– Análise da Arbitragem para Paulista 3×0 Primavera

Para esse jogo, será necessário dividir em duas partes a avaliação da arbitragem:

  • Parte 1 desta análise: leia considerando o jogo até 69 minutos (24 do 2º tempo). A sequência estará em outra parte, mais abaixo.

Por eu ter criticado Salim Fende Chaves há dois anos pela má postura em Paulista x Mirassol na série A2, acho justo registrar o elogio: melhorou muito! Os erros de comportamento daquela atuação foram totalmente corrigidos. Parabéns. Também confirmou a evolução de seu trabalho, como afirmamos em outra oportunidade.

Mostrou bom condicionamento físico e autoridade. Acertou em dar Cartão Amarelo a Carlinhos (PAU) por uma desnecessária falta quase na lateral de campo, e a Wesley (PRI) por carrinho em Nathan. Um acerto muito bom e de conhecimento tecnico-disciplinar se deu aos 51 minutos: Francis (PRI) faz falta em Barbosa (PAU), ele espera a vantagem se concretizar, isso não acontece, e ele volta atrás na sua marcação, marcando a infração a aplicando amarelo ao infrator. Os outros cartões aplicados também foram corretos.

Dois erros apenas, um técnico e outro disciplinar, pouco relevantes:

Aos 17m, um erro técnico: Francis, o camisa 4 do Primavera, espanou a bola que bateu despretensiosamente no braço do centroavante Barbosa do Paulista. Lance normal, mas Salim bobeou e marcou toque intencional. Errou.

Aos 20m, Barbosa (PAU), após perder a bola para Caíque (PRI), se jogou descaradamente. Acertou o árbitro em nada marcar, mas deveria dar cartão amarelo ao atacante jundiaiense pela simulação, diga-se de passagem, extremamente canastrã.

O Bandeira 1 Paulo de Souza Amaral quase não trabalhou no 1º tempo, embora, aos 40 minutos inverteu um lateral claríssimo em frente a nossa cabine. Mas no 2o tempo foi exigido e mostrou bastante atenção e vibração. Ótimo!

Bandeira 2 Vladimir Nunes da Silva trabalhou bastante e foi bem. Nada que se ressalve a mais no trabalho de ambos.

  • Parte 2 – dos 70 em diante…

Aqui o árbitro começou a se perder – Aos 70 minutos: Wesley fez falta em Nathan, típica para cartão amarelo. Como já tinha, era consequentemente para o Vermelho. Estando muito bem na partida, correndo bastante, jogo sob controle e fácil para se apitar, Salim resolveu fazer vista grossa e só marcou a falta, acomodando-se. Falhou feio! Seria para não ficar alguns minutos a mais no vestiário para confeccionar a súmula (já que uma expulsão consome mais tempo na papelada pós-jogo?). Tanto errou que, aos 73 minutos, Ian (PAU) atinge temerariamente seu adversário 8 Euler (PRI) e não aplicou a advertência necessária. Uma visível e indevida compensação? Talvez… E, finalizando, aos 80 minutos, à beira do campo, Barbosa está lesionado, caído, e recebe uma bronca do árbitro – jogador teve que ser substituído, mancando bastante.

Público: 847 pagantes

Renda: R$ 6.932,00

Faltas: 18×10

Árbitro: Salim Fende Chavez
Árbitro Assist 1: Paulo de Souza Amaral
Árbitro Assist 2: Vladimir Nunes da Silva
Quarto Árbitro: Junior Lima dos Santos

– 4o festival de Robótica Jr: Perfeito (ou quase…)

Estivemos ontem acompanhando nossa filha Marina no 4o festival de Robótica Jr, em Sorocaba (ela e os demais alunos do Tato Ecolégio representaram Jundiaí, juntamente com o Colégio Crescer).

O local foi no Parque Tecnológico da nossa vizinha “Manchester Paulista”, com uma estrutura incrível. Toda cidade deveria ter um lugar como aquele.

Muitas escolas mostraram muita qualidade nos trabalhos, criando “robozinhos” de uma maneira unida e realmente formando equipes na elaboração. A empresa “Via Maker”, que organizou tudo, fez algo muito bom.

O “quase perfeito” do enunciado se deve a apenas para a seguinte observação: dos quase 20 juízes (ou mais), só homens! No palco, para as homenagens, apenas uma mulher (uma diretora de escola). E, curiosamente, a escola campeã mostrou um time… só de homens.

Robótica não é algo para mulheres? Nada disso, é sim. Pode ter sido uma mera coincidência, mas que poderíamos ter mais presença feminina na escolha dos juízes (pelo menos isso), aí pode-se cobrar.

Olha aí eu com minha caçula Maria Estela e o “Astro Maker”, um Lego gigante que fez sucesso com a criançada (e com os adultos, como eu, também – embora meu tempo de criança o sucesso eram os bonequinhos Playmobil):

 

– Um domingo em 4 cores!

Que dia lusco-fusco! Frio, cinzento e com vento.

Para embelezar o dia, 4 cliques de outros dias:

  • Há um mês, nosso girassol:

  • Há uma semana, nosso amanhecer:

  • Há dias, o sol:

  • Ontem, o entardecer cor-de-rosa… Impecável! Aqui:

Ótimo domingo a todos, com essas cores que contrastam com o cinza de hoje!