– Grêmio 1×3 Palmeiras, São Paulo 2×0 Flamengo e os dois lances discutíveis.

Vejo muita reclamação nas Redes Sociais sobre dois lances da rodada – um na Arena de Porto Alegre e outro no Pacaembu.

Vamos a eles:

GFPA x SEP, Pênalti em Keno – aos 7 minutos do segundo tempo, dentro da área, Kaio chuta Keno e o árbitro ignora. Não resta dúvida do equívoco do árbitro Ricardo Marques Ribeiro ao não marcar pênalti, e talvez a explicação seja simples: desconcentração! Existe um problema com os árbitros em geral que pouco se comenta, que é o de “não se acostumar com a virada do campo”. Sua mente está se adaptando ao novo esquema de “falta aqui é para o azul, se for lá agora é do verde”. Nos minutos iniciais da virada de 1o para 2o tempo (como ocorrido em Porto Alegre), isso pode acontecer (e é o que deve ter acontecido). Convido a quem gosta do assunto a fazer um levantamento de decisões importantes dos árbitros em lances polêmicos (quando eles ocorrem) entre o 1o e 10o minuto em campo do segundo tempo. Discutimos esse assunto em um módulo de Doutorado da USP na disciplina “História Sociocultural do Futebol” com os profs Honório e Flávio, e que foi de muita valia para o debate de percepções temporais no campo de jogo.

SPFC x CRF, Gol de Lucas Pratto – aqui, embora comparado, foi uma situação diferente do atacante Jô do Corinthians na polêmica contra o Vasco (que suscitou até mesmo o blablablá de Del Nero dizendo que implantaria o árbitro de vídeo na rodada seguinte, apenas para ganhar Eurico Miranda no papo). Relembre o lance aqui: http://wp.me/p55Mu0-1Gi. No Pacaembu, quando o atacante argentino vai receber a bola, há um desvio do defensor flamenguista, próximo a ele. Em um primeiro momento, achei que houvera batido no ombro, mas com a “lupa” da TV se vê que foi no ante-braço. Nesse caso, tanto faz onde pegou, já que seria muito difícil fazer o braço / ante-braço / ombro / peito ou seja lá o que for desaparecer, devido à proximidade do desvio do adversário e rapidez da bola. Repare ainda outro subsídio para validar o gol: ele não deixa o braço ir à bola em movimento antinatural, ela simplesmente bate nele. Portanto, acerto do árbitro e não se pode dizer que foi mão intencional.

Enfim, a cada rodada que se aproxima do final do campeonato, os erros (os menores que possam ser) ganharão muito destaque pela luta pelo título ou fuga do rebaixamento.

bomba.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s