– E aí? Annita funciona, e cloroquina não mais? É para “pirar”…

Neste momento tão delicado que vivemos, onde a pandemia dá as caras novamente na Europa, em cerimônia no Palácio do Planalto com o Ministro Marcos Pontes, foi apresentado pela Dr Patrícia Rocco um estudo sobre o sucesso do “Annita” (nitazoxanida) no combate aos casos de Covid_19 descobertos em estágio inicial.

A cientista foi aplaudida por todos e o Governo Federal fez ampla publicidade. Mas na mesma ocasião, a própria Dra Patrícia disse que:

(…Todos estudos já mostraram que a hidroxicloroquina, infelizmente ou felizmente, não tem eficiência no combate da Covid-19. Não há sequer a redução da carga viral, se utilizada na fase precoce, profilaticamente, ou na fase tardia).

E aí, é para ficar maluco? O Governo mudará o foco a partir de agora, depois da insistência da Hidroxicloroquina?

Extraído de: https://www.metropoles.com/brasil/no-planalto-cientista-diz-que-cloroquina-nao-e-eficaz-contra-a-covid-19

NO PLANALTO, CIENTISTA DIZ QUE CLOROQUINA NÃO É EFICAZ CONTRA A COVID-19

A professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Patrícia Rocco, deu entrevista ao lado do Ministro da Ciência e Tecnologia

A cientista da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Patrícia Rocco, informou que ficou comprovada a ineficácia da hidroxicloroquina, medicamento amplamente divulgado pelo governo e pelo presidente Jair Bolsonaro desde o início da pandemia. A informação foi dita em uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto, com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, após a cerimônia na qual o governo sustentou a eficácia de um novo medicamento, a nitazoxanida, cujo nome comercial é Annita.

“Todos vocês já sabem que, no momento, antiviral praticamente não existe na literatura. O remdesivir nós não temos no Brasil e, além disso, ainda é preciso internar o paciente para usá-lo de forma intravenosa. Todos estudos já mostraram que a própria hidroxicloroquina, infelizmente ou felizmente, não tem eficiência no combate da Covid-19. Não há sequer a redução da carga viral, se utilizada na fase precoce, profilaticamente, ou na fase tardia”, disse a coordenadora da pesquisa.

Rocco informou que não chegou a apresentar dados do estudo feita com a medicação Annita, pois ainda aguarda a publicação dos resultados por revistas especializadas. “Espero divulgar os resultados nas próximas semanas”, disse.

“A partir do momento que ocorrer a publicação, vocês vão saber sobre a efetividade do medicamento. Quando a gente fez o estudo clínico com a nitazoxanida, optamos por mostrar a carga viral na terapia precoce. Pensamos muito no ponto de vista epidemiológico. Então, certamente tudo precisa passar por revisão dos pares”, falou.

Em compensação, a professora argumenta que não vê motivos para esperar a publicação para se divulgar a aprovação da medicação vista que a pandemia pode levar a vida de muitas pessoas.

“Como cientista, quero primeiro ter o resultado para avaliação dos nossos pares e depois divulgar. Mas, a partir do momento que o número de mortes por Covid-19 continua alto, e existe uma medicação disponível que possa diminuir a carga viral por via oral, como não vamos oferecer o medicamento a quem precisa? Claro que reduzir a carga viral não significa perder todo o cuidado. A população ainda precisa usar de máscara, álcool em gel e manter o distanciamento”, destacou.

Coronavírus: Annita seria menos eficaz e mais tóxico que cloroquina, diz  pesquisa na China - TudoCelular.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.