– A exploração de pedintes.

Repost de 11 anos, mas poderia ser de hoje: há três situações a se abordar: os pobres que são explorados por pessoas para se passarem de pedintes (e pagam comissionamento); os pedintes que não compram comida, mas sim drogas. E os pedintes realmente carentes. Abaixo, uma das situações foi retratada:

ESMOLADORES PROFISSIONAIS

Quero deixar meu registro sobre a oportuna e bem feita matéria do jornalista Rafael Amaral no jornal Bom Dia desta última segunda-feira. Ele trata sobre o problema dos pedintes de semáforos em Jundiaí. Em sua maioria, o dinheiro das esmolas recebidas vai para a compra de drogas. Para quem não leu, clique no link: BOM DIA – RAFAEL AMARAL / DINHEIRO DOS SEMÁFOROS

Gostaria de escrever sobre este tema. Como exploram a boa fé das pessoas descaradamente, não? Cada pessoa com cara de triste, rosto judiado ou com fala de faminto… Comove, mexe de verdade com os outros. E aí você acaba fomentando o tráfico ao dar dinheiro a esses enganadores!

É claro que existem pessoas que passam fome, e que sobrevivem dos semáforos. E estas que realmente precisam podem ser confundidas por viciados. Mas atenção: não estou defendendo esmolar nos semáforos, senão a pessoa acaba sobrevivendo do dinheiro de doações anônimas e faz disso profissão. O ideal é a contribuição às entidades sociais de Jundiaí. Aliás, atenção para isso também: assim como tem gente que se faz de miserável dizendo que quer dinheiro para comer, há também as entidades que se passam por filantrópicas e passam o golpe nas pessoas de boa fé!

Algo covarde é a escolha dos pontos que eles se utilizam: saída de restaurantes, do shopping, cruzamentos movimentados em áreas nobres… Você acaba de sair de uma lanchonete, saciado, sorridente, e aparece alguém com expressão triste pedindo uns trocados para comer. Mexe com você ou não? Pior é quando você sai de um drive-thru de algum dos muitos fast-foods e o pedinte vê sua comida. Como é que fica?

Esse tipo de chantagem emocional é complicada… existe fórmula para você, mesmo sendo solidário, distinguir o que é caridade do que é golpe?

Quero sua opinião – como você se comporta frente aos pedidos de esmolas: com a razão ou com o coração?

Pedintes já são parte do cotidiano do comércio de Montenegro - Jornal Ibiá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.