– Pink.

Flores!

Essa rosa mesclada mereceu ter um clique caprichado.

Jardinagem e Fotografia: duas paixões!

Imagem

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– As críticas são inevitáveis. E como você as encara?

Aristóteles, o filósofo grego tão conhecido, um dia disse que “só há uma maneira de evitar críticas: não faça nada, não diga nada e não seja nada”.

  • Como elas são aceitas por você?

Particularmente, ouço as críticas e, se elas forem coerentes e de gente que conhece do riscado, reflito atentamente. Se for de hater, leio (pois até mesmo deles pode ter algo a melhorar) e respiro fundo, sem dar muita bola na maioria dos casos). Mas não podemos nos deixar influenciar a todo instante por elas!

– E o sol vai ladeira abaixo…

Ninguém avisou o sol que, na hora do entardecer, deve tomar cuidado com postes e fios no caminho para casa?

Vai que leva um choque…

☀️ 📸⚡️ #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#sunset #paisagem #landscapes #inspiration #BragançaPaulista

– Pisadas na bola como a de Sóbis são raras?

Rafael Sóbis “causou” ao dizer que, por torcer para o Colorado, “tirou o pé” numa partida pelo Cruzeiro para tentar ajudar o Internacional na outra contra o rebaixamento (que foi em vão).

Imaginem os companheiros dele naquela oportunidade, como devem estar?

E os torcedores?

Enfim: além da questão ético-profissional, fica o lembrete: ele é um caso “à margem” ou existem outros tantos por aí?…

Sobis teve duas passagens pela Raposa, sendo a segunda se iniciando em 2020

Imagem: Gustavo Aleixo / Cruzeiro, extraído de: https://www.lance.com.br/cruzeiro/rafael-sobis-anuncia-aposentadoria-apos-vitoria-sobre-brusque-pela-serie.html

– 16h.

Sem filtros, 16h, tudo azul no horizonte bragantino!

Que calor, amigos…

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress

– 39 anos que a Haspa se foi…

Quando garotinho, meu pai abriu uma Caderneta de Poupança da Haspa, que era do então Ministro da Fazenda Delfim Neto. Lembram da propaganda e dos cofrinhos? Poupe que o Delfim garante…”

Pois é: Há 39 anos ela quebrou! Ainda bem que os meus trocadilhos de criança foram para o já falecido Banco Real…

Eu gostava de ir lá só por causa da Turma da Mônica…

935368_613572492005124_81097364_n.jpg

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer o autor, favor informar para créditos.

– Gelatina!

🇧🇷 Comer gelatina ajuda a manter uma boa saúde! Não engorda e contém colágeno. Vale a pena ter o hábito de sempre degustá-la!

🇺🇸 Eating gelatin helps to maintain good health! It is not fattening and contains collagen. It’s worth getting into the habit of always tasting it!

– Oração e perseverança!

Às vésperas do dia de Nossa Senhora de Fátima, no ano passado, o Papa Francisco conseguia visitar as pessoas com a diminuição da pandemia naquela época. E falou muito sobre a persistência na oração!

Sobre isso, como está sua conversa com Ele?

Para refletirmos, extraído de: https://saomamededeestedebraga.wordpress.com/2021/05/12/voz-do-papa-213/

A VOZ DO PAPA

“É bom nos vermos face a face”

“O combate da oração” foi o tema da catequese do Papa Francisco.

Estou feliz em retomar estes encontros face a face, pois lhes digo uma coisa: não é bom falar diante do nada, diante de uma câmara. Encontrar as pessoas, encontrar vocês, cada um com sua história, ver cada um de vocês, para mim é uma alegria. Obrigado por sua presença e por sua visita. Levem a mensagem do Papa a todos. A mensagem do Papa é que rezo por todos, e peço que rezem por mim unidos em oração.

Segundo o Pontífice, “a oração cristã, como toda a vida cristã, não é um “passeio”. Nenhum dos grandes orantes que encontramos na Bíblia e na história da Igreja teve uma oração “confortável”. Sim, é possível rezar como papagaios, mas isso não é oração. Certamente ela concede uma grande paz, mas através de uma luta interior, por vezes dura, que pode acompanhar até longos períodos da vida. Rezar não é algo fácil. Cada vez que a queremos fazer, de repente lembramos de outras atividades, que naquele momento parecem mais importantes e mais urgentes. Isso acontece também comigo!”

Francisco disse ainda que “quase sempre, depois de termos adiado a oração, percebemos que aquelas coisas não eram absolutamente essenciais, e que talvez tenhamos desperdiçado tempo. O inimigo nos engana deste modo. Quem quiser rezar deve lembrar-se de que a fé não é fácil, e por vezes procede na quase total obscuridade, sem pontos de referência”.

“Contudo, os piores inimigos da oração estão dentro de nós”, disse ainda o Papa, citando o Catecismo da Igreja Católica que os chama de: «Desânimo na aridez, tristeza por não dar tudo ao Senhor, porque temos “muitos bens”, deceção por não sermos atendidos segundo a nossa própria vontade, o nosso orgulho ferido que se endurece perante a nossa indignidade de pecadores, alergia à gratuitidade da oração».

“O que fazer no tempo da tentação, quando tudo parece vacilar? Se olharmos para a história da espiritualidade, vemos imediatamente que os mestres da alma foram muito claros sobre a situação que descrevemos”, disse o Papa, citando, por exemplo, os Exercícios espirituais de Santo Inácio de Loyola, um livreto de grande sabedoria, que ensina como pôr a vida em ordem. Santo Antão, Abade, fundador do monaquismo cristão, que enfrentou momentos terríveis no Egito, quando a oração se tornou uma dura luta.

“Combater na oração. Muitas vezes a oração é um combate”, disse o Papa, contando um episódio que aconteceu numa diocese na Argentina. Francisco recordou que um casal tinha uma filha doente por causa de uma infeção. Segundo os médicos, a menina morreria ainda naquela noite. O homem era um operário. Ele saiu do hospital chorando. Pegou o comboio e viajou 70 km e foi à Basílica de Nossa Senhora de Luján. Quando chegou, a Basílica estava fechada e agarrou-se às grades do portão. Rezou a noite inteira e de manhã a igreja abriu ele entrou para saudar Nossa Senhora. Essa cena é indelével: “Eu a vi! Eu a vivi”, disse o Papa. O combate daquele pai na oração precede um sorriso: o de sua esposa que lhe disse, quando voltou para casa, que sua filha foi inexplicavelmente curada. “Nossa Senhora o ouviu”. A “oração”, salientou o Papa, lembrando este episódio, “faz milagres”.

Jesus está sempre connosco: se num momento de cegueira não conseguirmos vislumbrar a sua presença, conseguiremos no futuro. Também nós um dia poderemos repetir a frase que o patriarca Jacó disse certa vez: «Na verdade, o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia!» (Gn 28, 16). No final da nossa vida, olhando para trás, também nós poderemos dizer: “Pensava que estava sozinho, mas não, não estava: Jesus estava comigo”.

– Memória litúrgica da Bem-Aventurada Virgem Maria de Fátima.

Após a catequese, o Papa Francisco saudou cordialmente os polacos, recordando que nesta quinta-feira, dia 13, celebra-se a memória litúrgica da Bem-Aventurada Virgem Maria de Fátima. “Coloquemo-nos com confiança sob a sua proteção materna, sobretudo quando encontramos dificuldades na nossa vida de oração”, disse o Pontífice.

– Aniversário do atentado a São João Paulo II.

Ainda na saudação aos poloneses, o Papa recordou também que amanhã, quinta-feira, celebra-se “o 40º aniversário do atentado a São João Paulo II”. “Ele sublinhou com convicção que devia a sua vida à Senhora de Fátima. Este acontecimento nos dá a consciência de que a nossa vida e a história do mundo estão nas mãos de Deus”, disse Francisco. “Ao Imaculado Coração de Maria confiamos a Igreja, nós mesmos e o mundo inteiro. Rezemos pela paz, pelo fim da pandemia, pelo espírito de penitência e pela nossa conversão”, frisou.

– Rezar o Terço para invocar o fim da pandemia.

Por fim, Francisco exortou, “guiados pelos santuários de todo o mundo”, a rezar neste mês de maio “o Terço para invocar o fim da pandemia e a retomada das atividades sociais e de trabalho”. “Hoje”, lembrou ele, “o santuário da Beata Virgem do Rosário em Namyang, Coreia do Sul, guia esta oração mariana. Unamo-nos aos que estão reunidos neste santuário, rezando especialmente pelas crianças e adolescentes”.

O papa Francisco

Imagem: Reuters, extraído de: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-55965481

– Campeonatos Jabuticabas: os Estaduais brasileiros!

Texto escrito há 5 anos, mas válido para hoje:

Daqui alguns dias começarão os Campeonatos Regionais, que assim como os “Pés de Jabuticabas”, só existem nos Brasil. Tirando os de São Paulo e Rio de Janeiro, os demais não dão chances aos pequenos. E esses mesmos pequenos paulistas e cariocas, todos sabemos, estão falidos.

Os pequenos precisam das verbas desses torneios para sobreviverem, e elas existem não por eles, mas pelos grandes.

É sabido que as potências não querem jogar os Campeonatos Estaduais. Mas também não se movem para evitá-los (com exceção, o Atlético Paranaense que tem disputado em seu estado com o Sub 23).

Será que esses torneios não poderiam ser melhor espaçados no calendário? Ou que fossem divisões locais de acesso às nacionais?

Na Inglaterra, existe a Northern Premier League, que congrega times regionais das 7a e 8a divisões e que permitem aos clubes (se tiverem condições financeiras e técnicas) a chegarem à badaladíssima Premiere League (1a divisão). Por quê não podemos ter série E, F, G representando os Regionais? Cravo que um jogo entre Paulista de Jundiaí x XV de Jaú valendo acesso da 6a divisão para a 5a Nacional levaria mais público do que valendo a queda da 1a divisão para a 2a do Estadual.

Para mim, a resposta para que não se discuta para valer o fim dos regionais (os quais, confesso, sou apaixonado mas entendo a dificuldade financeira do modelo) é clara: a perda de Poder das Federações Estaduais!

No ano retrasado, Rogério Ceni questionou:

O que vale ganhar o Campeonato Paulista?”

Vencer o Paulistão só vale o status (e o dinheiro, lógico). Mas se perder… o time grande sofre com a pressão!

Algo tem que ser feito. Não dá para abrir um Morumbi para o São Paulo jogar com público de 5.000 pagantes contra o Audax, enquanto o clube gostaria de estar excursionando pela Ásia ganhando dinheiro e treinando. Ao mesmo tempo, não dá também para XV de Piracicaba, Noroeste, América de Rio Preto e tantos outros times tradicionais montarem times para apenas 3 meses nas divisões que disputam e fecharem as portas.

Quem aceitará ceder? Os times grandes continuando com o assistencialismo, clubes pequenos fechando as portas de vez ou as federações estaduais abrindo mão do poder?

bola-murcha.jpg

Imagem: Internet, de autoria desconhecida.

– Cores de uma manhã bonita.

Se hoje cedo estava tudo branco pela névoa, outrora tudo estava colorido.

Eu gosto do horizonte todo pintado. Olhe só esse aqui, na divisa entre Jundiaí e Itupeva:

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Erick Jacquin no Roda Viva.

Para que gosta dos programas “Masterchef” e “Pesadelo na Cozinha”, vale a pena assistir essa entrevista do Erick Jacquin, o francês que faz sucesso no Brasil com seus programas culinários.

O mais legal do programa? Quando ele fala sobre os seus fracassos, que lhe ensinaram a empreender melhor!

Em: https://www.youtube.com/watch?v=fg_bH1VR-mQ

– Bom dia, 6a feira (post 4 de 4).

🌅 06h – Desperte, Bragança Paulista, bem branquinha pela névoa.

Que a sexta-feira possa valer a pena!

(E há de valer, creiamos nisso).

🍃🙌🏻 📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#clouds #nuvens #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy

– Bom dia, 6a feira (post 3 de 4).

🌺 Fim de cooper! Valeu o treino (além do esforço).

Estou suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da natureza. Hoje, com essas delicadas plantas: roseiras corais!

Curta flores! Elas nos desestressam e aliviam a mente.

🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

– Bom dia, 6a feira (post 2 de 4).

🙏🏻 Enquanto vou correndo, fico meditando e faço uma prece:

– Ó Virgem Maria, Mãe de Deus, rogai por nós que recorremos a vós. Hoje, em especial, pelos moribundos. Amém.

Reze, e se o que você pediu for para seu bem, Deus atenderá.

⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade

– Bom dia, 6a feira (post 1 de 4).

👊🏻 Olá amigos! Tudo bem? Sem preguiça, vamos levantar?

Por aqui, tudo pronto para suar mais uma vez em busca de saúde. S’imbora correr a fim de produzir e curtir a tão necessária endorfina (controlando o cortisol)?

Pratique esportes. Sempre!

🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #training #Adidas #Asics #UnderArmour #corrida #sport #esporte #running

– Twitter fora do ar…

E a gente fica refém muitas vezes da Internet, não?

No caso das Redes Sociais, quando uma das mais usadas está fora do ar… ai, ai, ai…

Eu, por exemplo, estou observando que o twitter está fora do ar desde às 22h quase meia-noite e não voltou!

E para quem trabalha com elas dia e noite…?

Twitter caiu? Como saber se a rede está fora do ar | Redes sociais |  TechTudo

– Desestresse com o jardim!

Férias?

Não é bem assim… hoje foi dia de pegar firme na jardinagem.

Comecei depois do almoço e terminei à noite. Mas o jardim do fundo (com horta) e o jardim da frente (com flores) – na foto – ficaram caprichados!

Mexer com a terra é muito bom. Desestressa totalmente!

– Familiarizando-se com os termos em inglês na área de Adm.

Sou contra o uso excessivo de termos em inglês, sendo que se eles existem e são usuais em português, deveriam ser utilizados.

Alguns exemplos:

Imagem recebida por WhatsApp, autoria desconhecida. Por favor, quem conhecer o autor, informar para divulgar o crédito.

– Como algumas escolas estão conseguindo vencer o bullying entre os alunos?

Sabemos que o bullying é uma triste realidade nas instituições de ensino do Brasil (e logicamente, em todos os setores da sociedade). E o que fazer para eliminá-lo definitivamente, a fim de que não cause efeitos tão nocivos como estão causando?

Extraído de: https://istoe.com.br/as-escolas-que-venceram-o-bullying/

AS ESCOLAS QUE VENCERAM O BULLYING

Na contramão da maior parte das instituições de ensino do País, que ainda não possuem práticas para coibir a discriminação, alguns colégios já adotam modelos bem-sucedidos para assegurar a boa convivência entre os alunos

Por Fabíola Perez

A imagem de um jovem cabisbaixo, isolado em um dos cantos do pátio, ou de uma criança acuada após ter sido vítima de provocações começa a se tornar rara em algumas escolas do País. Apesar de  numericamente ainda serem poucas, instituições de ensino têm desenvolvido metodologias específicas para combater a intimidação e se transformado em exemplos na batalha contra a discriminação e a propagação do ódio no ambiente escolar. O caminho não é simples, mas os resultados das iniciativas mostram que é possível coibir a prática.

“Os programas anti-bullying vão desde grupos
de jovens que aprendem a auxiliar as vítimas até
palestras para capacitar pais e professores”

Um desses colégios é o Bandeirantes, um dos mais tradicionais de São Paulo. Lá, as estudantes Mariana Avelar, 14 anos, e Isabela Cristante, de 12, fazem parte dos grupos de ajuda do Programa de Combate ao Bullying. Elas foram escolhidas pelos demais alunos para participar de dois dias de capacitação com uma equipe de professores universitários e psicólogos.

Por meio de situações hipotéticas, o treinamento deixou claro o que é bullying e como elas deveriam agir em diferentes casos. “As pessoas mais isoladas são aquelas com gostos diferentes da maioria. Tentamos nos aproximar até que o colega se sinta confiante para conversar”, diz Mariana, estudante do 9º ano. “Aprendemos que, às vezes, o problema é maior do que parece, e precisamos levá-lo aos orientadores”, conta Isabela, da 6ª série. Os estudantes também conversam com quem presencia ou pratica o bullying. “O agressor se conscientiza mais rapidamente” , afirma Isabela.

Com pulseiras para identificação, os participantes percorrem a escola auxiliando nos casos em que percebem o isolamento. A estratégia está funcionando. “Observamos a redução de casos”, afirma Marina Schwarz, orientadora da escola. “Hoje temos mais acesso aos episódios de provocação, que normalmente ocorrem por trás das autoridades.”

Outro colégio que adotou medidas para coibir o bullying é o Soka, também de São Paulo. Há dois anos, a escola organiza palestras com advogados e psicólogos. “Conversamos com os pais sobre a responsabilidade deles em verificar os celulares dos filhos. É preciso identificar se há indícios de bullying nas conversas em grupos de redes sociais”, afirma o diretor James Jun Yamauti.

A instituição também capacitou orientadores para dar assistência a alunos que chegam de outras escolas. “Trabalhamos com jovens que tiveram dificuldade de adaptação para que tenham um entrosamento melhor”, afirma Edna Zeferino Menezes, assistente de orientação educacional. Na sexta-feira 27, a escola deu início à semana do “Preconceito Não”, com palestras sobre direitos da população negra, questões de gênero e indígenas e a trajetória da população LGBT. “A ideia é que os alunos reflitam sobre questões que interferem diretamente no bullying e identifiquem se já vivenciaram situações semelhantes”, explica Yamauti. “Os constrangimentos diminuíram bastante. Se uma brincadeira passa dos limites, deixa de ser brincadeira”, afirma Igor Seiji Ando Bomfim, 15 anos, que relata ter ajudado colegas que sofreram discriminação.

DESCONTROLE

Em um momento no qual o tema vem à tona mais uma vez após o bullying ter sido apontado pela polícia como um dos fatores que levaram um adolescente de 14 anos a atirar contra colegas em uma escola de Goiânia na sexta-feira 20, é fundamental que iniciativas como essas deixem de ser fatos isolados.

Os colégios devem começar a colocar em prática ações determinadas pela lei contra os atos de perseguição, em vigor desde abril do ano passado. Uma delas é a produção de relatórios bimestrais com eventuais casos. “O bullying não é controlado pelas autoridades pela falta de dados, o que dificulta o diagnóstico da extensão do problema”, afirma advogada Ana Paula Siqueira Lazzareschi, especialista em direito digital. Outro aspecto importante é que, além do suporte à vítima, as instituições devem oferecer assistência ao agressor.

A ocorrência ainda diária das intimidações mostra, no entanto, um descompasso muito grande entre o que faz a maioria das escolas e o que manda a legislação. Casos extremos, como o de Goiânia, evidenciam, porém, a urgência na adoção de medidas efetivas. “O bullying não pode ter sua gravidade subestimada e ser tratado como uma brincadeira de criança”, diz a advogada Ana Paula. “A cultura da vingança ainda é muito presente  na sociedade e é esse desejo que está por trás do comportamento do agressor”, diz.

Terminando em tragédias ou não, casos de bullying têm efeitos indeléveis para a vítima, o agressor e toda a escola. “Ocasionam rachas nas salas de aula, colocam metade dos alunos contra o agressor e a outra parte a favor da vítima”, diz Ana Paula. Por isso, os programas de combate a práticas tão cruéis são fundamentais para reverter o aumento da intolerância em ambientes de aprendizado. Não de destruição.

DISPOSIÇÃO PARA AJUDAR

Satisfação em ver os colegas enturmados é o que move as alunas Mariana Avelar e Isabela Cristante, do 9º e do 6º ano, respectivamente, do Bandeirantes, em São Paulo. Há um ano, elas foram escolhidas para fazer um treinamento de capacitação e saber como atuar em casos de bullying. Desde então, as estudantes percorrem os espaços da escola e sempre que percebem situações de isolamento ou provocação se aproximam da vítima ou dos que testemunharam a ação. “Saber que consegui ajudar é muito bom”, diz Isabela.

Imagem extraída de: https://educacao.estadao.com.br/blogs/escola-vilaplay/bullying-existe-na-educacao-infantil/

– Festa de São Sebastião!

Hoje é dia de um dos santos mais valorosos e corajosos da Igreja Católica: São Sebastião, que levou flechadas mas não negou sua fé!

Sua história, abaixo, extraída de: http://santo.cancaonova.com

SÃO SEBASTIÃO

O santo de hoje nasceu em Narbonne; os pais eram oriundos de Milão, na Itália, do século terceiro. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço. Recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos.

Ao entrar para o serviço no Império como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. Não demorou muito, tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos cristãos, pois, sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos –, porque o imperador adorava os deuses, enquanto os cristãos não adoravam as coisas, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Esse mistério o levava a consolar os cristãos que eram presos de maneira secreta, mas muito sábia; uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.

São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado, como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida. O coração de São Sebastião tinha esse desejo: tornar-se mártir. E um apóstata denunciou-o para o Império e lá estava ele, diante do imperador, que estava muito decepcionado com ele por se sentir traído. Mas esse santo deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço; denunciando o paganismo e a injustiça.

São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus!

O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia e aproximou-se dele percebendo que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288 foi duramente martirizado.

São Sebastião, rogai por nós!

Resultado de imagem para São Sebastião

Imagem extraída de: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sao-sebastiao/162/102/