– Você volta ou não atrás de decisões tomadas?

Conta-se (portanto não sei se é verdade) que um dia perguntaram a Juscelino Kubitschek sobre voltar atrás em várias de suas decisões – se seria fraqueza, sinal de demagogia ou falta de convicção.

Respondeu então o presidente brasileiro:

“Costumo voltar atrás sim, não tenho compromisso com o erro”.

Quando mudamos nossas opiniões e convicções, fazemo-nos por qual motivo: debilidade no que cremos ou certeza de arrumarmos e evitarmos equívocos?

Ninguém deve ser um poste para manter uma posição dura / surda / imutável.

bomba.jpg