosa do Interior Paulista. Que céu azul perfeito com o verde da mata!

À esquerda das nuvens: Itatiba.

Sou fã dos cenários do meu mundo caipira.

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– #tbt 2: Lagoa Linda.

Há 2 anos…

Que dia bonito em Bragança Paulista

Sem chuvas, céu azul e muita inspiração.

Aqui, um clique da Lagoa do Taboão para deixar a tela mais bonita.

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#paisagem #natureza #landscapes #pictureoftheday #nature #Brasil #fotografia #sky #lago

– #tbt1: Carrapatinha…

Há 1 ano…

Dizer que uma criança “é um carrapatinho”, significa que ela adora ficar “grudadinha” com alguém.

Minha Maria Estela é assim: acorda cedo, dorme tarde e fica 24h “ligadinha” para brincar. E hoje bem cedo, quando eu perguntei se eu poderia sair de casa… ô resposta natural!

Veja só a imagem auto-explicativa:

💖 #carinho

– Bom dia, 5ª feira (4 de 4).

🌅 Desperte, Interior Paulista.

Que a quinta-feira possa valer a pena!

(E há de valer, creiamos nisso).

🍃🙌🏻 📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#clouds #nuvens #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia

– Bom dia, 5a feira (3 de 4).

🌺 Fim de cooper! Valeu o treino (além do esforço).

Estou suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da natureza. Hoje, com essas delicadas plantas: flamboyants, nesse “paredão florido”.

Curta flores! Elas nos desestressam e aliviam a mente.

🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento #flamboyant

– Bom dia, 5ª feira (2 de 4).

🙏🏻 Enquanto vou correndo, fico meditando e faço uma prece:

“- Ó Virgem Maria, rogai por nós que recorremos a vós. Consagramo-nos a ti, ó Mãe! Amém.”

Reze, e se o que você pediu for para seu bem, Deus atenderá.

⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade

– Bom dia, 5ª feira (1 de 4).

👊🏻 Olá amigos! Tudo bem?

Por aqui, tudo pronto para suar mais uma vez em busca de saúde. Vamos correr a fim de produzir e curtir a tão necessária endorfina (controlando o cortisol)?

Pratique esportes. Sempre!

🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #training #corrida #sport #esporte #running