– Mais uma etapa do VAR no Brasil

Por mais que se queira ter boa vontade com a implantação do Árbitro de Vídeo no Brasil, as pessoas envolvidas são as mesmas que já demonstraram brutal incompetência na condução do futebol brasileiro. Por quê a qualidade do trabalho desses cartolas mudaria agora?

Estou muito a vontade para dizer que, apesar de torcer para o sucesso do VAR em nosso país, os meios estão errados. Por quê usar as imagens das geradoras de TV que transmitirão o jogo? Devem ser de geradora independente, para que em um lance duvidoso contra Flamengo ou Corinthians, não se caia no erro de dizer que a Globo ou a FOX tem interesse para que os clubes de massa passem à frente. Se bobear, se dirá que o árbitro esperou o comentário do Arnaldo ou do Simon para decidir… (os comentaristas de arbitragem mais importantes dessas emissoras).

Outra preocupação é acreditar que o VAR resolverá o problema da arbitragem brasileira. Que não se crie esse cenário! Quem utiliza os equipamentos são seres humanos, falíveis dentro e fora de campo. Os erros continuarão, embora possam ser minimizados.

Nos dois jogos em que o VAR foi usado no país (no Campeonato Pernambucano), a experiência foi horrorosa, com erros graves mesmo existindo o árbitro de vídeo e muito longe do Padrão FIFA. Se nessas rodadas da Copa do Brasil (onde se é possível usar o equipamento eletrônico, já que no Brasileirão só se poderá usar da Rodada 1 até a 38, pois, afinal, deve-se ter equidade na disputa entre jogos e a Regra não permite), o fato de tentar um bom resultado já é algo positivo. O medo, insisto, será o mau uso da ferramenta e as reclamações dos jogadores. Lembrando: pelas Regras do Futebol, onde se acrescentou oficialmente o VAR, o atleta que “correr acompanhando o árbitro até o monitor deverá ser punido com o cartão amarelo”. E se esse atleta quiser ver as imagens do monitor, “dever-se-á aplicar o Cartão Vermelho”.

Aguardemos. Aliás, o histórico do adiamento e das enrolações oficiais do VAR no Brasil podem ser lidos no link em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2017/09/18/de-novo-a-cbf-promete-usar-o-arbitro-de-video-em-breve-eu-duvido/

Resultado de imagem para Copa do Brasil

Anúncios

– Qual o tipo de criação da Garotinha?

Quem, na infância, não gostava de Gibi?

Eu sonhava em ver meu nome publicado nas “cartinhas ao personagem” nas revistinhas em quadrinhos. Especialmente nas do Zé Carioca e do Cascão.

Eis que vejo uma carta de uma menina de João Pessoa, sugerindo que a Mônica cometa um bárbaro assassinato contra o Cebolinha!

É coisa antiga, lógico, mas pense: onde estão os pais dessa criança? O que se esperará dela quando adulta?

No final do recadinho, leia o que a Redação respondeu. “Deu ruim”, hein?

– A Experiência dos Cartões Amarelo e Vermelho aos Treinadores de Futebol.

A IFAB, a dona das Regras do Futebol, um dia sugeriu a experiência de se mostrar cartões amarelos e vermelhos aos treinadores, seguindo os moldes da mesma aplicação de advertências e expulsões realizadas a jogadores por reclamações e comportamento antidesportivo.

A FIFA nunca levou a sério (e perceba que ela tem muito peso na composição de votos da International Board). Entretanto, os demais países que compõe a entidade – todos do Reino Unido e precursores do futebol – eram entusiastas da ideia. De tal forma, na Inglaterra, berço do “esporte bretão”, se usará tal prática em todas as suas divisões profissionais e amadoras, demais copas e competições organizadas e supervisionadas pela F.A. , EXCETO a Premier League.

Vai dar certo?

Talvez. A tendência é de que sim. E por lá, 4 amarelos levarão a uma suspensão automática.

Já imaginaram quantos amarelos teríamos aqui no Campeonato Brasileiro por rodada a técnicos de futebol?

Resultado de imagem para treinador reclamando do ´[arbitro

– Sobre Bolsonaro no Roda Viva

Ouvi muita coisa sobre a entrevista de Jair Bolsonaro no Programa Roda Viva. Impossível comentar sem ter assistido na íntegra. E, após assistir, inegável: muito polêmica.

A propósito: parabéns à TV Cultura, que levou os candidatos da Esquerda à Direita, nos permitindo ver os extremos radicais.

Especificamente, Bolsonaro: não me passa sensação de competência alguma! A impressão que eu tenho é que não passa de um valentão tentando conseguir os votos dos descontentes tucanos e petistas. Só!

Aliás, tanto o candidato como os entrevistados ficaram a desejar – apesar de criarem debates.

  • Onde ficaram as propostas?
  • Onde ficaram as perguntas mais específicas e técnicas sobre um futuro governo?

O que se viu foi a discussão de democracia e ditadura, por pessoas que não viveram na sua totalidade.

Eu sei que só os que viveram desde 64 até 85 podem falar algo. Mas o pouco que vi, e o resto que estudei, mostram o quão violento foi o período militar (em que pese o crescimento econômico). O problema é a teimosia em Bolsonaro em querer que pareça ter sido um tempo de paz, se fazendo de mocinho contra bandidos. E, por outro lado, os “contras” dele são no caminho radical inverso: fazem de conta que não foram também cometidos crimes por quem queria uma ditadura de esquerda. Quem sofreu, verdadeiramente, foi o cidadão comum que desejava democracia e liberdade.

O que me impressionou é que tudo se resolve de maneira demagoga. Bolsonaro age como um “Lula de Direita”, com o mesmo discursinho de enrolar o próximo quando está acusado e ser simplório demais na resolução dos problemas.

Está difícil escolher candidato esse ano. Minhas condições são:

  • ser ponderado;
  • ser competente;
  • não ser demagogo;
  • ser honesto;
  • não querer dividir o país em mortadelas e coxinhas;
  • fim dos rótulos e da vitimização dos grupos sociais.

Bem direto: há muito artificialismo nesses candidatos, e o medo é que os mais caricatos e teatrólogos vençam. E quero registrar: RESPEITO OS ELEITORES, mas não nutro empatia nenhuma com os candidatos radicais e seus “aspones” de plantão!

Resultado de imagem para Bolsonaro no Roda Viva

 

– O bandeira que praticou uma diagonal e invadiu o campo!

Assistiram Figueirense x CRB pela série B do Brasileirão, nesta 3a feira à noite?

O árbitro assistente no1 Márcio Gleidson Correia Dias, do Pará, se entusiasmou num contra ataque e invadiu literalmente o campo de jogo para marcar um impedimento. Nada em dizer que foi erro de direito, mas claramente “erro de posicionamento”.

Foi hilário, uma verdadeira diagonal praticada. Olha só a maluquice (na parte final desse curto vídeo você tem a noção correta da “atravessada” que deu o bandeira),

em: https://www.youtube.com/watch?v=tx9K_vfBqlY

– Quarta em espera!

Bom dia, amigos! Ainda esperando a chuva de verdade, pois a de ontem não valeu.

Muitos raios, granizo e pouca água. Aguardamos até a tarde e… dá uma olhada no céu escuro da 3a, às 16h30:

Ops: veja a fotografia desta manhã, ainda enuviada. É hoje que ela, a chuva, virá mesmo? Abaixo:

Independente do céu com sol ou chuva, há de ser uma ótima quarta-feira!