– A Humanidade não merece a vida?

Há 12 anos, escrevi este post sobre Saramago. Republico pois a indignação que tive à época é a mesma. Abaixo:

Confesso que nunca morri de amores por José Saramago, o escritor português que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1998, e aclamado como um dos maiores do mundo na sua área.

Aos 86 anos, numa sabatina na Folha de São Paulo, o português deu respostas polêmicas, sinceras e diretas. Mas a força de suas palavras não me trouxeram empatia, apesar da qualidade de suas obras. Como escritor, genial. Como pessoa, não haverá unanimidade. Veja o que o autor diz sobre temas diversos:

A Humanidade não merece a vida, a história da humanidade é um desastre contínuo (…) Sou aquilo que se pode chamar de comunista hormonal. Assim como tenho no corpo um hormônio que me faz crescer a barba, há outro que me obriga a ser comunista (…) Por que eu teria de mudar [minha concepção de Deus após a minha doença]? Porque supostamente me salvou a vida? Quem me salvou foram os médicos e minha mulher (…) Não quero ofender ninguém, mas Deus simplesmente não existe. Inventamos Deus porque tínhamos medo de morrer. (…) A Bíblia não é um livro que se possa deixar nas mãos de um inocente. Só tem maus conselhos, assassinatos, incestos…”

De bestial à besta em uma sabatina.

Resultado de imagem para José saramago

Um comentário sobre “– A Humanidade não merece a vida?

  1. Gosto muito do Saramago, em alguns casos, em alguns caso não todos, dá pra separar autor x obra ou pessoa x autor. Digo isso citando um exemplo recente, admiro o jogador Robinho, mas como pessoa… e nesse caso não da pra separar um do outro, é a mesma pessoa a que joga um baita futebol mas faz o que fez nos bastidores.

    No caso do Saramago acho possível conviver com as duas “personalidades”, um baita autor e uma pessoa que pensa diferente mas de forma alguma foge ao diálogo. De fato ele é muito forte nas suas declarações, como cristão fico pensando até que ponto tolerar isso é ser sábio e até onde estamos sendo negligentes com aquilo que acreditamos, (deixando claro que nesse e em todo caso o contrário de negligente seria dialogar SEMPRE!).

    Quero crer ainda na possibilidade de conviver com quem pensa diferente, Tolkien e CS Lewis pensavam diferentes também e eram grandes amigos não é? Que assim seja!

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.