– Análise da Arbitragem de Brasil X Argentina. Foi bem o Juizão?

Na partida amistosa entre Brasil 3 X 4 Argentina, o mexicano Jair Marrufo ficou devendo à boa safra dos árbitros do México, bem aproveitados pela Concacaf nos últimos tempos. Quando o jogo foi fácil de se apitar, ele foi bem. Bastou os ânimos se animarem um pouco mais, e ele sentiu a pressão, tecnicamente falando.

 

Vamos lá: a partida começou com um erro primário logo aos 30 segundos. Gago pula para dividir uma bola que vem pelo alto com Neymar. Ambos caem e Neymar pede a falta inexistente. Mas o árbitro interpreta “cama-de-gato” do argentino. Falta pró-Brasil que não existiu. Cartão de apresentação ruim do juizão… Neymar cavou e o juizão entrou.

 

Quer outro lance entre Neymar X Gago? No 10º minuto, o argentino dá um tranco legal no brasileiro, que cai. Se o Tranco é legal, nada a marcar. Acertou o árbitro. Mas Neymar pediu a falta.

 

Aos 11 minutos, Novamente Gago X Neymar (3º confronto): o argentino abandona a jogada e vai no corpo do brasileiro. Falta temerária, que valeu o primeiro cartão amarelo. Acertou o árbitro.

Depois do cartão, trocou-se o marcador de Neymar. Será que se Gago permanecesse na marcação, terminaria o jogo?

 

Com 12 minutos, Neymar infernizava: após uma sequência de dribles, procurou o corpo do zagueiro adevrsário. Foi nítido que no momento derradeiro da finta, tentou cavar a falta, driblando em cima do adversário, ao invés de evitá-lo. Não precisava fazer isso.

 

Até esse primeiro terço do primeiro tempo, Neymar infernizou. Mas se procurasse ficar em pé não seria melhor?

 

Um erro grosseiro ocorreu aos 16 minutos: Hulk ganha a disputa de bola do adversário com um tranco legal, o árbitro deixa o jogo seguir, mas o bandeira assinala a infração. Errou.

 

Aos 22 minutos, no gol brasileiro de Rômulo, tudo legal. A Argentina faz linha burra, mas apesar do tronco de Rômulo estar à frente dos troncos dos zagueiros argentinos, há um pé portenho que dá condição. Como o conceito de “mesma linha” se refere às partes jogáveis dos atacantes em relação aos defensores, o gol é válido. O erro foi da Argentina ao fazer a linha de impedimento de maneira mal feita.

 

Tivemos dois lances de pênaltis reclamados: aos 26 minutos, um zagueiro argentino dá um tranco em Neymar de maneira legal. Embora Neymar tenha caído, não foi nada, acertou o árbitro. Mas aos 29 minutos, o mesmo zagueiro empurra Neymar com o braço esquerdo, que se desequilibra e tropeça sozinho. O empurrão é pênalti, não marcado. Errou o árbitro.

 

No segundo tempo, a catimba apareceu e o árbitro tratou de segurar o jogo. Nos lances de disputa de bola mais ríspidos, começou a marcar faltinhas, a fim de “picar o jogo”. Isso não agrada aos amantes da boa arbitragem, acaba demonstrando uma certa insegurança do árbitro. Mesmo com essa deficiência técnica, disciplinarmente o árbitro se manteve bem criterioso no segundo tempo, em especial ao lance mais forte de Mascherano em Neymar.

 

Aos 81 minutos, um lance curioso, irregular e que o árbitro não viu: Messi, quando iria cobrar uma falta, mudou o local da cobrança para trás. E isso não pode! Não importa se trouxe a bola para trás, a bola deve ser colocada no local da infração. Portanto, não pode nem pra frente, nem pra trás (e não vale alegar que isso não beneficia ou prejudica; importa é que a falta foi cobrada em local errado – é regra!).

No final da partida, Marcelo tenta agredir Lavezzi, que revida. Ambos expulsos. Correto.

 

Me chamou a atenção um detalhe: Neymar chamou a atenção pelas faltas sofridas e as que ele “tentou sofrer”. Messi chamou a atenção pelos gols. Os dois são craques, mas o hermano é mais decisivo, discreto e menos firulento que o brazuca. E não cai, nem reclama de falta. Só joga bola (e muito!).

 

Enfim, árbitro regular para uma partida bacana de se assistir. Pena, para os brasileiros, que o resultado foi adverso.

 

************

Abaixo, o lance-a-lance da partida:

·          35 segundos: dividida normal entre o 5 da argentina, Gago e Neymar. Nada. O juizão dá a falta… (cavou na inteligência)

·          3 minutos: Neymar chama o jogo e Messi não pegou na bola. Pegará na hora certa?

·          10 minutos: brasileiro perde a bola para argentino através de um tranco. Jogada normal.

·          11 minutos: Neymar sofre falta de Gago, que vai no corpo dele. Cartão Amarelo bem aplicado. (apanhou no lance)

·          12 minutos: após bela sequência de dribles, Neymar tenta se enfiar “por dentro do corpo” do zagueiro. Aí não dá. Perdeu a bola e caiu (tentou simular).

·          16 minutos: tranco de Hulk, que domina a bola, mas bandeira levanta o instrumento. Errou, é tranco legal.

·          20 minutos: Neymar faz bela jogada, toca-recebe, mas fica em posição de impedimento. Se fosse o Luís Fabiano, já tinha reclamado e cavado um amarelo.

·          22 minutos: Brasil cobra falta, Argentina faz linha burra e erra; Rômulo, que estava em posição legal na hora da cobrança, recebe sozinho e faz 1X0.

·          26 minutos: zagueiro argentino dá tranco legal em Neymar na disputa de bola, que cai. Não foi pênalti.

·          29 minutos: zagueiro argentino empurra Neymar com o braço esquerdo na corrida. Mesmo se mantendo de pé com a bola, não há vantagem percebida. Errou (na sequência, Neymar tropeça sozinho).

·          34 minutos: eu disse aos 3 minutos- “Neymar chama o jogo e Messi não pegou na bola. Pegará na hora certa”. RESPOSTA: Pegou…

·          37 minutos: Rafael não consegue segurar adversário e o segura, evitando contra-ataque. Amarelo bem aplicado.

·          38 minutos: algum zagueiro brasileiro agarrou sem bola um argentino. Galvão deixou passar batido e não houve replay. Era para amarelo.

·          48 minutos: Higuain, infantilmente, reclama da marcação do árbitro. Amarelo bem aplicado.

·          50 minutos: Higuain disputa a bola com Juan. Normal. Mas o árbitro marca falta de ataque. Não foi nada. Errou.

·          58 minutos: Mascherano faz falta dura em Neymar. Cartão Amarelo bem aplicado.

·          61 minutos: Sandro pega a bola e argentino cai. Não foi nada. Juizão sentiu a pressão…  

·          70 minutos: no primeiro lance, Pato empurra o adversário com as duas mãos. Apelou. Falta bem marcada.

·          71 minutos: Gol de Hulk, tudo ok, legal.

·          73 minutos: Gol da argentina. Tb legal.

·          81 minutos: falta de Danilo em Messi, na entrada da área. Amarelo bem aplicado.

·          Na cobrança de falta, Messi muda a bola para um local mais para trás, distanciando da barreira. Não pode mudar nem pra frente, nem pra trás.

·          84 minutos: Messi faz um golaço. Caramba.

·          90 minutos: Marcelo agride Lavezzi, que chuta, bate e puxa o cabelo de Marcelo. Expulsos, corretamente.

– Análise da Arbitragem de Brasil X Argentina. Foi bem o Juizão?

Na partida amistosa entre Brasil 3 X 4 Argentina, o mexicano Jair Marrufo ficou devendo à boa safra dos árbitros do México, bem aproveitados pela Concacaf nos últimos tempos. Quando o jogo foi fácil de se apitar, ele foi bem. Bastou os ânimos se animarem um pouco mais, e ele sentiu a pressão, tecnicamente falando.

Vamos lá: a partida começou com um erro primário logo aos 30 segundos. Gago pula para dividir uma bola que vem pelo alto com Neymar. Ambos caem e Neymar pede a falta inexistente. Mas o árbitro interpreta “cama-de-gato” do argentino. Falta pró-Brasil que não existiu. Cartão de apresentação ruim do juizão… Neymar cavou e o juizão entrou.

Quer outro lance entre Neymar X Gago? No 10º minuto, o argentino dá um tranco legal no brasileiro, que cai. Se o Tranco é legal, nada a marcar. Acertou o árbitro. Mas Neymar pediu a falta.

Aos 11 minutos, Novamente Gago X Neymar (3º confronto): o argentino abandona a jogada e vai no corpo do brasileiro. Falta temerária, que valeu o primeiro cartão amarelo. Acertou o árbitro.

Depois do cartão, trocou-se o marcador de Neymar. Será que se Gago permanecesse na marcação, terminaria o jogo?

Com 12 minutos, Neymar infernizava: após uma sequência de dribles, procurou o corpo do zagueiro adevrsário. Foi nítido que no momento derradeiro da finta, tentou cavar a falta, driblando em cima do adversário, ao invés de evitá-lo. Não precisava fazer isso.

Até esse primeiro terço do primeiro tempo, Neymar infernizou. Mas se procurasse ficar em pé não seria melhor?

Um erro grosseiro ocorreu aos 16 minutos: Hulk ganha a disputa de bola do adversário com um tranco legal, o árbitro deixa o jogo seguir, mas o bandeira assinala a infração. Errou.

Aos 22 minutos, no gol brasileiro de Rômulo, tudo legal. A Argentina faz linha burra, mas apesar do tronco de Rômulo estar à frente dos troncos dos zagueiros argentinos, há um pé portenho que dá condição. Como o conceito de “mesma linha” se refere às partes jogáveis dos atacantes em relação aos defensores, o gol é válido. O erro foi da Argentina ao fazer a linha de impedimento de maneira mal feita.

Tivemos dois lances de pênaltis reclamados: aos 26 minutos, um zagueiro argentino dá um tranco em Neymar de maneira legal. Embora Neymar tenha caído, não foi nada, acertou o árbitro. Mas aos 29 minutos, o mesmo zagueiro empurra Neymar com o braço esquerdo, que se desequilibra e tropeça sozinho. O empurrão é pênalti, não marcado. Errou o árbitro.

No segundo tempo, a catimba apareceu e o árbitro tratou de segurar o jogo. Nos lances de disputa de bola mais ríspidos, começou a marcar faltinhas, a fim de “picar o jogo”. Isso não agrada aos amantes da boa arbitragem, acaba demonstrando uma certa insegurança do árbitro. Mesmo com essa deficiência técnica, disciplinarmente o árbitro se manteve bem criterioso no segundo tempo, em especial ao lance mais forte de Mascherano em Neymar.

Aos 81 minutos, um lance curioso, irregular e que o árbitro não viu: Messi, quando iria cobrar uma falta, mudou o local da cobrança para trás. E isso não pode! Não importa se trouxe a bola para trás, a bola deve ser colocada no local da infração. Portanto, não pode nem pra frente, nem pra trás (e não vale alegar que isso não beneficia ou prejudica; importa é que a falta foi cobrada em local errado – é regra!).

No final da partida, Marcelo tenta agredir Lavezzi, que revida. Ambos expulsos. Correto.

Me chamou a atenção um detalhe: Neymar chamou a atenção pelas faltas sofridas e as que ele “tentou sofrer”. Messi chamou a atenção pelos gols. Os dois são craques, mas o hermano é mais decisivo, discreto e menos firulento que o brazuca. E não cai, nem reclama de falta. Só joga bola (e muito!).

Enfim, árbitro regular para uma partida bacana de se assistir. Pena, para os brasileiros, que o resultado foi adverso.

************

Abaixo, o lance-a-lance da partida:

·          35 segundos: dividida normal entre o 5 da argentina, Gago e Neymar. Nada. O juizão dá a falta… (cavou na inteligência)

·          3 minutos: Neymar chama o jogo e Messi não pegou na bola. Pegará na hora certa?

·          10 minutos: brasileiro perde a bola para argentino através de um tranco. Jogada normal.

·          11 minutos: Neymar sofre falta de Gago, que vai no corpo dele. Cartão Amarelo bem aplicado. (apanhou no lance)

·          12 minutos: após bela sequência de dribles, Neymar tenta se enfiar “por dentro do corpo” do zagueiro. Aí não dá. Perdeu a bola e caiu (tentou simular).

·          16 minutos: tranco de Hulk, que domina a bola, mas bandeira levanta o instrumento. Errou, é tranco legal.

·          20 minutos: Neymar faz bela jogada, toca-recebe, mas fica em posição de impedimento. Se fosse o Luís Fabiano, já tinha reclamado e cavado um amarelo.

·          22 minutos: Brasil cobra falta, Argentina faz linha burra e erra; Rômulo, que estava em posição legal na hora da cobrança, recebe sozinho e faz 1X0.

·          26 minutos: zagueiro argentino dá tranco legal em Neymar na disputa de bola, que cai. Não foi pênalti.

·          29 minutos: zagueiro argentino empurra Neymar com o braço esquerdo na corrida. Mesmo se mantendo de pé com a bola, não há vantagem percebida. Errou (na sequência, Neymar tropeça sozinho).

·          34 minutos: eu disse aos 3 minutos- “Neymar chama o jogo e Messi não pegou na bola. Pegará na hora certa”. RESPOSTA: Pegou…

·          37 minutos: Rafael não consegue segurar adversário e o segura, evitando contra-ataque. Amarelo bem aplicado.

·          38 minutos: algum zagueiro brasileiro agarrou sem bola um argentino. Galvão deixou passar batido e não houve replay. Era para amarelo.

·          48 minutos: Higuain, infantilmente, reclama da marcação do árbitro. Amarelo bem aplicado.

·          50 minutos: Higuain disputa a bola com Juan. Normal. Mas o árbitro marca falta de ataque. Não foi nada. Errou.

·          58 minutos: Mascherano faz falta dura em Neymar. Cartão Amarelo bem aplicado.

·          61 minutos: Sandro pega a bola e argentino cai. Não foi nada. Juizão sentiu a pressão…  

·          70 minutos: no primeiro lance, Pato empurra o adversário com as duas mãos. Apelou. Falta bem marcada.

·          71 minutos: Gol de Hulk, tudo ok, legal.

·          73 minutos: Gol da argentina. Tb legal.

·          81 minutos: falta de Danilo em Messi, na entrada da área. Amarelo bem aplicado.

·          Na cobrança de falta, Messi muda a bola para um local mais para trás, distanciando da barreira. Não pode mudar nem pra frente, nem pra trás.

·          84 minutos: Messi faz um golaço. Caramba.

·          90 minutos: Marcelo agride Lavezzi, que chuta, bate e puxa o cabelo de Marcelo. Expulsos, corretamente.

– Considerações sobre a Parada Gay

Apenas repito novamente este texto, que já foi repetido anteriormente. Mas o pensamento e propósito é atual! Abaixo:

Post de 22.05.2008

Neste final de semana, haverá a Parada Gay em SP, e são esperadas 3 milhões de pessoas, sendo que a prefeitura municipal distribuirá 1 milhão de preservativos (o que sugere que 1/3 poderão fazer sexo seguro). Mas esta não é a questão levantada. A questão é o respeito a dignidade, que parece ser esquecido. Há quase 1 ano, neste espaço, fiz uma observação que permanece atual. Abaixo:

Post de 13.06.2007, em

http://rafaelporcari.blog.terra.com.br/parada_homo_x_parada_hetero#comments

PARADA HOMO X PARADA HETERO
Fico pensando sobre toda essa manifestação dos grupos GLTB durante a Parada Gay. E chego a conclusão de que tal evento nada mais é do que um carnaval homossexual, sem atender aos propósitos da causa defendida.

O lema pregou o fim da Homofobia e respeito aos direitos dos homossexuais. Mas como levar a sério, se os manifestantes estão sambando a um volume inaudível, com fantasias diversas e outros praticamente nús?

Ligo a TV e vejo um moreno, em cima de um trio elétrico, apenas de mini-saia. Onde está a defesa da manifestação? Onde estão as faixas reinvindicando os direitos gays?

No sábado anterior, houve uma caminhada lésbica na Av Paulista, com aproximadamente 200 pessoas, em defesa do direito das homossexuais. Sinceramente, este protesto tem muito mais respeito e dignidade do que os 3 milhões da Avenida Paulista. Elas protestaram, os outros festejaram.

Respeito o homossexual, mas não faço defesa da prática. A opção sexual de cada um deve ser discreta, respeitosa, para que não se torne vulgaridade ou promiscuidade. A Parada Gay se tornou uma festa de apologia, libertinagem e pornografia, aceita pela mídia e pelos grupos empresariais que querem negociar com este público consumidor.

Já imaginaram a repercussão de uma parada de 3 milhões de heteros, fazendo apologia a heterossexualidade? Seria condenada por muitos.

A causa que poderia ser cidadã parece se tornar libertina. Infelizmente.

– Vaidade Espanhola na Zona do Euro?

Que a Espanha está numa crise absurdamente grave, é sabido. E vem mandando sinais de que precisa que ajuda financeira tanto quanto a Grécia.

Obama já deu o recado: “vamos precisar salvar a Espanha”. Autoridades locais falam de 100 bilhões de euro. Porém, o próprio Governo nega a necessidade.

Se oferecer, a Espanha aceita a grana?

Acho que sim.

– A Vereadora de um Único Voto

Coisas de um país onde a Política não é levada muito a sério.

Em Medianeira/PR, um vereador foi cassado por infidelidade partidária. A vaga foi garantida ao PPS, que indicou a candidata que levou apenas 1 voto.

Como a cadeira pertence ao partido, o candidato à vereança com maior número de votos era a manicure Sirlei Brisida. Todos os outros candidatos pelo partido na eleição passada haviam debandado da legenda, assim a maior votação remanescente foi a da moça.

Um(a) candidato(a) de 1 voto é digno(a) representante da população?

Curioso: nem a própria vereadora votou nela. Sirlei Brisida foi sincera e declarou:

Preferi votar em alguém que teria mais chance. Minha família também votou em outro. Ainda não sei quem votou em mim”.

Ao menos, que faça um bom trabalho. E bom trabalho significa: Honesto, Produtivo, Desinteressado de Particularidades.

– O Código de Conduta do MetLife Stadium

O palco de Brasil X Argentina, em Nova Jersey, neste sábado a tarde, é um convite à civilidade no futebol.

Lá, é proibido fumar (não por questões de saúde, mas por conforto de quem sentar ao lado do fumante). Atitudes anti-sociais contra os torcedores adversários rendem a retirada do tumultuador do estádio. Xingar o árbitro ou falar palavrão rende punição.

Quer mais?

Camisas com mensagens ofensivas, religiosas ou políticas não são permitidas. Vuvuzelas? Nem pensar.

Na entrada, os torcedores recebem uma cartilha comportamental e a recomendação para enviar SMS para a administração do estádio, em caso de observação de algum transgressor.

imaginaram tais regras nos estádios brasileiros? Nenhuma torcida organizada iria aceitar.

Ou iria?

Claro que não. Mas… seria delírio ao menos tentar testá-las por aqui?

– Efeitos Nocivos da Maconha

E a Holanda passou a considerar maconha um produto prejudicial à saúde.

Alguma novidade? Algo que não sabíamos.

Quer conhecer algo a  mais sobre essa praga?

Extraído de: http://jovempan.uol.com.br/jpamnew/destaques/campanha/index.php?lock=321 (por Izilda Alves)

EFEITOS NOCIVOS DA MACONHA

Holanda, o país que permitia a venda de maconha, muda radicalmente sua política sobre a erva: passa a considerar maconha prejudicial à saúde do usuário, à sociedade holandesa e à própria imagem do governo perante a comunidade internacional. O anúncio está no documento da JIFE( Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes), divulgado ontem em Brasília pelo Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime.

A Holanda informou que pretende reduzir o número de coffee shops autorizados a vender maconha . Também vai tornar mais rigorosa a repressão contra o cultivo e a venda de drogas nas ruas do país.
“No documento , o governo holandês reconhece que esses coffee shops contribuem para desacreditar as políticas antidrogas do país.” O governo holandês informa também que vai promover campanhas de prevenção e repressão contra o uso de maconha. Irá fortalecer os serviços de tratamento para os dependentes da maconha.

NA CAMPANHA PELA VIDA, CONTRA AS DROGAS, TEMOS EXPLICADO E ALERTADO:

EFEITOS DA MACONHA

Maconha vicia, causando dependência física e psicológica. Contém THC (tetrahidrocanabinol), substância que causa alterações na memória, atenção, concentração e na noção de tempo e espaço. Maconha é dez vezes mais cancerígena que o tabaco.O THC é lipossolúvel, ou seja, solúvel em gordura, podendo ficar até 25 dias no cérebro do usuário. Atualmente, um único baseado pode conter até 40% de THC, a substância da maconha que vicia. . Maconha é apontada como a segunda causa de acidentes de carro com vítimas fatais.

MACONHA CAUSA ESQUIZOFRENIA

Maconha causa esquizofrenia, afirmam o psicoterapeuta Paulo Campos Dias, da Clínica Reviva, e a psiquiatra Lucinda do Rosário Trigo, diretora da Clínica Conviver, voluntárioe de Jovem Pan Pela Vida, Contra as Drogas. Esquizofrenia é uma doença mental grave, sem cura, e caracterizada por idéias delirantes, impressão de estar sob a influência de forças estranhas, por introversão e perda de contato com a realidade. Não tem cura.

O psicoterapeuta Paulo Campos Dias ,autor de pesquisas sobre maconha publicadas no Brasil e na Holanda, alerta:

-A maconha está induzindo pessoas a quadros psiquiátricos graves como a esquizofrenia e a psicoses agudas. Causa também síndrome amotivacional , perda da capacidade de fazer coisa simples. A maconha causa perfusões no cérebro. Lesiona o cérebro, causando perda de neurônios , tornando o cérebro esburacado. Por isso, faz perder a memória recente e provoca apagamentos.

A psiquiatra Lucinda do Rosário Trigo afirma:

-Está comprovado: maconha causaesquizofrenia e outras doenças psiquiátricas graves. Até algum tempo atrás, acreditava-se que a maconha desencadearia quadros psicóticos em pessoas que tivessem predisposição. Hoje, já está se revendo esse conceito e já se acredita que a maconha possa ser causadora de transtornos mentais, particularmente, a esquizofrenia. A maconha ao longo dos anos foi sendo progressivamente modificada geneticamente e o teor de THC, o princípio ativo da maconha foi sendo aumentado. Então, a maconha dos anos 60 que, em geral tinha 0,5% de THC hoje está aumentada em até 20% da taxas de THC, o que equivale que um baseado fumado significaria o mesmo teor de intoxicação de 40 baseados. Isso quer dizer que mesmo que a maconha seja consumida por um curto período de tempo o potencial de causar problemas à personalidade é muito grande.
Esquizofrenia , uma das doenças causadas pela maconha, significa perda da realidade, paranóia, delírios, impressão de estar sob influência de forças estranhas, profundas perturbações afetivas, introversão, e risco de violência para quem convive com o doente. São doenças que mudam totalmente vidas, relata a psiquiatra Lucinda do Rosário Trigo:

-Esses jovens nunca mais vão conseguir estudar, trabalhar, constituir famílias. Passaram a ser um ônus para suas famílias e para a sociedade. Vão precisar de várias internações. E quando estiverem em suas casas irão precisar de acompanhamento por enfermeiros ou parentes o tempo todo e de remédio para o resto de suas vidas. É um grande sofrimento para eles e para suas famílias.

NARGUILÉ ESTÁ SENDO USADO PARA FUMAR MACONHA em SP

Adolescentes estão usando Narguilé para fumar maconha, alerta o psicoterapeuta Paulo Campos Dias. Narguilé é um cachimbo usado por turcos, hindus e persas , composto de forninho, tubo e vaso de água perfumada que o fumo atravessa antes de chegar à boca. Lojas de São Paulo informam ter aumentando a venda pelo interesse de adolescentes e jovens por esses cachimbos. O especialista Paulo Campos Dias explica:

“Esse aparelho está sendo usado para disfarçar o cheiro da maconha . A fumaça passa pela água. Quando a mãe ou o pai entram no quarto, o que está próximo ao Narguilé é um maço de cigarro de cravo, por exemplo. ”

O psicoterapeuta chama a atenção para um fato que pode ser constatado pelos pais: “ O incrível é que apesar do uso ser diário,um único maço do cigarro de cravo, que está bem à vista no quarto, chega a durar dois meses. Se os pais observarem com cuidado, verão que o que está sendo fumado não é esse cigarro e sim a maconha.”

O autor de pesquisas sobre a maconha descreve o aumento do THC no baseados a partir da década de 80. THC é a substância que causa dependência química e física e pode provocar doenças psiquiátricas graves e até irreversíveis:

-em 1983, havia 13,5% de THC em cada baseado

-em 1990, aumentou para 35% em cada baseado

-em 2000, aumentou para 40% de THC em cada baseado

-em 2004, já se constatou 70% de THC em cada baseado

“O óleo de haxixe, que contém até 73% de THC , vem sendo pingado sobre cigarro normal”, alerta Paulo Campos Dias.

“Motivos”, afirma o especialista, “ de maconha já ser considerada droga pesada.”

MACONHA É PROIBIDA NO BRASIL MAS SEU USO ESTÁ BANALIZADO

Maconha é proibida no Brasil. Mas na prática, a realidade é outra. A erva, definida por especialistas, como droga perigosa, que pode causar doenças psiquiátricas graves, está banalizada. Em 29 cidades de São Paulo, constatamos que a maioria dos estudantes têm colegas que fumam baseado. Alunos, professores e policiais destas cidades confirmaram o fato durante apresentações da campanha Jovem Pan Pela Vida, Contra as Drogas, que tem apoio da Lincx-Serviços de Saúde. Nestas cidades, meninas e meninos de 12, 13, 14 anos já fumam maconha nas praças, nas ruas, nas festas ou até mesmo nos banheiros ou nas quadras de escolas. Fato que se repete na capital, em Atibaia, Alphaville, Barueri, Cotia, Diadema, Embu, Guarulhos, Indaiatuba, Itatiba, Itapevi, Itu, Jundiaí, Mairiporã, Mauá, Mogi das Cruzes, Morungaba, Osasco,Ribeirão Pires, Rio Claro, Salto, Santo André, São Bernardo do Campo, São Lourenço da Serra, São Roque, São Sebastião e em Taboão da Serra.

MACONHA PODE CAUSAR DERRAME

Maconha aumenta o risco de derrame, revela estudo feito nos Estados Unidos pelo Instituto Nacional Sobre Abuso de Drogas e pelo Instituto Nacional de Saúde. Os resultados indicam que a maconha atrofia vasos sangüíneos. Os pesquisadores alertam no estudo que já há vários casos de derrame entre jovens usuários de maconha. O estudo confirmou também que maconha potencializa o risco de perda de memória.

Os pesquisadores mediram com uma avançada tecnologia de ultra-som a corrente sangüínea no cérebro dos voluntários no início do estudo e após um mês de abstinência. Os valores encontrados revelaram que usuários de maconha apresentam vasos sangüíneos mais estreitos que doentes com pressão alta ou diabetes. A pesquisa constatou que os efeitos nos vasos sanguíneos continuam mesmo após um mês sem fumar maconha.

MACONHA VENDIDA PELA INTERNET

Maconha é livremente vendida pela Internet. Sites em português e em inglês, acessíveis a qualquer internauta no Brasil, vendem vários tipos de sementes, inclusive , a transgênica.
Um site da Holanda, por exemplo, diz, em bom português, que o cliente deve usar seu nome e endereço verdadeiros, “evitando a Caixa Postal”. Os traficantes afirmam que se o interessado der seu nome e endereço corretos, a entrega está garantida por via postal. As sementes da super maconha, por exemplo, são enviadas ao Brasil , em caixa branca, plana e com aviso de prioridade de entrega para o correio brasileiro.

Os sites indicam duas formas de pagamento para a erva e sementes importadas : ou em dinheiro (dólar ou euro) enviado pelo correio no endereço indicado no site ou por ordem de pagamento .
O inciso terceiro do artigo 13 da Lei 6538, de 1978, diz que os Correios não podem aceitar , nem entregar substâncias de uso proibido no País. Mas os Correios alegam que crime é atribuição da Polícia Federal. É necessário ter subsídios da PF para poderem impedir a entrega desse tipo de mercadoria. “Os Correios entregam mercadorias boas ou ruins”, alega a assessoria da estatal.

PAIS ATENTOS À CORRESPONDÊNCIA DOS FILHOS—Mais uma vez, a sociedade tem que se defender sozinha. Cabe aos pais ficarem atentos às correspondências internacionais recebidas por seus filhos , porque podem conter drogas. As atenções devem se voltar especialmente para remessas vindas da Europa e da América do Norte, destacando-se Canadá e Holanda. Nesses países, há sites especializados na venda de sementes de maconha e da própria erva pelo correio. Sites que são acessíveis a qualquer internauta brasileiro e podem levar mais jovens ao mundo das drogas, de onde poucos escapam.