– Emendas à Regra do Jogo 2016/2017: 23 novas alterações no Futebol!

Não se assuste, mas saiba: a Regra do Futebol irá ser alterada em diversas situações a partir de 1o de junho de 2016, e elas sequer foram divulgadas a contento.

Vamos entender essa transformação que ocorrerá?

No começo do ano, houve a histórica reunião da International Board (a “dona das Regras do Jogo de Futebol” e seus parceiros (FIFA e demais Federações históricas da Grã Bretanha, as pioneiras na prática do esporte, como o próprio nome qualifica, “bretão”). Desse encontro, repercutiu bastante a autorização para testes com árbitros de vídeo (AV), ou seja, o uso de imagens para 4 situações:

A- confirmar a validade ou não de um gol onde exista dúvida de infração,

B- acerto de decisões ao marcar pênaltis duvidosos ou simulações,

C- confirmar se é justo ou não a aplicação de um cartão vermelho e

D- identificar um jogador infrator para ser advertido em situações que o árbitro confunde quem praticou a infração.

Entretanto, além dos testes, surgiram inúmeras alterações em outras Regras, algumas importantes e outras que poderão passar despercebidas. Mas confesso: é um pacote de alterações nunca antes visto nos tempos do “futebol moderno”.

Para a temporada 2016/2017 (ou seja, para campeonatos que começarem a partir de 01 de junho), além de novas orientações à Regra, surgiram novas redações mais claras de alguns pontos obscuros (esqueça o bordão popular “a Regra é Clara”). De todas (são muitas), cito 23 necessárias ao conhecimento do público em geral (as demais não citadas  decorrem de correções redacionais e/ou detalhes de normatização que não mudarão a prática):

REGRA 1

1- Estarão proibidos gramados que contenham grama natural misturados com grama artificial. Com o maior número de estádios com piso sintético, fez-se necessária essa observação.

2- As bandeiras de escanteio deveriam ser “limpas”, sem desenhos ou marcas. Agora, se poderá colocar os emblemas das associações esportivas/ organizadoras do evento. Publicidade nas bandeirinhas do tiro de canto continuam proibidas!

REGRA 3

3 – Expulsão de atletas antes do apito inicial: anteriormente, um jogador que merecesse o cartão vermelho antes do jogo começar, era substituído por qualquer outro atleta na súmula (e contava como uma das 3 substituições de jogo). Agora, ele pode ser substituído e a equipe continuará podendo realizar 3 alterações durante a partida.

4- Se um atacante chutar a bola e, quando ela fosse entrar no gol, batesse num objeto estranho ou em uma pessoa qualquer que invadisse (um gandula que tenta impedir o gol), o jogo deveria ser paralisado e marcado bola ao chão. Agora, se a bola entrar no gol e o toque ocorrer e não for relevante (mudar a conduta de um zagueiro ou defensor momentaneamente), deve-se confirmar o gol.

REGRA 4

5- Fitas, adesivos ou qualquer coisa que vá sobre a meia, deverão ser da mesma cor da meia (por exemplo, se a meia do atleta é vermelha e ele quer amarrar uma fita crepe ou usar uma proteção extra para o pé, deverá ser da mesma cor. Isso se refere também àquelas pequenas tornozeleiras externas, normalmente brancas.

6- Shorts e calções térmicos deverão ser de uma das cores relevantes da bermuda e idênticos à todos os atletas das equipes. Se a bermuda é branca com bainha preta, o calção térmico poderá ser branco ou preto – mas toda a equipe deverá usar a mesma cor de calção térmico. Aqui fica a observação: pela lógica da nova normatização de calções térmicos e acessórios sobre as meias, por que ninguém mexeu com a “cor das chuteiras”? Provavelmente, a força de bastidores da Adidas ou da Nike é maior…

REGRA 5

7- Avaliação do árbitro para permitir atendimento médico a atletas que se machucam: se o infrator receber cartão amarelo ou vermelho, o lesionado poderá ser atendido dentro de campo, sem a necessidade de sair do gramado de jogo como é hoje.

REGRA 7

8- Duração da Partida: antes, se paralisava o cronômetro quando existia a pausa para a reidratação. Agora, o tempo deve ser contínuo e o árbitro deve indicar ao final do jogo, nos acréscimos, a recuperação dessa paralisação (não nos assustemos com acréscimos de 6, 7 ou 8 minutos de jogo com mais frequência).

REGRA 8

9- Uma novidade: no bola ao chão, o jogador que tocar a bola não poderá tocá-la novamente até que alguém a toque novamente (como em tiro livre indireto, o popular “dois toques”). Se o fizer, deverá se marcar tiro livre indireto ao adversário.

10- Não será mais necessário que o tiro de saída seja para frente. O jogo poderá ser iniciado com um toque para trás.

REGRA 10

11- Nas decisões por pênaltis, o árbitro deverá sortear a meta onde ocorrerão os chutes, ao invés de escolher um dos gols (só poderá fazer em condições extremas; ou seja, se uma área está muito mais prejudicada por outra por conta de chuva, neve, buraco, etc.). Portanto, serão dois sorteios: o primeiro para saber em qual meta serão disputados os pênaltis; o segundo, quem começará batendo os pênaltis.

12 – As equipes não precisarão informar previamente os batedores numa decisão por pênaltis. Ou seja: o árbitro só saberá na hora quem vai chutar as cobranças (reforço: os clubes não precisam mais informar os nomes dos cobradores nem a ordem).

REGRA 11

13- Os braços dos atletas de linha nunca contaram para a marcação de impedimentos (pois os jogadores de linha não podem tocar a bola com a mão). Agora, um lembrete: em qualquer lugar do campo (inclusive na sua própria grande área), não se conta o braço do goleiro também.

14- Se um atacante ficar parado dentro da meta (anteriormente essa ação era para demonstrar que não queria participar da jogada), e sua equipe fizer o gol, o gol deverá ser anulado e será marcado impedimento.

REGRA 12

15- A “mão na bola”, necessariamente, não deve ser sempre sancionada com cartão amarelo. A partir de agora, deve-se analisar qual a intensidade/ gravidade/ motivo do uso da mão na bola.

16 – Ofensas verbais contra a arbitragem serão consideradas para a marcação de tiro livre direto ao adversário (não mais indireto), assim como para pessoas do banco de reservas. Na prática, se um zagueiro xingar o árbitro dentro da área com a bola rolando, poderá ser marcado pênalti!

17- Começarão a existir as “faltas fora do campo”: a situação em que os atletas estão disputando a bola, correm, saem de campo mas a bola fica dentro do gramado. Antes, se ocorresse um agarrão ou um pontapé, você não poderia marcar a falta pois a bola estava em campo mas os atletas não (se reiniciava com bola ao chão). Agora, você marcará a falta e o jogo se reiniciará sobre a linha demarcatória, no ponto mais próximo do local da infração. E se isso for próximo a grande área, pênalti!

18- A mais relevante: a não expulsão de um jogador que impedir uma situação clara e manifesta de gol, desde que este cometa uma infração durante a disputa de bola. Ou seja: se o gol estiver aberto, sem goleiro, e o zagueiro faz uma falta temerária no atacante, se marcará pênalti e aplicará cartão amarelo (não mais o vermelho). Porém, se o zagueiro der um pontapé certeiro contra o atacante, sem visar a disputa de bola (uma agressão, por exemplo), continuará a ser vermelho. Idem para a situação de uso indevido das mãos na bola, como na marcante defesa de Luizito Suarez na Copa de 2010. Tais lances continuam a ser vermelho.

REGRA 13

19- Para qualquer cobrança de tiro livre, acrescentou-se que a bola só estará em jogo quando for chutada e mover-se claramente. Portanto, acabou a burla de “tocar leve e disfarçadamente na bola”, colocando a bola para seu companheiro sair jogando e enganar o adversário que pensa que o tiro ainda será cobrado.

REGRA 14

20 – Nas cobranças de pênaltis, duas alterações: se o atleta der a “paradinha proibida” (aquela na hora exata do chute), a cobrança será considerada irregular e não voltará o chute, mas se marcará tiro livre indireto ao adversário. A outra: goleiro que infringir a regra será advertido com cartão (ou seja, se ele se adiantar na cobrança, recebe o Amarelo).

REGRA 15

21 – Nos arremessos laterais, os adversários não podem interferir na cobrança e devem estar a 2 metros de distância.

REGRA 17

22- Na cobrança de um tiro de meta, sabe-se que a bola só pode ser tocada por quaisquer jogadores quando ela sair da área (embora eles possam estar dentro da área penal durante a cobrança, sem tocá-la). Agora, se um adversário estiver dentro da área durante a cobrança, não só deverá esperar ela sair da área como também deverá esperar alguém tocá-la para poder tentar dominar a bola.

SINAIS DOS ÁRBITROS

23- O árbitro poderá dar “sinal de vantagem” com apenas uma mão, não necessariamente com duas (nossa, que importante!!!).

Sinceramente, acho que de todas, algumas poucas modificações são necessárias (como validar um gol quando há o toque externo e ele não é determinante ,ou quanto a questão de faltas fora do campo de jogo). Outras, duvidosas (cartão amarelo ao goleiro que se adiantar durante a cobrança de pênalti) e algumas burras (como não expulsar atleta em situação clara e manifesta de gol).

Sobre o árbitro de vídeo?

Aguardemos os testes.

O que achou de todas estas mudanças? Salutares ou não?

bomba.jpg

– Tênis Original x Falsificado

Você já parou para comparar um tênis falso de outro original?

Os malefícios podem ser muitos: desgasteslesõescalor excessivo, entre outros.

Veja que interessante os testes da fundação Pró-Testes com os modelos mais falsificados de corrida. Abaixo:

(Extraído de: http://boaforma.uol.com.br/noticias/redacao/2012/07/31/tenis-de-corrida-falsificado-pode-colocar-a-saude-em-risco-mostra-analise.htm)

TÊNIS DE MARCA FALSIFICADO PODE PROVOCAR RISCO À SAÚDE

Economizar na hora da compra de um bom produto às vezes pode trazer dor de cabeça no futuro, mas não foi o que a Proteste – Associação de Consumidores constatou no teste com seis marcas de tênis de corrida. A análise apontou que desde que não compre um produto falsificado, dá para gastar pouco e adquirir um excelente tênis.

A associação analisou um modelo falsificado, para verificar quais os danos que o uso desse tipo de produto pode causar à saúde do consumidor e constatou que, além de desconfortável, o modelo lesiona os pés e não é nada resistente. O modelo falsificado pesava 423g, mais de 80g acima do peso máximo recomendado para calçados voltados para a prática de esportes, que é de 360g.

Além de leves, os tênis devem ser confortáveis e permitir entrada e saída de ar, o que aconteceu com o falsificado.  No final do exercício, o produto ficou 5,6°C mais quente que no início da corrida.  A variação máxima da temperatura não deve atingir os 5,5°C.

RUPTURAS NA SOLA

o teste de durabilidade feito pela Proteste, o modelo da Reebok teve desempenho ruim.  Foram observadas rupturas nas solas na análise de flexão, provando que não é resistente em esportes de movimentos repetitivos como a corrida. Pelos problemas  apresentados, ele  não foi indicado para compra e ficou como último colocado do teste , com apenas 36 pontos no ranking final.

O Reebok foi o único modelo reprovado no teste de índice de pronação, que é a rotação interna da parte posterior do pé (calcanhar), e cujo excesso pode resultar em lesões nas articulações do joelho. Mas em segunda análise, feita com novas amostras, o tênis foi considerado aceitável. Procurada, a marca não se manifestou sobre o assunto.

ECONOMIA

Todos os modelos originais testados foram eficientes ao amortecer a pisada e nenhum machucou os pés. O melhor tênis do teste foi o Asics Gel Nimbus 13, com 86 pontos e que pode custar até R$ 636, mas pode ser encontrado por R$ 390.

O segundo melhor foi o Puma Exsis 2, que varia de R$ 129 a R$ 250, e ficou apenas um ponto abaixo do modelo do Asics. Optando pelo modelo da Puma o consumidor adquire um bom produto e ainda economiza cerca de R$ 360.

Foram testados os modelos: Asics Gel-Nimbus 13, Puma Exsis 2 , Mizuno Creation 13, Adidas AdiStar Ride 3 M, Nike Zoom Vomero 6 e Reebok Focus Dmx Power.

Os testes envolveram conforto, qualidade e durabilidade dos produtos. Para verificar a temperatura interna foi medido o calor após andar por 30 minutos na esteira e para avaliar o índice de amortecimento foi simulada uma caminhada sobre uma pista com sensores que identificam o grau de impacto sofrido. E, após os testes, foi verificada a adaptação do tênis ao pé do usuário, observando marcas e lesões.

bandeira-pirata.jpg

– Garrincha e Neymar: ícones dos dribles, craques, mas…

Pela minha idade, só vi Garrincha por vídeo. Gênio. Craque. Irreverente. Driblador. Carismático.

Cinquenta anos depois, os atributos descritos acima poderiam ser qualificados a Neymar?

Claro que sim. A diferença é: o Marketing e a Mídia!

Garrincha acrescentou involuntariamente a visão folclórica no seu rótulo; Neymar a comercial. Aí começam a se distanciar (em questão de títulos, só dá para falar ao final da carreira do ex-santista).

O problema é: se Garrincha se perdia nas doses de cachaça, Neymar se perde na dose de ostentação em meio as tribulações. Quando foram apreendidos carros de luxo, posou para foto com outros. Quando é perseguido pelo fisco ou joga mal, aparece em baladas ou compra “mimos” de 40 milhões de reais, como o seu novo avião.

Se estivesse jogando bem sem críticas, tudo isso seria irrelevante. Mas na fase de contestação, evitar a exposição nas festas e se blindar de polêmicas faz bem, não?

Quando, após uma partida na Vila Belmiro, Rene Simões (na época treinador adversário) alertou para que se colocasse limites comportamentais na jóia santista, muitos o criticaram. Hoje, prova-se que ele tem razão.

bomba.jpg

– Violência em Itupeva. De novo?

Com pesar leio mais uma manchete de assalto em Itupeva. Ontem, um policial aposentado foi covardemente ferido numa “saidinha de banco”.

O que está acontecendo com o município vizinho tão simpático?

Tanta propaganda de boa qualidade de vida transformada em convite à bandidagem, infelizmente…

bomba.jpg

– Treinadores Paulistas de Bestas à Bestiais!

Cuca perdeu uma série de jogos quando assumiu o Palmeiras e foi bastante questionado. Após uma sequência de vitórias, o discurso mudou.

Bauza tinha a cabeça a prêmio no São Paulo, mas 3 bons resultados na Libertadores da América o tornaram um novo mestre.

Tite era canonizado diariamente no Corinthians; entretanto, após alguns placares não desejados, voltou a ser ironizado com o termo “empatite”.

O Futebol é incrível por isso! Treinadores viram burros ou gênios em prazo de 3 jogos ou duas semanas. Viva o esporte bretão e a passionalidade dos torcedores!

bomba.jpg

– Decidindo buscar a melhor versão de mim mesmo!

Já se deparou quando “você não é você próprio”? Ou quando o seu habitual deixa se ser o normal e passa a ser exceção?

Sim, eu me vi assim por diversas vezes nos últimos tempos. De risonho a cabisbaixo facilmente, de alegre a deprimido. Da euforia à depressão!

Bipolaridade?

Pode até ser. Mas não era. Ou melhor: não é.

É cansaço, impaciência, desconhecimento de si próprio. Não que precise de autoconhecimento, mas é que algumas virtudes deixaram se sucumbir não por defeitos, mas por fases que não se tornaram passageiras mas duradoras. E eu não sabia que eventos assim eram possíveis.

É preciso colocar as coisas nos eixos. Nestes casos, o tratamento precisa ser radical: TOMAR DECISÕES!

Claro que toda mudança deve ser um processo contínuo. Às vezes, de difícil aceitação. De dor. De angústia. De resistência. Mas…

Vejo amigos meus, jovens, enfartarem – e assusto com isso! Recentemente um conhecido que ganhou bastante dinheiro e que agora iria gozar a vida, se foi sem nada ter feito a não ser trabalhar. Outros foram surpreendidos por doenças. E “como faz” nesses casos?

Não faz, ué.

Para que serve a vida, senão para… VIVER?

Adoro trabalhar. Durmo muito pouco por falta de tempo e sempre foi assim. Desde os 7 anos eu trabalho. Aos 40, quase nunca soube o que é curtir finais de semana livres. Sou um viciado em serviço?

Workaholic é algo aceitável; escravo do trabalho, não. Refém, preso, sem saída, sem eira nem beira, trancafiado em problemas.

Adoro ser desafiado por boas causas. Mas eu estou sabendo identificar o que é boa ou má causa?

Desafios são, redundantemente falando, desafiadores. Mas podem ser jornadas prazerosas ou não. Viver com o trabalho na cabeça não faz bem. Atrofia a alegria!

À beira da loucura, quase insano, comecei a me questionar. E o papo “de Rafael para Rafael” tem sido sério. Seríssimo.

Estou vivendo a vida mesmo?

Tudo vale a pena?

Por quê reluto em continuar algumas coisas? Insistência burra? Teimosia?

Os dias voam, a vida é curta, então… Pra quê?

Por um prato de comida?

Por medo de ousar profissionalmente?

Por não crer que é chegada a hora de mudar de patamar? Comodismo de um status quo?

Para o leitor eventual desse blog, pode parecer um pouco confuso. Para meus amigos íntimos e familiares, tudo está cristalino.

Ter esperança em mudar me permite enfim sonhar. E acredite, percebi que há muito tempo eu não sonhava – ou seja, não fazia planos nem tinha propostas de crescimento para o futuro. Estagnado como estou (mas não acomodado), me prendo às preocupações mundanas.

É chegada a hora de melhorar a qualidade de vida. De responsavelmente alterar o dia-a-dia, de fazer coisas que eu gosto, que me dão prazer e explorar/ extrapolar minhas vocações. Preciso curtir mais minha família, rir com as pessoas que eu amo, festejar e comemorar sempre que desejar. Pela 3a vez, tentar terminar um doutorado! De me atualizar ainda mais, de fazer outros cursos. De me declarar frequentemente para minha esposa, de ficar brincando à toa com a filhota, de me ver coçando o saco sem neuras. E, claro, de desencanar de compromissos que me impedem de ser feliz, os quais me agarram e ousam não me soltarem.

Escrevi esse texto à luz do Espírito Santo. Saiu de “cabo a rabo” num momento empolgado e de iluminação, digitando sem parar com ideias concatenadas de maneira surpreendentemente espontânea.

Não há de ser verdade?

Depende da de quem crê, do desejo de quem quer e da coragem de quem tem medo.

Dias melhores hão de vir. Voltei a sonhar. E buscarei ser “eu de verdade”, desejando manifestar interna e externamente a melhor versão de mim mesmo.

Não sei se conseguirei, mas tentarei. Já estou tentando, em meio a dificuldades e dores.

bomba.jpg
bomba.jpg

– Vale comprar seguidores?

Cresce cada vez mais a opção de “comprar” pacotes de seguidores no Twitter. Dias atrás, a Revista Veja, através de Tatiana Gianini (Ed 02/05/12, pg 113-114), trouxe uma matéria sobre “Fãs Zumbis, perfis falsos, criados apenas para avolumar as contas de Twitter ou Facebook de celebridades.

Por R$ 500,00, compra-se 5.000 seguidores. Barato? Talvez, para os interessados, pode ser um custo aceitável.

Alguns motivos para turbinar a rede social: Vaidade (se vangloriar por ser popular entre as pessoas) ou Negócios (demonstrar que é querido / seguido por muitos para publicidade, por exemplo).

Uma grande bobagem… Aqui, falamos sobre o comércio de gente que gosta de futilidadesGente que tem conteúdo não se importa com tal número.

seguidores-twitter.jpg

– Futebol Esporte Show: contamos com a sua audiência!

E hoje tem Futebol Esporte Show, o programa de esportes que fala sobre os times da região. Nesta sexta-feira, com Marcel Capretz, Orlando Gaeta e Rafael Porcari

Aqui, no SBTVtv e TV Sorocaba

Tudo sobre o Futebol Nacional e Internacional, além dos Campeonatos Paulista da A1 e da A2. 

Prestigie!

– Campinas e Região: 13h00

– Baixada Santista: 13h00

– Sorocaba / Jundiaí e Região: 13h15.

Ficamos felizes com a sua audiência!

– Vereadores farão barulho em busca de voto!

O que tem de “pré candidato a vereador”, pagando anúncio patrocinado no Facebook, é uma loucura! Ao menos, já contabilizei 10 conhecidos.

A campanha, neste ano, vai ser dose… As redes sociais virarão um inferno, em especial neste momento turbulento.

De todos eles, alguns poucos estão querendo ajudar de fato; muitos visam emprego e vários buscando picaretagem pró-interesse pessoal.

Tenhamos paciência!

bomba.jpg

– Felicidade e Depressão?

Jonathan Rottenberg é um renomado psicopatologista! E ele tem uma tese interessante: crê que o mundo “vive uma epidemia de depressão porque as pessoas querem se satisfazer a qualquer preço”.

Sabe aquela criança mimada que quer tudo e quando não tem fica emburrada? Assim também os adultos fazem, só que se deprimindo.

Ele alega que as pessoas têm a necessidade de buscar a felicidade pois foram condicionadas a isso, e tal situação faz mal a elas.

Aceitar a infelicidade é, portanto, saudável.

Profundo ou frustrante tal pensamento? Concorda ou discorda?

7-Maneiras-De-Ser-Infeliz-Na-Vida-00.jpg

– 6 anos que pendurei o apito!

Ufa! Hoje faz 6 anos que encerrei minha carreira na arbitragem de futebol. Muitos jogos, muitas histórias e muitas alegrias.

Claro, muitos desencantamentos. As decepções, na sua maioria, com a cartolagem – e que continua espalhada e se mantendo de galho em galho, mamando nas tetas dos árbitros.

Um dia há de surgir uma liderança que defenda os juízes de futebol de verdade. No atual modelo sindical, quem se alegra é o patrão.

bomba.jpg

– Segundo Retiro das Missões Populares da Diocese de Jundiaí

por Reinaldo Oliveira

2º RETIRO DAS SANTAS MISSÕES POPULARES DA DIOCESE DE JUNDIAÍ SERÁ EM VÁRZEA PAULISTA

Entre os dias 29 de abril e 1º de maio, a Diocese de Jundiaí realiza o 2º Retiro das Santas Missões Populares, no Centro de Evangelização Arca da Aliança Mãe da Divina Providência, da Paróquia Cristo Redentor, em Várzea Paulista. O primeiro encontro aconteceu na Comunidade Santo Antônio, pertencente a Paróquia São Sebastião, em Itupeva, em junho de 2015. As Santas Missões Populares na Diocese de Jundiaí acontecem em 2017, em comemoração pelos 50 anos de Criação da Diocese de Jundiaí. A programação terá início às 19h30 da sexta-feira, 29 de abril. O formato do evento será o mesmo do anterior, com uma intensa programação que inclui momentos de formação, espiritualidade, partilha e conscientização da importância do trabalho missionário. Da mesma forma que no 1º Retiro, a formação será ministrada pelo padre Luís Mosconi, sacerdote que trabalha com missões no Brasil há 25 anos. O 2º Retiro das Santas Missões Populares deverá reunir mais de duas mil pessoas vindas das 66 paróquias da Diocese de Jundiaí. Além dos paroquianos, todos os padres, diáconos, religiosos (as) e seminaristas foram convocados para esse Retiro. Para padre Leandro Megeto, “o 2º Retiro Diocesano das SMP tem o objetivo de avaliar a caminhada missionária da nossa diocese desde a realização do último Retiro. De lá para cá as paróquias e seus missionários trabalharam bastante para realizarem os blocos de atividades propostos que visam resgatar a memória histórica das nossas comunidades e aprofundar a importância da fidelidade e da convicção no Projeto das Santas Missões Populares. Também este Retiro tem o objetivo planejar e articular os trabalhos na Diocese e nas paróquias até o 3º Retiro Missionário Diocesano, já agendado para os dias 26 e 27 de novembro”, destacou o coordenador diocesano da Ação evangelizadora. O Centro de Evangelização Arca da Aliança Mãe da Divina Providência, da Paróquia Cristo Redentor, está localizado na Rua da Várzea, 1920, Vila Santa Terezinha, Várzea Paulista.

divulgação

– Parabéns a Flávio Rodrigues de Souza, árbitro de GO Audax x Santos FC

No começo do Paulistão, escrevi que estava gostando muito do desempenho do árbitro Flávio Rodrigues de Souza. Árbitro que em outras temporadas fez atuações medianas/boas,  conseguiu melhores oportunidades com a nova Comissão de Árbitros da FPF. E fazia por merecer seu primeiro clássico!

O clássico veio: Palmeiras x Corinthians com bom desempenho. Regularidade mantida e… enfim uma final importante!

Flávio, merecidamente, está escalado para Audax x Santos. Com ótimo condicionamento físico, bom desempenho técnico, mais experiente devido ao bom campeonato, já com algum nome entre a boleirada, espero que faça uma boa partida. Como ele deixa o jogo rolar e não marca “faltinhas forçadas”, e pelo estilo e jogo das equipes, penso que teremos uma partida bem corrida, com muitos gols e excepcional tempo de bola rolando.

Boa sorte ao árbitro e grande jogo para as equipes.

Ops: para o segundo jogo, Santos x Audax, bola cantada: Luiz Flávio e Raphael Claus no sorteio.

bomba.jpg