– Fábio, Cruzeiro, SAF e… dívidas!

O goleiro Fábio não será mais jogador do Cruzeiro-MG. A nova administração da SAF não renovou seu contrato por não ter mais interesse desportivamente nele (segundo ele próprio em nota).

Todo administrador de empresas tem o direito de escolher seu quadro de colaboradores. Contratar ou demitir faz parte do negócio, e não devemos criticar atitudes que visam a saúde financeira do empreendimento, desde que éticas e honestas.

Porém…

Fábio tinha reduzido seu salário, foi convidado pelo Cruzeiro SAF a reduzir uma segunda vez os seus vencimentos e não recebeu seus atrasados! Diante disso, segundo seu relato abaixo, após uma reunião resolveu sair do clube.

Repito: faz parte do negócio a rotatividade de funcionários, mas pagar seus honorários e cumprir com as obrigações trabalhistas, ao menos, não se discute.

Com as indenizações na Justiça do Trabalho e as multas dos salários a receber, provavelmente o goleiro receberá muito mais que o time lhe deve. Teria sido um bom negócio ao Cruzeiro?

O desabafo dele, abaixo:

“Meu desejo é permanecer até dezembro de 2022. A renovação do meu contrato foi acertada com o clube, através do presidente Sergio Rodrigues em novembro de 2021, que inclusive anunciou publicamente, faltando apenas as assinaturas dos documentos negociados. Mas esta nova administração não me deu mais essa opção. O Cruzeiro sempre foi mais que meu trabalho, foi minha casa, minha família, minha vida. Nos últimos anos trabalhei ainda mais duro. Orava todos os dias entregando nosso clube a Deus para que nosso Cruzeiro voltasse ao lugar onde vivi meus melhores momentos.
A diretoria foi clara que não deseja contar comigo desportivamente para 2022. Na reunião, estava presente os diretores Pedro Martins e Gabriel Lara. Paulo André estava na sala do lado, não teve sequer a consideração de me cumprimentar, sendo um ex-companheiro de clube. Em nenhum momento me deram a opção de continuar.
Sei o que passo em cada lágrima de dor em ver nossa luta de voltar à Série A. Não me deram nem a opção de receber dentro do teto, muito menos de ajudar o clube no Campeonato Brasileiro. Não me deram outra opção que não fosse finalizar minha vida no Cruzeiro ao final do Campeonato Mineiro. Me disseram que eu não faço parte do planejamento desportivo para 2022. Os 3 meses oferecidos só aumentariam a dor da despedida. Ajudar a levar o Cruzeiro de volta à Série A era o meu maior sonho. Queria muito tentar, muito mesmo, dói escrever isso. Me perdoem de coração não ser possível. Sei a dor que eu e 9 milhões passamos, dando nossas lágrimas e suor para voltar ao lugar de merecimento da grandeza do Cruzeiro.
A SAF Cruzeiro quer encerrar minha carreira imediatamente, mesmo estando em condições físicas e técnicas para continuar em alto nível. Em 2021 fiquei fora somente de um jogo. Nunca pedi para me ausentar, nunca faltei em treino. A história que construí foi repleta de títulos, mas sobretudo de respeito à instituição e muito trabalho e suor.
Eu e minha família choramos muito nesse momento. Conto com o carinho e respeito de vocês nesse momento tão difícil.”

Boa sorte ao Fábio.

Um comentário sobre “– Fábio, Cruzeiro, SAF e… dívidas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.